Gostou do artigo? Compartilhe!

Sangue nas fezes do bebê - e agora?

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

E se o bebê evacuar sangue1?

Sangue1 nas fezes do bebê sempre assusta, mas nem sempre é sinal2 de coisa grave. Talvez, na maioria das vezes, não o seja. Pode ser simplesmente que ele tenha engolido um pouco de sangue1 a partir de uma rachadura imperceptível no mamilo, enquanto mamava. Pode ser que ele tenha uma pequena fissura3 ou machucado na pele4 fininha do reto5. Meninas recém-nascidas podem ter uma pequena secreção vaginal de muco com um pouco de sangue1, devido às alterações hormonais que ocorrem em seu corpinho, gerando uma “mini-menstruação”, que passa em poucos dias. Isso é absolutamente normal e pode ser confundido com evacuação com sangue1.

Se o sangue1 provier das partes mais altas do aparelho digestivo6, ele tende a ser escuro (melena7) e se provier das partes mais terminais, tende a ser mais vermelho vivo e rutilante. A eventual ingestão de sangue1 não vai fazer mal ao bebê. A mãe deve continuar amamentando, pois logo a ferida em seu seio8 deve cicatrizar.

Se o bebê tiver prisão de ventre, o que não é muito comum, mas que pode surgir em bebês9 que ainda estão mamando no peito10 ou quando se introduz novos alimentos na sua dieta, isso também pode motivar a presença de sangue1 na fralda. Até uma simples assadura pode sangrar. Além disso, às vezes, o vermelho nas fezes que assusta as mães pode não ser sangue1. Em bebês9 mais velhos, ele pode se dever à eliminação de gelatinas ou bebidas que contenham corantes. A beterraba também pode dar uma cor avermelhada às fezes e até mesmo à urina11.

Os cristais de urato, normalmente presentes na urina11 durante as primeiras semanas de vida do bebê, também podem motivar uma cor vermelho-alaranjada nas fraldas. A maioria dos problemas que geram sangue1 nas fezes do bebê são de resolução relativamente fácil, sendo que alguns, como se viu, são até normais.

Quais são as causas médicas mais sérias do bebê evacuar sangue1?

Sangue1 continuado nas fezes de recém-nascidos não é um acontecimento normal, sobretudo se ele se faz acompanhar de dor e distensão abdominal. Em alguns casos, a presença de sangue1 na fralda pode ser motivo de justa preocupação. O pediatra deve ser consultado sempre que os pais observarem sangue1 nas fezes do bebê, principalmente se o sangramento estiver presente de modo constante e se o bebê tiver outros sintomas12, como ficar com manchas roxas na pele4, febre13 e/ou diarreia14, por exemplo, ou se der sinais15 de que não está bem, como apresentar choro constante, sucção fraca, dificuldades para respirar, etc.

O sangue1 na fralda também pode ser sinal2 de alergia16 ao leite de vaca ou até mesmo ao leite materno. Essa alergia16 comumente se estende para os derivados do leite, deixando o cocô do bebê mais escuro e mais mal cheiroso. Pode acontecer também que quando o bebê fica com as fezes muito duras, ao passar pelo ânus17, elas gerem pequenas fissuras18, que podem motivar sangramento, bem como o sangramento pode ser um efeito adverso da vacina19 contra o rotavírus. Alguns bebês9 podem apresentar sangue1 nas fezes até 42 dias após tomar a vacina19 do rotavírus, por via oral, sendo esta uma situação mais grave.

Como o médico trata o bebê que evacua sangue1?

O tratamento para sangue1 nas fezes dependerá da causa e deve ser orientado pelo pediatra. Se o bebê estiver com prisão de ventre ou fissuras18 anais, deve-se dar a ele mais água e, se ele já tiver começado a alimentação diversificada, oferecer mais alimentos ricos em fibras como mamão, laranja, ameixas pretas e uvas, por exemplo. Em caso de algum ferimento anal ou perianal, a mãe pode também passar na região uma pomada bactericida indicada pelo pediatra ou um hidratante como o óleo mineral.

 

ABCMED, 2016. Sangue nas fezes do bebê - e agora?. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/saude-da-crianca/1267978/sangue+nas+fezes+do+bebe+e+agora.htm>. Acesso em: 20 jul. 2019.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
2 Sinal: 1. É uma alteração percebida ou medida por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida. 2. Som ou gesto que indica algo, indício. 3. Dinheiro que se dá para garantir um contrato.
3 Fissura: 1. Pequena abertura longitudinal em; fenda, rachadura, sulco. 2. Em geologia, é qualquer fratura ou fenda pouco alargada em terreno, rocha ou mesmo mineral. 3. Na medicina, é qualquer ulceração alongada e superficial. Também pode significar uma fenda profunda, sulco ou abertura nos ossos; cesura, cissura. 4. Rachadura na pele calosa das mãos ou dos pés, geralmente de pessoas que executam trabalhos rudes. 5. Na odontologia, é uma falha no esmalte de um dente. 6. No uso informal, significa apego extremo; forte inclinação; loucura, paixão, fissuração.
4 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
5 Reto: Segmento distal do INTESTINO GROSSO, entre o COLO SIGMÓIDE e o CANAL ANAL.
6 Aparelho digestivo: O aparelho digestivo ou digestório realiza a digestão, processo que transforma os alimentos em substâncias passíveis de serem absorvidas pelo organismo. Os materiais não absorvidos são eliminados por este sistema. Ele é composto pelo tubo digestivo e por glândulas anexas.
7 Melena: Eliminação de fezes de coloração negra, alcatroada. Relaciona-se com a presença de sangue proveniente da porção superior do tubo digestivo (esôfago, estômago e duodeno). Necessita de uma avaliação urgente, pois representa um quadro grave.
8 Seio: Em humanos, uma das regiões pareadas na porção anterior do TÓRAX. As mamas consistem das GLÂNDULAS MAMÁRIAS, PELE, MÚSCULOS, TECIDO ADIPOSO e os TECIDOS CONJUNTIVOS.
9 Bebês: Lactentes. Inclui o período neonatal e se estende até 1 ano de idade (12 meses).
10 Peito: Parte superior do tronco entre o PESCOÇO e o ABDOME; contém os principais órgãos dos sistemas circulatório e respiratório. (Tradução livre do original
11 Urina: Resíduo líquido produzido pela filtração renal no organismo, estocado na bexiga e expelido pelo ato de urinar.
12 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
13 Febre: É a elevação da temperatura do corpo acima dos valores normais para o indivíduo. São aceitos como valores de referência indicativos de febre: temperatura axilar ou oral acima de 37,5°C e temperatura retal acima de 38°C. A febre é uma reação do corpo contra patógenos.
14 Diarréia: Aumento do volume, freqüência ou quantidade de líquido nas evacuações.Deve ser a manifestação mais freqüente de alteração da absorção ou transporte intestinal de substâncias, alterações estas que em geral são devidas a uma infecção bacteriana ou viral, a toxinas alimentares, etc.
15 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
16 Alergia: Reação inflamatória anormal, perante substâncias (alérgenos) que habitualmente não deveriam produzi-la. Entre estas substâncias encontram-se poeiras ambientais, medicamentos, alimentos etc.
17 Ânus: Segmento terminal do INTESTINO GROSSO, começando na ampola do RETO e terminando no ânus.
18 Fissuras: 1. Pequena abertura longitudinal em; fenda, rachadura, sulco. 2. Em geologia, é qualquer fratura ou fenda pouco alargada em terreno, rocha ou mesmo mineral. 3. Na medicina, é qualquer ulceração alongada e superficial. Também pode significar uma fenda profunda, sulco ou abertura nos ossos; cesura, cissura. 4. Rachadura na pele calosa das mãos ou dos pés, geralmente de pessoas que executam trabalhos rudes. 5. Na odontologia, é uma falha no esmalte de um dente. 6. No uso informal, significa apego extremo; forte inclinação; loucura, paixão, fissuração.
19 Vacina: Tratamento à base de bactérias, vírus vivos atenuados ou seus produtos celulares, que têm o objetivo de produzir uma imunização ativa no organismo para uma determinada infecção.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Pediatria?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.

Comentários

06/07/2016 - Comentário feito por Alexandre
Muito bom esses artigos que o AbcMed envia para...
Muito bom esses artigos que o AbcMed envia para nós .

  • Entrar
  • Assinar