Atalho: 6LZJPGD
Gostou do artigo? Compartilhe!

Lesão por esforço repetitivo ou L.E.R.

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que é a lesão1 por esforço repetitivo (L.E.R.)?

 Em toda máquina, o desgaste de uma peça acaba por comprometer o funcionamento da máquina inteira. Também é assim com a “máquina” humana. De uma maneira prática, isso é o que acontece com as pessoas quando têm L.E.R.. O desgaste em uma determinada “peça” do corpo, causada pela repetição de um mesmo movimento durante longo período de tempo, leva a lesões2 musculares e desgaste nos nervos e nas articulações3, causando dores e inflamações4. A L.E.R. é uma síndrome5 dolorosa e de incapacidade funcional, localizada nos membros superiores e causada pelo uso deles em tarefas que implicam repetição.

Ao longo do tempo, tem sido conhecida por diversas denominações: "Doença dos Quibes", "Entorse6 das Lavadeiras", L.T.C. (Lesão1 por Trauma Cumulativo), D.O.R.T. (Distúrbio Osteomuscular Relacionado ao Trabalho), Síndrome5 do Túnel do Carpo, Tenossinovite, Lesão1 Traumática Repetitiva, Tendinite7. Tecnicamente, o mais correto seria chamá-la Síndrome5 da Dor Regional. Contudo, a denominação L.E.R. é que ganhou o uso popular e traduz bem do que se trata.

A L.E.R. não é propriamente uma doença, mas uma síndrome5 que afeta músculos8, nervos e tendões9 dos membros superiores. Ela se desenvolve quase imperceptivelmente, o que leva as pessoas a não se prevenirem, pois só a percebem quando já existe um grande comprometimento da área afetada. Atualmente as profissões mais afetadas são digitadores, costureiras, motoristas, pianistas, esportistas, pessoas que trabalham em linhas de montagem e produção, que operam britadeiras ou que fazem trabalhos manuais como, por exemplo, tricô e crochê.

Quais as causas da lesão1 por esforço repetitivo (L.E.R.)?

A L.E.R. é causada ou desencadeada por:

  • Movimentos repetitivos prolongados.
  • Postura inadequada por longo tempo.
  • Atividades que exijam força excessiva com as mãos10.
  • Atividades esportivas que exijam grande esforço dos braços, como jogar tênis, por exemplo.
  • Mobiliário ergonomicamente incorreto.
  • Choques e impactos constantes.
  • Pressão mecânica sobre regiões do corpo.
  • Estado de ânimo estressado.

Ao que parece, as doenças causadas por esses fatores não são uma só e a L.E.R. parece ser uma síndrome5 que aparece em várias doenças: tendinite7, síndrome5 do túnel do carpo, tenossinovites, bursite11, mialgias12, síndrome5 do pronador, etc.

Quais são os sinais13 e sintomas14 da lesão1 por efeito repetitivo (L.E.R.)?

A L.E.R. é considerada uma síndrome5 de uma doença ocupacional. O principal sintoma15 é a dor aguda nas partes comprometidas, que se exacerba ao se realizar certo trabalho. Pode haver também formigamentos, insensibilidade, falta de força e dores que dão a sensação de queimadura ou de frio. Em estágios mais avançados, as inflamações4 podem evoluir para um processo degenerativo16 e afetar nervos e vasos sanguíneos17 e a dor pode vir a impedir mesmo tarefas simples como escovar os dentes ou amarrar os sapatos.

Como o médico diagnostica a lesão1 por esforço repetitivo (L.E.R.)?

O diagnóstico18 clínico depende das informações do paciente e de certas manobras que podem ser realizadas pelo médico. O diagnóstico18 diferencial, muitas vezes difícil, deve fazer a diferença entre a L.E.R. e outras condições assemelhadas.

Como o médico trata a lesão1 por esforço repetitivo (L.E.R.)?

Os resultados do tratamento da L.E.R. dependem do estágio em que a doença for diagnosticada. Quanto mais precoce o diagnóstico18, mais rapidamente será iniciado o tratamento e melhores serão os resultados. Dificilmente o tratamento tem resultado significativo depois da condição se tornar crônica. O objetivo do tratamento é evitar os fatores físicos que causaram ou agravaram a L.E.R., ou seja, muitas vezes é necessário o repouso com relação às funções causadoras, por um longo período, o que exige uma combinação de medicamentos e terapia física ou mesmo cirurgia.

Como prevenir a lesão1 por efeito repetitivo (L.E.R.)?

  •  Alongar periodicamente as áreas do corpo mais utilizadas, sobretudo na época do frio.
  • Usar móveis ou instrumentos ergonomicamente apropriados.
  • Fazer pausas durante a realização de suas tarefas.
  • Tomar água pelo menos a cada hora.
  • Fazer ginástica laboral em intervalos regulares, no trabalho.
  • Se possível, revezar as tarefas.
  • Quando assentado, adotar a postura correta e ter um apoio adequado para os pés e para as costas19.
  • Se você trabalha assentado, levante-se de tempos em tempos, ande, espreguice e faça movimentos contrários aos de sua tarefa.
  • Em caso de utilizar as mãos10, tenha um apoio adequado para as mesmas.
ABCMED, 2012. Lesão por esforço repetitivo ou L.E.R.. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/sinais.-sintomas-e-doencas/315900/lesao-por-esforco-repetitivo-ou-l-e-r.htm>. Acesso em: 29 set. 2020.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Lesão: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
2 Lesões: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
3 Articulações:
4 Inflamações: Conjunto de processos que se desenvolvem em um tecido em resposta a uma agressão externa. Incluem fenômenos vasculares como vasodilatação, edema, desencadeamento da resposta imunológica, ativação do sistema de coagulação, etc. Quando se produz em um tecido superficial (pele, tecido celular subcutâneo) pode apresentar tumefação, aumento da temperatura local, coloração avermelhada e dor (tétrade de Celso, o cientista que primeiro descreveu as características clínicas da inflamação).
5 Síndrome: Conjunto de sinais e sintomas que se encontram associados a uma entidade conhecida ou não.
6 Entorse: Distensão traumática de um ligamento que produz ruptura do mesmo, acompanhada de dor, hematoma e dificuldade para movimentar a articulação comprometida.
7 Tendinite: Inflamação de um tendão. Produz-se em geral como conseqüência de um traumatismo. Existem doenças imunológicas capazes de produzir tendinite entre outras alterações.
8 Músculos: Tecidos contráteis que produzem movimentos nos animais.
9 Tendões: Tecidos fibrosos pelos quais um músculo se prende a um osso.
10 Mãos: Articulação entre os ossos do metacarpo e as falanges.
11 Bursite: Doença ortopédica caracterizada pela inflamação da bursa, uma bolsa cheia de líquido, existente no interior das articulações, cuja finalidade é amortecer o atrito entre ossos, tendões e músculos. A bursite pode acontecer em qualquer articulação (joelhos, cotovelos, quadris, etc.), mas é mais comum no ombro.
12 Mialgias: Dor que se origina nos músculos. Pode acompanhar outros sintomas como queda no estado geral, febre e dor de cabeça nas doenças infecciosas. Também pode estar associada a diferentes doenças imunológicas.
13 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
14 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
15 Sintoma: Qualquer alteração da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. O sintoma é a queixa relatada pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
16 Degenerativo: Relativo a ou que provoca degeneração.
17 Vasos Sanguíneos: Qualquer vaso tubular que transporta o sangue (artérias, arteríolas, capilares, vênulas e veias).
18 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
19 Costas:
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Ortopedia e Traumatologia?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.

Comentários

11/11/2014 - Comentário feito por Leonardo
Muito bom artigo, resumido e explicativo, parab...
Muito bom artigo, resumido e explicativo, parabéns a equipe!!
Att Leonardo Cezar, ortopedista e Cirurgião de Mão

06/09/2012 - Comentário feito por pedro
Re: Lesão por esforço repetitivo ou L.E.R.
Bom dia srs.
É um prazer incomensurável em poder contactuá-los.
Esta "rica" e excelente matéria,é de grande valia para mim,
pois sou técnico de enfermagem,servidor público,
lotado no ambulatório de especialidades,precisamente,
na ortopedia, neurorologia e clínica da dor do hospital municipal "Dr.Mário Gatti"em Campinas/SP.
Sou graduado em direito, atualmente fazendo pós-graduação em
direito do trabalho e previdenciário.

Estou na área da saúde há mais de 25 anos,
e a matéria supracitada,traz em seu bojo,enriquecimento indescritível,
para que eu possa cada vez mais ,aperfeiçoar-me.
E fico na expectativa,de poder aguardar, futuramente,matérias como esta.
Abraços cordiais.

05/09/2012 - Comentário feito por ORLANDO
Re: Lesão por esforço repetitivo ou L.E.R.
SENHORES BOA NOITE.

Acho muito interessante os artigos que recebo. Leio com atenção e repasso a todas as pessoas do meu ciclo de amizades.

Gostaria que voc~es mandassem um artigo com relação a circulação nos membros inferiores, pois tenho diabetes e estou preocupado com isso.

O que posso fazer para melhorar a circulação nos meus pés? Quais alimentos ajudam nisso?

Caminho de segunda a sexta por cerca de uma hora e sinto que os meus pés estão apresentando formigamento. Trabalho sentado por cerca de oito horas e acho que esta me fazendo mal.

Agradeço qualquer ajuda dos senhores.
Orlando

  • Entrar
  • Assinar