Gostou do artigo? Compartilhe!

Campilobacteriose - como é a doença?

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que é campilobacteriose?

A campilobacteriose é uma doença infecciosa de caráter zoonótico (afeta os animais e o Homem) que acomete o trato intestinal. Como ela muitas vezes não causa sintomas1 ou um grande mal-estar, muitos casos não chegam a ser diagnosticados.

Quais são as causas da campilobacteriose?

A campilobacteriose é causada pela ingestão de alimentos ou bebidas contaminadas com vários tipos de uma bactéria2 chamada Campylobacter (C. fetus, C. coli e C. jejuni). As principais fontes de infecção3 são carnes cruas ou mal cozidas, ovos, leite em estado bruto ou água contaminada. Em raros casos, o contato com pessoas ou animais infectados pode transmitir a doença. A infecção3 pela bactéria2 Campylobacter também pode ocorrer por manusear fezes humanas ou de animais infetados.

Quais são as principais características clínicas da campilobacteriose?

Embora a doença possa afetar qualquer pessoa, ela é mais frequente em bebês4 e crianças com menos de 10 anos de idade. O paciente infectado com Campylobacter pode não ter sintomas1 significativos, mas é comum que, dentro de dois a cinco dias após a exposição à bactéria2 Campylobacter, a pessoa desenvolva alguns dos seguintes sintomas1: diarreia5, náuseas6 e vômitos7, cólicas8, dores abdominais, febre9, fadiga10 e sangue11 nas fezes.

Saiba mais sobre "Diarreia5", "Dor abdominal" e "Sangue11 nas fezes".

Como o médico diagnostica a campilobacteriose?

Uma vez suspeitando da infecção3 a partir dos sintomas1 e da história clínica do paciente, os médicos podem usar testes laboratoriais (cultura de fezes) para identificar a bactéria2 Campylobacter.

Como o médico trata a campilobacteriose?

A maioria das pessoas infectadas com a bactéria2 Campylobacter recupera-se sem tratamento específico. No entanto, a terapia antimicrobiana pode ser recomendada para pessoas com sistema imunitário12 debilitado. O paciente deve beber muitos líquidos para evitar a desidratação13. Em casos graves, pode ser necessária reidratação intravenosa.

Leia sobre "Desidratação13" e "Soro14 caseiro".

Como evolui a campilobacteriose?

A maioria das pessoas contaminadas pela Campylobacter se recupera dentro de cerca de dez dias, sem qualquer tratamento. A morte por campilobacteriose é muito rara e, normalmente, encontra-se confinada a crianças, idosos e doentes cujo sistema imunitário12 se encontra comprometido.

Quais são as complicações possíveis da campilobacteriose?

Em alguns poucos casos, a campilobacteriose pode levar a outras doenças, tais como colite15, artrite16, meningite17 e síndrome18 de Guillain-Barré, uma doença neurológica que pode resultar em paralisia19 temporal.

Veja também sobre "Artrite16", "Meningite17" e "Síndrome18 de Guillain-Barré".

 

ABCMED, 2017. Campilobacteriose - como é a doença?. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/sinais.-sintomas-e-doencas/1305478/campilobacteriose-como-e-a-doenca.htm>. Acesso em: 18 jan. 2021.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
2 Bactéria: Organismo unicelular, capaz de auto-reproduzir-se. Existem diferentes tipos de bactérias, classificadas segundo suas características de crescimento (aeróbicas ou anaeróbicas, etc.), sua capacidade de absorver corantes especiais (Gram positivas, Gram negativas), segundo sua forma (bacilos, cocos, espiroquetas, etc.). Algumas produzem infecções no ser humano, que podem ser bastante graves.
3 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
4 Bebês: Lactentes. Inclui o período neonatal e se estende até 1 ano de idade (12 meses).
5 Diarréia: Aumento do volume, freqüência ou quantidade de líquido nas evacuações.Deve ser a manifestação mais freqüente de alteração da absorção ou transporte intestinal de substâncias, alterações estas que em geral são devidas a uma infecção bacteriana ou viral, a toxinas alimentares, etc.
6 Náuseas: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc .
7 Vômitos: São a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Podem ser classificados em: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
8 Cólicas: Dor aguda, produzida pela dilatação ou contração de uma víscera oca (intestino, vesícula biliar, ureter, etc.). Pode ser de início súbito, com exacerbações e períodos de melhora parcial ou total, nos quais o paciente pode estar sentindo-se bem ou apresentar dor leve.
9 Febre: É a elevação da temperatura do corpo acima dos valores normais para o indivíduo. São aceitos como valores de referência indicativos de febre: temperatura axilar ou oral acima de 37,5°C e temperatura retal acima de 38°C. A febre é uma reação do corpo contra patógenos.
10 Fadiga: 1. Sensação de enfraquecimento resultante de esforço físico. 2. Trabalho cansativo. 3. Redução gradual da resistência de um material ou da sensibilidade de um equipamento devido ao uso continuado.
11 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
12 Sistema Imunitário: Mecanismo de defesa do corpo contra organismos ou substâncias estranhas e células nativas anormais. Inclui a resposta imune humoral e a resposta mediada por célula e consiste de um complexo de componentes celulares, moleculares e genéticos interrelacionados.
13 Desidratação: Perda de líquidos do organismo pelo aumento importante da freqüência urinária, sudorese excessiva, diarréia ou vômito.
14 Soro: Chama-se assim qualquer líquido de características cristalinas e incolor.
15 Colite: Inflamação da porção terminal do cólon (intestino grosso). Pode ser devido a infecções intestinais (a causa mais freqüente), ou a processos inflamatórios diversos (colite ulcerativa, colite isquêmica, colite por radiação, etc.).
16 Artrite: Inflamação de uma articulação, caracterizada por dor, aumento da temperatura, dificuldade de movimentação, inchaço e vermelhidão da área afetada.
17 Meningite: Inflamação das meninges, aguda ou crônica, quase sempre de origem infecciosa, com ou sem reação purulenta do líquido cefalorraquidiano. As meninges são três membranas superpostas (dura-máter, aracnoide e pia-máter) que envolvem o encéfalo e a medula espinhal.
18 Síndrome: Conjunto de sinais e sintomas que se encontram associados a uma entidade conhecida ou não.
19 Paralisia: Perda total da força muscular que produz incapacidade para realizar movimentos nos setores afetados. Pode ser produzida por doença neurológica, muscular, tóxica, metabólica ou ser uma combinação das mesmas.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Pediatria?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.