Gostou do artigo? Compartilhe!

Litotripsia extracorpórea: conceito, indicações, contraindicações, possíveis complicações

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que é litotripsia?

A litotripsia (do grego: lithos = pedra; trîpsis = esmagamento ou trituração) existe desde os primeiros anos da década de 80 e é uma técnica médica que procura implodir ou triturar os cálculos que se formam no organismo por meio de ondas sonoras apropriadas, de modo a permitir que eles sejam expelidos pelas vias adequadas. Pode-se aplicar a litotripsia a cálculos biliares, renais e da bexiga1. Este procedimento tanto pode ser uma litotripsia extracorpórea, não invasiva, ou uma litotripsia intracorpórea.

A litotripsia extracorpórea utiliza ondas sonoras de amplitude e de frequência controladas, geradas a partir de uma fonte externa de energia, as quais são dirigidas por um colimador (dispositivo usado para direcionar e suavizar feixes de radiações ou ondas) de ondas sonoras de modo a concentrá-las sobre os cálculos. Como é a modalidade mais usada, costuma-se referir-se a ela apenas como litotripsia.

A litotripsia intracorpórea é um procedimento invasivo porque as fontes de ondas sonoras e outros instrumentos necessitam ser introduzidos no paciente por via endoscópica, por meio de pequenos orifícios os quais, contudo, são menos invasivos que uma “cirurgia a céu aberto”.

Em que consiste a litotripsia extracorpórea?

A litotripsia extracorpórea é o tratamento mais utilizado por urologistas brasileiros para o tratamento de cálculos renais e urinários. Ela consiste em aplicar ondas sonoras de choque2 sobre os cálculos, a partir de um aparelho extra-corpo chamado litotriptor. As ondas de choque2 podem ser criadas tanto por um sistema eletro-hidráulico3 como por um sistema eletromagnético4 ou piezoelétrico5, mas independentemente da sua origem todas têm o mesmo efeito físico sobre os cálculos. Elas são ondas mecânicas de alta potência geradas e emitidas por uma fonte à distância, que se propagam em meio líquido e penetram no corpo do paciente em direção ao cálculo6, o qual, por sua vez, pode ser localizado por um dos exames geradores de imagens, que a forneça com precisão (por exemplo, a fluoroscopia ou a ultrassonografia7).

A litotripsia pode ser feita em ambulatório, sob analgesia, sedação8 ou anestesia9 peridural10. O paciente deve deitar sobre uma maca, em decúbito dorsal11 ou ventral. Através de fluoroscopia ou ultrassonografia7 o cálculo6 é posicionado no ponto para onde convergirão as ondas de choque2. Então são iniciados os disparos das ondas, levando à fragmentação do cálculo6 em partes menores, passíveis de eliminação espontânea.

Em crianças é recomendável usar sempre uma proteção torácica para minimizar traumas pulmonares.

O paciente deve ser monitorado durante a sessão de litotripsia em suas funções vitais. Geralmente ele sentirá certo desconforto, como se fossem pequenos murros em seu flanco12, e às vezes pode sentir um pouco de dor, mas não sofre nenhum corte ou incisão13 nos tecidos.

O exame não exige nenhuma preparação prévia e o paciente pode retornar às suas atividades logo em seguida, se nada estiver sentindo, mas se ele estiver tomando antiagregantes plaquetários, anticoagulantes14 ou anti-inflamatórios não hormonais deve suspendê-los com sete a dez dias de antecedência, devido ao risco de sangramento nestas situações. Como o procedimento implica também na possibilidade (rara) de outras complicações graves, o paciente sempre deve estar acompanhado.

Após uma litotripsia podem restar fragmentos15 dos cálculos, grandes o bastante para permanecerem alojados nas vias urinárias. Os menores devem ser expelidos naturalmente com a urina16 e para ajudar neste processo a pessoa deve ingerir uma grande quantidade de água. Se a litotripsia não resolveu totalmente o problema, pode-se lançar mão17 da endoscopia18 flexível de Holmium Laser que apesar do alto custo e dos poucos médicos que a utilizam, tem muito bons resultados, sem causar nenhum tipo de reação posterior. Ela dissolve os cálculos renais em sessenta a cento e vinte dias.

Quais são as indicações da litotripsia extracorpórea?

A indicação principal é o tratamento de cálculos renais, biliares ou vesiculares, por trituração e posterior eliminação dos mesmos pelas vias fisiológicas19 normais. Em sua grande maioria, os cálculos renais são tratados. Alguns pacientes, dependendo das peculiaridades de seus cálculos, podem precisar de mais de uma seção de litotripsia.

Quais são as contraindicações e riscos da litotripsia extracorpórea?

A principal contraindicação formal da litotripsia é a gravidez20. Ela não deve ser aplicada também a pacientes que tem algum órgão já danificado, uma coagulopatia, hipertensão arterial21 não controlada, infecção22 urinária não tratada, obesidade23 excessiva e obstrução urinária que impeça a eliminação dos fragmentos15 dos cálculos. Os riscos são raros, mas podem advir, por exemplo, de hemorragias24 consequentes ao rompimento de um vaso sanguíneo. Algumas vezes uma cirurgia de urgência25 deve ser feita para solucionar o problema ou, inclusive, a retirada do rim26 danificado.

Quais são as complicações possíveis da litotripsia extracorpórea?

Mesmo após uma litotripsia podem restar fragmentos15 dos cálculos, alojados nos rins27 ou nas vias urinárias. Os menores, ao serem expelidos, podem gerar dor e uma autêntica cólica renal28 ou ferir os ureteres29 e demais condutos urinários, causando graves danos ao organismo.

Tida a princípio como o tratamento de escolha para os cálculos urinários, já em 2006 começou-se a descobrir consequências indesejáveis do uso da litotripsia. Assim, verificou-se que a litotripsia pode, no longo prazo, causar desenvolvimento de diabetes30 e hipertensão arterial21, devido aos efeitos mecânicos que a onda de choque2 possa ter sobre o pâncreas31 e o rim26.

ABCMED, 2014. Litotripsia extracorpórea: conceito, indicações, contraindicações, possíveis complicações. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/exames-e-procedimentos/554262/litotripsia-extracorporea-conceito-indicacoes-contraindicacoes-possiveis-complicacoes.htm>. Acesso em: 19 jun. 2019.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Bexiga: Órgão cavitário, situado na cavidade pélvica, no qual é armazenada a urina, que é produzida pelos rins. É uma víscera oca caracterizada por sua distensibilidade. Tem a forma de pêra quando está vazia e a forma de bola quando está cheia.
2 Choque: 1. Estado de insuficiência circulatória a nível celular, produzido por hemorragias graves, sepse, reações alérgicas graves, etc. Pode ocasionar lesão celular irreversível se a hipóxia persistir por tempo suficiente. 2. Encontro violento, com impacto ou abalo brusco, entre dois corpos. Colisão ou concussão. 3. Perturbação brusca no equilíbrio mental ou emocional. Abalo psíquico devido a uma causa externa.
3 Eletro-hidráulico: Relativo a uma combinação de mecanismos elétricos e hidráulicos; que envolve ou que é produzido pela ação de descargas elétricas de alta voltagem.
4 Eletromagnético: Que tem relação com o eletromagnetismo, ou seja, com o conjunto de fenômenos que dizem respeito à interação entre campos elétricos e magnéticos e sua inter-relação.
5 Piezoelétrico: Tem relação com a capacidade de alguns cristais gerarem tensão elétrica por resposta a uma pressão mecânica. O efeito piezoelétrico é entendido como a interação eletromecânica linear entre a força mecânica e o estado elétrico (forças de Coulomb) em materiais cristalinos (cerâmicos, polímeros, etc.).
6 Cálculo: Formação sólida, produto da precipitação de diferentes substâncias dissolvidas nos líquidos corporais, podendo variar em sua composição segundo diferentes condições biológicas. Podem ser produzidos no sistema biliar (cálculos biliares) e nos rins (cálculos renais) e serem formados de colesterol, ácido úrico, oxalato de cálcio, pigmentos biliares, etc.
7 Ultrassonografia: Ultrassonografia ou ecografia é um exame complementar que usa o eco produzido pelo som para observar em tempo real as reflexões produzidas pelas estruturas internas do organismo (órgãos internos). Os aparelhos de ultrassonografia utilizam uma frequência variada, indo de 2 até 14 MHz, emitindo através de uma fonte de cristal que fica em contato com a pele e recebendo os ecos gerados, os quais são interpretados através de computação gráfica.
8 Sedação: 1. Ato ou efeito de sedar. 2. Aplicação de sedativo visando aliviar sensação física, por exemplo, de dor. 3. Diminuição de irritabilidade, de nervosismo, como efeito de sedativo. 4. Moderação de hiperatividade orgânica.
9 Anestesia: Diminuição parcial ou total da sensibilidade dolorosa. Pode ser induzida por diferentes medicamentos ou ser parte de uma doença neurológica.
10 Peridural: Mesmo que epidural. Localizado entre a dura-máter e a vértebra (diz-se do espaço do canal raquidiano). Na anatomia geral e na anestesiologia, é o que se localiza ou que se faz em torno da dura-máter.
11 Decúbito dorsal: Também conhecido como posição SUPINA. A pessoa fica deitada de costas com a cabeça e os ombros ligeiramente elevados, com a barriga voltada para cima.
12 Flanco: 1. O lado (de qualquer coisa). Na anatomia humana, é cada um dos lados do corpo, dos quadris aos ombros. 2. Em construção, é a parte entre o baluarte e a cortina. 3. Em futebol, é o lado do campo. 4. Em geologia, é cada um dos lados de uma dobra. 5. Em termo militar, é a parte lateral de uma posição ou de uma tropa formada em profundidade.
13 Incisão: 1. Corte ou golpe com instrumento cortante; talho. 2. Em cirurgia, intervenção cirúrgica em um tecido efetuada com instrumento cortante (bisturi ou bisturi elétrico); incisura.
14 Anticoagulantes: Substâncias ou medicamentos que evitam a coagulação, especialmente do sangue.
15 Fragmentos: 1. Pedaço de coisa que se quebrou, cortou, rasgou etc. É parte de um todo; fração. 2. No sentido figurado, é o resto de uma obra literária ou artística cuja maior parte se perdeu ou foi destruída. Ou um trecho extraído de uma obra.
16 Urina: Resíduo líquido produzido pela filtração renal no organismo, estocado na bexiga e expelido pelo ato de urinar.
17 Mão: Articulação entre os ossos do metacarpo e as falanges.
18 Endoscopia: Método no qual se visualiza o interior de órgãos e cavidades corporais por meio de um instrumento óptico iluminado.
19 Fisiológicas: Relativo à fisiologia. A fisiologia é estudo das funções e do funcionamento normal dos seres vivos, especialmente dos processos físico-químicos que ocorrem nas células, tecidos, órgãos e sistemas dos seres vivos sadios.
20 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
21 Hipertensão arterial: Aumento dos valores de pressão arterial acima dos valores considerados normais, que no adulto são de 140 milímetros de mercúrio de pressão sistólica e 85 milímetros de pressão diastólica.
22 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
23 Obesidade: Condição em que há acúmulo de gorduras no organismo além do normal, mais severo que o sobrepeso. O índice de massa corporal é igual ou maior que 30.
24 Hemorragias: Saída de sangue dos vasos sanguíneos ou do coração para o exterior, para o interstício ou para cavidades pré-formadas do organismo.
25 Urgência: 1. Necessidade que requer solução imediata; pressa. 2. Situação crítica ou muito grave que tem prioridade sobre outras; emergência.
26 Rim: Os rins são órgãos em forma de feijão que filtram o sangue e formam a urina. Os rins são localizados na região posterior do abdômen, um de cada lado da coluna vertebral.
27 Rins: Órgãos em forma de feijão que filtram o sangue e formam a urina. Os rins são localizados na região posterior do abdômen, um de cada lado da coluna vertebral.
28 Renal: Relacionado aos rins. Uma doença renal é uma doença dos rins. Insuficiência renal significa que os rins pararam de funcionar.
29 Ureteres: Estruturas tubulares que transportam a urina dos rins até a bexiga.
30 Diabetes: Nome que designa um grupo de doenças caracterizadas por diurese excessiva. A mais frequente é o Diabetes mellitus, ainda que existam outras variantes (Diabetes insipidus) de doença nas quais o transtorno primário é a incapacidade dos rins de concentrar a urina.
31 Pâncreas: Órgão nodular (no ABDOME) que abriga GLÂNDULAS ENDÓCRINAS e GLÂNDULAS EXÓCRINAS. A pequena porção endócrina é composta pelas ILHOTAS DE LANGERHANS, que secretam vários hormônios na corrente sangüínea. A grande porção exócrina (PÂNCREAS EXÓCRINO) é uma glândula acinar composta, que secreta várias enzimas digestivas no sistema de ductos pancreáticos (que desemboca no DUODENO).
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Urologia?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.

Comentários

06/03/2015 - Comentário feito por suely
Super informativo. Aborda o assunto com muita s...
Super informativo. Aborda o assunto com muita seriedade e claresa.

  • Entrar
  • Assinar