Gostou do artigo? Compartilhe!

Nistagmo: o que é? Quais as causas? Como são o diagnóstico e o tratamento?

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que é nistagmo1?

Nistagmo1 são oscilações rítmicas, repetidas e involuntárias de um ou ambos os olhos2 conjugadamente, nos sentidos horizontal (de um lado para o outro), vertical (de cima para baixo) ou rotatório (movimentos circulares) que podem dificultar muito a focalização das imagens. Como acontecimento fisiológico3, o nistagmo1 é um reflexo que ocorre durante a rotação da cabeça4, para estabilizar a imagem. Ou seja, a cabeça4 gira, mas os olhos2 não. O reflexo é dividido em duas fases, uma lenta e outra rápida. A fase lenta visa compensar a rotação da cabeça4 e a fase rápida tem a função de reposicionar o movimento, porque caso contrário o olho5 atingiria a borda da órbita e se manteria lá enquanto durasse o movimento rotacional da cabeça4. A fase lenta é comandada pelo sistema vestibular6 e a fase rápida pelo tronco cerebral7. O nistagmo1 patológico ocorre quando os movimentos ocorrem mesmo se a cabeça4 está parada. Quanto à direção do movimento dos olhos2 no nistagmo1 patológico, uma irritação do labirinto8 esquerdo produz movimentos lentos para a direita e movimentos rápidos para esquerda. Na alteração do labirinto8 direito as coisas se passam do mesmo modo, em sentido inverso. Os nistagmos são claramente percebidos pelas pessoas, embora em casos leves não sejam sentidos pela própria pessoa que os tem.

Quais são as causas do nistagmo1?

O nistagmo1 normal é simplesmente o reflexo que ajusta os olhos2 para a visão9, mas em casos patológicos ele pode prejudicar a fixação e a eficiência visual, especialmente para visão9 à distância. No caso de patologias, os olhos2 se movem primeiro na direção do lado lesionado (fase lenta do nistagmo1) e em seguida faz uma rápida correção (fase rápida do nistagmo1) para o lado oposto. O nistagmo1 pode ser causado pelo uso de certos medicamentos, excesso de álcool, deficiência de vitamina10 B12, ferimentos na cabeça4, labirintites11, maculopatias (lesões12 da mácula13, parte central da retina14), albinismo e patologias neurológicas, entre outras causas. Existe também um nistagmo1 congênito15, geralmente brando e não percebido pela própria pessoa, que pode ter causas num defeito do olho5 ou na comunicação entre o olho5 e o cérebro16.

Como o médico diagnostica o nistagmo1?

O nistagmo1 é facilmente percebido pela simples observação, mas pode ser investigado clinicamente por meio da prova calórica, que o desencadeia e que consiste em irrigar com água quente ou fria um dos meatos auditivos. A variação de temperatura assim produzida provoca a estimulação do nervo vestíbulo-coclear, o que produz nistagmo1. A movimentação dos olhos2 pode então ser registrada pelo eletronistamógrafo, um aparelho que registra os movimentos oculares. Outro método não invasivo utilizado em testes para induzir o nistagmo1 rotatório são as cadeiras especiais que giram e balançam. Uma tomografia computadorizada17 ou uma ressonância magnética18 da cabeça4 podem ser necessárias para esclarecer as causas do nistagmo1.

Como o médico trata o nistagmo1?

Não há tratamento possível para a maioria dos casos de nistagmos congênitos19, mas muito pode ser feito para melhorar a visão9 de quem tem esse problema. Pode-se recorrer à oclusão alternada dos olhos2, uso de prismas, mudança dos óculos por lentes de contato etc., ou a medicamentos, segundo orientação médica. O tratamento para o nistagmo1 adquirido dependerá da sua causa. O nistagmo1 devido a medicamentos ou a infecções20 normalmente desaparece depois que a causa dele é afastada. Em casos de maior gravidade pode-se recorrer ao tratamento cirúrgico, com o objetivo de melhorar a acuidade visual21 do paciente.

ABCMED, 2013. Nistagmo: o que é? Quais as causas? Como são o diagnóstico e o tratamento?. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/saude-dos-olhos/376010/nistagmo-o-que-e-quais-as-causas-como-sao-o-diagnostico-e-o-tratamento.htm>. Acesso em: 13 nov. 2019.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Nistagmo: Movimento involuntário, rápido e repetitivo do globo ocular. É normal dentro de certos limites diante da mudança de direção do olhar horizontal. Porém, pode expressar doenças neurológicas ou do sistema de equilíbrio.
2 Olhos:
3 Fisiológico: Relativo à fisiologia. A fisiologia é estudo das funções e do funcionamento normal dos seres vivos, especialmente dos processos físico-químicos que ocorrem nas células, tecidos, órgãos e sistemas dos seres vivos sadios.
4 Cabeça:
5 Olho: s. m. (fr. oeil; ing. eye). Órgão da visão, constituído pelo globo ocular (V. este termo) e pelos diversos meios que este encerra. Está situado na órbita e ligado ao cérebro pelo nervo óptico. V. ocular, oftalm-. Sinônimos: Olhos
6 Sistema vestibular: O sistema vestibular é um dos sistemas que participam do equilíbrio do corpo. Ele contribui para três funções principais: controle do equilíbrio, orientação espacial e estabilização da imagem.
7 Tronco Cerebral: Parte do encéfalo que conecta os hemisférios cerebrais à medula espinhal. É formado por MESENCÉFALO, PONTE e MEDULA OBLONGA.
8 Labirinto: 1. Vasta construção de passagens ou corredores que se entrecruzam de tal maneira que é difícil encontrar um meio ou um caminho de saída. 2. Anatomia: conjunto de canais e cavidades entre o tímpano e o canal auditivo, essencial para manter o equilíbrio físico do corpo. 3. Sentido figurado: coisa complicada, confusa, de difícil solução. Emaranhado, imbróglio.
9 Visão: 1. Ato ou efeito de ver. 2. Percepção do mundo exterior pelos órgãos da vista; sentido da vista. 3. Algo visto, percebido. 4. Imagem ou representação que aparece aos olhos ou ao espírito, causada por delírio, ilusão, sonho; fantasma, visagem. 5. No sentido figurado, concepção ou representação, em espírito, de situações, questões etc.; interpretação, ponto de vista. 6. Percepção de fatos futuros ou distantes, como profecia ou advertência divina.
10 Vitamina: Compostos presentes em pequenas quantidades nos diversos alimentos e nutrientes e que são indispensáveis para o desenvolvimento dos processos biológicos normais.
11 Labirintites: Doença que pode acometer tanto o equilíbrio, quanto a parte auditiva. Os órgãos responsáveis pelo equilíbrio e pela audição estão situados no ouvido interno e se comunicam com o sistema nervoso central através dos nervos da audição e do nervo vestibular. Doenças infecciosas, inflamatórias, tumorais e alterações genéticas podem ocasionar alterações nessas estruturas anatômicas. Além da vertigem, a labirintite pode apresentar manifestações neurovegetativas - náuseas, vômitos, sudorese e alterações gastrintestinais como também estar associada a manifestações auditivas - perda de audição, sensação de ouvido cheio ou tapado e zumbido.
12 Lesões: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
13 Mácula: Mácula ou mancha é uma lesão plana, não palpável, constituída por uma alteração circunscrita da cor da pele.
14 Retina: Parte do olho responsável pela formação de imagens. É como uma tela onde se projetam as imagens: retém as imagens e as traduz para o cérebro através de impulsos elétricos enviados pelo nervo óptico. Possui duas partes: a retina periférica e a mácula.
15 Congênito: 1. Em biologia, o que é característico do indivíduo desde o nascimento ou antes do nascimento; conato. 2. Que se manifesta espontaneamente; inato, natural, infuso. 3. Que combina bem com; apropriado, adequado. 4. Em termos jurídicos, é o que foi adquirido durante a vida fetal ou embrionária; nascido com o indivíduo. Por exemplo, um defeito congênito.
16 Cérebro: Derivado do TELENCÉFALO, o cérebro é composto dos hemisférios direito e esquerdo. Cada hemisfério contém um córtex cerebral exterior e gânglios basais subcorticais. O cérebro inclui todas as partes dentro do crânio exceto MEDULA OBLONGA, PONTE e CEREBELO. As funções cerebrais incluem as atividades sensório-motora, emocional e intelectual.
17 Tomografia computadorizada: Exame capaz de obter imagens em tons de cinza de “fatias” de partes do corpo ou de órgãos selecionados, as quais são geradas pelo processamento por um computador de uma sucessão de imagens de raios X de alta resolução em diversos segmentos sucessivos de partes do corpo ou de órgãos.
18 Ressonância magnética: Exame que fornece imagens em alta definição dos órgãos internos do corpo através da utilização de um campo magnético.
19 Congênitos: 1. Em biologia, o que é característico do indivíduo desde o nascimento ou antes do nascimento; conato. 2. Que se manifesta espontaneamente; inato, natural, infuso. 3. Que combina bem com; apropriado, adequado. 4. Em termos jurídicos, é o que foi adquirido durante a vida fetal ou embrionária; nascido com o indivíduo. Por exemplo, um defeito congênito.
20 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
21 Acuidade visual: Grau de aptidão do olho para discriminar os detalhes espaciais, ou seja, a capacidade de perceber a forma e o contorno dos objetos.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Oftalmologia?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.

Comentários

07/01/2014 - Comentário feito por ROZSELIA
MEU FILHO
MEU FILHO TWEM UMA PINTA PRETA NO OLHO ESQUERDO DO LADO DA BOLA PRETA DO OLHO ELA ESTA CRECENDO AOS POUCOS TENHO MEDO DE SER ALGUMA COISA PREOUCUPANTE O QUE FAÇO.;; OBRIGADO

01/10/2013 - Comentário feito por ana
Re: Nistagmo: o que é? Quais as causas? Como são o diagnóstico e o tratamento?
meu pai tinha nistagmo mas não sabiámos nem o nome, só fiquei sabendo quando meu filho caçula nasceu com isso,foi muito difícil e ainda é ,pois no ano passado ele foi reprovado porque não conseguia acompanhar o restante da turma

  • Entrar
  • Assinar