Atalho: 6X5V8PG
Gostou do artigo? Compartilhe!

Furúnculo: como é? Precisa tratar? Como evitar?

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que é furúnculo1?

O furúnculo1 é uma infecção2 dos folículos pilosos da pele3 que resulta numa pequena coleção de pus4 e de tecido5 necrosado (morto), a qual, em casos severos, pode desenvolver-se em abscessos6. Pode ocorrer em qualquer região da pele3, mas tem preferência pelo pescoço7, face8, axilas, nádegas9 e virilhas, regiões de maior sudorese10 e fricção. A bactéria11 causadora inicialmente penetra no folículo piloso12 e causa uma infecção2 superficial na pele3, mas depois se espalha pela região em volta. A lesão13 típica é caracterizada por um centro amarelado contornado por uma região avermelhada, endurecida e muito dolorosa, principalmente se tocada. O tamanho do furúnculo1 depende da profundidade da infecção2 e é tanto maior quanto mais profunda a infecção2.

Chama-se furunculose à ocorrência simultânea de vários furúnculos ou à recorrência14 deles. Quando o furúnculo1 adquire um grande tamanho, passa a ser chamado de carbúnculo.

Quais são as causas dos furúnculos?

Os furúnculos em geral são causados por uma bactéria11 conhecida como Staphylococcus aureus. Ela pode se espalhar pelo organismo quando, ao coçar a lesão13, o indivíduo faz com que seja eliminado pus4, que vai infectar outros folículos próximos. Os casos de furunculose e carbúnculo ocorrem principalmente em pessoas predispostas à infecção2, como desnutridos, diabéticos e imunodeprimidos.

Quais são os principais sinais15 e sintomas16 dos furúnculos?

Os principais sinais15 e sintomas16 dos furúnculos são:

  • Formação de um abscesso17 avermelhado, endurecido, de tamanho médio.
  • Dor, principalmente quando pressionado.

Em geral, o furúnculo1 se rompe espontaneamente e elimina o pus4 e o tecido5 necrosado nele contido e, então, uma mancha escura aparece no local da infecção2.

Como o médico diagnostica os furúnculos?

O principal dado diagnóstico18 vem da observação direta da lesão13 cutânea19. Algumas vezes os exames laboratoriais de cultura podem ser necessários para estabelecer o diagnóstico18 diferencial da doença.

Como o médico trata os furúnculos?

Os furúnculos demandam sempre o uso se antibióticos locais ou sistêmicos20, mas algumas medidas de ordem geral devem também ser observadas, tais como: a região deve ser limpa duas ou três vezes por dia com uma solução desinfetante e podem ser aplicadas compressas quentes e úmidas de água com sal no local, pois elas ajudam o abscesso17 a perfurar (“vazar” seu conteúdo). Contudo, nunca esprema ou fure um furúnculo1, pois a infecção2 pode se propagar por via sanguínea e, se for localizado no rosto, pode se propagar para o cérebro21.

Como evoluem os furúnculos?

Geralmente, a evolução é favorável, sem maiores problemas. Dentro de algum tempo, o furúnculo1 se rompe espontaneamente, a dor desaparece e a ferida cicatriza.

Complicações sérias podem ocorrer quando as bactérias se disseminam pela corrente sanguínea e infectam outros locais no corpo, como os ossos (osteomielite22), a parede interna do coração23 (endocardite24) ou o cérebro21 (meningite25 ou trombose26 de vasos sanguíneos27 cerebrais).

Os furúnculos não tratados e que apresentam complicações graves podem levar à morte.

Como prevenir os furúnculos?

Não há muito a fazer para prevenir-se a ocorrência dos furúnculos, a não ser os cuidados gerais de higiene, mas pode-se evitar que eles se espalhem e ocasionem complicações:

  • Usar antibiótico para tratar os furúnculos existentes, sempre que o médico achar adequado o seu uso.
  • Fazer constante limpeza da pele3 com substâncias antissépticas ao redor de um furúnculo1.
  • Lavar as mãos28 após lidar com as lesões29. De preferência, usar luvas plásticas.
  • Usar sempre toalhas limpas, renovando-as com frequência.
  • Trocar pelo menos semanalmente as roupas de cama e diariamente as roupas íntimas.
  • Não esprema os furúnculos, porque isso pode fazer com que as bactérias se disseminem pela corrente sanguínea. Especial cuidado deve ser observado com furúnculos localizados no rosto, cujo material infectado é drenado para vasos do cérebro21, podendo gerar complicações graves.

 

ABCMED, 2013. Furúnculo: como é? Precisa tratar? Como evitar?. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/pele-saudavel/346904/furunculo-como-e-precisa-tratar-como-evitar.htm>. Acesso em: 23 set. 2021.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Furúnculo: Infecção de folículo piloso da pele, caracterizada pelo acúmulo de pus no interior do mesmo com abaulamento da superfície cutânea adjacente e eritema. Após a sua maturação pode haver drenagem espontânea, eliminando material necrótico-purulento. A drenagem pode também ser realizada através de incisão cirúrgica.
2 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
3 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
4 Pus: Secreção amarelada, freqüentemente mal cheirosa, produzida como conseqüência de uma infecção bacteriana e formada por leucócitos em processo de degeneração, plasma, bactérias, proteínas, etc.
5 Tecido: Conjunto de células de características semelhantes, organizadas em estruturas complexas para cumprir uma determinada função. Exemplo de tecido: o tecido ósseo encontra-se formado por osteócitos dispostos em uma matriz mineral para cumprir funções de sustentação.
6 Abscessos: Acumulação de pus em uma cavidade formada acidentalmente nos tecidos orgânicos, ou mesmo em órgão cavitário, em consequência de inflamação seguida de infecção.
7 Pescoço:
8 Face: Parte anterior da cabeça que inclui a pele, os músculos e as estruturas da fronte, olhos, nariz, boca, bochechas e mandíbula.
9 Nádegas:
10 Sudorese: Suor excessivo
11 Bactéria: Organismo unicelular, capaz de auto-reproduzir-se. Existem diferentes tipos de bactérias, classificadas segundo suas características de crescimento (aeróbicas ou anaeróbicas, etc.), sua capacidade de absorver corantes especiais (Gram positivas, Gram negativas), segundo sua forma (bacilos, cocos, espiroquetas, etc.). Algumas produzem infecções no ser humano, que podem ser bastante graves.
12 Folículo Piloso: Invaginação (forma de tubo) da EPIDERME, a partir da qual se desenvolve o folículo piloso e se abrem as GLÂNDULAS SEBÁCEAS. O folículo é revestido por uma bainha (radicular interna e externa) de células de origem epidérmica e revestido por uma bainha fibrosa originada da derme. (Tradução livre do original
13 Lesão: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
14 Recorrência: 1. Retorno, repetição. 2. Em medicina, é o reaparecimento dos sintomas característicos de uma doença, após a sua completa remissão. 3. Em informática, é a repetição continuada da mesma operação ou grupo de operações. 4. Em psicologia, é a volta à memória.
15 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
16 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
17 Abscesso: Acumulação de pus em uma cavidade formada acidentalmente nos tecidos orgânicos, ou mesmo em órgão cavitário, em consequência de inflamação seguida de infecção.
18 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
19 Cutânea: Que diz respeito à pele, à cútis.
20 Sistêmicos: 1. Relativo a sistema ou a sistemática. 2. Relativo à visão conspectiva, estrutural de um sistema; que se refere ou segue um sistema em seu conjunto. 3. Disposto de modo ordenado, metódico, coerente. 4. Em medicina, é o que envolve o organismo como um todo ou em grande parte.
21 Cérebro: Derivado do TELENCÉFALO, o cérebro é composto dos hemisférios direito e esquerdo. Cada hemisfério contém um córtex cerebral exterior e gânglios basais subcorticais. O cérebro inclui todas as partes dentro do crânio exceto MEDULA OBLONGA, PONTE e CEREBELO. As funções cerebrais incluem as atividades sensório-motora, emocional e intelectual.
22 Osteomielite: Infecção crônica do osso. Pode afetar qualquer osso da anatomia e produzir-se por uma porta de entrada local (fratura exposta, infecção de partes moles) ou por bactérias que circulam através do sangue (brucelose, tuberculose, etc.).
23 Coração: Órgão muscular, oco, que mantém a circulação sangüínea.
24 Endocardite: Inflamação aguda ou crônica do endocárdio. Ela pode estar preferencialmente localizada nas válvulas cardíacas (endocardite valvular) ou nas paredes cardíacas (endocardite parietal). Pode ter causa infecciosa ou não infecciosa.
25 Meningite: Inflamação das meninges, aguda ou crônica, quase sempre de origem infecciosa, com ou sem reação purulenta do líquido cefalorraquidiano. As meninges são três membranas superpostas (dura-máter, aracnoide e pia-máter) que envolvem o encéfalo e a medula espinhal.
26 Trombose: Formação de trombos no interior de um vaso sanguíneo. Pode ser venosa ou arterial e produz diferentes sintomas segundo os territórios afetados. A trombose de uma artéria coronariana pode produzir um infarto do miocárdio.
27 Vasos Sanguíneos: Qualquer vaso tubular que transporta o sangue (artérias, arteríolas, capilares, vênulas e veias).
28 Mãos: Articulação entre os ossos do metacarpo e as falanges.
29 Lesões: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Dermatologia?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.

Comentários

15/04/2014 - Comentário feito por Aline
meu filho está com furunculo na perna s&...
meu filho está com furunculo na perna são 5,no pulso 1 e no nariz outro no total 7 e eu estava muito preocupada sem saber o que era, e que medidas tomar. a matéria esclareceu todas as minhas dúvidas,não pensei que furunculo fosse serio assim. obrigada

26/08/2013 - Comentário feito por Danielle
Re: Furúnculo: como é? Precisa tratar? Como evitar?
Muito obrigada, meu filho sofre constantemente com os furúnculos, e eu nem imaginava o que fazer!

  • Entrar
  • Receber conteúdos