Atalho: 6QZO38F
Gostou do artigo? Compartilhe!

Ponte de safena: você sabe como é?

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que é ponte de safena?

O sangue1 oxigenado que procede dos pulmões2 deve ser distribuído pelas artérias3 coronarianas para o músculo cardíaco4. Essas artérias3 podem acumular placas5 de gordura6, que irão obstruir a circulação7 do sangue1. A ponte de safena é uma cirurgia que visa restituir a normalidade da circulação7 nas artérias3 cardíacas e deve ser feita se a obstrução arterial atingir 70% ou mais, quando o risco de um infarto8 fulminante é muito alto. A cirurgia procura fazer a revascularização miocárdica através de uma ponte (shunt9, bypass, desvio, etc.), usando parte da veia safena (maior veia da perna) para irrigar as artérias3 coronarianas, a partir da artéria10 aorta11 (a principal artéria10 do corpo, que sai do coração12). Alternativamente, podem também ser utilizadas as veias13 radiais (dos braços) ou mamárias (do tórax14).

Quando está indicada a ponte de safena?

A cirurgia de ponte de safena é indicada a pacientes que tenham obstrução de artérias3 cardíacas e que se achem, portanto, em risco de sofrer infarto do miocárdio15. No caso de obstruções de artérias3 do coração12, a ponte de safena não é a única solução possível. Há tratamentos medicamentosos e mesmo outros tratamentos mecânicos menos invasivos, como a angioplastia16 e a colocação de stent. Contudo, extensa pesquisa americana recente colocou em dúvida as vantagens dessas novas técnicas porque demostrou que a sobrevida17 em longo prazo é maior com a ponte de safena que com o procedimento menos invasivo da angioplastia16.

Em que consiste a ponte de safena?

Como preparação para a cirurgia deve-se suspender as medicações anticoagulantes18. O paciente deve estar em jejum a pelo menos 12 horas. O osso esterno19 (osso médio do tórax14 que sustenta a extremidade das costelas20) é cortado ao meio para permitir o acesso cirúrgico ao coração12 e depois suturado com fios de aço. A veia safena (ou outra que a substitua) é removida cirurgicamente e costurada desde a aorta11 até a artéria10 coronária comprometida, abaixo do ponto de obstrução. Dessa forma fica garantido o suprimento de sangue1 oxigenado à porção distal21 da artéria10 obstruída, onde ele era escasso ou nulo. Quando for usada uma artéria10 mamária conta-se com a vantagem de ela já partir da aorta11 e esta sua origem pode ser mantida. Pode ser realizada mais de uma ponte, se necessário.

Até a década de oitenta, a ponte de safena era a única técnica cirúrgica utilizada para melhorar a circulação7 cardíaca. Desde então, os métodos de revascularização cardíaca evoluíram tanto que hoje há preferência por outros métodos mais simples e eficientes, embora as pontes de safena continuem a ser utilizadas através de técnicas atualmente aperfeiçoadas em relação a seu início.

A cirurgia de ponte de safena é um procedimento que dura, em média, de três a cinco horas.

Qual o prognóstico22 da ponte de safena?

  • A sobrevida17 em cinco anos é de 88% e em dez anos, cerca de 75%.
  • Aproximadamente 60% dos pacientes estarão sem sintomas23 após 10 anos.
  • Somente 2 a 5% dos pacientes têm infarto do miocárdio15 durante ou logo após a cirurgia.
  • Após cinco anos da cirurgia, cerca de 95% dos pacientes ficarão livres do infarto do miocárdio15.
  • A terapia antiagregante plaquetária deve ser iniciada precocemente para evitar a oclusão da ponte.

Referências:

As informações veiculadas neste texto foram extraídas em parte dos sites da Cleveland Clinic e da Mayo Clinic.

ABCMED, 2012. Ponte de safena: você sabe como é?. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/exames-e-procedimentos/329760/ponte-de-safena-voce-sabe-como-e.htm>. Acesso em: 25 ago. 2019.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
2 Pulmões: Órgãos do sistema respiratório situados na cavidade torácica e responsáveis pelas trocas gasosas entre o ambiente e o sangue. São em número de dois, possuem forma piramidal, têm consistência esponjosa e medem cerca de 25 cm de comprimento. Os pulmões humanos são divididos em segmentos denominados lobos. O pulmão esquerdo possui dois lobos e o direito possui três. Os pulmões são compostos de brônquios que se dividem em bronquíolos e alvéolos pulmonares. Nos alvéolos se dão as trocas gasosas ou hematose pulmonar entre o meio ambiente e o corpo, com a entrada de oxigênio na hemoglobina do sangue (formando a oxiemoglobina) e saída do gás carbônico ou dióxido de carbono (que vem da célula como carboemoglobina) dos capilares para o alvéolo.
3 Artérias: Os vasos que transportam sangue para fora do coração.
4 Músculo Cardíaco: Tecido muscular do CORAÇÃO. Composto de células musculares estriadas e involuntárias (MIÓCITOS CARDÍACOS) conectadas, que formam a bomba contrátil geradora do fluxo sangüíneo.
5 Placas: 1. Lesões achatadas, semelhantes à pápula, mas com diâmetro superior a um centímetro. 2. Folha de material resistente (metal, vidro, plástico etc.), mais ou menos espessa. 3. Objeto com formato de tabuleta, geralmente de bronze, mármore ou granito, com inscrição comemorativa ou indicativa. 4. Chapa que serve de suporte a um aparelho de iluminação que se fixa em uma superfície vertical ou sobre uma peça de mobiliário, etc. 5. Placa de metal que, colocada na dianteira e na traseira de um veículo automotor, registra o número de licenciamento do veículo. 6. Chapa que, emitida pela administração pública, representa sinal oficial de concessão de certas licenças e autorizações. 7. Lâmina metálica, polida, usualmente como forma em processos de gravura. 8. Área ou zona que difere do resto de uma superfície, ordinariamente pela cor. 9. Mancha mais ou menos espessa na pele, como resultado de doença, escoriação, etc. 10. Em anatomia geral, estrutura ou órgão chato e em forma de placa, como uma escama ou lamela. 11. Em informática, suporte plano, retangular, de fibra de vidro, em que se gravam chips e outros componentes eletrônicos do computador. 12. Em odontologia, camada aderente de bactérias que se forma nos dentes.
6 Gordura: Um dos três principais nutrientes dos alimentos. Os alimentos que fornecem gordura são: manteiga, margarina, óleos, nozes, carnes vermelhas, peixes, frango e alguns derivados do leite. O excesso de calorias é estocado no organismo na forma de gordura, fornecendo uma reserva de energia ao organismo.
7 Circulação: 1. Ato ou efeito de circular. 2. Facilidade de se mover usando as vias de comunicação; giro, curso, trânsito. 3. Movimento do sangue, fluxo de sangue através dos vasos sanguíneos do corpo e do coração.
8 Infarto: Morte de um tecido por irrigação sangüínea insuficiente. O exemplo mais conhecido é o infarto do miocárdio, no qual se produz a obstrução das artérias coronárias com conseqüente lesão irreversível do músculo cardíaco.
9 Shunt: 1. Em cirurgia, é o desvio de depósitos de líquido para uma estrutura que o absorva ou o excrete. O shunt é feito por meio da criação de uma fístula ou de um dispositivo mecânico. 2. Em patologia, é a passagem anormal de sangue de uma cavidade para outra. 3. Em eletricidade, é o condutor que liga dois pontos num circuito elétrico e forma um caminho paralelo ou alternativo através do qual parte da corrente pode passar.
10 Artéria: Vaso sangüíneo de grande calibre que leva sangue oxigenado do coração a todas as partes do corpo.
11 Aorta: Principal artéria do organismo. Surge diretamente do ventrículo esquerdo e através de suas ramificações conduz o sangue a todos os órgãos do corpo.
12 Coração: Órgão muscular, oco, que mantém a circulação sangüínea.
13 Veias: Vasos sangüíneos que levam o sangue ao coração.
14 Tórax: Parte superior do tronco entre o PESCOÇO e o ABDOME; contém os principais órgãos dos sistemas circulatório e respiratório. (Tradução livre do original Sinônimos: Peito; Caixa Torácica
15 Infarto do miocárdio: Interrupção do suprimento sangüíneo para o coração por estreitamento dos vasos ou bloqueio do fluxo. Também conhecido por ataque cardíaco.
16 Angioplastia: Método invasivo mediante o qual se produz a dilatação dos vasos sangüíneos arteriais afetados por um processo aterosclerótico ou trombótico.
17 Sobrevida: Prolongamento da vida além de certo limite; prolongamento da existência além da morte, vida futura.
18 Anticoagulantes: Substâncias ou medicamentos que evitam a coagulação, especialmente do sangue.
19 Esterno: Osso longo e achatado, situado na parte vertebral do tórax dos vertebrados (com exceção dos peixes), e que no homem se articula com as primeiras sete costelas e com a clavícula. Ele é composto de três partes: corpo, manúbrio e apêndice xifoide. Nos artrópodes, é uma placa quitinosa ventral do tórax.
20 Costelas:
21 Distal: 1. Que se localiza longe do centro, do ponto de origem ou do ponto de união. 2. Espacialmente distante; remoto. 3. Em anatomia geral, é o mais afastado do tronco (diz-se de membro) ou do ponto de origem (diz-se de vasos ou nervos). Ou também o que é voltado para a direção oposta à cabeça. 4. Em odontologia, é o mais distante do ponto médio do arco dental.
22 Prognóstico: 1. Juízo médico, baseado no diagnóstico e nas possibilidades terapêuticas, em relação à duração, à evolução e ao termo de uma doença. Em medicina, predição do curso ou do resultado provável de uma doença; prognose. 2. Predição, presságio, profecia relativos a qualquer assunto. 3. Relativo a prognose. 4. Que traça o provável desenvolvimento futuro ou o resultado de um processo. 5. Que pode indicar acontecimentos futuros (diz-se de sinal, sintoma, indício, etc.). 6. No uso pejorativo, pernóstico, doutoral, professoral; prognóstico.
23 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Cardiologia?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.