Atalho: 63GWAZK
Gostou do artigo? Compartilhe!

Assaduras em bebês: quando um médico deve avaliar?

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

As assaduras em bebês1 são frequentes em região de uso de fraldas. A maioria delas é facilmente tratada, mas existem situações em que elas devem ser avaliadas por um médico, pois podem ser um sinal2 de perigo para a saúde3 da criança.

Alguns casos graves de assaduras na região genital de bebês1 devem ser avaliados por um médico, como alertam os profissionais da Academia Americana de Médicos de Família.

Os sinais4 de alerta para uma avaliação mais rigorosa são:

  • A erupção5 na pele6 ocorre antes de 6 semanas de idade.
  • A assadura vem acompanhada por úlceras7, pontos de pus8 ou febre9.
  • A assadura vem acompanhada de perda de peso e falta de apetite.
  • A erupção5 na pele6 é caracterizada pela presença de bolhas.
  • As lesões10 espalham para outras áreas do corpo.
  • A assadura não melhora ou até piora após uma semana de tratamento.

O ideal é fazer um acompanhamento do crescimento e do desenvolvimento do seu filho, com consultas mensais para bebês1 até pelo menos completarem os primeiros seis meses de vida. Assim, o pediatra saberá orientá-lo sempre que necessário.

 

ABCMED, 2011. Assaduras em bebês: quando um médico deve avaliar?. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/saude-da-crianca/233460/assaduras-em-bebes-quando-um-medico-deve-avaliar.htm>. Acesso em: 1 out. 2020.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Bebês: Lactentes. Inclui o período neonatal e se estende até 1 ano de idade (12 meses).
2 Sinal: 1. É uma alteração percebida ou medida por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida. 2. Som ou gesto que indica algo, indício. 3. Dinheiro que se dá para garantir um contrato.
3 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
4 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
5 Erupção: 1. Ato, processo ou efeito de irromper. 2. Aumento rápido do brilho de uma estrela ou de pequena região da atmosfera solar. 3. Aparecimento de lesões de natureza inflamatória ou infecciosa, geralmente múltiplas, na pele e mucosas, provocadas por vírus, bactérias, intoxicações, etc. 4. Emissão de materiais magmáticos por um vulcão (lava, cinzas etc.).
6 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
7 Úlceras: Feridas superficiais em tecido cutâneo ou mucoso que podem ocorrer em diversas partes do organismo. Uma afta é, por exemplo, uma úlcera na boca. A úlcera péptica ocorre no estômago ou no duodeno (mais freqüente). Pessoas que sofrem de estresse são mais susceptíveis a úlcera.
8 Pus: Secreção amarelada, freqüentemente mal cheirosa, produzida como conseqüência de uma infecção bacteriana e formada por leucócitos em processo de degeneração, plasma, bactérias, proteínas, etc.
9 Febre: É a elevação da temperatura do corpo acima dos valores normais para o indivíduo. São aceitos como valores de referência indicativos de febre: temperatura axilar ou oral acima de 37,5°C e temperatura retal acima de 38°C. A febre é uma reação do corpo contra patógenos.
10 Lesões: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Dermatologia?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.

Comentários

03/10/2011 - Comentário feito por Márcia
Re: Assaduras em bebês: quando um médico deve avaliar?
É muito importante essa matéria,para nós mães,é fundamental conhecer os sintomas e procedimentos para evitar uma infecção prolongada na criança. vocês estão deparabéns!

  • Entrar
  • Assinar