Atalho: 6YYOH59
Gostou do artigo? Compartilhe!

“Água no joelho”: você tem ou já teve? O que fazer para evitar?

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que é “água no joelho”?

Várias doenças que afetam os joelhos, sobretudo se infecciosas, ocasionam uma coleção de líquido no interior da articulação1, popularmente referida como “água no joelho”. Esse líquido é produzido pela membrana sinovial2 de todas as articulações3, recobre internamente a cápsula articular4 em colaboração com a circulação5 sanguínea e é chamado líquido sinovial6. Ele é um líquido viscoso que tem como principais funções lubrificar as extremidades ósseas e amortecer os impactos de umas contra as outras, além de participar da nutrição7 das peças articulares. Quando afetadas por quaisquer doenças, as membranas sinoviais passam a fabricá-lo em excesso, gerando o quadro clínico da chamada “água no joelho”. Mas não há somente um aumento na quantidade, mas também há uma alteração na qualidade e características físicas desse líquido.

Quais são os principais sinais8 e sintomas9 da “água no joelho”?

Normalmente, a articulação do joelho10 torna-se globosa, aumentada de tamanho e frequentemente exibe sinais8 de inflamação11 (inchaço12, dor, vermelhidão e calor). O derrame13 articular pode dar-se de forma lenta ou repentina, conforme a sua causa. Dobrar o joelho torna-se um problema e o andar pode ficar muito prejudicado ou mesmo impedido. Nos casos mais intensos até mesmo o ficar de pé pode ser muito difícil.

Quais são as principais causas de “água no joelho”?

Em geral, a "água no joelho" aparece após algum traumatismo14 no joelho (torções, pancadas, etc.), afetando cartilagens15 ou meniscos16. Os atletas (profissionais ou amadores) são os que mais sofrem com esse problema, mas doenças locais como as artroses, artrites, gota17, sinovites, por exemplo, ou sistêmicas, como a infecção18 intestinal por salmonelose, parasitose intestinal, infecção18 geniturinária como a gonorreia19, etc., também podem levar a esse problema.

Como o médico diagnostica a “água no joelho”?

O reconhecimento da “água no joelho” é clínico, dado pela constatação de um edema20 flutuante. “Água no joelho” não é doença, mas sim um sintoma21 de alguma doença que precisa ser diagnosticada. Muitas vezes, esse diagnóstico22 requer o exame do derrame13 articular para pesquisar a sua causa. A maneira de fazer isso é colher a “água” com seringas e agulhas apropriadas e examiná-la em laboratório. Por esse meio pode também ser feita uma biópsia23 que, em alguns casos, ajuda a determinar a natureza do problema.

Água no joelho

Como o médico trata a “água no joelho”?

Com o tratamento da lesão24 causal, o líquido no interior da articulação1 tende a ir se reabsorvendo, mas algumas vezes (se é muito volumoso, incomodativo ou se causa dor) ele tem de ser retirado por artrocentese (extração do líquido feita por meio de uma seringa25 especial). Por esse mesmo meio, pode ser injetado um corticoide ou outra medicação que evite que o líquido volte a aparecer ou novamente cause dor.

Dependendo da causa, o tratamento da “água no joelho” pode ser fácil e rápido ou demorar um pouco mais. É recomendável não fazer atividades violentas ou carregar peso. Mesmo o caminhar deve ser reduzido ao mínimo possível. Deve-se aplicar gelo por cerca de quinze a vinte minutos a cada três horas.

Como prevenir a “água no joelho”?

  • Sempre alongar os músculos26 das pernas antes de iniciar as atividades físicas.
  • Evitar o excesso de peso.
  • Não forçar o joelho em exercícios ou atividades cotidianas.
  • Fazer exercícios que fortaleçam os músculos26 que sustentam a articulação do joelho10.
ABCMED, 2013. “Água no joelho”: você tem ou já teve? O que fazer para evitar?. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/sinais.-sintomas-e-doencas/352784/agua-no-joelho-voce-tem-ou-ja-teve-o-que-fazer-para-evitar.htm>. Acesso em: 17 nov. 2019.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Articulação: 1. Ponto de contato, de junção de duas partes do corpo ou de dois ou mais ossos. 2. Ponto de conexão entre dois órgãos ou segmentos de um mesmo órgão ou estrutura, que geralmente dá flexibilidade e facilita a separação das partes. 3. Ato ou efeito de articular-se. 4. Conjunto dos movimentos dos órgãos fonadores (articuladores) para a produção dos sons da linguagem.
2 Membrana Sinovial: Membrana interna de uma cápsula articular, que reveste uma articulação móvel e livre. É frouxamente ligada à cápsula fibrosa externa e secreta LÍQUIDO SINOVIAL. Sinônimos: Sinovium; Sinóvio
3 Articulações:
4 Cápsula articular: É uma membrana conjuntiva que envolve as articulações sinoviais, sendo constituída por duas camadas, uma externa ou fibrosa e outra interna ou sinovial.
5 Circulação: 1. Ato ou efeito de circular. 2. Facilidade de se mover usando as vias de comunicação; giro, curso, trânsito. 3. Movimento do sangue, fluxo de sangue através dos vasos sanguíneos do corpo e do coração.
6 Líquido sinovial: Gel viscoso e transparente que lubrifica as estruturas que banha, minorando o atrito entre elas. Ele é encontrado na cavidade da cápsula articular.
7 Nutrição: Incorporação de vitaminas, minerais, proteínas, lipídios, carboidratos, oligoelementos, etc. indispensáveis para o desenvolvimento e manutenção de um indivíduo normal.
8 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
9 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
10 Articulação do joelho:
11 Inflamação: Conjunto de processos que se desenvolvem em um tecido em resposta a uma agressão externa. Incluem fenômenos vasculares como vasodilatação, edema, desencadeamento da resposta imunológica, ativação do sistema de coagulação, etc.Quando se produz em um tecido superficial (pele, tecido celular subcutâneo) pode apresentar tumefação, aumento da temperatura local, coloração avermelhada e dor (tétrade de Celso, o cientista que primeiro descreveu as características clínicas da inflamação).
12 Inchaço: Inchação, edema.
13 Derrame: Conhecido popularmente como derrame cerebral, o acidente vascular cerebral (AVC) ou encefálico é uma doença que consiste na interrupção súbita do suprimento de sangue com oxigênio e nutrientes para o cérebro, lesando células nervosas, o que pode resultar em graves conseqüências, como inabilidade para falar ou mover partes do corpo. Há dois tipos de derrame, o isquêmico e o hemorrágico.
14 Traumatismo: Lesão produzida pela ação de um agente vulnerante físico, químico ou biológico e etc. sobre uma ou várias partes do organismo.
15 Cartilagens: Tecido resistente e flexível, de cor branca ou cinzenta, formado de grandes células inclusas em substância que apresenta tendência à calcificação e à ossificação.
16 Meniscos: 1. Figura composta por uma parte côncava e outra convexa; objeto em forma de crescente, de meia-lua. 2. Na anatomia geral, é uma lâmina fibrocartilaginosa, em forma de crescente, interposta entre duas superfícies articulares (como o joelho) para facilitar seu deslizamento. 3. Na física dos fluidos, é a superfície de um líquido contido em um tubo capilar, côncava ou convexa segundo a tensão superficial. 4. Em óptica, é uma lente de forma convexo-côncava ou côncavo-convexa, cujas bordas têm espessura menor que a parte central.
17 Gota: 1. Distúrbio metabólico produzido pelo aumento na concentração de ácido úrico no sangue. Manifesta-se pela formação de cálculos renais, inflamação articular e depósito de cristais de ácido úrico no tecido celular subcutâneo. A inflamação articular é muito dolorosa e ataca em crises. 2. Pingo de qualquer líquido.
18 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
19 Gonorreia: Infecção bacteriana que compromete o trato genital, produzida por uma bactéria chamada Neisseria gonorrhoeae. Produz uma secreção branca amarelada que sai pela uretra juntamente com ardor ao urinar. É uma causa de infertilidade masculina.Em mulheres, a infecção pode não ser aparente. Se passar despercebida, pode se tornar crônica e ascender, atingindo os anexos uterinos (trompas, útero, ovários) e causar Doença Inflamatória Pélvica e mesmo infertilidade feminina.
20 Edema: 1. Inchaço causado pelo excesso de fluidos no organismo. 2. Acúmulo anormal de líquido nos tecidos do organismo, especialmente no tecido conjuntivo.
21 Sintoma: Qualquer alteração da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. O sintoma é a queixa relatada pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
22 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
23 Biópsia: 1. Retirada de material celular ou de um fragmento de tecido de um ser vivo para determinação de um diagnóstico. 2. Exame histológico e histoquímico. 3. Por metonímia, é o próprio material retirado para exame.
24 Lesão: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
25 Seringa: Dispositivo usado para injetar medicações ou outros líquidos nos tecidos do corpo. A seringa de insulina é formada por um tubo plástico com um êmbolo e uma agulha pequena na ponta.
26 Músculos: Tecidos contráteis que produzem movimentos nos animais.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Ortopedia e Traumatologia?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.

Comentários

17/05/2018 - Comentário feito por Cícero
Parabéns pelo artigo, muito útil ...
Parabéns pelo artigo, muito útil e esclarecedor!

02/03/2015 - Comentário feito por Flaubert
Muito obrigado! Ajudou muito este artigo irei a...
Muito obrigado! Ajudou muito este artigo irei amanha mesmo ao médico especializado.

12/01/2015 - Comentário feito por Fatima
Ótimo artigo, Muito me ajudou esclarecen...
Ótimo artigo, Muito me ajudou esclarecendo a respeito do derrame articular do joelho, visto que estou passando por esse problema e quero obter muitas informações sobre as causas e de como devemos nos cuidar, é muito dolorosa tem dias que mal consigo movimentar a perna com o joelho inchado.

Parabéns pelo artigo!

03/12/2014 - Comentário feito por Patricia
Muito bom o artigo acima!
Claro e objetivo...
Muito bom o artigo acima!
Claro e objetivo, além de ser completo. Estou com água no joelho e gostaria de entender melhor do que se tratava o problema e ao ler o artigo consegui entender facilmente.

Caí durante prática de esporte e senti muita dor no joelho. De acordo com meu médico estou com derrame articular e ele pediu que eu não pisasse sequer o pé no chão para ão forçar o joelho. Devo evitar me movimentar além de tomar uns anti-inflamatórios durante 5 dias. Ao verificar o raio-x ele disse também que tenho princípio de artrose. Ao ler o artigo pude entender que pode ser uma das causas da água no meu joelho.

Parabéns pelo artigo.

30/03/2014 - Comentário feito por Jorge
Re: “Água no joelho”: você tem ou já teve? O que fazer para evitar?
Quanto tempo demora a recuperação depois de retirar a água do joelho? Esta pequena cirurgia tem anestesina local ou geral? É necessário hospitalização? Aguardo resposta e obrigado.

13/01/2014 - Comentário feito por Daniele
Re: “Água no joelho”: você tem ou já teve? O que fazer para evitar?
Preciso de ajuda eu tenho água no joelho e não consigo andar. Me ajude com um tratamento que eu possa fazer em casa.

29/11/2013 - Comentário feito por somar
Re: “Água no joelho”: você tem ou já teve? O que fazer para evitar?
ola ,pois joelho com agua realmente tem varios fatores pancada , acido urico , infeccao urinaria tambem podem causar agua no joelho

  • Entrar
  • Assinar