Gostou do artigo? Compartilhe!

Cisto dermoide do ovário

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que é um cisto dermoide?

Um cisto dermoide é um teratoma (do grego: terato = monstro + oma = tumor1) que contém elementos da pele2 madura, oriundos de células3 embrionárias totipotentes4. Por vezes eles também são chamados teratomas ovarianos, mas apesar de terem aparência muito semelhante, os cistos dermoides são compostos apenas de elementos da derme e epiderme5, enquanto os teratomas incluem também componentes mesodérmicos6 e endodérmicos7. Quase sempre o cisto dermoide é benigno, raramente se torna maligno. Os cistos dermoides costumam se situar em áreas de fendas embrionárias, como região periorbital8, coluna vertebral9, seios paranasais10 e ovários11.

O que é cisto dermoide do ovário12?

O cisto dermoide do ovário12 é um tumor1 bizarro, geralmente benigno, que se desenvolve por meio de uma evolução anormal dos folículos ovarianos e localiza-se no ovário12.

Quais são as causas do cisto dermoide do ovário12?

A maior parte dos cistos ovarianos desenvolve-se a partir das ocorrências do ciclo menstrual normal sendo, por isso, chamados de cistos funcionais. Os cistos dermoides, no entanto, formam-se a partir de células3 que produzem órgãos humanos.

Qual é a fisiopatologia13 do cisto dermoide do ovário12?

Os cistos dermoides são tumores derivados das camadas de células germinais14, isto é, ectoderme15, mesoderme16 e endoderme17. Normalmente, eles podem conter pele2, folículos pilosos, glândulas sudoríparas18, cabelo19, sebo, sangue20, gordura21, osso, unhas22, dentes, olhos23, cartilagem24 e tecido25 tireoidiano. Sendo totipotentes4, as células3 embrionárias, indevidamente retidas no oócito26 original, podem dar origem a todo tipo de células3 necessárias para formar tecidos maduros.

Quais são os principais sinais27 e sintomas28 do cisto dermoide do ovário12?

Os cistos dermoides ovarianos não complicados tendem a ser assintomáticos e muitas vezes só são descobertos incidentalmente. Um cisto que seja grande, no entanto, pode causar desconforto abdominal como, por exemplo, necessidade de urinar com mais frequência ou dor ao evacuar, urinar e/ou durante as relações sexuais. Podem acontecer também náuseas29, vômitos30, dores nos seios31 (mastalgias) e plenitude ou peso no abdômen. Se ocorrer a torção32 do ovário12, haverá dor pélvica33 aguda. Embora possam ocorrer em qualquer idade, os cistos dermoides de ovário12 são mais comuns nas mulheres em idade fértil. Eles podem variar em tamanho, desde um centímetro até cerca de 45 cm de diâmetro e podem ocasionar uma torção32 do ovário12 e estrangular seu fornecimento de sangue20.

Quanto maior for o cisto, maior o risco de ruptura, com derrame34 do conteúdo gorduroso que pode criar problemas como aderências, dor, etc. Cerca de 98% dos cistos dermoides do ovário12 são benignos e só cerca de 2% tornam-se malignos. Em cerca de 15% dos casos eles são bilaterais. Em casos de torção32 do ovário12 podem aparecer sinais27 e sintomas28 de choque35, como pele2 fria e úmida, respiração rápida, tontura36 ou fraqueza.

Como o médico diagnostica o cisto dermoide do ovário12?

Muitas vezes um cisto de ovário12 é encontrado durante um exame ginecológico de rotina ou a partir de outro motivo e então são feitos outros exames para determinar a sua natureza e tipo, bem como o tratamento necessário. Esses exames normalmente incluem um teste de gravidez37, ultrassonografia38 pélvica33, laparoscopia39, dosagem do CA 125 (antígeno40 do câncer41), que pode estar elevado, mesmo sendo uma condição benigna.

Como o médico trata o cisto dermoide do ovário12?

O tratamento de escolha para o cisto dermoide é geralmente a remoção dele, que pode ser feita por laparoscopia39 ou por cirurgia aberta. A torção32 do ovário12 pelo cisto constitui sempre uma emergência42 cirúrgica. Lesões43 maiores devem ser removidas cirurgicamente. Um diagnóstico44 diferencial deve ser feito com cisto ovariano hemorrágico45, leiomioma46 pedunculado do útero47, cistadenoma48 ou cistocarcinoma49.

Como prevenir o cisto dermoide do ovário12?

Não há nenhuma maneira definitiva para evitar o crescimento de cistos dermoides ovarianos, mas exames ginecológicos regulares são uma maneira de detectá-los o mais cedo possível. Além disso, a mulher deve estar alerta para alterações no seu ciclo mensal, verificando sintomas28 que são típicos para cistos.

Como evolui o cisto dermoide do ovário12?

Os cistos dermoides ovarianos habitualmente são de crescimento lento (1 a 2 milímetros por ano) e por isso alguns médicos defendem que seja feita a gestão não cirúrgica deles, com acompanhamento a cada ano, para monitorar o seu crescimento e só intervêm a partir de determinado tamanho ou se ele começa a dar sintomas28. Em alguns casos, o cisto desaparece por si próprio, dentro de alguns meses.

Quais são as complicações possíveis do cisto dermoide do ovário12?

As possíveis complicações do cisto dermoide de ovário12, geralmente raras, incluem torção32 ou ruptura do ovário12, transformação maligna do cisto, infecções50 e anemia hemolítica51 autoimune52.

ABCMED, 2015. Cisto dermoide do ovário. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/saude-da-mulher/807249/cisto+dermoide+do+ovario.htm>. Acesso em: 12 dez. 2018.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Tumor: Termo que literalmente significa massa ou formação de tecido. É utilizado em geral para referir-se a uma formação neoplásica.
2 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
3 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
4 Totipotentes: Células capazes de se diferenciar em todos os 216 tecidos que formam o corpo humano, incluindo a placenta e os anexos embrionários. As células totipotentes são encontradas nos embriões nas primeiras fases de divisão, isto é, quando o embrião tem até 16 a 32 células, o quê corresponde a 3 ou 4 dias de vida. Exemplos: esporos e zigotos.
5 Derme e epiderme: A derme é a camada da pele localizada entre a epiderme e a hipoderme, responsável pela resistência e elasticidade da pele. Constituída por tecido conjuntivo (fibras colágenas e elásticas envoltas por substância fundamental), vasos sanguíneos e linfáticos, nervos e terminações nervosas. Os folículos pilossebáceos e glândulas sudoríparas, originadas na epiderme, também localizam-se na derme. A epiderme é a camada mais externa da pele, constituída por células epiteliais (queratinócitos), melanócitos e células de defesa imunológica (células de Langerhans). A epiderme dá origem aos anexos cutâneos: unhas, pêlos, glândulas sudoríparas e glândulas sebáceas. A abertura dos folículos pilossebáceos (pêlo + glândula sebácea) e das glândulas sudoríparas na pele formam os orifícios conhecidos como poros.
6 Mesodérmicos: Relativo ao mesoderma, que é o folheto germinativo localizado entre o ectoderma e o endoderma, do qual derivam especialmente os tecidos conjuntivos, os músculos, os sistemas urogenital e vascular e o revestimento da cavidade do nosso corpo.
7 Endodérmicos: Relativo à endoderme ou endoderma, que é uma das camadas germinativas primárias do embrião, ela é a mais interna, da qual derivam o epitélio da faringe e o resto do tubo digestivo, a bexiga, a uretra etc.
8 Região periorbital: Região que se situa ao redor do olho, revestindo a cavidade orbitária.
9 Coluna vertebral:
10 Seios paranasais: Seios paranasais são cavidades preenchidas de ar localizadas no interior dos ossos do crânio e da face, que se comunicam com a cavidade nasal.
11 Ovários: São órgãos pares com aproximadamente 3cm de comprimento, 2cm de largura e 1,5cm de espessura cada um. Eles estão presos ao útero e à cavidade pelvina por meio de ligamentos. Na puberdade, os ovários começam a secretar os hormônios sexuais, estrógeno e progesterona. As células dos folículos maduros secretam estrógeno, enquanto o corpo lúteo produz grandes quantidades de progesterona e pouco estrógeno.
12 Ovário: Órgão reprodutor (GÔNADAS) feminino. Nos vertebrados, o ovário contém duas partes funcionais Sinônimos: Ovários
13 Fisiopatologia: Estudo do conjunto de alterações fisiológicas que acontecem no organismo e estão associadas a uma doença.
14 Células germinais: São as células responsáveis pela reprodução sexuada e contêm metade do número total de cromossomos de uma espécie. Os espermatozoides (homem) e os ovócitos (mulher) são células germinativas.
15 Ectoderme: É o folheto embrionário mais externo, do qual derivam a pele, o sistema nervoso, os órgãos dos sentidos entre outros; também conhecido como ectoderma.
16 Mesoderme: Folheto germinativo localizado entre o ectoderma e o endoderma, do qual derivam especialmente os tecidos conjuntivos, os músculos, os sistemas urogenital e vascular e o revestimento da cavidade do nosso corpo.
17 Endoderme: É uma das camadas germinativas primárias do embrião, ela é a mais interna, da qual derivam o epitélio da faringe e o resto do tubo digestivo, a bexiga, a uretra etc.
18 Glândulas sudoríparas: As glândulas sudoríparas são glândulas responsáveis pela produção e transporte do suor, atuando como regulador térmico. São constituídas por um fino e longo tubo que no início se enovela, chamado corpo da glândula. O suor é composto de água, sais minerais e um pouco de ureia e é drenado pelo ducto das glândulas sudoríparas.
19 Cabelo: Estrutura filamentosa formada por uma haste que se projeta para a superfície da PELE a partir de uma raiz (mais macia que a haste) e se aloja na cavidade de um FOLÍCULO PILOSO. É encontrado em muitas áreas do corpo.
20 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
21 Gordura: Um dos três principais nutrientes dos alimentos. Os alimentos que fornecem gordura são: manteiga, margarina, óleos, nozes, carnes vermelhas, peixes, frango e alguns derivados do leite. O excesso de calorias é estocado no organismo na forma de gordura, fornecendo uma reserva de energia ao organismo.
22 Unhas: São anexos cutâneos formados por células corneificadas (queratina) que formam lâminas de consistência endurecida. Esta consistência dura, confere proteção à extremidade dos dedos das mãos e dos pés. As unhas têm também função estética. Apresentam crescimento contínuo e recebem estímulos hormonais e nutricionais diversos.
23 Olhos:
24 Cartilagem: Tecido resistente e flexível, de cor branca ou cinzenta, formado de grandes células inclusas em substância que apresenta tendência à calcificação e à ossificação.
25 Tecido: Conjunto de células de características semelhantes, organizadas em estruturas complexas para cumprir uma determinada função. Exemplo de tecido: o tecido ósseo encontra-se formado por osteócitos dispostos em uma matriz mineral para cumprir funções de sustentação.
26 Oócito: Oócito ou ovócito, é cada uma das células que, por meio de divisões meióticas, dão origem ao óvulo.
27 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
28 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
29 Náuseas: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc .
30 Vômitos: São a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Podem ser classificados em: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
31 Seios: Em humanos, uma das regiões pareadas na porção anterior do TÓRAX. As mamas consistem das GLÂNDULAS MAMÁRIAS, PELE, MÚSCULOS, TECIDO ADIPOSO e os TECIDOS CONJUNTIVOS.
32 Torção: 1. Ato ou efeito de torcer. 2. Na geometria diferencial, é a medida da derivada do vetor binormal em relação ao comprimento de arco. 3. Em física, é a deformação de um sólido em que os planos vizinhos, transversais a um eixo comum, sofrem, cada um deles, um deslocamento angular relativo aos outros planos. 4. Em medicina, é o mesmo que entorse. 5. Na patologia, é o movimento de rotação de um órgão sobre si mesmo. 6. Em veterinária, é a cólica de alguns animais, especialmente a do cavalo.
33 Pélvica: Relativo a ou próprio de pelve. A pelve é a cavidade no extremo inferior do tronco, formada pelos dois ossos do quadril (ilíacos), sacro e cóccix; bacia. Ou também é qualquer cavidade em forma de bacia ou taça (por exemplo, a pelve renal).
34 Derrame: Conhecido popularmente como derrame cerebral, o acidente vascular cerebral (AVC) ou encefálico é uma doença que consiste na interrupção súbita do suprimento de sangue com oxigênio e nutrientes para o cérebro, lesando células nervosas, o que pode resultar em graves conseqüências, como inabilidade para falar ou mover partes do corpo. Há dois tipos de derrame, o isquêmico e o hemorrágico.
35 Choque: 1. Estado de insuficiência circulatória a nível celular, produzido por hemorragias graves, sepse, reações alérgicas graves, etc. Pode ocasionar lesão celular irreversível se a hipóxia persistir por tempo suficiente. 2. Encontro violento, com impacto ou abalo brusco, entre dois corpos. Colisão ou concussão. 3. Perturbação brusca no equilíbrio mental ou emocional. Abalo psíquico devido a uma causa externa.
36 Tontura: O indivíduo tem a sensação de desequilíbrio, de instabilidade, de pisar no vazio, de que vai cair.
37 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
38 Ultrassonografia: Ultrassonografia ou ecografia é um exame complementar que usa o eco produzido pelo som para observar em tempo real as reflexões produzidas pelas estruturas internas do organismo (órgãos internos). Os aparelhos de ultrassonografia utilizam uma frequência variada, indo de 2 até 14 MHz, emitindo através de uma fonte de cristal que fica em contato com a pele e recebendo os ecos gerados, os quais são interpretados através de computação gráfica.
39 Laparoscopia: Procedimento cirúrgico mediante o qual se introduz através de uma pequena incisão na parede abdominal, torácica ou pélvica, um instrumento de fibra óptica que permite realizar procedimentos diagnósticos e terapêuticos.
40 Antígeno: 1. Partícula ou molécula capaz de deflagrar a produção de anticorpo específico. 2. Substância que, introduzida no organismo, provoca a formação de anticorpo.
41 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
42 Emergência: 1. Ato ou efeito de emergir. 2. Situação grave, perigosa, momento crítico ou fortuito. 3. Setor de uma instituição hospitalar onde são atendidos pacientes que requerem tratamento imediato; pronto-socorro. 4. Eclosão. 5. Qualquer excrescência especializada ou parcial em um ramo ou outro órgão, formada por tecido epidérmico (ou da camada cortical) e um ou mais estratos de tecido subepidérmico, e que pode originar nectários, acúleos, etc. ou não se desenvolver em um órgão definido.
43 Lesões: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
44 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
45 Hemorrágico: Relativo à hemorragia, ou seja, ao escoamento de sangue para fora dos vasos sanguíneos.
46 Leiomioma: Tumor benigno do músculo liso que pode localizar-se em qualquer órgão que seja formado pelo dito tecido.
47 Útero: Orgão muscular oco (de paredes espessas), na pelve feminina. Constituído pelo fundo (corpo), local de IMPLANTAÇÃO DO EMBRIÃO e DESENVOLVIMENTO FETAL. Além do istmo (na extremidade perineal do fundo), encontra-se o COLO DO ÚTERO (pescoço), que se abre para a VAGINA. Além dos istmos (na extremidade abdominal superior do fundo), encontram-se as TUBAS UTERINAS.
48 Cistadenoma: Tumor epitelial cístico do ovário, geralmente benigno, derivado do epitélio celômico.
49 Cistocarcinoma: Tumor epitelial maligno do ovário, derivado do celoma.
50 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
51 Anemia hemolítica: Doença hereditária que faz com que os glóbulos vermelhos do sangue se desintegrem no interior dos veios sangüíneos (hemólise intravascular) ou em outro lugar do organismo (hemólise extravascular). Pode ter várias causas e ser congênita ou adquirida. O tratamento depende da causa.
52 Autoimune: 1. Relativo à autoimunidade (estado patológico de um organismo atingido por suas próprias defesas imunitárias). 2. Produzido por autoimunidade. 3. Autoalergia.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Ginecologia E Obstetrícia?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.