Gostou do artigo? Compartilhe!

Deficiência física

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que é deficiência física?

Deficiência física ou deficiência motora é uma limitação do funcionamento físico-motor do ser humano. Na deficiência física sempre há um comprometimento do sistema ósteo-articular, muscular e neurológico. As doenças ou lesões1 que afetam um ou vários desses sistemas podem produzir limitações físicas de graus variáveis, segundo os segmentos corporais afetados e o tipo de lesão2 ocorrida.

A deficiência física é uma complicação de uma enfermidade que leva à limitação da mobilidade e da coordenação muscular geral, podendo também afetar a fala em diferentes graus de gravidade, a percepção espacial, o equilíbrio e o reconhecimento do próprio corpo.

Quais são as causas da deficiência física?

As causas da deficiência física são variadas, congênitas3 e adquiridas; vão desde lesões1 neurológicas e neuromusculares até malformações4 congênitas3. Entre as principais causas adquiridas estão os fatores virais ou bacterianos, fatores neonatais, fatores traumáticos (especialmente os medulares) e hidrocefalia5 (acúmulo de líquido no interior da caixa craniana).

As enfermidades e condições que mais comumente levam a deficiências físicas são prematuridade, anóxia6 perinatal, desnutrição7 materna, rubéola8, toxoplasmose9, trauma de parto, subnutrição, acidente vascular cerebral10, aneurisma11 cerebral, ferimento sobre a medula12 vertebral, processos infecciosos ou degenerativos13, causas vasculares14, traumas, malformações4 congênitas3 e artropatias.

Saiba mais sobre "Hidrocefalia5", "Aneurisma11 cerebral", "Acidente Vascular Cerebral10", "Rubéola8" e "Toxoplasmose9 congênita15".

Quais são as principais características clínicas da deficiência física?

A pessoa com deficiência física possui dificuldades na realização de algum movimento físico ou de suas funções e, além disso, a deficiência física pode afetar o bem-estar, o aprendizado, a vitalidade, a autoestima e a autoimagem do indivíduo. Normalmente, os problemas ocorrem no sistema nervoso16 ou locomotor, levando a um mau funcionamento ou paralisia17 dos braços e/ou pernas.

As deficiências físicas são classificadas em:

(1) paraplegia18, perda total das funções motoras dos membros inferiores;

(2) tetraplegia, perda total da função motora dos quatro membros;

(3) hemiplegia19, perda total das funções motoras de um hemisfério do corpo;

(4) diplegia, perda total dos dois membros inferiores;

(5) triplegia, paralisia17 de três membros.

Ainda são consideradas deficiências físicas:

(6) as amputações;

(7) a paralisia17 cerebral;

(8) as ostomias (aberturas abdominais para uso de sondas);

(9) as deformidades congênitas3 ou adquiridas que produzam dificuldade para o desempenho de alguma função.

Em geral, o deficiente físico depende de cadeira de rodas, bengala ou muleta para se locomover, podendo, em razão disso, apresentar baixa autoestima. Pode haver também comprometimento de sua linguagem, aprendizagem e grafismo. Por essas razões, essas pessoas podem demandar condições especiais e assistência de outros indivíduos.

Leia sobre "Paraplegia18", "Tetraplegia", "Paralisia17 cerebral infantil", "Ileostomia e Colostomia20" e "Membro fantasma".

Como lidar com a deficiência física?

Na escola, é primordial adequar a estrutura do prédio para receber alunos com diferentes deficiências físicas, como rampas, elevadores, corrimãos e banheiros adaptados. Na sala de aula, pode-se utilizar recursos especiais como engrossadores de lápis, apoios para os braços, tesouras adaptadas e quadros magnéticos.

Normalmente o deficiente físico, a menos que tenha algum dano cerebral, é capaz de aprender como as demais crianças, embora seu tempo de aprendizagem possa ser mais demorado, em virtude das dificuldades para executar determinadas tarefas. Alguns alunos com deficiência física podem precisar de cuidados especiais, como, por exemplo, na hora de ir ao banheiro.

Todas as pessoas com deficiência física motora necessitam de atendimento fisioterápico e psicológico para desenvolver todas as suas possibilidades e potencialidades.

Para os adultos, deve haver padrões ideais de acessibilidade, sobretudo em prédios e edificações públicos. Esses ambientes (sobretudo os públicos) devem ter rampas com corrimãos e/ou elevadores, vagas reservadas para estacionamento de carros, barras de apoio nas paredes dos banheiros, instalação de lavabos e bebedouros em altura acessível aos usuários de cadeiras de rodas, assim como telefones públicos e banheiros de portas largas com espaço suficiente para a movimentação de cadeira de rodas.

Veja também sobre "Lesões1 da medula espinhal21" e "Acidentes de trânsito".

 

ABCMED, 2017. Deficiência física. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/sinais.-sintomas-e-doencas/1306348/deficiencia+fisica.htm>. Acesso em: 16 jul. 2019.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Lesões: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
2 Lesão: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
3 Congênitas: 1. Em biologia, o que é característico do indivíduo desde o nascimento ou antes do nascimento; conato. 2. Que se manifesta espontaneamente; inato, natural, infuso. 3. Que combina bem com; apropriado, adequado. 4. Em termos jurídicos, é o que foi adquirido durante a vida fetal ou embrionária; nascido com o indivíduo. Por exemplo, um defeito congênito.
4 Malformações: 1. Defeito na forma ou na formação; anomalia, aberração, deformação. 2. Em patologia, é vício de conformação de uma parte do corpo, de origem congênita ou hereditária, geralmente curável por cirurgia. Ela é diferente da deformação (que é adquirida) e da monstruosidade (que é incurável).
5 Hidrocefalia: Doença produzida pelo aumento do conteúdo de Líquido Cefalorraquidiano. Nas crianças pequenas, manifesta-se pelo aumento da cabeça, e nos adultos, pelo aumento da pressão interna do cérebro, causando dores de cabeça e outros sintomas neurológicos, a depender da gravidade. Pode ser devido a um defeito de escoamento natural do líquido ou por um aumento primário na sua produção.
6 Anóxia: Diminuição acentuada da concentração de oxigênio a nível celular. Pode ser devido a um problema nos mecanismos respiratórios (p. ex. apnéia, edema de glote, etc) ou devido a problemas nas trocas de oxigênio a nível celular.
7 Desnutrição: Estado carencial produzido por ingestão insuficiente de calorias, proteínas ou ambos. Manifesta-se por distúrbios do desenvolvimento (na infância), atrofia de tecidos músculo-esqueléticos e caquexia.
8 Rubéola: Doença infecciosa imunoprevenível de transmissão respiratória. Causada pelo vírus da rubéola. Resulta em manifestações discretas ou é assintomática. Quando ocorrem, as manifestações clínicas mais comuns são febre baixa, aumento dos gânglios do pescoço, manchas avermelhadas na pele, 70% das mulheres apresentam artralgia e artrite. Geralmente tem evolução benigna, é mais comum em crianças e resulta em imunidade permanente. Durante a gravidez, a infecção pelo vírus da rubéola pode resultar em aborto, parto prematuro e mal-formações congênitas.
9 Toxoplasmose: Infecção produzida por um parasita unicelular denominado Toxoplasma gondii. Este parasita cumpre um primeiro ciclo no interior do tubo digestivo de certos animais domésticos como o gato. A infecção é produzida ao ingerir alimentos contaminados e pode ocasionar graves transtornos durante a gestação e em pessoas imunossuprimidas.
10 Acidente vascular cerebral: Conhecido popularmente como derrame cerebral, o acidente vascular cerebral (AVC) ou encefálico é uma doença que consiste na interrupção súbita do suprimento de sangue com oxigênio e nutrientes para o cérebro, lesando células nervosas, o que pode resultar em graves conseqüências, como inabilidade para falar ou mover partes do corpo. Há dois tipos de derrame, o isquêmico e o hemorrágico.
11 Aneurisma: Alargamento anormal da luz de um vaso sangüíneo. Pode ser produzida por uma alteração congênita na parede do mesmo ou por efeito de diferentes doenças (hipertensão, aterosclerose, traumatismo arterial, doença de Marfán, etc.).
12 Medula: Tecido mole que preenche as cavidades dos ossos. A medula óssea apresenta-se de dois tipos, amarela e vermelha. A medula amarela é encontrada em cavidades grandes de ossos grandes e consiste em sua grande maioria de células adiposas e umas poucas células sangüíneas primitivas. A medula vermelha é um tecido hematopoiético e é o sítio de produção de eritrócitos e leucócitos granulares. A medula óssea é constituída de um rede, em forma de treliça, de tecido conjuntivo, contendo fibras ramificadas e preenchida por células medulares.
13 Degenerativos: Relativos a ou que provocam degeneração.
14 Vasculares: Relativo aos vasos sanguíneos do organismo.
15 Congênita: 1. Em biologia, o que é característico do indivíduo desde o nascimento ou antes do nascimento; conato. 2. Que se manifesta espontaneamente; inato, natural, infuso. 3. Que combina bem com; apropriado, adequado. 4. Em termos jurídicos, é o que foi adquirido durante a vida fetal ou embrionária; nascido com o indivíduo. Por exemplo, um defeito congênito.
16 Sistema nervoso: O sistema nervoso é dividido em sistema nervoso central (SNC) e o sistema nervoso periférico (SNP). O SNC é formado pelo encéfalo e pela medula espinhal e a porção periférica está constituída pelos nervos cranianos e espinhais, pelos gânglios e pelas terminações nervosas.
17 Paralisia: Perda total da força muscular que produz incapacidade para realizar movimentos nos setores afetados. Pode ser produzida por doença neurológica, muscular, tóxica, metabólica ou ser uma combinação das mesmas.
18 Paraplegia: Perda transitória ou definitiva da capacidade de realizar movimentos devido à ausência de força muscular de ambos os membros inferiores. A causa mais freqüente é a lesão medular por traumatismos.
19 Hemiplegia: Paralisia da metade do corpo. Compromete a metade da face, braço e pernas do mesmo lado. Relaciona-se a infartos, hemorragias ou tumores do sistema nervoso central.
20 Colostomia: Procedimento cirúrgico que consiste em seccionar uma extremidade do intestino grosso e expô-lo através de uma abertura na parede abdominal anterior, pela qual será eliminado o material fecal. É utilizada em diferentes doenças que afetam o trânsito intestinal normal, podendo ser transitória (quando em uma segunda cirurgia o trânsito intestinal é restabelecido) ou definitiva.
21 Medula Espinhal:
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Clínica Médica?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.