Atalho: 6KV7KO4
Gostou do artigo? Compartilhe!

O que é ácido úrico?

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que é ácido úrico?

O ácido úrico é uma substância produzida normalmente pelo organismo. Ele é um produto que resulta do metabolismo1 da purina (uma proteína contida em vários alimentos e no próprio organismo) e é eliminado principalmente pela urina2 e, em menores quantidades, pela bile3 e pelas fezes. O nível de ácido úrico no sangue4 depende do ritmo da sua produção e eliminação, mas a concentração excessiva ou o déficit dele causam sintomas5. Seu excesso provoca o depósito de cristais em vários órgãos do corpo, principalmente articulações6, causando gota7, e rins8, causando cálculos. Níveis baixos de ácido úrico indicam a possibilidade de doença de Wilson9 ou câncer10, bem como o uso de certos fármacos. A dosagem sanguínea do ácido úrico é usada também para fornecer uma noção indireta do estado da filtração renal11.

Quais são os sintomas5 ocasionados pelo excesso de ácido úrico?

O excesso de ácido úrico, por ingestão excessiva ou produção aumentada, ocasiona o depósito de cristais de urato de sódio nas articulações6, sob a pele12, nos rins8 e em vários outros órgãos do corpo. O depósito de ácido úrico nas articulações6 ocasiona uma artrite13 dolorosa que pode afetar todas as articulações6, mas que predomina nas dos membros inferiores. O depósito nos rins8 ocasiona a formação de cálculos renais (litíase14 renal11) ou leva à insuficiência renal15 aguda ou crônica (nefropatia16 úrica).

Níveis altos de ácido úrico podem ser indicativos de gota7insuficiência renal15, anorexia17, leucemias, infecções18 agudas, eclampsia19, choque20, cetose diabética21, intoxicação por chumbo22, acidose metabólica23, estresse, alcoolismo, exercício vigoroso, policitemia24, psoríase25. Contudo, a enfermidade mais típica do excesso de ácido úrico é a gota7, em que os cristais de ácido úrico são depositados nas articulações6 ou nos rins8. Aproximadamente 90% dos pacientes com gota7 são homens acima dos 40 anos de idade.

Como se mede a taxa de ácido úrico presente no organismo?

A medida da concentração de ácido úrico pode ser feita no sangue4 e na urina2 e só deve ser realizada após um jejum prévio de 8 horas. Os valores normais da concentração de ácido úrico no sangue4 humano variam entre 2,4 e 6 mg/dl26, nas mulheres; e entre 3,4 e 7,0 mg/dl26, nos homens. Na urina2, entre 0,24 e 0,75 g/dia. Esses valores podem ser mais baixos nos vegetarianos, que ingerem menos proteína animal.

Como diminuir a concentração sanguínea do ácido úrico?

  • Beber bastante água para ajudar o organismo a eliminar o ácido úrico.
  • Ingerir bastante leite e derivados, que melhoram a eliminação do ácido úrico.
  • Evitar o estresse físico.
  • Evitar alimentos industrializados27 e ter uma dieta rica em frutas e verduras.
  • Evitar o consumo de bebidas alcoólicas, especialmente de cerveja, que é rica em purina.
  • Evitar o uso de diuréticos28 e anti-inflamatórios.
  • Evitar alimentos ricos em purina (carne vermelha, frutos do mar e miúdos).
  • Usar, quando indicado por um médico, medicamentos que inibem a produção ou aumentam a excreção de ácido úrico.
ABCMED, 2012. O que é ácido úrico?. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/312980/o+que+e+acido+urico.htm>. Acesso em: 18 jun. 2019.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Metabolismo: É o conjunto de transformações que as substâncias químicas sofrem no interior dos organismos vivos. São essas reações que permitem a uma célula ou um sistema transformar os alimentos em energia, que será ultilizada pelas células para que as mesmas se multipliquem, cresçam e movimentem-se. O metabolismo divide-se em duas etapas: catabolismo e anabolismo.
2 Urina: Resíduo líquido produzido pela filtração renal no organismo, estocado na bexiga e expelido pelo ato de urinar.
3 Bile: Agente emulsificador produzido no FÍGADO e secretado para dentro do DUODENO. Sua composição é formada por s ÁCIDOS E SAIS BILIARES, COLESTEROL e ELETRÓLITOS. A bile auxilia a DIGESTÃO das gorduras no duodeno.
4 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
5 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
6 Articulações:
7 Gota: 1. Distúrbio metabólico produzido pelo aumento na concentração de ácido úrico no sangue. Manifesta-se pela formação de cálculos renais, inflamação articular e depósito de cristais de ácido úrico no tecido celular subcutâneo. A inflamação articular é muito dolorosa e ataca em crises. 2. Pingo de qualquer líquido.
8 Rins: Órgãos em forma de feijão que filtram o sangue e formam a urina. Os rins são localizados na região posterior do abdômen, um de cada lado da coluna vertebral.
9 Doença de Wilson: Doença de Wilson ou degeneração hepatolenticular é uma doença hereditária autossômica recessiva causada pelo acúmulo tóxico de cobre nos tecidos, principalmente no cérebro e no fígado, o que leva o portador a manifestar sintomas neuropsiquiátricos e de doença hepática. É tratada com medicamentos que reduzem a absorção de cobre ou removem seu excesso do corpo, mas ocasionalmente um transplante de fígado é necessário. Os distúrbios hepáticos mais proeminentes geralmente ocorrem em crianças e adolescentes, enquanto que os doentes com predominância de sintomas neurológicos e psiquiátricos têm geralmente vinte anos de idade ou mais no momento que procuram atendimento médico.
10 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
11 Renal: Relacionado aos rins. Uma doença renal é uma doença dos rins. Insuficiência renal significa que os rins pararam de funcionar.
12 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
13 Artrite: Inflamação de uma articulação, caracterizada por dor, aumento da temperatura, dificuldade de movimentação, inchaço e vermelhidão da área afetada.
14 Litíase: Estado caracterizado pela formação de cálculos em diferentes regiões do organismo. A composição destes cálculos e os sintomas que provocam variam de acordo com sua localização no organismo (vesícula biliar, ureter, etc.).
15 Insuficiência renal: Condição crônica na qual o corpo retém líquido e excretas pois os rins não são mais capazes de trabalhar apropriadamente. Uma pessoa com insuficiência renal necessita de diálise ou transplante renal.
16 Nefropatia: Lesão ou doença do rim.
17 Anorexia: Perda do apetite ou do desejo de ingerir alimentos.
18 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
19 Eclâmpsia: Ocorre quando a mulher com pré-eclâmpsia grave apresenta covulsão ou entra em coma. As convulsões ocorrem porque a pressão sobe muito e, em decorrência disso, diminui o fluxo de sangue que vai para o cérebro.
20 Choque: 1. Estado de insuficiência circulatória a nível celular, produzido por hemorragias graves, sepse, reações alérgicas graves, etc. Pode ocasionar lesão celular irreversível se a hipóxia persistir por tempo suficiente. 2. Encontro violento, com impacto ou abalo brusco, entre dois corpos. Colisão ou concussão. 3. Perturbação brusca no equilíbrio mental ou emocional. Abalo psíquico devido a uma causa externa.
21 Cetose diabética: Complicação aguda comum do diabetes melito, é caracterizada pela tríade de hiperglicemia, cetose e acidose. Laboratorialmente se caracteriza por pH arterial 250 mg/dl, com moderado grau de cetonemia e cetonúria. Esta condição pode ser precipitada principalmente por infecções, infarto agudo do miocárdio, acidente vascular encefálico, trauma e tratamento inadequado do diabetes. Os sinais clínicos da cetoacidose são náuseas, vômitos, dor epigástrica (no estômago), hálito cetônico e respiração rápida. O não-tratamento desta condição pode levar ao coma e à morte.
22 Intoxicação por chumbo: Intoxicação aguda ou crônica por chumbo ou por algum de seus sais. Também conhecida como Saturnismo ou Plumbismo, a intoxicação pelo chumbo ocorre quando o chumbo absorvido causa sinais e sintomas tais como náuseas, vômitos, linha azul na gengiva, aumento dos reticulócitos (reticulocitose); hemácias com granulações basófilas e elevada concentração de chumbo no sangue e na urina. Os principais achados clínicos são cólica, anemia, neurite, encefalopatia e tremores.
23 Acidose metabólica: A acidose metabólica é uma acidez excessiva do sangue caracterizada por uma concentração anormalmente baixa de bicarbonato no sangue. Quando um aumento do ácido ultrapassa o sistema tampão de amortecimento do pH do organismo, o sangue pode acidificar-se. Quando o pH do sangue diminui, a respiração torna-se mais profunda e mais rápida, porque o corpo tenta liberar o excesso de ácido diminuindo o volume do anidrido carbônico. Os rins também tentam compensá-lo por meio da excreção de uma maior quantidade de ácido na urina. Contudo, ambos os mecanismos podem ser ultrapassados se o corpo continuar a produzir excesso de ácido, o que conduz a uma acidose grave e ao coma. A gasometria arterial é essencial para o seu diagnóstico. O pH está baixo (menor que 7,35) e os níveis de bicarbonato estão diminuídos (<24 mmol/l). Devido à compensação respiratória (hiperventilação), o dióxido de carbono está diminuído e o oxigênio está aumentado.
24 Policitemia: Alteração sanguínea caracterizada por grande aumento da quantidade de hemácias circulantes.
25 Psoríase: Doença imunológica caracterizada por lesões avermelhadas com descamação aumentada da pele dos cotovelos, joelhos, couro cabeludo e costas juntamente com alterações das unhas (unhas em dedal). Evolui através do tempo com melhoras e pioras, podendo afetar também diferentes articulações.
26 Mg/dL: Miligramas por decilitro, unidade de medida que mostra a concentração de uma substância em uma quantidade específica de fluido.
27 Alimentos industrializados: São aqueles que passam por processamento industrial (larga escala) ou doméstico, contendo elementos químicos. Este processo de transformação, mesmo que caseiro, é percebido como menos saudável que o natural. Geralmente estes produtos sofrem junção com outro tipo de produto, como conservantes, ou alterações em sua temperatura. Exemplo: qualquer produto enlatado, engarrafado ou embutidos.
28 Diuréticos: Grupo de fármacos que atuam no rim, aumentando o volume e o grau de diluição da urina. Eles depletam os níveis de água e cloreto de sódio sangüíneos. São usados no tratamento da hipertensão arterial, insuficiência renal, insuficiência cardiaca ou cirrose do fígado. Há dois tipos de diuréticos, os que atuam diretamente nos túbulos renais, modificando a sua atividade secretora e absorvente; e aqueles que modificam o conteúdo do filtrado glomerular, dificultando indiretamente a reabsorção da água e sal.

Veja também

Artigos selecionados

Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Clínica Médica?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.

Comentários

18/06/2014 - Comentário feito por Daiane
gostei muito desse comentario,não sabia ...
gostei muito desse comentario,não sabia o que era,mas fiz essa busca e gostei, a minha filha que tem apenas seis anos de idade,tem acido urico.o que faço tem mais alguma orientaçao para essa idade. por favor me ajudam.(grata)

06/08/2013 - Comentário feito por Ednair
Re: O que é ácido úrico?
Gostei da informação,tenho este problema,fiquei preocupada,porque tenho a pressão alta e tomodiurético,tenho artrite artrose e osteoporose,tbm tomoantiflamatório.

18/03/2013 - Comentário feito por Yama
Re: O que é ácido úrico?
Essa informação foi muito boa!!!

16/08/2012 - Comentário feito por naim
Re: O que é ácido úrico?
Gracias! informação muito útil.....................obrigado...........naim

  • Entrar
  • Assinar