Gostou do artigo? Compartilhe!

Miringotomia: o que é isso? Quando ela é necessária?

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que é miringotomia?

Miringotomia é um procedimento cirúrgico por meio do qual uma pequena incisão1 é criada no tímpano2 para tratar certas condições patológicas do ouvido médio3, em geral para aliviar a pressão causada pelo acúmulo excessivo de fluidos ou pus4 produzidos pela otite5 média em que a trompa de Eustáquio6 esteja obstruída.

Quem necessita de uma miringotomia?

A miringotomia é feita em pacientes que estejam sofrendo grandes dores durante uma otite média7 e nos quais os tratamentos clínicos não estejam apresentando os resultados esperados. Como último recurso, a miringotomia tem valor diagnóstico8, servindo para coleta de material para cultura e antibiograma.

Como é feita a miringotomia?

O procedimento deve ser feito pelo otorrinolaringologista em uma clínica especializada. Em adultos ele pode ser feito com anestesia9 local, mas no caso de crianças a anestesia9 geral ou sedação10 forte sempre é necessária. Um tubo de permanência, feito com material plástico sintético, pode ser inserido na abertura feita, para permitir a ventilação11, a drenagem12 do ouvido médio3 e a equalização da pressão dos dois lados do tímpano2, o qual pode permanecer por várias semanas ou meses e mesmo anos antes de serem naturalmente expelidos pela cicatrização do tímpano2.

E depois da miringotomia?

Normalmente, após a miringotomia o tímpano2 repara-se em cerca de duas semanas e a maioria das pessoas têm uma recuperação rápida da audição. Pode ser necessária uma miringoplastia (reparação cirúrgica da membrana do tímpano2) para o encerramento da perfuração no tímpano2, por meio de um enxerto13 de material retirado da membrana que recobre o músculo temporal14. A miringoplastia é efetuada para melhorar a audição ou para tratar infecções15 recorrentes do ouvido.

Quais são as complicações possíveis da miringotomia?

A complicação mais comum da miringotomia é a otorreia16, isto é, o fluxo de secreção saindo do ouvido.

Outra complicação comum da miringotomia com colocação de tubos é a expulsão (também chamada de extrusão17) precoce do tubo, antes da cura do tímpano2. Embora raramente, a extrusão17 pode ser feita para o interior do ouvido, o que requer uma correção com procedimento cirúrgico.

ABCMED, 2014. Miringotomia: o que é isso? Quando ela é necessária?. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/exames-e-procedimentos/551227/miringotomia-o-que-e-isso-quando-ela-e-necessaria.htm>. Acesso em: 16 out. 2019.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Incisão: 1. Corte ou golpe com instrumento cortante; talho. 2. Em cirurgia, intervenção cirúrgica em um tecido efetuada com instrumento cortante (bisturi ou bisturi elétrico); incisura.
2 Tímpano: Espaço e estruturas internas à MEMBRANA TIMPÂNICA e externas à orelha interna (LABIRINTO). Entre os componentes principais estão os OSSÍCULOS DA AUDIÇÃO e a TUBA AUDITIVA, que conecta a cavidade da orelha média (cavidade timpânica) à parte superior da garganta.
3 Ouvido médio: Atualmente denominado orelha média, é constituído pela membrana timpânica, cavidade timpânica, células mastoides, antro mastoide e tuba auditiva. Separa-se da orelha externa através da membrana timpânica e se comunica com a orelha interna através das janelas oval e redonda.
4 Pus: Secreção amarelada, freqüentemente mal cheirosa, produzida como conseqüência de uma infecção bacteriana e formada por leucócitos em processo de degeneração, plasma, bactérias, proteínas, etc.
5 Otite: Toda infecção do ouvido é chamada de otite.
6 Trompa de Eustáquio: Passagem estreita que liga a parte superior da garganta à CAVIDADE TIMPÂNICA.
7 Otite média: Infecção na orelha média.
8 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
9 Anestesia: Diminuição parcial ou total da sensibilidade dolorosa. Pode ser induzida por diferentes medicamentos ou ser parte de uma doença neurológica.
10 Sedação: 1. Ato ou efeito de sedar. 2. Aplicação de sedativo visando aliviar sensação física, por exemplo, de dor. 3. Diminuição de irritabilidade, de nervosismo, como efeito de sedativo. 4. Moderação de hiperatividade orgânica.
11 Ventilação: 1. Ação ou efeito de ventilar, passagem contínua de ar fresco e renovado, num espaço ou recinto. 2. Agitação ou movimentação do ar, natural ou provocada para estabelecer sua circulação dentro de um ambiente. 3. Em fisiologia, é o movimento de ar nos pulmões. Perfusão Em medicina, é a introdução de substância líquida nos tecidos por meio de injeção em vasos sanguíneos.
12 Drenagem: Saída ou retirada de material líquido (sangue, pus, soro), de forma espontânea ou através de um tubo colocado no interior da cavidade afetada (dreno).
13 Enxerto: 1. Na agricultura, é uma operação que se caracteriza pela inserção de uma gema, broto ou ramo de um vegetal em outro vegetal, para que se desenvolva como na planta que o originou. Também é uma técnica agrícola de multiplicação assexuada de plantas florais e frutíferas, que permite associar duas plantas diferentes, mas gerações próximas, muito usada na produção de híbridos, na qual uma das plantas assegura a nutrição necessária à gema, ao broto ou ao ramo da outra, cujas características procura-se desenvolver; enxertia. 2. Na medicina, é a transferência especialmente de células ou de tecido (por exemplo, da pele) de um local para outro do corpo de um mesmo indivíduo ou de um indivíduo para outro.
14 Músculo Temporal: Músculo mastigatório cuja ação é fechar a mandíbula. Sua porção posterior é responsável pela retração da madíbula.
15 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
16 Otorréia: Secreção drenada através do conduto auditivo externo. Dependendo de suas características (sangue, pus, líquido cefalorraquidiano), pode indicar a presença de diferentes doenças: otite, fratura de crânio, corpo estranho, etc.
17 Extrusão: 1. Saída forçada; expulsão. 2. Em tecnologia, é a passada forçada, através de um orifício, de uma porção de metal ou de plástico, para que adquira forma alongada ou filamentosa.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Otorrinolaringologia?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.