Gostou do artigo? Compartilhe!

Circulação linfática - como ela acontece no seu corpo?

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que é a linfa1?

A linfa1 é um fluido transparente, produzido quando o sangue2 atravessa os capilares3 sanguíneos e vaza para o espaço intercelular4 dos tecidos do corpo. Os poros desses capilares3 permitem a passagem do plasma sanguíneo5 contendo oxigênio, proteínas6, glicose7 e glóbulos brancos, mas não deixam passar os glóbulos vermelhos. Por isso, a linfa1 é incolor e não de um vermelho rutilante como o sangue2.

A circulação8 da linfa1 é responsável pela eliminação de impurezas que as células9 produzem durante seu metabolismo10 e, assim, faz parte do sistema de defesa do organismo. Embora possa não parecer, a linfa1 é mais abundante no corpo humano11 do que o sangue2.

Leia sobre "Filariose ou elefantíase" e "Ínguas ou linfadenopatias".

O que é circulação linfática12?

A circulação linfática12 é o caminho que a linfa1 percorre desde a sua constituição até seu retorno à circulação8 sanguínea. A linfa1 é transportada pelos vasos linfáticos em sentido unidirecional e filtrada pelos vários gânglios linfáticos13 (também conhecidos como linfonodos14 ou nódulos linfáticos) que existem ao longo da cadeia linfática, após o que é lançada de volta no sangue2, desembocando nas grandes veias15 torácicas.

Para que esse circuito se realize, o líquido que sai dos capilares3 sanguíneos e se dispersa pelo espaço intercelular4 é recolhido pelos capilares3 linfáticos e daí passam para os vasos linfáticos cada vez mais grossos, os quais convergem para dutos que se esvaziam nas veias15 subclávias.

Como se processa a circulação linfática12?

Os capilares3 linfáticos são dotados de alta permeabilidade16, permitindo que sejam captadas proteínas6, cristaloides e água. O sistema circulatório17 linfático18 carreia o material coletado e o faz circular até seu retorno à corrente sanguínea. Contudo, esse sistema circulatório17 não possui uma bomba central, como o coração19 e, portanto, a circulação8 da linfa1 depende da ação de agentes intrínsecos e extrínsecos.

A linfa1 move-se lentamente e sob baixa pressão: ao longo de 24 horas apenas cerca de 3 litros dela entram no sistema circulatório17 linfático18. No interior dos ductos linfáticos, a linfa1 é impulsionada adiante pela ação de estruturas anatômicas adjacentes ou de forças externas, sobretudo contrações musculares, pulsações das artérias20, gravidade, movimentos passivos, massagem, peristaltismo21 visceral e movimentos respiratórios.

A circulação linfática12, que se dá por vasos próprios, começa e termina na circulação8 sanguínea. Ao longo dos vasos linfáticos há válvulas unidirecionais e inúmeros gânglios linfáticos13, conglomerados de células9 nos quais se concentram sobretudo os linfócitos de defesa.

Quais são as funções da circulação linfática12?

Pode-se considerar que o sistema linfático22 cumpre três funções interdependentes:

  1. Remoção dos fluidos em excesso dos tecidos corporais.
  2. Absorção dos ácidos graxos e subsequente transporte da gordura23 para o sistema circulatório17.
  3. Produção de células9 de defesa imunes, como linfócitos, monócitos24 e plasmócitos.

Se o sistema linfático22 não cumpre adequadamente a função de drenar o excesso de líquido intercelular ou se seus vasos estão obstruídos, um dos resultados é o edema25 da região por eles drenada. A linfa1 e a circulação linfática12, juntamente com os demais órgãos linfáticos, são responsáveis pela eliminação de impurezas que as células9 produzem durante seu metabolismo10 e, assim, fazem parte do sistema de defesa orgânica. Os gânglios linfáticos13, além de outros órgãos do sistema imunológico26, como as amígdalas27 e o baço28, por exemplo, produzem linfócitos, células9 de defesa que penetram na circulação8 principalmente através dos vasos linfáticos.

Quais são as consequências da obstrução da circulação linfática12?

Os vasos linfáticos periféricos são de muito pequeno calibre e podem, com relativa facilidade, serem obstruídos por uma série de razões. Quando isso ocorre, a consequência mais chamativa é um edema25 duro e frio da região drenada por eles, chamado linfedema. Isso ocorre mais frequentemente nos membros inferiores ou superiores, mas pode acontecer em outras partes do corpo.

A pessoa pode nascer com obstrução linfática (linfedema primário) ou adquiri-la secundariamente. A mastectomia29 [retirada da(s) mama30(s)] é uma causa comum de obstrução linfática dos membros superiores porque durante a maioria das cirurgias realizadas para a remoção do câncer31 de mama30, os cirurgiões também retiram tecido32 linfático18 das axilas, por onde passam os líquidos que drenam do braço. Se os linfonodos14 dessa área forem removidos, poderá haver obstrução linfática e inchaço33 no braço.

Outras causas de obstrução da circulação linfática12 podem ser infecções34 por parasitas (filariose, por exemplo), traumas, tumores, radiações, cirurgia, infecções34 da pele35 como a celulite36, etc. Em qualquer caso, a obstrução linfática é uma doença crônica na maioria das pessoas e é provável que demande necessário tratamento do inchaço33 por toda a vida.

Veja mais sobre "Massagem", "Edema25 ou inchaço33", "Linfedema ou elefantíase", "Celulite36" e "Drenagem37 linfática".

 

ABCMED, 2017. Circulação linfática - como ela acontece no seu corpo?. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/1299953/circulacao+linfatica+como+ela+acontece+no+seu+corpo.htm>. Acesso em: 14 jul. 2020.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Linfa: 1. Pode referir-se à água, especialmente a límpida, no uso formal. 2. Líquido orgânico originado do sangue, composto de proteínas e lipídios, que circula nos vasos linfáticos e transporta glóbulos brancos, especialmente os linfócitos T. 3. Qualquer humor aquoso.
2 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
3 Capilares: Minúsculos vasos que conectam as arteríolas e vênulas.
4 Espaço Intercelular: Espaço intersticial entre células, preenchido pelo líquido intersticial, bem como, por substâncias amorfas e fibrosas. Para os organismos com uma PAREDE CELULAR, o espaço extracelular, abrange tudo externo à MEMBRANA CELULAR incluindo o PERIPLASMA e a parede celular.
5 Plasma Sanguíneo: Parte que resta do SANGUE, depois que as CÉLULAS SANGÜÍNEAS são removidas por CENTRIFUGAÇÃO (sem COAGULAÇÃO SANGÜÍNEA prévia).
6 Proteínas: Um dos três principais nutrientes dos alimentos. Alimentos que fornecem proteína incluem carne vermelha, frango, peixe, queijos, leite, derivados do leite, ovos.
7 Glicose: Uma das formas mais simples de açúcar.
8 Circulação: 1. Ato ou efeito de circular. 2. Facilidade de se mover usando as vias de comunicação; giro, curso, trânsito. 3. Movimento do sangue, fluxo de sangue através dos vasos sanguíneos do corpo e do coração.
9 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
10 Metabolismo: É o conjunto de transformações que as substâncias químicas sofrem no interior dos organismos vivos. São essas reações que permitem a uma célula ou um sistema transformar os alimentos em energia, que será ultilizada pelas células para que as mesmas se multipliquem, cresçam e movimentem-se. O metabolismo divide-se em duas etapas: catabolismo e anabolismo.
11 Corpo humano: O corpo humano é a substância física ou estrutura total e material de cada homem. Ele divide-se em cabeça, pescoço, tronco e membros. A anatomia humana estuda as grandes estruturas e sistemas do corpo humano.
12 Circulação linfática:
13 Gânglios linfáticos: Estrutura pertencente ao sistema linfático, localizada amplamente em diferentes regiões superficiais e profundas do organismo, cuja função consiste na filtração da linfa, maturação e ativação dos linfócitos, que são elementos importantes da defesa imunológica do organismo.
14 Linfonodos: Gânglios ou nodos linfáticos.
15 Veias: Vasos sangüíneos que levam o sangue ao coração.
16 Permeabilidade: Qualidade dos corpos que deixam passar através de seus poros outros corpos (fluidos, líquidos, gases, etc.).
17 Sistema circulatório: O sistema circulatório ou cardiovascular é formado por um circuito fechado de tubos (artérias, veias e capilares) dentro dos quais circula o sangue e por um órgão central, o coração, que atua como bomba. Ele move o sangue através dos vasos sanguíneos e distribui substâncias por todo o organismo.
18 Linfático: 1. Na histologia, é relativo à linfa, que contém ou que conduz linfa. 2. No sentido figurado, por extensão de sentido, a que falta vida, vigor, energia (diz-se de indivíduo); apático. 3. Na história da medicina, na classificação hipocrática dos quatro temperamentos de acordo com o humor dominante, que ou aquele que, pela lividez das carnes, flacidez dos músculos, apatia e debilidade demonstradas no comportamento, atesta a predominância de linfa.
19 Coração: Órgão muscular, oco, que mantém a circulação sangüínea.
20 Artérias: Os vasos que transportam sangue para fora do coração.
21 Peristaltismo: Conjunto das contrações musculares dos órgãos ocos, provocando o avanço de seu conteúdo; movimento peristáltico, peristalse.
22 Sistema Linfático: Um sistema de órgãos e tecidos que processa e transporta células imunes e LINFA.
23 Gordura: Um dos três principais nutrientes dos alimentos. Os alimentos que fornecem gordura são: manteiga, margarina, óleos, nozes, carnes vermelhas, peixes, frango e alguns derivados do leite. O excesso de calorias é estocado no organismo na forma de gordura, fornecendo uma reserva de energia ao organismo.
24 Monócitos: É um tipo de leucócito mononuclear fagocitário, que se forma na medula óssea e é posteriormente transportado para os tecidos, onde se desenvolve em macrófagos.
25 Edema: 1. Inchaço causado pelo excesso de fluidos no organismo. 2. Acúmulo anormal de líquido nos tecidos do organismo, especialmente no tecido conjuntivo.
26 Sistema imunológico: Sistema de defesa do organismo contra infecções e outros ataques de micro-organismos que enfraquecem o nosso corpo.
27 Amígdalas: Designação comum a vários agregados de tecido linfoide, especialmente o que se situa à entrada da garganta; tonsila.
28 Baço:
29 Mastectomia: Cirurgia através da qual extirpa-se parte ou a totalidade da mama. Pode estar indicada como tratamento do câncer de mama.
30 Mama: Em humanos, uma das regiões pareadas na porção anterior do TÓRAX. As mamas consistem das GLÂNDULAS MAMÁRIAS, PELE, MÚSCULOS, TECIDO ADIPOSO e os TECIDOS CONJUNTIVOS.
31 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
32 Tecido: Conjunto de células de características semelhantes, organizadas em estruturas complexas para cumprir uma determinada função. Exemplo de tecido: o tecido ósseo encontra-se formado por osteócitos dispostos em uma matriz mineral para cumprir funções de sustentação.
33 Inchaço: Inchação, edema.
34 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
35 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
36 Celulite: Inflamação aguda das estruturas cutâneas, incluindo o tecido adiposo subjacente, geralmente produzida por um agente infeccioso e manifestada por dor, rubor, aumento da temperatura local, febre e mal estar geral.
37 Drenagem: Saída ou retirada de material líquido (sangue, pus, soro), de forma espontânea ou através de um tubo colocado no interior da cavidade afetada (dreno).
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Clínica Médica?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.