Atalho: 5KEB7UA
Gostou do artigo? Compartilhe!

Quinze sintomas de câncer que muitas mulheres ignoram

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

Alguns sintomas1 podem indicar a presença de tumores e devem ser investigados por um médico.

N° 1: Perda inexplicável de peso

Muitas mulheres gostam de perder peso sem esforço, mas uma perda significativa e inexplicável de peso corporal – cerca de cinco quilos em um mês – sem um aumento das atividades físicas ou uma redução na ingestão de calorias2 deve ser pesquisada.

A menos que se prove o contrário, uma perda importante e não justificada de peso significa a presença de tumores malignos. É claro que pode tratar-se de uma outra condição como o funcionamento aumentado da glândula3 tireoide4.

Procure um médico, ele deve avaliar a causa da perda de peso.

N° 2: Edema5 (inchaço6)

O edema5 é tão comum que muitas mulheres simplesmente convivem com ele. No entanto, ele pode mostrar um câncer7 de ovário8. Outros sintomas1 desta condição incluem dor abdominal ou dor na região pélvica9, sensação de plenitude gástrica e problemas urinários, como urgência10 para urinar.

Se o edema5 ocorrer na maioria dos dias da semana, por algumas semanas, marque uma consulta médica para que este sintoma11 seja investigado.

Independente de qualquer sintoma11, sempre faça um acompanhamento anual com o seu ginecologista para evitar problemas de saúde12.

N° 3: Alterações nas mamas13

A maioria das mulheres conhece bem suas mamas13, mesmo que não tenha o hábito de fazer o auto-exame mensal.

Elas sabem quando um caroço aparece, só que este não é o único sinal14 do câncer7 de mama15. Vermelhidão ou alteração na pele16 das mamas13 pode indicar um tipo muito raro mas agressivo do câncer7 de mama15, o carcinoma17 inflamatório das mamas13. Estes sinais18 também precisam ser investigados.

Se você tem um machucado nas mamas13 que não cicatriza por algumas semanas, ele deve ser examinado por um ginecologista.

Em qualquer alteração nas aréolas ou a eliminação de secreções pelo bico do seio19, sem que você esteja amamentando, procure um médico. Se as suas aréolas são cronicamente invertidas não há problema, mas se uma ou ambas mudaram de posição e passaram a ficar invertidas, elas também devem ser examinadas. A modificação é o que preocupa.

Às vezes pode ser necessário a realização de um exame físico cuidadoso associado a uma história clínica completa, além de exames complementares como ultrassonografia20 das mamas13, mamografias, ressonância magnética21 ou biópsias22.

N° 4: Sangramentos intermenstruais ou sangramentos não usuais

A maioria das mulheres, antes da menopausa23, tende a ignorar os sangramentos intermenstruais. Assim como costumam pensar que sangramentos que vêm do trato gastroinstinal fazem parte da menstruação24, especialmente se eles forem regulares, entretanto eles podem ser um sinal14 do câncer7 colorretal. Também aquelas mulheres já na menopausa23, tendem a achar que os sangramentos depois da menopausa23 são normais, ignorando que eles possam ser um sinal14 de câncer7 de endométrio25.

Se uma mulher não costuma apresentar sangramentos intermenstruais e passa a sangrar, isto deve ser investigado. Ao contrário, algumas mulheres têm mesmo sangramentos entre as menstruações, o que pode não significar problema para elas.

O câncer7 de endométrio25 é bem comum e pelo menos 3/4 das mulheres que apresentam este tumor26 têm sangramentos intermenstruais como um sinal14 precoce deste câncer7.

O médico irá avaliar a necessidade de uma ultrassonografia20 do útero27 ou de uma biópsia28.

N° 5: Mudanças na pele16

A maioria das pessoas sabe que deve ficar atenta para o aparecimento de pintas na pele16 – um sinal14 conhecido de câncer7 de pele16. Mas poucos sabem que devemos estar atentos para mudanças na pigmentação, sangramentos ou descamações em excesso na pele16. Eles devem ser avaliados por um dermatologista, principalmente nas primeiras semanas que acontecem, para evitar a progressão para lesões29 malignas de pele16.

N° 6: Dificuldades na deglutição30

Caso você esteja apresentando dificuldades para deglutir31 os alimentos, você já deve ter mudado sua dieta para algo que exclua alimentos sólidos e inclua sopas, proteínas32 batidas, papas, mingaus, sucos de frutas e líquidos em geral.

Esta dificuldade pode ser um sinal14 de câncer7 no trato gastrointestinal, como o câncer7 de esôfago33. É recomendável que você consulte um gastroenterologista. Ele vai pesquisar a sua história clínica completa e poderá solicitar exames complementares como radiografias, endoscopia34 digestiva ou outros que achar necessários.

N° 7: Sangramentos inesperados

Se você notar sangue35 na urina36 ou nas fezes, não conclua que é um a infecção37 urinária ou problemas de hemorroida, respectivamente. Todo sangramento deve ser investigado para achar a sua causa exata. Um médico deve ser consultado.

Em relação ao sangramento por via anal, o médico pode achar necessário fazer um toque retal ou solicitar exames como a pesquisa de sangue35 oculto nas fezes ou uma colonoscopia38.

Já o sangramento por via urinária pode representar tumores na bexiga39 ou nos rins40.

Tossir e eliminar sangue35, principalmente se acontecer mais de uma vez, pode ser sinal14 de doenças como a tuberculose41 ou tumores que devem ser investigados. Procure inicialmente um clínico geral. Ele o encaminhará ao especialista apropriado caso seja necessário.

N° 8: Dor abdominal e Depressão

Toda mulher que apresenta dores abdominais e depressão precisa passar por uma avaliação médica criteriosa. Alguns pesquisadores já encontraram uma associação entre o câncer7 de pâncreas42 e a depressão, mas esta é uma relação mal entendida até o momento.

N° 9: Indigestão

Muitas mulheres grávidas queixam-se de indigestão, azia43 ou sensação de plenitude gástrica à medida que a gestação evolui e elas ganham mais peso. Isso é esperado. Mas as mulheres com estas queixas, sem razão aparente, devem consultar um gastroenterologista, pois estes sintomas1 podem ser sinais18 precoces de câncer7 no esôfago33, estômago44 ou na garganta45.

N° 10: Alterações na boca46

As fumantes devem prestar especial atenção a lesões29 brancas na boca46 ou manchas brancas na língua47, elas podem representar uma alteração pré-cancerosa conhecida como leucoplasia48 e devem ser investigadas por um dentista ou por um cirurgião bucomaxilofacial.

N° 11: Dor

Embora a maioria das queixas de dor não seja sinal14 de câncer7 e seja comum as pessoas se queixarem de alguma dor à medida que envelhecem, qualquer dor deve ser pesquisada.

As dores que persistem necessitam de uma explicação e devem ser checadas. Procure a ajuda de um médico, o qual deve conhecer sua história clínica e avaliar a necessidade de exames complementares ao exame físico.

N° 12: Mudanças nos linfonodos49

Protuberâncias ou inchaços na axila, no pescoço50 próximo à garganta45 ou em qualquer outro local pode ser um linfonodo51 aumentado.

Se um linfonodo51 torna-se progressivamente maior, e isto já dura mais de um mês, procure ajuda médica. O médico vai examinar esta alteração, relacioná-la a alguma patologia52 como, por exemplo, uma infecção37 que possa explicar este aumento, ou pedir exames para investigar tal lesão53. Pode ser necessário fazer uma biópsia28 do linfonodo51 aumentado.

N° 13: Febre54

De acordo com a American Cancer7 Society, febre54 persistente que não foi explicada por uma gripe55 ou por uma outra infecção37 pode ser um sinal14 de câncer7. Febre54 relacionada a tumores é mais comum quando este já se espalhou além do sítio inicial, mas ela pode ser um sinal14 precoce de alguns tipos de câncer7 como leucemia56 e linfoma57.

Outros sintomas1 de câncer7 podem incluir icterícia58 ou mudança na cor das fezes.

Um médico pode ajudar a identificar a causa da febre54.

N° 14: Fadiga59

A fadiga59 é um outro sintoma11 vago que pode estar relacionado a alguns tumores, assim como a outros problemas de saúde12. Ela pode ocorrer depois do crescimento tumoral, mas é comum como um sintoma11 precoce de certos tumores como leucemias, câncer7 de estômago44 ou de cólon60.

N° 15: Tosse persistente

A tosse é esperada em resfriados, gripes, alergias e algumas vezes como efeito colateral61 de medicações, principalmente as usadas para tratar a hipertensão arterial62. Mas uma tosse prolongada, que dura mais do que três ou quatro semanas, não deve ser ignorada. Deve-se agendar uma consulta médica para avaliação. Alguns exames como radiografias de tórax63 e exames que avaliam a função pulmonar podem ajudar muito, especialmente se você é fumante.

ABCMED, 2010. Quinze sintomas de câncer que muitas mulheres ignoram. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/saude-da-mulher/70013/quinze-sintomas-de-cancer-que-muitas-mulheres-ignoram.htm>. Acesso em: 18 dez. 2018.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
2 Calorias: Dizemos que um alimento tem “x“ calorias, para nos referirmos à quantidade de energia que ele pode fornecer ao organismo, ou seja, à energia que será utilizada para o corpo realizar suas funções de respiração, digestão, prática de atividades físicas, etc.
3 Glândula: Estrutura do organismo especializada na produção de substâncias que podem ser lançadas na corrente sangüínea (glândulas endócrinas) ou em uma superfície mucosa ou cutânea (glândulas exócrinas). A saliva, o suor, o muco, são exemplos de produtos de glândulas exócrinas. Os hormônios da tireóide, a insulina e os estrógenos são de secreção endócrina.
4 Tireoide: Glândula endócrina altamente vascularizada, constituída por dois lobos (um em cada lado da TRAQUÉIA) unidos por um feixe de tecido delgado. Secreta os HORMÔNIOS TIREOIDIANOS (produzidos pelas células foliculares) e CALCITONINA (produzida pelas células para-foliculares), que regulam o metabolismo e o nível de CÁLCIO no sangue, respectivamente.
5 Edema: 1. Inchaço causado pelo excesso de fluidos no organismo. 2. Acúmulo anormal de líquido nos tecidos do organismo, especialmente no tecido conjuntivo.
6 Inchaço: Inchação, edema.
7 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
8 Ovário: Órgão reprodutor (GÔNADAS) feminino. Nos vertebrados, o ovário contém duas partes funcionais Sinônimos: Ovários
9 Pélvica: Relativo a ou próprio de pelve. A pelve é a cavidade no extremo inferior do tronco, formada pelos dois ossos do quadril (ilíacos), sacro e cóccix; bacia. Ou também é qualquer cavidade em forma de bacia ou taça (por exemplo, a pelve renal).
10 Urgência: 1. Necessidade que requer solução imediata; pressa. 2. Situação crítica ou muito grave que tem prioridade sobre outras; emergência.
11 Sintoma: Qualquer alteração da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. O sintoma é a queixa relatada pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
12 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
13 Mamas: Em humanos, uma das regiões pareadas na porção anterior do TÓRAX. As mamas consistem das GLÂNDULAS MAMÁRIAS, PELE, MÚSCULOS, TECIDO ADIPOSO e os TECIDOS CONJUNTIVOS.
14 Sinal: 1. É uma alteração percebida ou medida por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida. 2. Som ou gesto que indica algo, indício. 3. Dinheiro que se dá para garantir um contrato.
15 Mama: Em humanos, uma das regiões pareadas na porção anterior do TÓRAX. As mamas consistem das GLÂNDULAS MAMÁRIAS, PELE, MÚSCULOS, TECIDO ADIPOSO e os TECIDOS CONJUNTIVOS.
16 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
17 Carcinoma: Tumor maligno ou câncer, derivado do tecido epitelial.
18 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
19 Seio: Em humanos, uma das regiões pareadas na porção anterior do TÓRAX. As mamas consistem das GLÂNDULAS MAMÁRIAS, PELE, MÚSCULOS, TECIDO ADIPOSO e os TECIDOS CONJUNTIVOS.
20 Ultrassonografia: Ultrassonografia ou ecografia é um exame complementar que usa o eco produzido pelo som para observar em tempo real as reflexões produzidas pelas estruturas internas do organismo (órgãos internos). Os aparelhos de ultrassonografia utilizam uma frequência variada, indo de 2 até 14 MHz, emitindo através de uma fonte de cristal que fica em contato com a pele e recebendo os ecos gerados, os quais são interpretados através de computação gráfica.
21 Ressonância magnética: Exame que fornece imagens em alta definição dos órgãos internos do corpo através da utilização de um campo magnético.
22 Biópsias: 1. Retirada de material celular ou de um fragmento de tecido de um ser vivo para determinação de um diagnóstico. 2. Exame histológico e histoquímico. 3. Por metonímia, é o próprio material retirado para exame.
23 Menopausa: Estado fisiológico caracterizado pela interrupção dos ciclos menstruais normais, acompanhada de alterações hormonais em mulheres após os 45 anos.
24 Menstruação: Sangramento cíclico através da vagina, que é produzido após um ciclo ovulatório normal e que corresponde à perda da camada mais superficial do endométrio uterino.
25 Endométrio: Membrana mucosa que reveste a cavidade uterina (responsável hormonalmente) durante o CICLO MENSTRUAL e GRAVIDEZ. O endométrio sofre transformações cíclicas que caracterizam a MENSTRUAÇÃO. Após FERTILIZAÇÃO bem sucedida, serve para sustentar o desenvolvimento do embrião.
26 Tumor: Termo que literalmente significa massa ou formação de tecido. É utilizado em geral para referir-se a uma formação neoplásica.
27 Útero: Orgão muscular oco (de paredes espessas), na pelve feminina. Constituído pelo fundo (corpo), local de IMPLANTAÇÃO DO EMBRIÃO e DESENVOLVIMENTO FETAL. Além do istmo (na extremidade perineal do fundo), encontra-se o COLO DO ÚTERO (pescoço), que se abre para a VAGINA. Além dos istmos (na extremidade abdominal superior do fundo), encontram-se as TUBAS UTERINAS.
28 Biópsia: 1. Retirada de material celular ou de um fragmento de tecido de um ser vivo para determinação de um diagnóstico. 2. Exame histológico e histoquímico. 3. Por metonímia, é o próprio material retirado para exame.
29 Lesões: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
30 Deglutição: Passagem dos alimentos desde a boca até o esôfago; ação ou efeito de deglutir; engolir. É um mecanismo em parte voluntário e em parte automático (reflexo) que envolve a musculatura faríngea e o esfíncter esofágico superior.
31 Deglutir: Passar (o bolo alimentar) da boca para o esôfago e, a seguir, para o estômago.
32 Proteínas: Um dos três principais nutrientes dos alimentos. Alimentos que fornecem proteína incluem carne vermelha, frango, peixe, queijos, leite, derivados do leite, ovos.
33 Esôfago: Segmento muscular membranoso (entre a FARINGE e o ESTÔMAGO), no TRATO GASTRINTESTINAL SUPERIOR.
34 Endoscopia: Método no qual se visualiza o interior de órgãos e cavidades corporais por meio de um instrumento óptico iluminado.
35 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
36 Urina: Resíduo líquido produzido pela filtração renal no organismo, estocado na bexiga e expelido pelo ato de urinar.
37 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
38 Colonoscopia: Estudo endoscópico do intestino grosso, no qual o colonoscópio é introduzido pelo ânus. A colonoscopia permite o estudo de todo o intestino grosso e porção distal do intestino delgado. É um exame realizado na investigação de sangramentos retais, pesquisa de diarreias, alterações do hábito intestinal, dores abdominais e na detecção e remoção de neoplasias.
39 Bexiga: Órgão cavitário, situado na cavidade pélvica, no qual é armazenada a urina, que é produzida pelos rins. É uma víscera oca caracterizada por sua distensibilidade. Tem a forma de pêra quando está vazia e a forma de bola quando está cheia.
40 Rins: Órgãos em forma de feijão que filtram o sangue e formam a urina. Os rins são localizados na região posterior do abdômen, um de cada lado da coluna vertebral.
41 Tuberculose: Doença infecciosa crônica produzida pelo bacilo de Koch (Mycobacterium tuberculosis). Produz doença pulmonar, podendo disseminar-se para qualquer outro órgão. Os sintomas de tuberculose pulmonar consistem em febre, tosse, expectoração, hemoptise, acompanhada de perda de peso e queda do estado geral. Em países em desenvolvimento (como o Brasil) aconselha-se a vacinação com uma cepa atenuada desta bactéria (vacina BCG).
42 Pâncreas: Órgão nodular (no ABDOME) que abriga GLÂNDULAS ENDÓCRINAS e GLÂNDULAS EXÓCRINAS. A pequena porção endócrina é composta pelas ILHOTAS DE LANGERHANS, que secretam vários hormônios na corrente sangüínea. A grande porção exócrina (PÂNCREAS EXÓCRINO) é uma glândula acinar composta, que secreta várias enzimas digestivas no sistema de ductos pancreáticos (que desemboca no DUODENO).
43 Azia: Pirose. Sensação de dor epigástrica semelhante a uma queimadura, geralmente acompanhada de regurgitação de suco gástrico para dentro do esôfago.
44 Estômago: Órgão da digestão, localizado no quadrante superior esquerdo do abdome, entre o final do ESÔFAGO e o início do DUODENO.
45 Garganta: Tubo fibromuscular em forma de funil, que leva os alimentos ao ESÔFAGO e o ar à LARINGE e PULMÕES. Situa-se posteriormente à CAVIDADE NASAL, à CAVIDADE ORAL e à LARINGE, extendendo-se da BASE DO CRÂNIO à borda inferior da CARTILAGEM CRICÓIDE (anteriormente) e à borda inferior da vértebra C6 (posteriormente). É dividida em NASOFARINGE, OROFARINGE e HIPOFARINGE (laringofaringe).
46 Boca: Cavidade oral ovalada (localizada no ápice do trato digestivo) composta de duas partes
47 Língua:
48 Leucoplasia: Termo que literalmente significa “formação brancacenta” e que é utilizada para designar lesões benignas, ou em certas ocasiões malignas, que produzem uma coloração esbranquiçada da superfície mucosa, geralmente na cavidade oral.
49 Linfonodos: Gânglios ou nodos linfáticos.
50 Pescoço:
51 Linfonodo: Gânglio ou nodo linfático.
52 Patologia: 1. Especialidade médica que estuda as doenças e as alterações que estas provocam no organismo. 2. Qualquer desvio anatômico e/ou fisiológico, em relação à normalidade, que constitua uma doença ou caracterize determinada doença. 3. Por extensão de sentido, é o desvio em relação ao que é próprio ou adequado ou em relação ao que é considerado como o estado normal de uma coisa inanimada ou imaterial.
53 Lesão: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
54 Febre: É a elevação da temperatura do corpo acima dos valores normais para o indivíduo. São aceitos como valores de referência indicativos de febre: temperatura axilar ou oral acima de 37,5°C e temperatura retal acima de 38°C. A febre é uma reação do corpo contra patógenos.
55 Gripe: Doença viral adquirida através do contágio interpessoal que se caracteriza por faringite, febre, dores musculares generalizadas, náuseas, etc. Sua duração é de aproximadamente cinco a sete dias e tem uma maior incidência nos meses frios. Em geral desaparece naturalmente sem tratamento, apenas com medidas de controle geral (repouso relativo, ingestão de líquidos, etc.). Os antibióticos não funcionam na gripe e não devem ser utilizados de rotina.
56 Leucemia: Doença maligna caracterizada pela proliferação anormal de elementos celulares que originam os glóbulos brancos (leucócitos). Como resultado, produz-se a substituição do tecido normal por células cancerosas, com conseqüente diminuição da capacidade imunológica, anemia, distúrbios da função plaquetária, etc.
57 Linfoma: Doença maligna que se caracteriza pela proliferação descontrolada de linfócitos ou seus precursores. A pessoa com linfoma pode apresentar um aumento de tamanho dos gânglios linfáticos, do baço, do fígado e desenvolver febre, perda de peso e debilidade geral.
58 Icterícia: Coloração amarelada da pele e mucosas devido a uma acumulação de bilirrubina no organismo. Existem dois tipos de icterícia que têm etiologias e sintomas distintos: icterícia por acumulação de bilirrubina conjugada ou direta e icterícia por acumulação de bilirrubina não conjugada ou indireta.
59 Fadiga: 1. Sensação de enfraquecimento resultante de esforço físico. 2. Trabalho cansativo. 3. Redução gradual da resistência de um material ou da sensibilidade de um equipamento devido ao uso continuado.
60 Cólon:
61 Efeito colateral: 1. Ação não esperada de um medicamento. Ou seja, significa a ação sobre alguma parte do organismo diferente daquela que precisa ser tratada pelo medicamento. 2. Possível reação que pode ocorrer durante o uso do medicamento, podendo ser benéfica ou maléfica.
62 Hipertensão arterial: Aumento dos valores de pressão arterial acima dos valores considerados normais, que no adulto são de 140 milímetros de mercúrio de pressão sistólica e 85 milímetros de pressão diastólica.
63 Tórax: Parte superior do tronco entre o PESCOÇO e o ABDOME; contém os principais órgãos dos sistemas circulatório e respiratório. (Tradução livre do original Sinônimos: Peito; Caixa Torácica
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Cancerologia?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.

Comentários

18/01/2013 - Comentário feito por angela
Re: Quinze sintomas de câncer que muitas mulheres ignoram
muito bom este artigo q fala dos 15 sintomas de câncer, eu mesma tive em casa 2 pessoas q faleceram com esta doença, e desconhecia esses sintomas, agradeço as pessoas q o escreveu para nos dar esses esclarecimentos, meu muito obrigada, e tudo de bom a equipa de médicos q dedicaram seu tempo para nós. Deus os abençoem.

13/12/2012 - Comentário feito por paula
Re: Quinze sintomas de câncer que muitas mulheres ignoram
adorei tirei minhas duvidas q eram muitas, parabéns ao autor.

14/11/2012 - Comentário feito por Giza
Re: Quinze sintomas de câncer que muitas mulheres ignoram
Muitas vezes precisamos de informacoes com uma linguagem mais direcionada a leigos no assunto. Agradeco ao autor pelas informacoes sucintas e de facil entendimento...

14/01/2011 - Comentário feito por Tania
Re: Quinze sintomas de câncer que muitas mulheres ignoram
Nossa como e bom ter conhecimento, tirei muitas dúvidas somente nesse artigo.

14/12/2010 - Comentário feito por BEATRIZ
Re:DOR NO QUADRIL POSTERIOR SACRO
ENCONTREI POR ACASO ESTE SITE SOBRE A SAUDE GOSTEI MUITO ASSIM FICO MAIS INFORMADA, NO MEU CASO TENHO 48 ANOS PRATICO MUITA CAMINHADA NA VERDADE SOU GUIA DE TURISMO POR ESSE MOTIVO CAMINHO MUITO O DIA TODO A 6 ANOS JA PASSEI POR UMA CIRUGIA DE HERNIA DE DISCO FOI L5,S1 E SEXTA FEIRA 10 -12- 2010 SENTI UMA DOR INSOPRTAVEL NO SACRO E ME DEIJO SE PODER CAMINHAR PRIMEIRO FOI LOCALIZADA E SEGUNDA FEIRA JA FOI LATERAL DIREITO DA PERNA SUPERIOR UM POUCO DE DOR NA INFERIOR DA PERNA E NO PÉ TODO LADO DIREITO ENTÃO GOSTARIA DE SABER QUAL SERIA A CAUSA DE ESTA DOR POR FAVOR SE ME PODERIAM ORIENTAR UM POUCO SOBRE ISSO.

ATT.
BEATRIZ.

  • Entrar
  • Assinar
O AbcMed® é parte integrante da Plataforma HiDoctor® e é oferecido a você gratuitamente.