Gostou do artigo? Compartilhe!

Obstrução das Trompas de Falópio

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que são trompas de Falópio?

As trompas de Falópio (ou tubas uterinas) são dois tubos contráteis, com cerca de 10 centímetros de comprimento, aproximadamente, que se estendem do ângulo súpero-lateral de cada lado do útero1 em direção aos ovários2 dos lados respectivos. Elas servem para transportar os óvulos que mensalmente se desprendem dos ovários2 até a cavidade do útero1. No sentido oposto, passam por elas os espermatozoides3 que, se encontrarem com os óvulos em seu interior, resultam na fecundação4.

Quais são as causas da obstrução das trompas de Falópio?

As causas mais comuns de obstrução das trompas de Falópio incluem infecções5 pélvicas6, infecção7 por clamídia, uso de dispositivo intrauterino (DIU), que pode provocar uma infecção7 pélvica8 (raro), ruptura do apêndice9, cirurgia na pelve10 ou no abdômen inferior e gravidez ectópica11 nas trompas.

As bactérias, que podem causar doença inflamatória pélvica12 ou infecção7 por clamídia, podem entrar na vagina13 durante uma relação sexual, atingir o útero1 e daí chegar às trompas. A clamídia pode infectar as trompas de Falópio silenciosamente, sem causar sintomas14. As infecções5 em geral podem danificar permanentemente as trompas e os tecidos ao seu redor, podendo vir a formar tecido15 cicatricial que bloqueia as trompas.

Outras causas podem ser: deficiências congênitas16 do útero1 e das trompas, endometriose17, miomas, obstrução por aderências ou faixas de tecido15 cicatricial externa.

Saiba mais sobre "Uretrites", "Dispositivo Intrauterino (DIU)", "Gravidez ectópica11", "Relação sexual", "Miomas" e "Endometriose17".

Qual é a consequência da obstrução das trompas de Falópio?

Se as trompas de Falópio ficam bloqueadas ou danificadas por qualquer motivo, isso impede o encontro do óvulo18 com o espermatozoide19 e, assim, a fecundação4. A obstrução das trompas de Falópio é uma das causas comuns de inferftilidade e motivam, assim, procedimentos investigativos caros e incômodos.

Quais são as principais características clínicas da obstrução das trompas de Falópio?

A obstrução das trompas de Falópio pode ser unilateral ou bilateral e, na maioria dos casos, não gera sintomas14. Podem existir sintomas14, às vezes ostensivos, das enfermidades que causam a obstrução. Os sintomas14 são mais sentidos em casos de infeções ou inflamações20. A obstrução unilateral permite que a mulher ainda possa engravidar, embora isso possa ser mais difícil, mas não a tornando estéril.

Leia sobre "Infertilidade21 feminina" e "Diferença entre infertilidade21 e esterilidade22".

Como o médico diagnostica a obstrução das trompas de Falópio?

Uma infertilidade21 persistente, comparada com a história médica anterior da paciente, pode levar à hipótese diagnóstica de obstrução das trompas de Falópio. Para maior certeza, os médicos podem usar radiografias de contraste radiopaco injetado nas trompas através do colo do útero23 ou podem visualizar os órgãos através de laparoscopia24 e de meios óticos apropriados. Um exame de sangue25 pode verificar se existem anticorpos26 contra a clamídia. A presença de anticorpos26 indica uma infecção7 anterior por clamídia, que pode resultar em obstrução das trompas e em infertilidade21.

Como o médico trata a obstrução das trompas de Falópio?

O tratamento das obstruções das trompas de Falópio depende da causa. Por vezes, o problema pode ser resolvido durante procedimentos propedeuticos como a histeroscopia27 ou a laparoscopia24 e as trompas de Falópio podem ter sua permeabilidade28 reconstituída. Mas ainda assim recomenda-se a fertilização29 in vitro porquanto passa a haver um maior risco de gravidez ectópica11.

Em alguns casos, a cirurgia pode ser indicada para tratar uma trompa de Falópio lesionada por uma gravidez ectópica11 ou por uma infecção7. No entanto, após tal cirurgia, as chances de uma gravidez30 normal também são pequenas e as chances de uma gravidez ectópica11 também são mais altas que o normal.

Quais são as complicações possíveis da obstrução das trompas de Falópio?

A complicação mais grave e mais dramática da obstrução das trompas de Falópio é a infertilidade21.

Veja também sobre "Ligadura das trompas", "Salpingite", "Hidrossalpinge" e "Doenças sexualmente transmissíveis".

 

ABCMED, 2018. Obstrução das Trompas de Falópio. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/saude-da-mulher/1314543/obstrucao+das+trompas+de+falopio.htm>. Acesso em: 17 jul. 2018.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Útero: Orgão muscular oco (de paredes espessas), na pelve feminina. Constituído pelo fundo (corpo), local de IMPLANTAÇÃO DO EMBRIÃO e DESENVOLVIMENTO FETAL. Além do istmo (na extremidade perineal do fundo), encontra-se o COLO DO ÚTERO (pescoço), que se abre para a VAGINA. Além dos istmos (na extremidade abdominal superior do fundo), encontram-se as TUBAS UTERINAS.
2 Ovários: São órgãos pares com aproximadamente 3cm de comprimento, 2cm de largura e 1,5cm de espessura cada um. Eles estão presos ao útero e à cavidade pelvina por meio de ligamentos. Na puberdade, os ovários começam a secretar os hormônios sexuais, estrógeno e progesterona. As células dos folículos maduros secretam estrógeno, enquanto o corpo lúteo produz grandes quantidades de progesterona e pouco estrógeno.
3 Espermatozóides: Células reprodutivas masculinas.
4 Fecundação: 1. Junção de gametas que resulta na formação de um zigoto; anfigamia, fertilização. 2. Ato ou efeito de fecundar (-se).
5 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
6 Pélvicas: Relativo a ou próprio de pelve. A pelve é a cavidade no extremo inferior do tronco, formada pelos dois ossos do quadril (ilíacos), sacro e cóccix; bacia. Ou também é qualquer cavidade em forma de bacia ou taça (por exemplo, a pelve renal).
7 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
8 Pélvica: Relativo a ou próprio de pelve. A pelve é a cavidade no extremo inferior do tronco, formada pelos dois ossos do quadril (ilíacos), sacro e cóccix; bacia. Ou também é qualquer cavidade em forma de bacia ou taça (por exemplo, a pelve renal).
9 Apêndice: Extensão do CECO, em forma de um tubo cego (semelhante a um verme).
10 Pelve: 1. Cavidade no extremo inferior do tronco, formada pelos dois ossos do quadril (ossos ilíacos), sacro e cóccix; bacia. 2. Qualquer cavidade em forma de bacia ou taça (por exemplo, a pelve renal).
11 Gravidez ectópica: Implantação do produto da fecundação fora da cavidade uterina (trompas, peritôneo, etc.).
12 Doença inflamatória pélvica: Infecção aguda que compromete o trato genital feminino (ovários, trompas de Falópio, útero). Manifesta-se por dor, febre e descarga purulenta pela vagina.
13 Vagina: Canal genital, na mulher, que se estende do ÚTERO à VULVA. (Tradução livre do original
14 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
15 Tecido: Conjunto de células de características semelhantes, organizadas em estruturas complexas para cumprir uma determinada função. Exemplo de tecido: o tecido ósseo encontra-se formado por osteócitos dispostos em uma matriz mineral para cumprir funções de sustentação.
16 Congênitas: 1. Em biologia, o que é característico do indivíduo desde o nascimento ou antes do nascimento; conato. 2. Que se manifesta espontaneamente; inato, natural, infuso. 3. Que combina bem com; apropriado, adequado. 4. Em termos jurídicos, é o que foi adquirido durante a vida fetal ou embrionária; nascido com o indivíduo. Por exemplo, um defeito congênito.
17 Endometriose: Doença que acomete as mulheres em idade reprodutiva e consiste na presença de endométrio em locais fora do útero. Endométrio é a camada interna do útero que é renovada mensalmente pela menstruação. Os locais mais comuns da endometriose são: Fundo de Saco de Douglas (atrás do útero), septo reto-vaginal (tecido entre a vagina e o reto ), trompas, ovários, superfície do reto, ligamentos do útero, bexiga e parede da pélvis.
18 Óvulo: Célula germinativa feminina (haplóide e madura) expelida pelo OVÁRIO durante a OVULAÇÃO.
19 Espermatozóide: Célula reprodutiva masculina.
20 Inflamações: Conjunto de processos que se desenvolvem em um tecido em resposta a uma agressão externa. Incluem fenômenos vasculares como vasodilatação, edema, desencadeamento da resposta imunológica, ativação do sistema de coagulação, etc. Quando se produz em um tecido superficial (pele, tecido celular subcutâneo) pode apresentar tumefação, aumento da temperatura local, coloração avermelhada e dor (tétrade de Celso, o cientista que primeiro descreveu as características clínicas da inflamação).
21 Infertilidade: Capacidade diminuída ou ausente de gerar uma prole. O termo não implica a completa inabilidade para ter filhos e não deve ser confundido com esterilidade. Os clínicos introduziram elementos físicos e temporais na definição. Infertilidade é, portanto, freqüentemente diagnosticada quando, após um ano de relações sexuais não protegidas, não ocorre a concepção.
22 Esterilidade: Incapacidade para conceber (ficar grávida) por meios naturais. Suas causas podem ser masculinas, femininas ou do casal.
23 Colo do útero: Porção compreendendo o pescoço do ÚTERO (entre o ístmo inferior e a VAGINA), que forma o canal cervical.
24 Laparoscopia: Procedimento cirúrgico mediante o qual se introduz através de uma pequena incisão na parede abdominal, torácica ou pélvica, um instrumento de fibra óptica que permite realizar procedimentos diagnósticos e terapêuticos.
25 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
26 Anticorpos: Proteínas produzidas pelo organismo para se proteger de substâncias estranhas como bactérias ou vírus. As pessoas que têm diabetes tipo 1 produzem anticorpos que destroem as células beta produtoras de insulina do próprio organismo.
27 Histeroscopia: Inspeção endoscópica do interior do útero; uteroscopia.
28 Permeabilidade: Qualidade dos corpos que deixam passar através de seus poros outros corpos (fluidos, líquidos, gases, etc.).
29 Fertilização: Contato entre espermatozóide e ovo, determinando sua união.
30 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Ginecologia e Obstetrícia?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.