Gostou do artigo? Compartilhe!

Mitos e verdade sobre menstruação

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que é menstruação1?

Menstruação1 é o fluxo de sangue2 e restos de mucosa3 uterina periodicamente eliminados pela vagina4, geralmente a cada quatro semanas, mais ou menos, nas mulheres não grávidas, entre a puberdade e a menopausa5. A menstruação1 cessa provisoriamente durante a gravidez6 e nos primeiros meses de amamentação7 e definitivamente após a menopausa5. Na criança pequena ela ainda não ocorre.

O que causa a menstruação1?

A menstruação1 faz parte do ciclo reprodutivo da mulher. A cada ciclo menstrual o corpo feminino se prepara para a gravidez6, com alterações hormonais e espessamento da parede interna do útero8. Quando a gravidez6 não ocorre, o endométrio9 (camada interna do útero8) se desprende e é eliminado juntamente com sangue2, constituindo o fluxo menstrual.

Saiba mais sobre "Menstruação1", "Ciclo menstrual", "Menopausa5" e "Sintomas10 Precoces de Gravidez6".

Qual é o mecanismo fisiológico11 da menstruação1?

O ciclo reprodutivo da mulher pode ser compreendido como tendo quatro fases distintas:

  1. O ciclo começa com a menstruação1.
  2. Na fase pré-ovulatória, o óvulo12 se desenvolve de modo a ficar pronto para ser eliminado do ovário13 e o endométrio9 se espessa e se prepara para receber o óvulo12 eventualmente fecundado.
  3. A fase da ovulação14 ocorre entre o 13º e 15º dias depois da menstruação1. Nessa fase, a mulher está fértil e tem maiores chances de engravidar.
  4. Na fase pós-ovulatória, se o óvulo12 não é fecundado, ele morre após 12 ou 24 horas e o revestimento interno do útero8 é liberado para, juntamente com algum sangue2, formar a menstruação1, recomeçando o ciclo.

Quais são as principais características clínicas da menstruação1?

A primeira menstruação1 é um dos muitos sinais15 físicos de que uma menina está se transformando em mulher. Em geral, a primeira menstruação1 (chamada menarca16) ocorre, em média, por volta dos doze anos (entre 11 e 14 anos) e a última menstruação1 se dá entre os 45 e 55 anos (51 anos, em média). No entanto, as menstruações podem, ocasionalmente, começar ainda mais cedo.

A partir daí, a mulher pode tonar-se mãe, embora muitas delas ainda não tenham compreensão completa do sistema reprodutivo ou do que realmente acontece durante o ciclo menstrual. Além do sangramento vaginal, a mulher pode ter dores abdominais ou pélvicas17 e na região lombar18, seios19 doloridos, ânsias alimentares, oscilações de humor, irritabilidade, dor de cabeça20 e fadiga21.

O espaço típico entre uma menstruação1 e outra é de 21 a 45 dias em mulheres jovens e de 21 a 31 dias em adultas (em média, 28 dias). O sangramento dura cerca de 2 a 7 dias. As menstruações cessam durante a gravidez6 e normalmente só retornam após os primeiros meses de amamentação7.

Um alta porcentagem das mulheres (até 80%) relatam sofrer uma síndrome22 que antecede as menstruações, chamada “tensão pré-menstrual”, cujos sinais15 e sintomas10 mais comuns incluem acne23, seios19 sensíveis, inchaço24, sensação de cansaço, irritabilidade e mudanças de humor. Em 3 a 8%, esses sintomas10 assumem maior gravidade.

Leia sobre "Ovulação14", "Amamentação7", "Tensão pré-menstrual" e "Acne23".

Algumas anormalidades das menstruações

Há muitas diferenças na forma como cada mulher experimenta a menstruação1, sendo, assim, difícil definir uma norma.

Se há sintomas10 graves precedendo as menstruações, que perturbem as atividades diárias, a situação é diagnosticada como transtorno disfórico pré-menstrual. Diz-se que a pessoa sofre de amenorreia25 quando as menstruações não ocorrem até os 15 anos ou se o intervalo entre elas é maior de 90 dias. Se as menstruações são infrequentes fala-se em oligomenorreia26 e se elas são curtas ou extremamente claras diz-se que há hipomenorreia. Se são muito frequentes, a situação é dita polimenorreia. Se são extremamente intensas ou longas (acima de 7 dias), diz-se que há hipermenorreia27.

Como as caracterizações desses termos é um tanto imprecisa, muitos ginecologistas preferem descrever a menstruação1 em terminologia mais precisa e mais simples, que se refere a:

(1) regularidade do ciclo (irregular, regular ou ausente);

(2) frequência da menstruação1 (frequente, normal ou infrequente);

(3) duração do fluxo menstrual (prolongado, normal ou reduzido);

(4) volume do fluxo menstrual (intenso, normal ou leve).

Outros problemas incluem menstruações dolorosas e sangramentos anormais, como sangramentos entre as menstruações ou muito intensos. Se ocorrem hemorragias28 entre as menstruações, a situação é chamada metrorragia29. Nas mulheres que sofrem cólicas30 dolorosas durante a menstruação1, também conhecidas como dismenorreia31, a dor se deve a isquemias32 e contrações musculares uterinas. Cada caso tem sua razão de ser e deve ser discutido com o médico para identificar a causa subjacente.

Veja mais sobre "Amenorreia25" e "Dismenorreia31".

Verdades e mitos sobre as menstruações

Como a menstruação1 é comum a todas as mulheres, muitas das quais não alcançam compreender os mecanismos fisiológicos que as gera, elas são cercadas de ideias, nem sempre verdadeiras. Vejamos algumas delas:

1. É possível engravidar mesmo estando menstruada.

VERDADE. Apesar de ser difícil, a ovulação14 pode ocorrer durante o período menstrual.

2. Estando menstruada, lavar os cabelos faz mal ou torna a menstruação1 mais abundante.

MITO. Lavar os cabelos não influencia em nada a menstruação1 ou o ciclo menstrual.

3. Absorvente interno tira a virgindade.

DEPENDE. Em geral, o absorvente interno de tamanho menor, quando colocado da forma correta, não rompe o hímen33 da mulher. No entanto, o hímen33 pode ser rompido mais facilmente com o uso de absorvente maior ou coletor menstrual.

4. Mulheres que convivem de forma muito próxima costumam sincronizar suas menstruações.

VERDADE. Isso costuma acontecer em prisões, conventos e outros ambientes onde há reunião permanente de mulheres. Talvez isso aconteça porque essas mulheres tendem a passar pelos mesmo fatores externos que influenciam o ciclo menstrual.

5. Andar descalça piora a cólica.

MITO. Mesmo que o chão seja frio, andar descalço não faz piorar a cólica.

6. A tensão pré-menstrual (TPM) não existe, é apenas uma desculpa das mulheres.

MITO. A tensão pré-menstrual é real e ocorre devido às grandes oscilações hormonais que ocorrem durante o ciclo menstrual.

7. Manter relações sexuais estando menstruada aumenta o risco de contrair e passar doenças sexualmente transmissíveis.

VERDADE. Isso acontece porque o sangue2 funciona como alimento, favorecendo a proliferação de microrganismos que causam doenças.

8. Tomar anticoncepcional seguido para não menstruar faz mal à saúde34.

MITO. Evitar a menstruação1 não faz mal à saúde34.

9. Manter relações enquanto menstruada não traz problemas para a mulher.

VERDADE. Se o contato íntimo for seguro e com camisinha, ele não traz nenhum problema para a mulher.

10. Ter um fluxo menstrual muito forte pode causar anemia35.

MITO. Em geral, o fluxo forte não é motivo para anemia35, a não ser quando existem doenças causando o problema.

Leia também sobre "Alimentos e medidas que aliviam a TPM", "Doenças sexualmente transmissíveis", "Pílulas anticoncepcionais", "Métodos anticoncepcionais" e "Anemias".

 

ABCMED, 2017. Mitos e verdade sobre menstruação. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/saude-da-mulher/1300508/mitos+e+verdade+sobre+menstruacao.htm>. Acesso em: 22 set. 2019.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Menstruação: Sangramento cíclico através da vagina, que é produzido após um ciclo ovulatório normal e que corresponde à perda da camada mais superficial do endométrio uterino.
2 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
3 Mucosa: Tipo de membrana, umidificada por secreções glandulares, que recobre cavidades orgânicas em contato direto ou indireto com o meio exterior.
4 Vagina: Canal genital, na mulher, que se estende do ÚTERO à VULVA. (Tradução livre do original
5 Menopausa: Estado fisiológico caracterizado pela interrupção dos ciclos menstruais normais, acompanhada de alterações hormonais em mulheres após os 45 anos.
6 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
7 Amamentação: Ato da nutriz dar o peito e o lactente mamá-lo diretamente. É um fenômeno psico-sócio-cultural. Dar de mamar a; criar ao peito; aleitar; lactar... A amamentação é uma forma de aleitamento, mas há outras formas.
8 Útero: Orgão muscular oco (de paredes espessas), na pelve feminina. Constituído pelo fundo (corpo), local de IMPLANTAÇÃO DO EMBRIÃO e DESENVOLVIMENTO FETAL. Além do istmo (na extremidade perineal do fundo), encontra-se o COLO DO ÚTERO (pescoço), que se abre para a VAGINA. Além dos istmos (na extremidade abdominal superior do fundo), encontram-se as TUBAS UTERINAS.
9 Endométrio: Membrana mucosa que reveste a cavidade uterina (responsável hormonalmente) durante o CICLO MENSTRUAL e GRAVIDEZ. O endométrio sofre transformações cíclicas que caracterizam a MENSTRUAÇÃO. Após FERTILIZAÇÃO bem sucedida, serve para sustentar o desenvolvimento do embrião.
10 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
11 Fisiológico: Relativo à fisiologia. A fisiologia é estudo das funções e do funcionamento normal dos seres vivos, especialmente dos processos físico-químicos que ocorrem nas células, tecidos, órgãos e sistemas dos seres vivos sadios.
12 Óvulo: Célula germinativa feminina (haplóide e madura) expelida pelo OVÁRIO durante a OVULAÇÃO.
13 Ovário: Órgão reprodutor (GÔNADAS) feminino. Nos vertebrados, o ovário contém duas partes funcionais Sinônimos: Ovários
14 Ovulação: Ovocitação, oocitação ou ovulação nos seres humanos, bem como na maioria dos mamíferos, é o processo que libera o ovócito II em metáfase II do ovário. (Em outras espécies em vez desta célula é liberado o óvulo.) Nos dias anteriores à ovocitação, o folículo secundário cresce rapidamente, sob a influência do FSH e do LH. Ao mesmo tempo que há o desenvolvimento final do folículo, há um aumento abrupto de LH, fazendo com que o ovócito I no seu interior complete a meiose I, e o folículo passe ao estágio de pré-ovocitação. A meiose II também é iniciada, mas é interrompida em metáfase II aproximadamente 3 horas antes da ovocitação, caracterizando a formação do ovócito II. A elevada concentração de LH provoca a digestão das fibras colágenas em torno do folículo, e os níveis mais altos de prostaglandinas causam contrações na parede ovariana, que provocam a extrusão do ovócito II.
15 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
16 Menarca: Refere-se à ocorrência da primeira menstruação.
17 Pélvicas: Relativo a ou próprio de pelve. A pelve é a cavidade no extremo inferior do tronco, formada pelos dois ossos do quadril (ilíacos), sacro e cóccix; bacia. Ou também é qualquer cavidade em forma de bacia ou taça (por exemplo, a pelve renal).
18 Região Lombar:
19 Seios: Em humanos, uma das regiões pareadas na porção anterior do TÓRAX. As mamas consistem das GLÂNDULAS MAMÁRIAS, PELE, MÚSCULOS, TECIDO ADIPOSO e os TECIDOS CONJUNTIVOS.
20 Cabeça:
21 Fadiga: 1. Sensação de enfraquecimento resultante de esforço físico. 2. Trabalho cansativo. 3. Redução gradual da resistência de um material ou da sensibilidade de um equipamento devido ao uso continuado.
22 Síndrome: Conjunto de sinais e sintomas que se encontram associados a uma entidade conhecida ou não.
23 Acne: Doença de predisposição genética cujas manifestações dependem da presença dos hormônios sexuais. As lesões começam a surgir na puberdade, atingindo a maioria dos jovens de ambos os sexos. Os cravos e espinhas ocorrem devido ao aumento da secreção sebácea associada ao estreitamento e obstrução da abertura do folículo pilosebáceo, dando origem aos comedões abertos (cravos pretos) e fechados (cravos brancos). Estas condições favorecem a proliferação de microorganismos que provocam a inflamação característica das espinhas, sendo o Propionibacterium acnes o agente infeccioso mais comumente envolvido.
24 Inchaço: Inchação, edema.
25 Amenorréia: É a ausência de menstruação pelo período equivalente a 3 ciclos menstruais ou 6 meses (o que ocorrer primeiro). Para períodos inferiores, utiliza-se o termo atraso menstrual.
26 Oligomenorréia: Menstruação produzida a intervalos prolongados. Pode ser a expressão de anormalidades na função ovariana.
27 Hipermenorréia: Também chamada de menorragia, é a menstruação anormalmente longa e intensa em intervalos regulares. As causas podem ser: coagulação sangüínea anormal, desregulação hormonal do ciclo menstrual ou desordens do revestimento endometrial do útero. Dependendo da causa, a hipermenorréia pode estar associada à menstruação dolorosa (dismenorréia).
28 Hemorragias: Saída de sangue dos vasos sanguíneos ou do coração para o exterior, para o interstício ou para cavidades pré-formadas do organismo.
29 Metrorragia: Hemorragia uterina produzida fora do período menstrual. Pode ser sinal de menopausa. Em certas ocasiões é produzida pela presença de tumor uterino ou nos ovários.
30 Cólicas: Dor aguda, produzida pela dilatação ou contração de uma víscera oca (intestino, vesícula biliar, ureter, etc.). Pode ser de início súbito, com exacerbações e períodos de melhora parcial ou total, nos quais o paciente pode estar sentindo-se bem ou apresentar dor leve.
31 Dismenorréia: Dor associada à menstruação. Em uma porcentagem importante de mulheres é um sintoma normal. Em alguns casos está associada a doenças ginecológicas (endometriose, etc.).
32 Isquemias: Insuficiência absoluta ou relativa de aporte sanguíneo a um ou vários tecidos. Suas manifestações dependem do tecido comprometido, sendo a mais frequente a isquemia cardíaca, capaz de produzir infartos, isquemia cerebral, produtora de acidentes vasculares cerebrais, etc.
33 Hímen:
34 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
35 Anemia: Condição na qual o número de células vermelhas do sangue está abaixo do considerado normal para a idade, resultando em menor oxigenação para as células do organismo.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Ginecologia e Obstetrícia?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.