Gostou do artigo? Compartilhe!

Furúnculo: conceito, causas, sinais e sintomas, diagnóstico, tratamento, evolução e possíveis complicações

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que é furúnculo1?

O furúnculo1 é uma infecção2 profunda do folículo piloso3 (foliculite), resultando em acúmulo de pus4 e tecido5 morto em uma área inchada e dolorosa na pele6. Além do folículo piloso3, o furúnculo1 envolve a glândula7 sebácea e o tecido subcutâneo8 próximo a ele. Os furúnculos são, pois, nódulos cheios de pus4. Uma área amarelada na parte central, indicativa da presença de pus4, assinala também o ponto por onde o furúnculo1 drenará ou poderá ser drenado. A ocorrência repetitiva de furúnculos é chamada furunculose crônica.

Quais são as causas do furúnculo1?

Normalmente, a causa dos furúnculos são bactérias presentes na pele6, tais como o Staphylococcus aureus, um tipo bastante comum. No entanto, o furúnculo1 também pode ser causado por outras bactérias ou fungos. A infecção2 bacteriana começa nos folículos pilosos e causa celulite9 local e inflamação10. A diabetes mellitus11, obesidade12, anemia13, neoplasias14 linfoproliferativas e uso de drogas imunossupressoras são fatores de risco importantes para a furunculose. As pessoas que apresentam furúnculos recorrentes quase sempre têm histórico familiar positivo. Outras causas incluem deficiências do sistema imunitário15, desnutrição16, alcoolismo e falta de higiene. As doenças de pele6 podem favorecer a recorrência17 dos furúnculos, devido à colonização persistente da pele6 por estirpes de Staphylococcus aureus, tal como é o caso em indivíduos com dermatite18 atópica. Os furúnculos também podem ser causados por outras condições que afetem a pele6 ou por fatores de ordem sistêmica que diminuam a resistência orgânica, favorecendo a eclosão de furúnculos.

Quais são os principais sinais19 e sintomas20 dos furúnculos?

Os furúnculos são protuberâncias de tamanhos variáveis, de acordo com a profundidade dos tecidos infectados, desde um pequeno grão até uma bola de golfe, em torno de um folículo piloso3, que normalmente ficam quentes e muito dolorosas. Em quadros graves, o indivíduo pode apresentar febre21, inchaço22 dos gânglios linfáticos23 e fadiga24. Os furúnculos podem aparecer em qualquer parte do corpo, mas acontecem sobretudo nas nádegas25 ou perto do ânus26, costas27, pescoço28, abdômen, peito29, braços ou pernas. Podem aparecer também ao redor dos olhos30 e/ou no canal do ouvido. Em geral, os furúnculos crescem em locais acometidos por alguma ferida ou picada de inseto, que facilitam a entrada da bactéria31 ou nas regiões com pelos e mais expostas à umidade, pressão, atrito ou a substâncias gordurosas que facilitam a obstrução dos folículos pilosos.

Como o médico diagnostica o furúnculo1?

O diagnóstico32 do furúnculo1 é feito basicamente pela inspeção33 local das lesões34.

Como o médico trata o furúnculo1?

A aplicação regular de uma compressa quente e úmida, tanto antes como após o furúnculo1 ter drenado, ajuda a acelerar a cicatrização. As mãos35 ou instrumentos devem ser bem lavados depois de tocar os furúnculos e quaisquer curativos devem ser eliminados com cuidado, a fim de evitar a propagação das bactérias. Um médico pode cortar ou "lancetar" o furúnculo1 para drenar o pus4, mas não se deve tentar fazer isso em casa, pois isso pode espalhar ainda mais a infecção2. Antibióticos podem ser recomendados para furúnculos grandes ou recorrentes ou os que ocorrem em áreas sensíveis, tais como virilha, seios36, axilas, ao redor ou nas fossas nasais ou na orelha37. Os casos mais graves e crônicos devem ser tratados com antibióticos, injeções intralesionais de esteroides e remoção por cirurgia plástica. Os Staphylococcus aureus tem a capacidade de adquirir facilmente resistência antimicrobiana, tornando o tratamento mais difícil. Em alguns casos, torna-se necessária a coleta de material da lesão38 para fazer cultura e antibiograma, verificando a sensibilidade da bactéria31 aos agentes antimicrobianos.

Como evolui o furúnculo1?

O furúnculo1 pode resolver-se por si próprio sem vir a furo, mas mais frequentemente precisará ser aberto e drenado. Ele também pode drenar espontaneamente dentro de duas semanas. Um ponto amarelo ou branco sobretudo no centro do nódulo39 pode ser visto quando o furúnculo1 está pronto para drenar sua carga purulenta40.

Quais são as complicações possíveis do furúnculo1?

As complicações mais comuns dos furúnculos são infecções41 e cicatrizes42 na pele6, medula espinhal43, cérebro44, rins45 ou outros órgãos. As infecções41 também podem se espalhar para a corrente sanguínea, constituindo risco de vida ou causar outras infecções41 à distância (abscessos46, osteomielite47, endocardite48, pneumonia49, etc.).

ABCMED, 2015. Furúnculo: conceito, causas, sinais e sintomas, diagnóstico, tratamento, evolução e possíveis complicações. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/pele-saudavel/794379/furunculo-conceito-causas-sinais-e-sintomas-diagnostico-tratamento-evolucao-e-possiveis-complicacoes.htm>. Acesso em: 26 mai. 2019.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Furúnculo: Infecção de folículo piloso da pele, caracterizada pelo acúmulo de pus no interior do mesmo com abaulamento da superfície cutânea adjacente e eritema. Após a sua maturação pode haver drenagem espontânea, eliminando material necrótico-purulento. A drenagem pode também ser realizada através de incisão cirúrgica.
2 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
3 Folículo Piloso: Invaginação (forma de tubo) da EPIDERME, a partir da qual se desenvolve o folículo piloso e se abrem as GLÂNDULAS SEBÁCEAS. O folículo é revestido por uma bainha (radicular interna e externa) de células de origem epidérmica e revestido por uma bainha fibrosa originada da derme. (Tradução livre do original
4 Pus: Secreção amarelada, freqüentemente mal cheirosa, produzida como conseqüência de uma infecção bacteriana e formada por leucócitos em processo de degeneração, plasma, bactérias, proteínas, etc.
5 Tecido: Conjunto de células de características semelhantes, organizadas em estruturas complexas para cumprir uma determinada função. Exemplo de tecido: o tecido ósseo encontra-se formado por osteócitos dispostos em uma matriz mineral para cumprir funções de sustentação.
6 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
7 Glândula: Estrutura do organismo especializada na produção de substâncias que podem ser lançadas na corrente sangüínea (glândulas endócrinas) ou em uma superfície mucosa ou cutânea (glândulas exócrinas). A saliva, o suor, o muco, são exemplos de produtos de glândulas exócrinas. Os hormônios da tireóide, a insulina e os estrógenos são de secreção endócrina.
8 Tecido Subcutâneo: Tecido conectivo frouxo (localizado sob a DERME), que liga a PELE fracamente aos tecidos subjacentes. Pode conter uma camada (pad) de ADIPÓCITOS, que varia em número e tamanho, conforme a área do corpo e o estado nutricional, respectivamente.
9 Celulite: Inflamação aguda das estruturas cutâneas, incluindo o tecido adiposo subjacente, geralmente produzida por um agente infeccioso e manifestada por dor, rubor, aumento da temperatura local, febre e mal estar geral.
10 Inflamação: Conjunto de processos que se desenvolvem em um tecido em resposta a uma agressão externa. Incluem fenômenos vasculares como vasodilatação, edema, desencadeamento da resposta imunológica, ativação do sistema de coagulação, etc.Quando se produz em um tecido superficial (pele, tecido celular subcutâneo) pode apresentar tumefação, aumento da temperatura local, coloração avermelhada e dor (tétrade de Celso, o cientista que primeiro descreveu as características clínicas da inflamação).
11 Diabetes mellitus: Distúrbio metabólico originado da incapacidade das células de incorporar glicose. De forma secundária, podem estar afetados o metabolismo de gorduras e proteínas.Este distúrbio é produzido por um déficit absoluto ou relativo de insulina. Suas principais características são aumento da glicose sangüínea (glicemia), poliúria, polidipsia (aumento da ingestão de líquidos) e polifagia (aumento da fome).
12 Obesidade: Condição em que há acúmulo de gorduras no organismo além do normal, mais severo que o sobrepeso. O índice de massa corporal é igual ou maior que 30.
13 Anemia: Condição na qual o número de células vermelhas do sangue está abaixo do considerado normal para a idade, resultando em menor oxigenação para as células do organismo.
14 Neoplasias: Termo que denomina um conjunto de doenças caracterizadas pelo crescimento anormal e em certas situações pela invasão de órgãos à distância (metástases). As neoplasias mais frequentes são as de mama, cólon, pele e pulmões.
15 Sistema Imunitário: Mecanismo de defesa do corpo contra organismos ou substâncias estranhas e células nativas anormais. Inclui a resposta imune humoral e a resposta mediada por célula e consiste de um complexo de componentes celulares, moleculares e genéticos interrelacionados.
16 Desnutrição: Estado carencial produzido por ingestão insuficiente de calorias, proteínas ou ambos. Manifesta-se por distúrbios do desenvolvimento (na infância), atrofia de tecidos músculo-esqueléticos e caquexia.
17 Recorrência: 1. Retorno, repetição. 2. Em medicina, é o reaparecimento dos sintomas característicos de uma doença, após a sua completa remissão. 3. Em informática, é a repetição continuada da mesma operação ou grupo de operações. 4. Em psicologia, é a volta à memória.
18 Dermatite: Inflamação das camadas superficiais da pele, que pode apresentar-se de formas variadas (dermatite seborreica, dermatite de contato...) e é produzida pela agressão direta de microorganismos, substância tóxica ou por uma resposta imunológica inadequada (alergias, doenças auto-imunes).
19 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
20 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
21 Febre: É a elevação da temperatura do corpo acima dos valores normais para o indivíduo. São aceitos como valores de referência indicativos de febre: temperatura axilar ou oral acima de 37,5°C e temperatura retal acima de 38°C. A febre é uma reação do corpo contra patógenos.
22 Inchaço: Inchação, edema.
23 Gânglios linfáticos: Estrutura pertencente ao sistema linfático, localizada amplamente em diferentes regiões superficiais e profundas do organismo, cuja função consiste na filtração da linfa, maturação e ativação dos linfócitos, que são elementos importantes da defesa imunológica do organismo.
24 Fadiga: 1. Sensação de enfraquecimento resultante de esforço físico. 2. Trabalho cansativo. 3. Redução gradual da resistência de um material ou da sensibilidade de um equipamento devido ao uso continuado.
25 Nádegas:
26 Ânus: Segmento terminal do INTESTINO GROSSO, começando na ampola do RETO e terminando no ânus.
27 Costas:
28 Pescoço:
29 Peito: Parte superior do tronco entre o PESCOÇO e o ABDOME; contém os principais órgãos dos sistemas circulatório e respiratório. (Tradução livre do original
30 Olhos:
31 Bactéria: Organismo unicelular, capaz de auto-reproduzir-se. Existem diferentes tipos de bactérias, classificadas segundo suas características de crescimento (aeróbicas ou anaeróbicas, etc.), sua capacidade de absorver corantes especiais (Gram positivas, Gram negativas), segundo sua forma (bacilos, cocos, espiroquetas, etc.). Algumas produzem infecções no ser humano, que podem ser bastante graves.
32 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
33 Inspeção: 1. Ato ou efeito de inspecionar; exame, vistoria, inspecionamento. 2. Ato ou efeito de fiscalizar; fiscalização, supervisão, observação. 3. Exame feito por inspetor (es).
34 Lesões: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
35 Mãos: Articulação entre os ossos do metacarpo e as falanges.
36 Seios: Em humanos, uma das regiões pareadas na porção anterior do TÓRAX. As mamas consistem das GLÂNDULAS MAMÁRIAS, PELE, MÚSCULOS, TECIDO ADIPOSO e os TECIDOS CONJUNTIVOS.
37 Orelha: Sistema auditivo e de equilíbrio do corpo. Consiste em três partes
38 Lesão: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
39 Nódulo: Lesão de consistência sólida, maior do que 0,5cm de diâmetro, saliente na hipoderme. Em geral não produz alteração na epiderme que a recobre.
40 Purulenta: Em que há pus ou cheio de pus; infeccionada. Que segrega pus. No sentido figurado, cuja conduta inspira nojo; repugnante, asqueroso, sórdido.
41 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
42 Cicatrizes: Formação de um novo tecido durante o processo de cicatrização de um ferimento.
43 Medula Espinhal:
44 Cérebro: Derivado do TELENCÉFALO, o cérebro é composto dos hemisférios direito e esquerdo. Cada hemisfério contém um córtex cerebral exterior e gânglios basais subcorticais. O cérebro inclui todas as partes dentro do crânio exceto MEDULA OBLONGA, PONTE e CEREBELO. As funções cerebrais incluem as atividades sensório-motora, emocional e intelectual.
45 Rins: Órgãos em forma de feijão que filtram o sangue e formam a urina. Os rins são localizados na região posterior do abdômen, um de cada lado da coluna vertebral.
46 Abscessos: Acumulação de pus em uma cavidade formada acidentalmente nos tecidos orgânicos, ou mesmo em órgão cavitário, em consequência de inflamação seguida de infecção.
47 Osteomielite: Infecção crônica do osso. Pode afetar qualquer osso da anatomia e produzir-se por uma porta de entrada local (fratura exposta, infecção de partes moles) ou por bactérias que circulam através do sangue (brucelose, tuberculose, etc.).
48 Endocardite: Inflamação aguda ou crônica do endocárdio. Ela pode estar preferencialmente localizada nas válvulas cardíacas (endocardite valvular) ou nas paredes cardíacas (endocardite parietal). Pode ter causa infecciosa ou não infecciosa.
49 Pneumonia: Inflamação do parênquima pulmonar. Sua causa mais freqüente é a infecção bacteriana, apesar de que pode ser produzida por outros microorganismos. Manifesta-se por febre, tosse, expectoração e dor torácica. Em pacientes idosos ou imunodeprimidos pode ser uma doença fatal.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Dermatologia?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.