Atalho: 6KGAPG9
Gostou do artigo? Compartilhe!

Esporão ou esporão do calcâneo: tem jeito de aliviar a dor?

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que é o esporão do calcâneo1?

O esporão do calcâneo1 é uma condição óssea degenerativa2 (artrose3 ou artrite4), constituindo-se de uma espícula óssea que se desenvolve na parte anterior do calcâneo1 (osso do calcanhar5). O calcâneo1 é o osso de maior tamanho em toda a estrutura óssea do pé e suporta todo o peso do corpo, sofrendo um impacto intenso e constante.

Há duas espécies de esporão do calcâneo1:

  • Inferior: comprometimento da fáscia plantar6.
  • Posterior: comprometimento da bolsa retrocalcânea7.

Quais são as causas do esporão do calcâneo1?

O esporão do calcâneo1 afeta principalmente as mulheres, entre 40 e 50 anos, praticantes de caminhadas ou corridas e aquelas que trabalham em pé por longos períodos ou as que sofrem com o sobrepeso8. Mas ele pode afetar também os homens.

A planta do pé é composta por estruturas elásticas (músculos9) e rígidas (fáscias). Na prática, essas estruturas aumentam a eficiência do impulso executado quando o calcanhar10 se distancia do solo. Quando há um esforço excessivo nesta região podem ocorrer fissuras11 e inflamações12 da fáscia13. Isso pode ocorrer em virtude da retração do tendão de Aquiles14 ou de pés com a curvatura anômala.

Esporão calcâneo

O esporão do calcâneo1 pode não ter causa específica.

Quais são os sinais15 e sintomas16 do esporão do calcâneo1?

O esporão é frequente entre desportistas, pessoas com excesso de peso e pessoas com pé cavo ou pé plano.

Raramente o esporão causa inflamação17 visível, avermelhamento ou outro sinal18 aparente. A dor é o principal sintoma19 e começa já com os primeiros passos do dia. Geralmente é uma dor pulsante na zona plantar do calcanhar10, mas há também uma dor de repouso e ao colocar o pé no calçado.

Deve-se estar advertido de que nem toda dor no calcanhar10 é esporão e há esporões que não doem.

Como o médico diagnostica o esporão do calcâneo1?

O esporão de calcâneo1 pode ser diagnosticado através do relato dos sintomas16 e de um exame físico adequado. A radiografia ajuda a confirmar o diagnóstico20.

Como o médico trata o esporão do calcâneo1?

Inicialmente, o tratamento consiste em alongamento do tendão de Aquiles14 e da fáscia plantar6 e no uso de uma palmilha de silicone para o calcanhar10. Geralmente, em oito semanas esse tratamento beneficia 90 a 95% dos pacientes.

Para os que não se beneficiam, existem duas opções:

  • Injeções de corticoide na fáscia plantar6.
  • Uso do night splint (tala21 noturna), que imobiliza o tornozelo e alonga a fáscia plantar6

Só 5% dos pacientes demandarão medidas cirúrgicas, que podem não apresentar uma resposta muito boa.

Como evolui o esporão do calcâneo1?

Os sintomas16 do esporão do calcâneo1 são bem controlados com a fisioterapia22, palmilhas e calcanheiras de silicone. A maioria dos casos dolorosos de esporões do calcâneo1 cura-se somente com o uso de anti-inflamatórios e de sapatos confortáveis.

Como prevenir o esporão do calcâneo1?

Existem algumas medidas que não tratam o esporão, mas minoram os sintomas16 que ele causa:

  • Usar sapatos com amortecedores e salto de no mínimo 2,5 cm de altura.
  • Usar sapatos fechados e protegidos.
  • Evitar ficar em pé por tempo prolongado.
  • Controlar o excesso de peso corporal.
  • Fortalecer a musculatura da planta do pé.
  • Não fazer corridas ou saltos sem a adequada preparação da musculatura do pé.
  • Usar calçados adequados às diversas práticas esportivas.
  • Fazer rolamentos com uma bola elástica (aquelas que têm umas pontas mais salientes) nos pés. Estes exercícios devem ser feitos três vezes ao dia, repetindo os rolamentos umas cem vezes.
ABCMED, 2012. Esporão ou esporão do calcâneo: tem jeito de aliviar a dor?. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/sinais.-sintomas-e-doencas/311700/esporao-ou-esporao-do-calcaneo-tem-jeito-de-aliviar-a-dor.htm>. Acesso em: 18 jun. 2019.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Calcâneo: O maior OSSO DO TARSO que está situado na parte posterior e inferior do PÉ, formando o CALCANHAR.
2 Degenerativa: Relativa a ou que provoca degeneração.
3 Artrose: Também chamada de osteoartrose ou processo degenerativo articular, resulta de um processo anormal entre a destruição cartilaginosa e a reparação da mesma. Entende-se por cartilagem articular, um tipo especial de tecido que reveste a extremidade de dois ossos justapostos que possuem algum grau de movimentação entre eles, sua função básica é a de diminuir o atrito entre duas superfícies ósseas quando estas executam qualquer tipo de movimento, funcionando como mecanismo de absorção de choque. O estado de hidratação da cartilagem e a integridade da mesma, é fator preponderante para o não desenvolvimento da artrose.
4 Artrite: Inflamação de uma articulação, caracterizada por dor, aumento da temperatura, dificuldade de movimentação, inchaço e vermelhidão da área afetada.
5 Osso do Calcanhar: O maior OSSO DO TARSO que está situado na parte posterior e inferior do PÉ, formando o CALCANHAR.
6 Fáscia plantar: É uma estrutura de sustentação da sola do pé. A fáscia é uma lâmina de tecido conjuntivo que envolve cada músculo, ela tem a função de prender o músculo ao esqueleto para que este possa exercer eficientemente seu trabalho de tração ao se contrair e ela também permite o fácil deslizamento dos músculos entre si.
7 Bolsa retrocalcânea: Bolsa ou bursa retrocalcânea é uma estrutura de proteção que existe entre o tendão de Aquiles e o osso calcâneo. Estas bursas podem se inflamar e se tornar sede de dor e de incapacidade funcional do pé e do tornozelo, atrapalhando a função do tendão de Aquiles ou dificultando o uso de calçados fechados pela inflamação local. Estas bursas inflamadas chamam-se bursites.
8 Sobrepeso: Peso acima do normal, índice de massa corporal entre 25 e 29,9.
9 Músculos: Tecidos contráteis que produzem movimentos nos animais.
10 Calcanhar:
11 Fissuras: 1. Pequena abertura longitudinal em; fenda, rachadura, sulco. 2. Em geologia, é qualquer fratura ou fenda pouco alargada em terreno, rocha ou mesmo mineral. 3. Na medicina, é qualquer ulceração alongada e superficial. Também pode significar uma fenda profunda, sulco ou abertura nos ossos; cesura, cissura. 4. Rachadura na pele calosa das mãos ou dos pés, geralmente de pessoas que executam trabalhos rudes. 5. Na odontologia, é uma falha no esmalte de um dente. 6. No uso informal, significa apego extremo; forte inclinação; loucura, paixão, fissuração.
12 Inflamações: Conjunto de processos que se desenvolvem em um tecido em resposta a uma agressão externa. Incluem fenômenos vasculares como vasodilatação, edema, desencadeamento da resposta imunológica, ativação do sistema de coagulação, etc. Quando se produz em um tecido superficial (pele, tecido celular subcutâneo) pode apresentar tumefação, aumento da temperatura local, coloração avermelhada e dor (tétrade de Celso, o cientista que primeiro descreveu as características clínicas da inflamação).
13 Fáscia: Fáscia é uma bainha, uma folha ou qualquer outra agregação dissecável de tecido conjuntivo que se forma sob a pele para anexar, fechar e separar músculos e outros órgãos internos. Ela é composta de tecidos conectivos fibrosos, moles, colágenos, soltos e densos espalhados por todo o corpo. O sistema fascial interpenetra e envolve todos os órgãos, músculos, ossos e fibras nervosas, dotando o corpo de uma estrutura funcional e proporcionando um ambiente que permite que todos os sistemas corporais operem de forma integrada.
14 Tendão de Aquiles:
15 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
16 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
17 Inflamação: Conjunto de processos que se desenvolvem em um tecido em resposta a uma agressão externa. Incluem fenômenos vasculares como vasodilatação, edema, desencadeamento da resposta imunológica, ativação do sistema de coagulação, etc.Quando se produz em um tecido superficial (pele, tecido celular subcutâneo) pode apresentar tumefação, aumento da temperatura local, coloração avermelhada e dor (tétrade de Celso, o cientista que primeiro descreveu as características clínicas da inflamação).
18 Sinal: 1. É uma alteração percebida ou medida por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida. 2. Som ou gesto que indica algo, indício. 3. Dinheiro que se dá para garantir um contrato.
19 Sintoma: Qualquer alteração da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. O sintoma é a queixa relatada pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
20 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
21 Tala: Instrumento ortopédico utilizado freqüentemente para imobilizar uma articulação ou osso fraturado. Pode ser de gesso ou material plástico.
22 Fisioterapia: Especialidade paramédica que emprega agentes físicos (água doce ou salgada, sol, calor, eletricidade, etc.), massagens e exercícios no tratamento de doenças.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Ortopedia e Traumatologia?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.

Comentários

20/10/2016 - Comentário feito por Enoque
Obrigado pela explicação me ajudo...
Obrigado pela explicação me ajudou tenho esporão no pé esquerdo e não me guento de tanta dor

01/12/2015 - Comentário feito por Lis
Gostei, resumido mas bem explicado. Obrigado.
Gostei, resumido mas bem explicado. Obrigado.

20/10/2015 - Comentário feito por adriana
Eu tive muita dor e mal conseguia caminhar e o ...
Eu tive muita dor e mal conseguia caminhar e o que resolveu em definitivo foi massagens bem fortes e em movimentos rotativos. Depois comecei a bater com a mão fechada em toda extensão dolorida. Fazia isso por 2 a 3 vezes no dia. É incômodo no princípio mas resolveu o problema e nunca mais senti nada.

28/09/2015 - Comentário feito por Luisa
vcs estã de parabéns!!!!
vcs estã de parabéns!!!!

16/06/2015 - Comentário feito por washington
ola bom dia minha esposa e minha mãe tem...
ola bom dia minha esposa e minha mãe tem alguns meses já fizeram quase de tudo e não tem aliviado, foi ai que eu entrei em cena fazendo massagem e alongamentos nos pés delas tem surgido um grande alivio na dor, fica ai minha contribuição;

16/05/2015 - Comentário feito por Bruno
Sou acadêmico do curso de bacharelado em ...
Sou acadêmico do curso de bacharelado em educação física, sou estudante pesquisador do LABIMH, por particularmente meu pai sofrer esse mal resolvi procurar um pouco na rede alguma coisa sobre o tema, gostei do que vi e sinto que posso ajudar bastante na área da pesquisa, agora é aprofundar nos estudos com base em artigos cientifico e a colaboração dos meus tutores. Obrigado pessoal essa matéria apesar de ser bastante resumida, min ajudou bastante.

14/02/2015 - Comentário feito por Maria
Obrigada pelo esclarecimento! Muito bom.
Obrigada pelo esclarecimento! Muito bom.

27/01/2015 - Comentário feito por wilma
obrigada pela a informação .vc mi...
obrigada pela a informação .vc mim deixou mais tranquila.Mandaram eu tomar Decadon no osso calcaneo,Estava commuito medo beijos,

30/12/2014 - Comentário feito por Luis
Muito boa as informações, me ajud...
Muito boa as informações, me ajudou a entender o que estou sentindo. Vou procurar seguir as orientações.

19/12/2014 - Comentário feito por Karla
Adorei, estou sofrendo alguns dias com dores no...
Adorei, estou sofrendo alguns dias com dores no calcanhar seguidas de inchaços no tornozelo mas depois dessas dicas eu cuidarei mais e estou imobilizando o pé como o médico ensinou.

  • Entrar
  • Assinar