Gostou do artigo? Compartilhe!

Baixo peso ao nascer: causas e consequências

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que é baixo peso ao nascer?

O peso considerado normal para um bebê ao nascer varia entre 2.500 a 4.200 gramas. Um bebê é dito ter baixo peso ao nascer quando pesa menos do que estes valores de referência ao nascimento, independentemente da idade gestacional, seja ele prematuro ou não. O peso ao nascer é considerado muito baixo se for inferior a 1500 gramas e extremamente baixo se inferior a 1000 gramas. Quanto menor o baixo peso ao nascer, maiores são as complicações a que o bebê está sujeito e menores as possibilidades de sobrevivência1.

Quais são as causas do baixo peso ao nascer?

Nem sempre as causas de baixo peso ao nascer ficam esclarecidas, mas entre elas frequentemente estão o tabagismo materno, o uso de bebidas alcoólicas pela gestante, o uso de drogas, a desnutrição2 materna, infecções3, pré-eclâmpsia4 e insuficiência5 placentária.

Entre os fatores de risco contam-se o baixo peso da mulher antes de engravidar (menos de 50 quilos), pouca idade materna (menor de 15 anos), trombofilia6, anemia7 profunda, hipóxia8 materna, descolamento da placenta, nascimentos múltiplos, deformidades uterinas e cuidados pré-natais insuficientes. No entanto, a causa maior de baixo peso do bebê é nascer antes de 37 semanas de gestação (parto prematuro).

Saiba mais sobre "Prematuridade", "Pré-eclâmpsia4 e eclâmpsia9", "Gravidez10 precoce" e "Pré-natal".

Ser pequeno para a idade gestacional pode ser algo constitucional, sem causa patológica subjacente, ou pode ser secundário à restrição do crescimento intrauterino, o que, por sua vez, pode ser secundário a muitos fatores possíveis. Bebês11 com anomalias congênitas12 ou anormalidades cromossômicas frequentemente nascem com baixo peso. Os problemas com a placenta podem impedir que ela forneça o oxigênio e os nutrientes adequados ao feto13.

São situações diferentes se os bebês11 têm pouco peso por nascer prematuramente ou se são pequenos, mas nascem entre 37 semanas e 42 semanas (gestação completa).

Algumas características clínicas do bebê que tem baixo peso ao nascer

Os bebês11 que nascem com baixo peso também têm uma taxa de mortalidade14 fetal aumentada. O baixo peso ao nascer constitui de 60 a 80% da taxa de mortalidade infantil15 nos países em desenvolvimento. Segundo um estudo da University of Oregon, os casos de volume cerebral reduzido em crianças também está vinculado ao baixo peso ao nascer.

Por outro lado, embora os bebês11 com baixo peso ao nascer pareçam muito menores do que aqueles que nascem com peso normal, a cabeça16 de um bebê nascido com baixo peso pode parecer maior do que o resto do corpo. Essa desproporção desaparece com o crescimento da criança, porque as dimensões corporais aumentam num ritmo maior que as dimensões cefálicas. Ele geralmente parece magro e com pouca gordura17 corporal.

Quase todos os bebês11 com baixo peso ao nascer precisarão de cuidados especializados na Unidade de Terapia Intensiva18 Neonatal até ganharem peso e por isso terão de ficar na maternidade por um tempo maior que a parturiente.

Como o médico pode estimar que o bebê em gestação terá baixo peso ao nascer?

Durante a gravidez10, o peso do bebê ao nascer pode ser estimado de diferentes maneiras. A medida em centímetros do fundo do útero19 da mãe até a extremidade superior do seu osso púbico20, tomada após a 20ª semana de gestação, geralmente corresponde ao número de semanas de gravidez10. Se a medição for menor que o número de semanas, o bebê pode ser de menor tamanho e peso do que o esperado.

A ultrassonografia21 é um método mais preciso para estimar o tamanho fetal. Medições podem ser tomadas da cabeça16, abdômen e fêmur22 do feto13 e comparadas com uma tabela de crescimento para estimar o peso fetal. Ao nascer, os bebês11 são pesados e o peso é comparado com a idade gestacional do bebê.

Leia sobre "Ultrassonografia21 na gravidez10", "Parto prematuro" e "Descolamento da placenta".

Quais são as complicações possíveis de um bebê com baixo peso ao nascer?

Um bebê com baixo peso ao nascer está em maior risco de complicações que um bebê de peso normal. As dimensões corporais reduzidas e muitas vezes de um bebê ainda imaturo pode fazer com que ele tenha dificuldades para se alimentar, ganhar peso e combater infecções3. A pouca gordura17 corporal faz com que os bebês11 com baixo peso ao nascer tenham dificuldades de se aquecerem.

Como muitos deles também são prematuros, pode ser difícil separar os problemas devido à prematuridade dos problemas advindos de ter baixo peso. Quanto menor o peso ao nascer, maiores os riscos de complicações, tais como: baixos níveis de oxigênio ao nascer, incapacidade de manter a temperatura corporal, dificuldade de se alimentar e ganhar peso, infecções3, síndrome23 do desconforto respiratório (uma doença respiratória da prematuridade causada por pulmões24 imaturos), problemas neurológicos, gastrointestinais e a temida síndrome23 da morte súbita do lactente25.

Veja também sobre "Perguntas que as grávidas fazem", "Gestação semana a semana", "Sexo do bebê" e "Peso normal do bebê durante a gestação".

 

ABCMED, 2018. Baixo peso ao nascer: causas e consequências. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/saude-da-crianca/1313378/baixo-peso-ao-nascer-causas-e-consequencias.htm>. Acesso em: 21 out. 2019.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Sobrevivência: 1. Ato ou efeito de sobreviver, de continuar a viver ou a existir. 2. Característica, condição ou virtude daquele ou daquilo que subsiste a um outro. Condição ou qualidade de quem ainda vive após a morte de outra pessoa. 3. Sequência ininterrupta de algo; o que subsiste de (alguma coisa remota no tempo); continuidade, persistência, duração.
2 Desnutrição: Estado carencial produzido por ingestão insuficiente de calorias, proteínas ou ambos. Manifesta-se por distúrbios do desenvolvimento (na infância), atrofia de tecidos músculo-esqueléticos e caquexia.
3 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
4 Pré-eclâmpsia: É caracterizada por hipertensão, edema (retenção de líquidos) e proteinúria (presença de proteína na urina). Manifesta-se na segunda metade da gravidez (após a 20a semana de gestação) e pode evoluir para convulsão e coma, mas essas condições melhoram com a saída do feto e da placenta. No meio médico, o termo usado é Moléstia Hipertensiva Específica da Gravidez. É a principal causa de morte materna no Brasil atualmente.
5 Insuficiência: Incapacidade de um órgão ou sistema para realizar adequadamente suas funções.Manifesta-se de diferentes formas segundo o órgão comprometido. Exemplos: insuficiência renal, hepática, cardíaca, respiratória.
6 Trombofilia: Tendência aumentada a apresentar fenômenos tromboembólicos, seja esta hereditária ou adquirida.
7 Anemia: Condição na qual o número de células vermelhas do sangue está abaixo do considerado normal para a idade, resultando em menor oxigenação para as células do organismo.
8 Hipóxia: Estado de baixo teor de oxigênio nos tecidos orgânicos que pode ocorrer por diversos fatores, tais como mudança repentina para um ambiente com ar rarefeito (locais de grande altitude) ou por uma alteração em qualquer mecanismo de transporte de oxigênio, desde as vias respiratórias superiores até os tecidos orgânicos.
9 Eclâmpsia: Ocorre quando a mulher com pré-eclâmpsia grave apresenta covulsão ou entra em coma. As convulsões ocorrem porque a pressão sobe muito e, em decorrência disso, diminui o fluxo de sangue que vai para o cérebro.
10 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
11 Bebês: Lactentes. Inclui o período neonatal e se estende até 1 ano de idade (12 meses).
12 Congênitas: 1. Em biologia, o que é característico do indivíduo desde o nascimento ou antes do nascimento; conato. 2. Que se manifesta espontaneamente; inato, natural, infuso. 3. Que combina bem com; apropriado, adequado. 4. Em termos jurídicos, é o que foi adquirido durante a vida fetal ou embrionária; nascido com o indivíduo. Por exemplo, um defeito congênito.
13 Feto: Filhote por nascer de um mamífero vivíparo no período pós-embrionário, depois que as principais estruturas foram delineadas. Em humanos, do filhote por nascer vai do final da oitava semana após a CONCEPÇÃO até o NASCIMENTO, diferente do EMBRIÃO DE MAMÍFERO prematuro.
14 Mortalidade: A taxa de mortalidade ou coeficiente de mortalidade é um dado demográfico do número de óbitos, geralmente para cada mil habitantes em uma dada região, em um determinado período de tempo.
15 Mortalidade Infantil: A taxa de mortalidade infantil é o quociente entre os óbitos de menores de um ano ocorridos em uma determinada unidade geográfica e período de tempo, e os nascidos vivos da mesma unidade nesse período, segundo a fórmula: Taxa de Mortalidade Infantil = (Óbitos de Menores de 1 ano / Nascidos Vivos) x 1.000
16 Cabeça:
17 Gordura: Um dos três principais nutrientes dos alimentos. Os alimentos que fornecem gordura são: manteiga, margarina, óleos, nozes, carnes vermelhas, peixes, frango e alguns derivados do leite. O excesso de calorias é estocado no organismo na forma de gordura, fornecendo uma reserva de energia ao organismo.
18 Terapia intensiva: Tratamento para diabetes no qual os níveis de glicose são mantidos o mais próximo do normal possível através de injeções freqüentes ou uso de bomba de insulina, planejamento das refeições, ajuste em medicamentos hipoglicemiantes e exercícios baseados nos resultados de testes de glicose além de contatos freqüentes entre o diabético e o profissional de saúde.
19 Útero: Orgão muscular oco (de paredes espessas), na pelve feminina. Constituído pelo fundo (corpo), local de IMPLANTAÇÃO DO EMBRIÃO e DESENVOLVIMENTO FETAL. Além do istmo (na extremidade perineal do fundo), encontra-se o COLO DO ÚTERO (pescoço), que se abre para a VAGINA. Além dos istmos (na extremidade abdominal superior do fundo), encontram-se as TUBAS UTERINAS.
20 Osso Púbico:
21 Ultrassonografia: Ultrassonografia ou ecografia é um exame complementar que usa o eco produzido pelo som para observar em tempo real as reflexões produzidas pelas estruturas internas do organismo (órgãos internos). Os aparelhos de ultrassonografia utilizam uma frequência variada, indo de 2 até 14 MHz, emitindo através de uma fonte de cristal que fica em contato com a pele e recebendo os ecos gerados, os quais são interpretados através de computação gráfica.
22 Fêmur: O mais longo e o maior osso do esqueleto; está situado entre o quadril e o joelho. Sinônimos: Trocanter
23 Síndrome: Conjunto de sinais e sintomas que se encontram associados a uma entidade conhecida ou não.
24 Pulmões: Órgãos do sistema respiratório situados na cavidade torácica e responsáveis pelas trocas gasosas entre o ambiente e o sangue. São em número de dois, possuem forma piramidal, têm consistência esponjosa e medem cerca de 25 cm de comprimento. Os pulmões humanos são divididos em segmentos denominados lobos. O pulmão esquerdo possui dois lobos e o direito possui três. Os pulmões são compostos de brônquios que se dividem em bronquíolos e alvéolos pulmonares. Nos alvéolos se dão as trocas gasosas ou hematose pulmonar entre o meio ambiente e o corpo, com a entrada de oxigênio na hemoglobina do sangue (formando a oxiemoglobina) e saída do gás carbônico ou dióxido de carbono (que vem da célula como carboemoglobina) dos capilares para o alvéolo.
25 Lactente: Que ou aquele que mama, bebê. Inclui o período neonatal e se estende até 1 ano de idade (12 meses).
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Pediatria?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.