Atalho: 6RWEXJ3
Gostou do artigo? Compartilhe!

Cinetose ou enjoo de viagem. Como lidar com ela?

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que é cinetose1?

Cinetose1 é uma alteração do sistema vestibular2 (sistema de equilíbrio do organismo) provocada por uma movimentação não habitual do corpo quando se anda em qualquer meio de transporte (trem, ônibus, avião, navio etc.), e que se caracteriza pela sensação de enjoo, náusea3 e intenso desconforto, com ou sem vômitos4. Esse mal-estar pode também surgir ao andar a pé, utilizar esteira ou mesmo assistir cenas de movimento, bem como pode ser desencadeado por filmes e programas de televisão que tenham muitas cores brilhantes e alterações de foco. Os efeitos em geral ocorrem ainda durante a atividade que os desencadeia e serem agravados pela continuidade dela, mas podem apenas surgir horas depois. Esta condição afeta tanto crianças quanto adultos, porém com a evolução da idade tende a se minimizar ou desaparecer por completo.

Quais são as causas da cinetose1?

A cinetose1 ocorre quando o cérebro5 recebe informações de movimentos desconexas de três sistemas: visão6, ouvido interno7 (labirinto8) e propriocepção9 (capacidade do cérebro5 reconhecer a localização espacial do corpo mediante receptores sensitivos localizados na pele10, músculos11, tendões12 e articulações13). As três vias de informação em geral trabalham sinergicamente, mas como num transporte estamos "parados" em relação ao veículo e ao mesmo tempo em movimento em relação ao exterior, isto pode causar confusão ao cérebro5, bombardeado por informações contraditórias. A cinetose1 corresponde, pois, a uma dificuldade do cérebro5 em interpretar o real estado de estática ou movimentação do corpo. A sensibilidade à cinetose1 é individual e em parte transmitida geneticamente.

Quais são os sinais14 e sintomas15 da cinetose1?

Em geral, antes do enjoo aparecer, a pessoa começa a bocejar. Em seguida vêm o enjoo e a náusea3, podendo mesmo chegar aos vômitos4. A cinetose1 pode acarretar perda de equilíbrio, sudorese16, nistagmo17 (oscilações repetidas e involuntárias rítmicas dos olhos18), cefaleias19, visão6 turva, palidez, distúrbios de memória, vertigens20, fadiga21, perda da noção de profundidade e sensação de que as coisas estão rodando.

Como o médico diagnostica a cinetose1?

A cinetose1 é muitas vezes confundida com labirintite22, no entanto é uma condição diferente dela. O diagnóstico23 é feito tanto pelo relato da história clínica quanto por meio de determinados testes. O otorrinolaringologista é o profissional habilitado para fazer o diagnóstico23 correto da cinetose1.

Como o médico trata a cinetose1?

O tratamento é feito à base de medicamentos que diminuem ou inibem a sensibilidade do sistema vestibular2. Tais remédios atuam melhor quando utilizados preventivamente que depois de estabelecidos os sintomas15. Adicionalmente, ele pode também ser feito através de reabilitação vestibular24 (exercícios que estimulem o equilíbrio), orientados pelo médico.

Como prevenir a cinetose1?

Você pode adotar algumas medidas que podem ajudar a evitar a cinetose1 durante as viagens:

 

  • Em automóveis, sente-se no banco da frente ou próximo de janelas
  • Mantenha abertas as janelas do veículo
  • Em trens ou bondes, procure não viajar de costas25
  • Durante viagem, focalize-se em paisagens distantes
  • Procure olhar sempre para frente; evite olhar para os lados
  • Evite ler ou usar coisas como um laptop com o veículo em movimento
  • Não ingira alimentos pesados antes de viajar, mas não fique de estômago26 vazio. Dê preferência para alimentos sólidos
  • Não viaje de pé em ônibus
  • Em avião, sente-se próximo ao corredor
  • Evite brinquedos que girem ou virem de ponta-cabeça27
  • Evite ingerir bebidas alcoólicas antes de viagens

 

Como evolui a cinetose1?

A cinetose1 pode ocorrer em crianças (principalmente de sexo feminino) e adultos, mas tende a minorar ou desaparecer com a evolução da idade.

ABCMED, 2012. Cinetose ou enjoo de viagem. Como lidar com ela?. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/sinais.-sintomas-e-doencas/331450/cinetose-ou-enjoo-de-viagem-como-lidar-com-ela.htm>. Acesso em: 21 out. 2020.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Cinetose: Doença do movimento. Acomete pessoas que em determinadas condições de movimento apresentam manifestações neurovegetativas caracterizadas por tonturas, náuseas e vômitos.Está relacionada com a enxaqueca. Crianças e jovens com esse tipo de problema, geralmente, na idade adulta ou na puberdade, têm crises de enxaqueca. É causada por uma perturbação no reconhecimento do movimento feito pelo sistema vestibular, pois o corpo está parado, mas o ambiente está em movimento, gerando conflito de informações e perturbação do equilíbrio corporal.
2 Sistema vestibular: O sistema vestibular é um dos sistemas que participam do equilíbrio do corpo. Ele contribui para três funções principais: controle do equilíbrio, orientação espacial e estabilização da imagem.
3 Náusea: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc.
4 Vômitos: São a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Podem ser classificados em: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
5 Cérebro: Derivado do TELENCÉFALO, o cérebro é composto dos hemisférios direito e esquerdo. Cada hemisfério contém um córtex cerebral exterior e gânglios basais subcorticais. O cérebro inclui todas as partes dentro do crânio exceto MEDULA OBLONGA, PONTE e CEREBELO. As funções cerebrais incluem as atividades sensório-motora, emocional e intelectual.
6 Visão: 1. Ato ou efeito de ver. 2. Percepção do mundo exterior pelos órgãos da vista; sentido da vista. 3. Algo visto, percebido. 4. Imagem ou representação que aparece aos olhos ou ao espírito, causada por delírio, ilusão, sonho; fantasma, visagem. 5. No sentido figurado, concepção ou representação, em espírito, de situações, questões etc.; interpretação, ponto de vista. 6. Percepção de fatos futuros ou distantes, como profecia ou advertência divina.
7 Ouvido interno: Atualmente denominado orelha interna está localizado na porção petrosa do osso temporal, recebe terminações nervosas do nervo coclear e vestibular, sendo parte essencial dos órgãos da audição e equilíbrio. É constituído de três estruturas: labirinto membranoso (endolinfático), labirinto ósseo (perilinfático) e cápsula ótica.
8 Labirinto: 1. Vasta construção de passagens ou corredores que se entrecruzam de tal maneira que é difícil encontrar um meio ou um caminho de saída. 2. Anatomia: conjunto de canais e cavidades entre o tímpano e o canal auditivo, essencial para manter o equilíbrio físico do corpo. 3. Sentido figurado: coisa complicada, confusa, de difícil solução. Emaranhado, imbróglio.
9 Propriocepção: Também denominada de cinestesia, é a capacidade em reconhecer a localização espacial do corpo, sua posição e orientação, a força exercida pelos músculos e a posição de cada parte do corpo em relação às demais, sem utilizar a visão. Esta percepção permite a manutenção do equilíbrio postural e a realização de diversas atividades. Ela resulta da interação das fibras musculares que trabalham para manter o corpo na sua base de sustentação, de informações táteis e do sistema vestibular, localizado no ouvido interno.
10 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
11 Músculos: Tecidos contráteis que produzem movimentos nos animais.
12 Tendões: Tecidos fibrosos pelos quais um músculo se prende a um osso.
13 Articulações:
14 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
15 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
16 Sudorese: Suor excessivo
17 Nistagmo: Movimento involuntário, rápido e repetitivo do globo ocular. É normal dentro de certos limites diante da mudança de direção do olhar horizontal. Porém, pode expressar doenças neurológicas ou do sistema de equilíbrio.
18 Olhos:
19 Cefaléias: Sinônimo de dor de cabeça. Este termo engloba todas as dores de cabeça existentes, ou seja, enxaqueca ou migrânea, cefaléia ou dor de cabeça tensional, cefaléia cervicogênica, cefaléia em pontada, cefaléia secundária a sinusite, etc... são tipos dentro do grupo das cefaléias ou dores de cabeça. A cefaléia tipo tensional é a mais comum (acomete 78% da população), seguida da enxaqueca ou migrânea (16% da população).
20 Vertigens: O termo vem do latim “vertere” e quer dizer rodar. A definição clássica de vertigem é alucinação do movimento. O indivíduo vê os objetos do ambiente rodarem ao seu redor ou seu corpo rodar em relação ao ambiente.
21 Fadiga: 1. Sensação de enfraquecimento resultante de esforço físico. 2. Trabalho cansativo. 3. Redução gradual da resistência de um material ou da sensibilidade de um equipamento devido ao uso continuado.
22 Labirintite: Doença que pode acometer tanto o equilíbrio, quanto a parte auditiva. Os órgãos responsáveis pelo equilíbrio e pela audição estão situados no ouvido interno e se comunicam com o sistema nervoso central através dos nervos da audição e do nervo vestibular. Doenças infecciosas, inflamatórias, tumorais e alterações genéticas podem ocasionar alterações nessas estruturas anatômicas. Além da vertigem, a labirintite pode apresentar manifestações neurovegetativas - náuseas, vômitos, sudorese e alterações gastrintestinais como também estar associada a manifestações auditivas - perda de audição, sensação de ouvido cheio ou tapado e zumbido.
23 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
24 Vestibular: 1. O sistema vestibular é um dos sistemas que participam do equilíbrio do corpo. Ele contribui para três funções principais: controle do equilíbrio, orientação espacial e estabilização da imagem. Sintomas vestibulares são aqueles que mostram alterações neste sistema. 2. Exame que aprova e classifica os estudantes a serem admitidos nos cursos superiores.
25 Costas:
26 Estômago: Órgão da digestão, localizado no quadrante superior esquerdo do abdome, entre o final do ESÔFAGO e o início do DUODENO.
27 Cabeça:
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Gastroenterologia?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.