Gostou do artigo? Compartilhe!

Torção no tornozelo: torci meu pé, e agora?

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que é torção1 de tornozelo2?

A torção1 (ou entorse3) do tornozelo2 é uma lesão4 em que os ligamentos5 do tornozelo2 são alongados, quando o pé gira para dentro, até se romperem parcial ou totalmente.

Quais são as causas da torção1 no tornozelo2?

A torção1 no tornozelo2 pode ocorrer quando se “pisa em falso” num buraco ou degrau, ou então durante a prática de um esporte, quando, por um desequilíbrio, o pé pisa mal no chão. Outra causa comum da torção1 do tornozelo2 são os saltos muito altos, quando se quebram ou quando se “cai” deles. Esse efeito fica potencializado quando a pessoa tem uma causa qualquer de enfraquecimento dessa articulação6.

Quais são os principais sinais7 e sintomas8 da torção1 de tornozelo2?

O principal sintoma9 da torção1 de tornozelo2 é a dor local. A parte de fora do tornozelo2 apresenta-se inchada, fica roxa e mais quente.

Torção do tornozelo

Como o médico trata a torção1 do tornozelo2?

Geralmente as torções de tornozelo2 se resolvem por si mesmas, em alguns dias. Podem ser utilizados analgésicos10 para aliviar as dores. Deve-se suspender as atividades físicas e evitar-se apoiar o pé no chão, o qual deve ser mantido para cima, o maior tempo possível. Pode-se aplicar gelo no local, durante vinte minutos, 3 a 5 vezes ao dia. A necessidade ou não de se imobilizar o tornozelo2 deve ser decidida pelo médico. Uma fisioterapia11 pode ajudar para que a mobilidade e a força normal do tornozelo2 sejam recuperadas mais rapidamente. A cirurgia apenas é indicada em casos muito graves ou em atletas de alto nível.

E depois da torção1 no tornozelo2?

  • Use muletas ou bengalas que o ajudem a não apoiar o pé lesionado no chão, até que ele melhore completamente.
  • Se necessário, mude provisoriamente seu hábito de exercícios. Por exemplo, faça natação no lugar das caminhadas.
  • Coloque uma bandagem compressiva sobre o tornozelo2, para reduzir o inchaço12.
  • Tão logo seja possível, tente realizar exercícios suaves, mas que mobilizem o tornozelo2 em todos os sentidos normais.
  • Só volte às atividades físicas depois que seu médico autorizar ou que você tenha recuperado todos os movimentos do tornozelo2.
  • É preciso que o tornozelo2 não apresente mais dor, nem inchaço12 após os exercícios.
  • Durante algum tempo, você pode usar uma tornozeleira ou enfaixamento. No entanto, isso não substitui um bom fortalecimento muscular, obtido com a fisioterapia11.
  • Recomece seus exercícios de forma mais branda e vá aumentando-os aos poucos. Nunca recomece na mesma intensidade de antes.

Como prevenir a torção1 de tornozelo2?

  • Antes de fazer exercícios, faça aquecimento e alongamentos.
  • Se for preciso, use uma faixa elástica nos tornozelos.
  • Redobre sua atenção ao caminhar/correr em superfícies irregulares.
  • Use calçados confortáveis, de preferência sem saltos.
  • Se você tem um problema de fraqueza nessa articulação6, consulte um fisioterapeuta.
ABCMED, 2013. Torção no tornozelo: torci meu pé, e agora?. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/ortopedia-e-saude/372430/torcao-no-tornozelo-torci-meu-pe-e-agora.htm>. Acesso em: 8 mai. 2021.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Torção: 1. Ato ou efeito de torcer. 2. Na geometria diferencial, é a medida da derivada do vetor binormal em relação ao comprimento de arco. 3. Em física, é a deformação de um sólido em que os planos vizinhos, transversais a um eixo comum, sofrem, cada um deles, um deslocamento angular relativo aos outros planos. 4. Em medicina, é o mesmo que entorse. 5. Na patologia, é o movimento de rotação de um órgão sobre si mesmo. 6. Em veterinária, é a cólica de alguns animais, especialmente a do cavalo.
2 Tornozelo: A região do membro inferior entre o PÉ e a PERNA.
3 Entorse: Distensão traumática de um ligamento que produz ruptura do mesmo, acompanhada de dor, hematoma e dificuldade para movimentar a articulação comprometida.
4 Lesão: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
5 Ligamentos: 1. Ato ou efeito de ligar(-se). Tudo o que serve para ligar ou unir. 2. Junção ou relação entre coisas ou pessoas; ligação, conexão, união, vínculo. 3. Na anatomia geral, é um feixe fibroso que liga entre si os ossos articulados ou mantém os órgãos nas respectivas posições. É uma expansão fibrosa ou aponeurótica de aparência ligamentosa. Ou também uma prega de peritônio que serve de apoio a qualquer das vísceras abdominais. 4. Vestígio de artéria fetal ou outra estrutura que perdeu sua luz original.
6 Articulação: 1. Ponto de contato, de junção de duas partes do corpo ou de dois ou mais ossos. 2. Ponto de conexão entre dois órgãos ou segmentos de um mesmo órgão ou estrutura, que geralmente dá flexibilidade e facilita a separação das partes. 3. Ato ou efeito de articular-se. 4. Conjunto dos movimentos dos órgãos fonadores (articuladores) para a produção dos sons da linguagem.
7 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
8 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
9 Sintoma: Qualquer alteração da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. O sintoma é a queixa relatada pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
10 Analgésicos: Grupo de medicamentos usados para aliviar a dor. As drogas analgésicas incluem os antiinflamatórios não-esteróides (AINE), tais como os salicilatos, drogas narcóticas como a morfina e drogas sintéticas com propriedades narcóticas, como o tramadol.
11 Fisioterapia: Especialidade paramédica que emprega agentes físicos (água doce ou salgada, sol, calor, eletricidade, etc.), massagens e exercícios no tratamento de doenças.
12 Inchaço: Inchação, edema.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Ortopedia e Traumatologia?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.