Gostou do artigo? Compartilhe!

Doença de Sever

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que é a doença de Sever?

A doença de Sever, também chamada de apofisite do calcâneo1, é uma inflamação2 da placa3 cartilaginosa de crescimento que existe no calcanhar4 de crianças. Ela acomete crianças e adolescentes que praticam atividade física com muita frequência, sendo uma patologia5 muito comum em crianças entre 8 e 14 anos de idade. Neste período, o calcâneo1 está em desenvolvimento e cresce em duas partes que são ligadas por uma cartilagem6, chamada de “placa de crescimento”, a qual deixa de existir aos 16 anos.

Quais são as causas da doença de Sever?

As causas da doença de Sever ainda são pouco conhecidas. Entretanto, é possível associar seu aparecimento ao crescimento da criança, sobretudo quando a mesma costuma praticar exercícios de alto impacto, gerando assim vários microtraumas na cartilagem6 que liga as duas partes dos ossos.

Geralmente estão associados à doença de Sever o rápido crescimento dos ossos em relação aos músculos7; o encurtamento muscular ou do tendão de Aquiles8; o excesso de peso corporal; as dismetrias entre os membros inferiores, quando uma perna é maior que a outra e os pés pronados (pés virados para fora).

Saiba mais sobre "Pé chato ou pé plano", "Esporão do calcâneo1" e "Dor do crescimento".

Quais são as principais características clínicas da doença de Sever?

A doença de Sever causa dores moderadas ou intensas no calcanhar4 das crianças. Este é o sintoma9 mais proeminente da doença e pode ser agravado pela maneira de andar, correr ou saltar. Nem sempre a dor é bilateral, mas pode ser tão intensa que leva a pessoa a mancar ou interfira no desempenho físico nos esportes. Cerca de 40% dos indivíduos que possuem o problema alegam a lesão10 em apenas um dos pés.

Em alguns casos, o calcanhar4 pode ficar inchado e sofrer um leve aumento de temperatura. A dor é maior na borda do calcanhar4 e pode causar uma alteração reacional no padrão da marcha da criança, fazendo com que haja uma sobrecarga maior na parte lateral do pé. Ela é mais intensa após caminhadas, exercícios físicos ou após longo período na posição de pé.

Tal alteração pode causar uma série de outras complicações secundárias e acomodativas. Na maioria das vezes, a aparência externa do calcanhar4 é normal, mas outros sintomas11 podem aparecer, tais como, desconforto no calcanhar4 ao acordar ou quando o mesmo é pressionado, mancar, ligeiro inchaço12 do calcanhar4, alargamento do calcâneo1 e aumento da temperatura no local.

Como o médico diagnostica a doença de Sever?

O diagnóstico13 da doença de Sever é eminentemente14 clínico e depende do relato e das manifestações clínicas apresentadas pela criança. Exames como ultrassonografia15, radiografia e ressonância magnética16 são muito importantes para avaliar a gravidade da lesão10. A radiografia pode identificar aumento na densidade óssea na projeção da apófise do calcâneo1 e aumento de partes moles adjacentes. Já a ressonância pode indicar edema17 na apófise do calcâneo1, podendo se estender para a tuberosidade calcânea adjacente.

Leia sobre "Ultrassonografia15", "Radiografia" e "Ressonância magnética16".

Como o médico trata a doença de Sever?

Quanto mais rápido for iniciado o tratamento para a doença de Sever, mais rápida será a recuperação. Os tratamentos recomendados para a doença são:

  • Em primeiro lugar, um repouso relativo, com redução do nível de atividade física da criança.
  • Ao mesmo tempo, podem ser prescritos anti-inflamatórios.
  • Além disso, deve ser indicado o uso de palmilhas ortopédicas feitas sob medida. Elas irão redistribuir a pressão sob a planta do pé, retirando a carga do calcanhar4, e vão corrigir casos de pé chato e de hiperpronação, além de contribuir para o amortecimento dos impactos.
  • Outros tratamentos podem ajudar na solução do problema, como alongamento dos músculos7 isquiotibiais e das panturrilhas18, repouso, gelo, compressão e elevação dos calcanhares.
  • Evitar andar descalço.
  • Usar fármacos analgésicos19.
  • Em alguns casos, pode ser necessária a utilização de uma tala20, que tem como finalidade imobilizar o pé durante a noite.
  • Fisioterapia21: é um complemento indispensável do tratamento, consiste na introdução progressiva de exercícios de fortalecimento dos músculos7 da perna, massagem de relaxamento dos músculos7 afetados e tem como finalidade o fortalecimento da musculatura, por meio de exercícios que desenvolvam a flexibilidade das pernas e dos pés. A fisioterapia21 também proporciona ao paciente o aprendizado de técnicas de posicionamento para caminhar e para fazer as atividades diárias sem colocar pressão excessiva no calcanhar4.

Como evolui a doença de Sever?

Cerca de 85% das crianças tratadas corretamente conseguem voltar ao seu nível normal de atividades depois de dois meses. Mesmo após um bom resultado do tratamento, a lesão10 pode reaparecer se a criança voltar a exercer pressões exacerbadas no calcanhar4 e só deixa de acontecer depois dos 15-16 anos de idade, quando os ossos já estão formados.

Sem tratamento adequado, a Doença de Sever tende a evoluir com o tempo e pode chegar a impossibilitar a realização de atividades simples, como caminhar ou até mesmo movimentar o pé.

Quais são as complicações possíveis da doença de Sever?

Se o tratamento adequado não for começado, logo pode ocorrer limitação funcional, perda de flexibilidade do tornozelo22 e encurtamento muscular na parte posterior do membro inferior.

Veja também sobre "Fisioterapia21", "Dores do crescimento", "Geno valgo23 / geno varo24" e "Joanete".

 

ABCMED, 2017. Doença de Sever. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/ortopedia-e-saude/1307288/doenca+de+sever.htm>. Acesso em: 26 jan. 2022.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Calcâneo: O maior OSSO DO TARSO que está situado na parte posterior e inferior do PÉ, formando o CALCANHAR.
2 Inflamação: Conjunto de processos que se desenvolvem em um tecido em resposta a uma agressão externa. Incluem fenômenos vasculares como vasodilatação, edema, desencadeamento da resposta imunológica, ativação do sistema de coagulação, etc.Quando se produz em um tecido superficial (pele, tecido celular subcutâneo) pode apresentar tumefação, aumento da temperatura local, coloração avermelhada e dor (tétrade de Celso, o cientista que primeiro descreveu as características clínicas da inflamação).
3 Placa: 1. Lesão achatada, semelhante à pápula, mas com diâmetro superior a um centímetro. 2. Folha de material resistente (metal, vidro, plástico etc.), mais ou menos espessa. 3. Objeto com formato de tabuleta, geralmente de bronze, mármore ou granito, com inscrição comemorativa ou indicativa. 4. Chapa que serve de suporte a um aparelho de iluminação que se fixa em uma superfície vertical ou sobre uma peça de mobiliário, etc. 5. Placa de metal que, colocada na dianteira e na traseira de um veículo automotor, registra o número de licenciamento do veículo. 6. Chapa que, emitida pela administração pública, representa sinal oficial de concessão de certas licenças e autorizações. 7. Lâmina metálica, polida, usualmente como forma em processos de gravura. 8. Área ou zona que difere do resto de uma superfície, ordinariamente pela cor. 9. Mancha mais ou menos espessa na pele, como resultado de doença, escoriação, etc. 10. Em anatomia geral, estrutura ou órgão chato e em forma de placa, como uma escama ou lamela. 11. Em informática, suporte plano, retangular, de fibra de vidro, em que se gravam chips e outros componentes eletrônicos do computador. 12. Em odontologia, camada aderente de bactérias que se forma nos dentes.
4 Calcanhar:
5 Patologia: 1. Especialidade médica que estuda as doenças e as alterações que estas provocam no organismo. 2. Qualquer desvio anatômico e/ou fisiológico, em relação à normalidade, que constitua uma doença ou caracterize determinada doença. 3. Por extensão de sentido, é o desvio em relação ao que é próprio ou adequado ou em relação ao que é considerado como o estado normal de uma coisa inanimada ou imaterial.
6 Cartilagem: Tecido resistente e flexível, de cor branca ou cinzenta, formado de grandes células inclusas em substância que apresenta tendência à calcificação e à ossificação.
7 Músculos: Tecidos contráteis que produzem movimentos nos animais.
8 Tendão de Aquiles:
9 Sintoma: Qualquer alteração da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. O sintoma é a queixa relatada pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
10 Lesão: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
11 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
12 Inchaço: Inchação, edema.
13 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
14 Eminentemente: De modo eminente; em alto grau; acima de tudo.
15 Ultrassonografia: Ultrassonografia ou ecografia é um exame complementar que usa o eco produzido pelo som para observar em tempo real as reflexões produzidas pelas estruturas internas do organismo (órgãos internos). Os aparelhos de ultrassonografia utilizam uma frequência variada, indo de 2 até 14 MHz, emitindo através de uma fonte de cristal que fica em contato com a pele e recebendo os ecos gerados, os quais são interpretados através de computação gráfica.
16 Ressonância magnética: Exame que fornece imagens em alta definição dos órgãos internos do corpo através da utilização de um campo magnético.
17 Edema: 1. Inchaço causado pelo excesso de fluidos no organismo. 2. Acúmulo anormal de líquido nos tecidos do organismo, especialmente no tecido conjuntivo.
18 Panturrilhas: 1. Proeminência muscular, situada na face posterossuperior da perna, formada especialmente pelos músculos gastrocnêmio e sóleo; sura, barriga da perna. 2. Por extensão de sentido, enchimento usado por baixo das meias, para melhorar a aparência das pernas.
19 Analgésicos: Grupo de medicamentos usados para aliviar a dor. As drogas analgésicas incluem os antiinflamatórios não-esteróides (AINE), tais como os salicilatos, drogas narcóticas como a morfina e drogas sintéticas com propriedades narcóticas, como o tramadol.
20 Tala: Instrumento ortopédico utilizado freqüentemente para imobilizar uma articulação ou osso fraturado. Pode ser de gesso ou material plástico.
21 Fisioterapia: Especialidade paramédica que emprega agentes físicos (água doce ou salgada, sol, calor, eletricidade, etc.), massagens e exercícios no tratamento de doenças.
22 Tornozelo: A região do membro inferior entre o PÉ e a PERNA.
23 Valgo: Que se desvia para fora, em relação ao eixo do corpo (diz-se de membro ou segmento de membro).
24 Varo: Que se desvia para dentro, em relação ao eixo do corpo (diz-se de membro ou segmento de membro).
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Ortopedia e Traumatologia?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.