Atalho: 60YK9RG
Gostou do artigo? Compartilhe!

Prevenção em saúde: sete sinais e sintomas que não devem ser ignorados

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

Nº. 1: Perda de peso inexplicada

Perder peso sem esforço (sem redução da ingestão de calorias1 ao dia ou aumento das atividades físicas) pode parecer um sonho realizado, mas isto pode sinalizar um problema de saúde2. Se você perdeu até 10% do seu peso corporal durante os últimos seis meses - por exemplo, 7 kg se você pesa 70 kg, consulte o seu médico.

A perda inexplicável de peso pode ser causada por várias condições incluindo doença da tireoide3 (hipertireoidismo4), diabetes mellitus5, depressão, doenças do fígado6, câncer7 ou doenças que interferem com a forma como seu corpo absorve nutrientes (distúrbios de má absorção).

Nº. 2: Febre8 persistente ou alta

A febre8 não é necessariamente uma causa de alarme. Ela parece desempenhar um papel fundamental no combate às infecções9. Se você tem uma febre8 que persiste por mais de três dias, no entanto, ela precisa ser verificada pelo seu médico. A persistência da febre8 pode sinalizar uma infecção10 oculta, como uma infecção10 urinária ou tuberculose11. Em alguns casos, tumores (malignos) - tais como linfomas – podem causar febres prolongadas ou persistentes, assim como o uso de alguns medicamentos.

Se você tem uma febre8 alta, acima de 39°C, consulte o seu médico o mais rapidamente possível.

Nº. 3: Falta de ar

Falta de ar mais intensa do que aquela causada por um nariz12 entupido ou uma atividade física vigorosa pode sinalizar um problema de saúde2 subjacente. Toda pessoa com falta de ar ou chieira no peito13 deve procurar atendimento médico de emergência14. Sentir falta de ar quando se está em repouso também é um sintoma15 que precisa ser avaliado prontamente.

Várias doenças podem levar à falta de ar, são alguns exemplos: doença pulmonar obstrutiva crônica, bronquite crônica16, asma17, pneumonia18, um coágulo19 de sangue20 no pulmão21 (embolia22 pulmonar), bem como outros problemas de coração23 e pulmão21. Dificuldade para respirar também pode ocorrer nos ataques de pânico - episódios de ansiedade intensa que podem causar aumento da frequência cardíaca, sudorese24, falta de ar e outros sintomas25 físicos.

Nº. 4: Mudanças inexplicáveis nos hábitos intestinais

O padrão considerado de normalidade para os hábitos de defecação varia muito de um indivíduo para o outro. Consulte o seu médico se notar alterações no que é normal para o seu hábito intestinal. Essas mudanças podem incluir:

  • Sangramento nas fezes: tanto a presença de sangue20 escuro, como a de sangue20 vivo nas fezes deve ser avaliada por um médico.
  • Diarreia26 persistente ou constipação27.
  • Dor ao evacuar.

Mudanças nos hábitos intestinais podem sinalizar uma infecção10 bacteriana – por exemplo por Campylobacter ou Salmonella - uma infecção10 viral ou parasitária. Outras possíveis causas incluem a síndrome28 do intestino irritável e o câncer7 de cólon29.

Nº. 5: Confusão mental ou alterações da personalidade

Você deve procurar um médico se apresentar:

  • Confusão mental súbita.
  • Desorientação em relação ao tempo ou lugar.
  • Problemas repentinos na concentração ou na memória.
  • Mudanças súbitas de personalidade ou no comportamento, tais como aumento da agressividade ou apatia30.

Estas alterações podem ser causadas por muitos problemas, incluindo anemia31, infecção10, hipoglicemia32, desidratação33 ou problemas de saúde2 mental. Às vezes, medicamentos podem gerar estes efeitos colaterais34.

Nº. 6: Sentir-se satisfeito depois de comer muito pouco

Pessoas que passam a se satisfazer depois de comer menos que o habitual, devem ser avaliadas pelo seu médico. Este sentimento, conhecido como saciedade precoce, também pode ser acompanhado por náuseas35, vômitos36, edema37, febre8, perda ou ganho de peso. Se assim for, não se esqueça de informar o seu médico sobre estes sinais38 e sintomas25 também.

Possíveis causas de saciedade precoce incluem a doença do refluxo gastroesofágico39, comumente conhecida como DRGE, e a síndrome28 do intestino irritável. Em alguns casos, um problema mais sério - como o câncer7 de pâncreas40 - pode ser uma das causas.

Nº. 7: Flashes de luz

Manchas brilhantes ou flashes de luz e outros distúrbios visuais por vezes indicam uma enxaqueca41. Em outros casos, repentinas luzes piscando podem ser um sinal42 de descolamento de retina43. A assistência médica imediata pode ajudar a prevenir a perda de visão44 permanente.

ABCMED, 2011. Prevenção em saúde: sete sinais e sintomas que não devem ser ignorados. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/vida-saudavel/225465/prevencao-em-saude-sete-sinais-e-sintomas-que-nao-devem-ser-ignorados.htm>. Acesso em: 18 ago. 2019.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Calorias: Dizemos que um alimento tem “x“ calorias, para nos referirmos à quantidade de energia que ele pode fornecer ao organismo, ou seja, à energia que será utilizada para o corpo realizar suas funções de respiração, digestão, prática de atividades físicas, etc.
2 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
3 Tireoide: Glândula endócrina altamente vascularizada, constituída por dois lobos (um em cada lado da TRAQUÉIA) unidos por um feixe de tecido delgado. Secreta os HORMÔNIOS TIREOIDIANOS (produzidos pelas células foliculares) e CALCITONINA (produzida pelas células para-foliculares), que regulam o metabolismo e o nível de CÁLCIO no sangue, respectivamente.
4 Hipertireoidismo: Doença caracterizada por um aumento anormal da atividade dos hormônios tireoidianos. Pode ser produzido pela administração externa de hormônios tireoidianos (hipertireoidismo iatrogênico) ou pelo aumento de uma produção destes nas glândulas tireóideas. Seus sintomas, entre outros, são taquicardia, tremores finos, perda de peso, hiperatividade, exoftalmia.
5 Diabetes mellitus: Distúrbio metabólico originado da incapacidade das células de incorporar glicose. De forma secundária, podem estar afetados o metabolismo de gorduras e proteínas.Este distúrbio é produzido por um déficit absoluto ou relativo de insulina. Suas principais características são aumento da glicose sangüínea (glicemia), poliúria, polidipsia (aumento da ingestão de líquidos) e polifagia (aumento da fome).
6 Fígado: Órgão que transforma alimento em energia, remove álcool e toxinas do sangue e fabrica bile. A bile, produzida pelo fígado, é importante na digestão, especialmente das gorduras. Após secretada pelas células hepáticas ela é recolhida por canalículos progressivamente maiores que a levam para dois canais que se juntam na saída do fígado e a conduzem intermitentemente até o duodeno, que é a primeira porção do intestino delgado. Com esse canal biliar comum, chamado ducto hepático, comunica-se a vesícula biliar através de um canal sinuoso, chamado ducto cístico. Quando recebe esse canal de drenagem da vesícula biliar, o canal hepático comum muda de nome para colédoco. Este, ao entrar na parede do duodeno, tem um músculo circular, designado esfíncter de Oddi, que controla o seu esvaziamento para o intestino.
7 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
8 Febre: É a elevação da temperatura do corpo acima dos valores normais para o indivíduo. São aceitos como valores de referência indicativos de febre: temperatura axilar ou oral acima de 37,5°C e temperatura retal acima de 38°C. A febre é uma reação do corpo contra patógenos.
9 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
10 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
11 Tuberculose: Doença infecciosa crônica produzida pelo bacilo de Koch (Mycobacterium tuberculosis). Produz doença pulmonar, podendo disseminar-se para qualquer outro órgão. Os sintomas de tuberculose pulmonar consistem em febre, tosse, expectoração, hemoptise, acompanhada de perda de peso e queda do estado geral. Em países em desenvolvimento (como o Brasil) aconselha-se a vacinação com uma cepa atenuada desta bactéria (vacina BCG).
12 Nariz: Estrutura especializada que funciona como um órgão do sentido do olfato e que também pertence ao sistema respiratório; o termo inclui tanto o nariz externo como a cavidade nasal.
13 Peito: Parte superior do tronco entre o PESCOÇO e o ABDOME; contém os principais órgãos dos sistemas circulatório e respiratório. (Tradução livre do original
14 Emergência: 1. Ato ou efeito de emergir. 2. Situação grave, perigosa, momento crítico ou fortuito. 3. Setor de uma instituição hospitalar onde são atendidos pacientes que requerem tratamento imediato; pronto-socorro. 4. Eclosão. 5. Qualquer excrescência especializada ou parcial em um ramo ou outro órgão, formada por tecido epidérmico (ou da camada cortical) e um ou mais estratos de tecido subepidérmico, e que pode originar nectários, acúleos, etc. ou não se desenvolver em um órgão definido.
15 Sintoma: Qualquer alteração da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. O sintoma é a queixa relatada pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
16 Bronquite crônica: Inflamação persistente da mucosa dos brônquios, em geral produzida por tabagismo, e caracterizada por um grande aumento na produção de muco bronquial que produz tosse e expectoração durante pelo menos três meses consecutivos durante dois anos.
17 Asma: Doença das vias aéreas inferiores (brônquios), caracterizada por uma diminuição aguda do calibre bronquial em resposta a um estímulo ambiental. Isto produz obstrução e dificuldade respiratória que pode ser revertida de forma espontânea ou com tratamento médico.
18 Pneumonia: Inflamação do parênquima pulmonar. Sua causa mais freqüente é a infecção bacteriana, apesar de que pode ser produzida por outros microorganismos. Manifesta-se por febre, tosse, expectoração e dor torácica. Em pacientes idosos ou imunodeprimidos pode ser uma doença fatal.
19 Coágulo: 1. Em fisiologia, é uma massa semissólida de sangue ou de linfa. 2. Substância ou produto que promove a coagulação do leite.
20 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
21 Pulmão: Cada um dos órgãos pareados que ocupam a cavidade torácica que tem como função a oxigenação do sangue.
22 Embolia: Impactação de uma substância sólida (trombo, colesterol, vegetação, inóculo bacteriano), líquida ou gasosa (embolia gasosa) em uma região do circuito arterial com a conseqüente obstrução do fluxo e isquemia.
23 Coração: Órgão muscular, oco, que mantém a circulação sangüínea.
24 Sudorese: Suor excessivo
25 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
26 Diarréia: Aumento do volume, freqüência ou quantidade de líquido nas evacuações.Deve ser a manifestação mais freqüente de alteração da absorção ou transporte intestinal de substâncias, alterações estas que em geral são devidas a uma infecção bacteriana ou viral, a toxinas alimentares, etc.
27 Constipação: Retardo ou dificuldade nas defecações, suficiente para causar desconforto significativo para a pessoa. Pode significar que as fezes são duras, difíceis de serem expelidas ou infreqüentes (evacuações inferiores a três vezes por semana), ou ainda a sensação de esvaziamento retal incompleto, após as defecações.
28 Síndrome: Conjunto de sinais e sintomas que se encontram associados a uma entidade conhecida ou não.
29 Cólon:
30 Apatia: 1. Em filosofia, para os céticos e os estoicos, é um estado de insensibilidade emocional ou esmaecimento de todos os sentimentos, alcançado mediante o alargamento da compreensão filosófica. 2. Estado de alma não suscetível de comoção ou interesse; insensibilidade, indiferença. 3. Em psicopatologia, é o estado caracterizado por indiferença, ausência de sentimentos, falta de atividade e de interesse. 4. Por extensão de sentido, é a falta de energia (física e moral), falta de ânimo; abatimento, indolência, moleza.
31 Anemia: Condição na qual o número de células vermelhas do sangue está abaixo do considerado normal para a idade, resultando em menor oxigenação para as células do organismo.
32 Hipoglicemia: Condição que ocorre quando há uma queda excessiva nos níveis de glicose, freqüentemente abaixo de 70 mg/dL, com aparecimento rápido de sintomas. Os sinais de hipoglicemia são: fome, fadiga, tremores, tontura, taquicardia, sudorese, palidez, pele fria e úmida, visão turva e confusão mental. Se não for tratada, pode levar ao coma. É tratada com o consumo de alimentos ricos em carboidratos como pastilhas ou sucos com glicose. Pode também ser tratada com uma injeção de glucagon caso a pessoa esteja inconsciente ou incapaz de engolir. Também chamada de reação à insulina.
33 Desidratação: Perda de líquidos do organismo pelo aumento importante da freqüência urinária, sudorese excessiva, diarréia ou vômito.
34 Efeitos colaterais: 1. Ação não esperada de um medicamento. Ou seja, significa a ação sobre alguma parte do organismo diferente daquela que precisa ser tratada pelo medicamento. 2. Possível reação que pode ocorrer durante o uso do medicamento, podendo ser benéfica ou maléfica.
35 Náuseas: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc .
36 Vômitos: São a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Podem ser classificados em: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
37 Edema: 1. Inchaço causado pelo excesso de fluidos no organismo. 2. Acúmulo anormal de líquido nos tecidos do organismo, especialmente no tecido conjuntivo.
38 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
39 Refluxo gastroesofágico: Presença de conteúdo ácido proveniente do estômago na luz esofágica. Como o dito órgão não está adaptado fisiologicamente para suportar a acidez do suco gástrico, pode ser produzida inflamação de sua mucosa (esofagite).
40 Pâncreas: Órgão nodular (no ABDOME) que abriga GLÂNDULAS ENDÓCRINAS e GLÂNDULAS EXÓCRINAS. A pequena porção endócrina é composta pelas ILHOTAS DE LANGERHANS, que secretam vários hormônios na corrente sangüínea. A grande porção exócrina (PÂNCREAS EXÓCRINO) é uma glândula acinar composta, que secreta várias enzimas digestivas no sistema de ductos pancreáticos (que desemboca no DUODENO).
41 Enxaqueca: Sinônimo de migrânea. É a cefaléia cuja prevalência varia de 10 a 20% da população. Ocorre principalmente em mulheres com uma proporção homem:mulher de 1:2-3. As razões para esta preponderância feminina ainda não estão bem entendidas, mas suspeita-se de alguma relação com o hormônio feminino. Resulta da pressão exercida por vasos sangüíneos dilatados no tecido nervoso cerebral subjacente. O tratamento da enxaqueca envolve normalmente drogas vaso-constritoras para aliviar esta pressão. No entanto, esta medicamentação pode causar efeitos secundários no sistema circulatório e é desaconselhada a pessoas com problemas cardiológicos.
42 Sinal: 1. É uma alteração percebida ou medida por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida. 2. Som ou gesto que indica algo, indício. 3. Dinheiro que se dá para garantir um contrato.
43 Retina: Parte do olho responsável pela formação de imagens. É como uma tela onde se projetam as imagens: retém as imagens e as traduz para o cérebro através de impulsos elétricos enviados pelo nervo óptico. Possui duas partes: a retina periférica e a mácula.
44 Visão: 1. Ato ou efeito de ver. 2. Percepção do mundo exterior pelos órgãos da vista; sentido da vista. 3. Algo visto, percebido. 4. Imagem ou representação que aparece aos olhos ou ao espírito, causada por delírio, ilusão, sonho; fantasma, visagem. 5. No sentido figurado, concepção ou representação, em espírito, de situações, questões etc.; interpretação, ponto de vista. 6. Percepção de fatos futuros ou distantes, como profecia ou advertência divina.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Clínica Médica?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.

Comentários

24/05/2013 - Comentário feito por ADILZA
Re: Prevenção em saúde: sete sinais e sintomas que não devem ser ignorados
PARABÉNS PELO ARTIGO,
CREIO QUE ESTAS ORIENTAÇÕES PODERÃO AJUDAR MUITAS PESSOAS...

20/01/2012 - Comentário feito por Marilene
Re: Prevenção em saúde: sete sinais e sintomas que não devem ser ignorados
Muito legal suas dicas,foi de grande valia para mim,estava precisando desses conselhos,a saúde deve ser como uma perola preciosa, bem guardada, cuidada. As vezes evitamos acontecer algumas coisas conosco,porque procuramos nos informar melhor. Vc,esta de parabéns, continue com este trabalho, esta ajudando muitas vidas. Fico esperando a proxima.

23/08/2011 - Comentário feito por Ana
Re: Prevenção em saúde: sete sinais e sintomas que não devem ser ignorados
Muito obrigada pelas dicas, se todo bom profissional de saúde como você, se preocupace um pouco que fosse com esta população tão carente de atendimentos profissionais, não estariamos vivendo este caos na saúde publica, ou seja dicas de saúde tambem faz parte da prevenção. Obrigada mas uma vez, e parabéns!

28/07/2011 - Comentário feito por ligia
Re: Prevenção em saúde: sete sinais e sintomas que não devem ser ignorados
Todo profissional da saúde deveria enviar aos pacientes e amigos, informações importantes sobre o funcionamento do nosso organismo. É a medicina preventiva! Obrigada Dr. Evaldo e continue nos informando sobre nosso corpo, seu funcionamento, e quando "ele" nos avisa que precisamos descobrir o que está acontecendo de errado para que volte a funcionar normalmente.

21/07/2011 - Comentário feito por marina
Re: Prevenção em Saúde: sete sinais e sintomas que não devem ser ignorados
Muito útil essa matéria. Parabéns!Nós brasileiros precisamos muito dessas informações,por que nos consultorios médicos fica difícel esses esclarecimentos.Embora eu seja muito curiosa e estou querendo saber alguma coisa com meus médicos no que sou sempre bem atendida, mas assim como essa matéria, nesse trabalho de voces é muito mais produtivo.muito obrigada pelos esclarecimentos.

20/07/2011 - Comentário feito por lourdes
Re: Prevenção em Saúde: sete sinais e sintomas que não devem ser ignorados
muito bom este artigo,cada dia nos alertam para termos o devido cuidado com nossa saúde.Muito Obrigado!

  • Entrar
  • Assinar