Gostou do artigo? Compartilhe!

Fundo de olho ou fundoscopia: como é realizado? Quem deve fazer? O que este exame pode diagnosticar?

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

Em que consiste o exame de fundo de olho1?

O exame de fundo de olho1 (fundoscopia ou oftalmoscopia) consiste em examinar as artérias2, veias3 e nervos da retina4 através dos meios transparentes do olho5 (salvo em caso de patologias) que se interpõem entre o médico e a retina4. A retina4 localiza-se na parte posterior do globo ocular6 e tem como função transformar o estímulo luminoso em estímulo nervoso que permite a visão7. Além de propiciar um diagnóstico8 local, o exame da retina4 permite avaliar alguns aspectos da saúde9 do indivíduo de uma maneira geral, concentrando-se especialmente no nervo óptico, nos vasos retinianos e na sua região central, denominada mácula10. O exame de fundo de olho1 é a melhor forma de analisar o estado de nossos vasos sanguíneos11 sem utilizar um método invasivo.

Como é realizado o exame de fundo de olho1?

O aparelho que o médico usa nesse exame é chamado oftalmoscópio, o qual projeta um feixe de luz no interior do olho5 e, mediante a reflexão dessa luz na retina4, permite observar suas estruturas. Para facilitar e ampliar a visão7 da retina4 o médico geralmente usa um colírio12 que dilata a pupila ocular. Essa dilatação, especialmente se muito intensa, ocasiona posteriormente uma fotofobia13 (aversão à luminosidade), que faz com que o paciente tenha que aguardar algum tempo antes de expor-se à claridade.

Existem dois tipos de fundoscopia:

  • Direta: realizada pelo clínico geral que se vale de um aparelho simples e portátil, do qual se obtém uma imagem aumentada quinze vezes, mas com um campo de visão7 mais restrito.
  • Indireta: geralmente realizada pelo oftalmologista14, com equipamentos mais complexos, que gera uma imagem com ampliação menor, mas que permite uma visualização mais ampla da retina4.

Quem deve fazer o exame de fundo de olho1?

A fundoscopia faz parte da rotina no consultório dos oftalmologistas é um meio prático e fácil de avaliar a situação clínica de vários órgãos e fornecer informações sobre o desenvolvimento de algumas doenças. O exame pode ser feito em pessoas de qualquer idade. Bebês15, prematuros ou não, cujas mães sofreram infecções16 durante a gestação devem ser submetidos ao exame, que pode, além disso, revelar a presença de tumores e de doenças locais ou sistêmicas. Em adultos, o exame de fundo de olho1 é importante para o diagnóstico8 de doenças locais e para a detecção precoce de enfermidades sistêmicas (hipertensão arterial17, diabetes18 e patologias neurológicas, entre outras). No envelhecimento, o exame pode detectar o surgimento de drusas (depósitos de cristais brancos ou levemente amarelados) na retina4, que podem levar à cegueira, e degenerações maculares próprias da idade.

Quais são as principais doenças que podem ser diagnosticadas ou acompanhadas por meio da fundoscopia?

As principais doenças que podem ser diagnosticadas ou acompanhadas por meio do exame de fundo de olho1 são:

ABCMED, 2013. Fundo de olho ou fundoscopia: como é realizado? Quem deve fazer? O que este exame pode diagnosticar?. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/exames-e-procedimentos/376400/fundo-de-olho-ou-fundoscopia-como-e-realizado-quem-deve-fazer-o-que-este-exame-pode-diagnosticar.htm>. Acesso em: 15 dez. 2019.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Fundo de olho: Fundoscopia, oftalmoscopia ou exame de fundo de olho é o exame em que se visualizam as estruturas do segmento posterior do olho (cabeça do nervo óptico, retina, vasos retinianos e coroide), dando atenção especialmente a região central da retina, denominada mácula. O principal aparelho utilizado pelo clínico para realização do exame de fundo de olho é o oftalmoscópio direto. O oftalmologista usa o oftalmoscópio indireto e a lâmpada de fenda.
2 Artérias: Os vasos que transportam sangue para fora do coração.
3 Veias: Vasos sangüíneos que levam o sangue ao coração.
4 Retina: Parte do olho responsável pela formação de imagens. É como uma tela onde se projetam as imagens: retém as imagens e as traduz para o cérebro através de impulsos elétricos enviados pelo nervo óptico. Possui duas partes: a retina periférica e a mácula.
5 Olho: s. m. (fr. oeil; ing. eye). Órgão da visão, constituído pelo globo ocular (V. este termo) e pelos diversos meios que este encerra. Está situado na órbita e ligado ao cérebro pelo nervo óptico. V. ocular, oftalm-. Sinônimos: Olhos
6 Globo ocular: O globo ocular recebe este nome por ter a forma de um globo, que por sua vez fica acondicionado dentro de uma cavidade óssea e protegido pelas pálpebras. Ele possui em seu exterior seis músculos, que são responsáveis pelos movimentos oculares, e por três camadas concêntricas aderidas entre si com a função de visão, nutrição e proteção. A camada externa (protetora) é constituída pela córnea e a esclera. A camada média (vascular) é formada pela íris, a coroide e o corpo ciliar. A camada interna (nervosa) é constituída pela retina.
7 Visão: 1. Ato ou efeito de ver. 2. Percepção do mundo exterior pelos órgãos da vista; sentido da vista. 3. Algo visto, percebido. 4. Imagem ou representação que aparece aos olhos ou ao espírito, causada por delírio, ilusão, sonho; fantasma, visagem. 5. No sentido figurado, concepção ou representação, em espírito, de situações, questões etc.; interpretação, ponto de vista. 6. Percepção de fatos futuros ou distantes, como profecia ou advertência divina.
8 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
9 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
10 Mácula: Mácula ou mancha é uma lesão plana, não palpável, constituída por uma alteração circunscrita da cor da pele.
11 Vasos Sanguíneos: Qualquer vaso tubular que transporta o sangue (artérias, arteríolas, capilares, vênulas e veias).
12 Colírio: Preparação farmacológica líquida na qual se encontram dissolvidas diferentes drogas que atuam na conjuntiva ocular.
13 Fotofobia: Dor ocular ou cefaléia produzida perante estímulos visuais. É um sintoma freqüente na meningite, hemorragia subaracnóidea, enxaqueca, etc.
14 Oftalmologista: Médico especializado em diagnosticar e tratar as doenças que acometem os olhos. Podem prescrever óculos de grau e lentes de contato.
15 Bebês: Lactentes. Inclui o período neonatal e se estende até 1 ano de idade (12 meses).
16 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
17 Hipertensão arterial: Aumento dos valores de pressão arterial acima dos valores considerados normais, que no adulto são de 140 milímetros de mercúrio de pressão sistólica e 85 milímetros de pressão diastólica.
18 Diabetes: Nome que designa um grupo de doenças caracterizadas por diurese excessiva. A mais frequente é o Diabetes mellitus, ainda que existam outras variantes (Diabetes insipidus) de doença nas quais o transtorno primário é a incapacidade dos rins de concentrar a urina.
19 Glaucoma: É quando há aumento da pressão intra-ocular e danos ao nervo óptico decorrentes desse aumento de pressão. Esses danos se expressam no exame de fundo de olho e por alterações no campo de visão.
20 Degeneração macular: A degeneração macular destrói gradualmente a visão central, afetando a mácula, parte do olho que permite enxergar detalhes finos necessários para realizar tarefas diárias tais como ler e dirigir. Existem duas formas - úmida e seca. Na forma úmida, há crescimento anormal de vasos sanguíneos no fundo do olho, podendo extravasar fluidos que prejudicam a visão central. Na forma seca, que é a mais comum e menos grave, há acúmulo de resíduos do metabolismo celular da retina, aliado a graus variáveis de atrofia do tecido retiniano, causando uma perda visual central, de progressão lenta, podendo dificultar a realização de algumas atividades como ler e escrever ou a identificação de traços de fisionomia.
21 Hipertensão: Condição presente quando o sangue flui através dos vasos com força maior que a normal. Também chamada de pressão alta. Hipertensão pode causar esforço cardíaco, dano aos vasos sangüíneos e aumento do risco de um ataque cardíaco, derrame ou acidente vascular cerebral, além de problemas renais e morte.
22 Hemorragia: Saída de sangue dos vasos sanguíneos ou do coração para o exterior, para o interstício ou para cavidades pré-formadas do organismo.
23 Diabetes mellitus: Distúrbio metabólico originado da incapacidade das células de incorporar glicose. De forma secundária, podem estar afetados o metabolismo de gorduras e proteínas.Este distúrbio é produzido por um déficit absoluto ou relativo de insulina. Suas principais características são aumento da glicose sangüínea (glicemia), poliúria, polidipsia (aumento da ingestão de líquidos) e polifagia (aumento da fome).
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Oftalmologia?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.

Comentários

21/02/2014 - Comentário feito por eliana
Re: Fundo de olho ou fundoscopia: como é realizado? Quem deve fazer? O que este exame pode diagnosticar?
FIQUEI BASTANTE IMPRESSIONADA, E ,TBM + CIENTE COM O DIAGNOS DOS OLHOS. VISTO QUE TENHO HISTÓRICOS GENÉTICOS; STOU PERCEBENDO CERTOS SINTOMAS. VALEU !

31/08/2013 - Comentário feito por Ana
Re: Fundo de olho ou fundoscopia: como é realizado? Quem deve fazer? O que este exame pode diagnosticar?
Poderia ser acrescentado que a fundoscopia também pode diagnosticar o retinoblastoma, que é o tumor ocular mais comum na infancia e poderia ser curado se diagnosticado precocemente.
Obrigada

  • Entrar
  • Assinar