Gostou do artigo? Compartilhe!

Testes de Personalidade: o que são? Qual a sua finalidade? Quais são os mais usados?

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que é personalidade?

O termo personalidade é usado na linguagem comum em várias direções diferentes, frequentemente com o sentido de "conjunto das características marcantes de uma pessoa". No sentido em que o tomamos aqui, personalidade é o conjunto das características psicológicas que determinam os padrões de pensar, sentir e agir de cada pessoa. Assim, essa definição destaca a singularidade da pessoa e seu modo único de compreender a vida e de agir e reagir diante de fatos da realidade, como estudar, trabalhar, conviver etc., ou seja, a individualidade pessoal e social do indivíduo.

O que são testes de personalidade?

Testes de personalidade são testes aplicados por psicólogos por meio de perguntas ou testes gráficos com a finalidade de revelarem traços inatos e adquiridos da personalidade do indivíduo, muitas vezes não conhecidos ou não relatados por ele próprio e que indicam seu caráter e temperamento. Traços de personalidade são características marcantes da pessoa, os quais a distingue dos demais indivíduos e que determinam como ela age e reage a diferentes situações.

Para que os resultados possam ser adequadamente valorados, os testes psicológicos devem ser aplicados em uma situação padronizada e constante, que inclua o material empregado, as instruções oferecidas, o local da aplicação, etc.

Qual é a finalidade dos testes de personalidade?

Em todo o mundo, as maiores empresas incluem testes psicológicos de personalidade entre seus processos de seleção. A finalidade de um teste de personalidade consiste em avaliar e medir as características psicológicas de uma pessoa, bem como o comportamento dela em diferentes ocasiões. Os testes de personalidade podem ser utilizados com finalidade de ajuda diagnóstica de determinados estados mentais e para verificar as habilidades e limitações de pessoas em relação a certas atividades como dirigir, pilotar, etc. Atualmente eles têm sido utilizados também na seleção de pessoal e associados a outros recursos de seleção (análise de curriculum, entrevista, dinâmica de grupo). Estes testes têm se mostrado muito úteis na escolha de pessoas para o exercício de determinadas funções. Enquanto os demais recursos de seleção avaliam dados objetivos dos candidatos, os testes de personalidade visam revelar características pessoais mais profundas e menos óbvias para eles próprios, geralmente não sabidas e/ou não relatadas. Embora os testes de personalidade podem não ser um perfeito preditor do futuro desempenho de um candidato no trabalho oferecido, as informações fornecidas por eles podem ajudar o avaliador a ter uma impressão global do candidato e uma previsão da sua adequação ou não ao lugar pretendido.

Quais são os testes de personalidade mais usados?

Há uma grande variedade de testes de personalidade, cada um deles melhor adaptado a uma finalidade: diagnóstico1, seleção, autoconhecimento, etc.

Alguns testes clínicos mais conhecidos são:

  • Teste de Apercepção Temática (TAT), uma técnica projetiva que consiste em apresentar uma série de pranchas gráficas ao sujeito examinado, a partir das quais ele deve contar uma história sobre cada uma delas.
  • Minnesota Multiphasic Personality Inventary (MMPI), que consiste de 550 afirmações que o sujeito deve classificar como verdadeiras ou falsas, quando aplicáveis a si mesmo.
  • Teste de Rorscharch, que consiste em responder com o quê se parece cada uma das dez pranchas com manchas amorfas de tinta que o examinador lhe apresenta.
  • Teste da Árvore, no qual é pedido ao sujeito que desenhe uma árvore, sobre a qual ele projeta aspectos de sua personalidade.

Outros ainda, mais facilmente aplicáveis à seleção de pessoas são:

  • Inventário Fatorial de Personalidade (IFP), que visa avaliar o indivíduo normal em quinze necessidades ou motivos psicológicos: assistência, dominância, ordem, denegação, interação, desempenho, exibição, heterossexualidade, afago, mudança, persistência, agressão, deferência, autonomia e afiliação.
  • Teste de Atenção Concentrada, que tem a finalidade de avaliar a capacidade que o sujeito tem de manter a sua atenção concentrada no trabalho durante um período.
  • Teste Palográfico, cuja aplicação é muito simples e rápida. Ele avalia a personalidade por meio da expressão gráfica, com a realização de pequenos traços verticais e paralelos.
  • QUATI, que avalia a personalidade através das escolhas situacionais de cada indivíduo.
  • Teste de Raciocínio Lógico, elaborado com a finalidade de investigar o raciocínio lógico de motoristas, mas que também pode ser aplicado na seleção de pessoal e avaliação do potencial de funcionários.
  • Teste Não Verbal de Inteligência, para avaliar a capacidade intelectual através de questões gráficas ou numéricas.
  • Inventário de Administração de Tempo, instrumento que tem por objetivo colher informações sobre a forma como as pessoas utilizam o seu tempo no trabalho.
  • Psicodiagnóstico Miocinético (PMK), utilizado na avaliação de candidatos a motorista, operadores de máquinas e para quem vai portar arma de fogo.
  • Teste de Zulliger, que pode ser usado para toda a finalidade de diagnóstico1, avaliação da personalidade, seleção de pessoal, avaliação de desempenho, etc.
  • Teste Wartegg, que é uma técnica de investigação da personalidade através de desenhos obtidos por meio de uma variedade de pequenos elementos gráficos que servem como uma série de temas formais a serem desenvolvidos pelo indivíduo de maneira pessoal.
ABCMED, 2015. Testes de Personalidade: o que são? Qual a sua finalidade? Quais são os mais usados?. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/psicologia-e-psiquiatria/799889/testes-de-personalidade-o-que-sao-qual-a-sua-finalidade-quais-sao-os-mais-usados.htm>. Acesso em: 23 out. 2019.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Psiquiatria?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.