Atalho: 62E0MVN
Gostou do artigo? Compartilhe!

Prevenindo o Diabetes Mellitus e suas Complicações

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

Estima-se que o diagnóstico1 do diabetes mellitus2 (DM) ocorra em média 7 anos após o início da hiperglicemia3.

As recomendações da Sociedade Brasileira de Diabetes4 para o rastreamento do DM são:

Investigar DM a cada 3 anos em todos os indivíduos com mais de 45 anos.

Rastreamento mais frequente e mais precoce na presença de:

  • Excesso de peso
  • Dislipidemia, principalmente na presença de HDL colesterol5 baixo e triglicérides6 elevados
  • Hipertensão arterial7 (pressão alta)
  • Doença cardiovascular
  • Antecedente familiar de diabetes4
  • Diabetes gestacional8 prévio, história de macrossomia9 e abortos de repetição

 

Quais os fatores de risco para o Diabetes mellitus2? 

Fator de risco10 significa mais chance de desenvolver a doença. 

São fatores de risco para o desenvolvimento de diabetes4

  • Sedentarismo11
  • Sobrepeso12
  • Distribuição central de gordura13
  • Dieta rica em gordura13
  • Hipertensão arterial7
  • Dislipidemia (alterações metabólicas lipídicas decorrentes de distúrbios em qualquer fase do metabolismo14 lipídico, que ocasionem repercussão nos níveis séricos das lipoproteínas).

Além dos fatores acima, deve ser dada uma atenção especial para os fatores de risco para doenças cardiovasculares15 como o tabagismo, hipertensão arterial7 e dislipidemia para evitar o diabetes mellitus2.

 

Como se previne? 

O mais importante é o adequado controle dos níveis glicêmicos do paciente diabético. 

Controlar a hipertensão arterial7 também ajuda a prevenir as complicações dos eventos cardiovasculares em diabéticos. 

Como benefícios do controle da glicemia16 e da hipertensão17 há uma redução das complicações do diabetes18, redução da morte por diabetes4 e da mortalidade19 geral, diminuição do número de acidentes vasculares20 cerebrais, infartos e de doenças microvasculares. 

As principais complicações microvasculares no paciente com diagnóstico1 de DM2 são:

  • Neuropatia21
  • Retinopatia
  • Nefropatia22

O dano endotelial parece ser o fator desencadeante na patogênese23 dessas complicações. Essa disfunção endotelial é um marcador precoce da aterosclerose24.

O tratamento intensivo dos múltiplos fatores de risco (níveis glicêmicos, níveis pressóricos25, perfil lipídico26 e a microalbuminúria27) reduz significativamente os eventos cardiovasculares e microvasculares em cerca de 50%.

Um estilo de vida mais saudável é capaz de reduzir, em indivíduos pré-diabéticos, seu risco de DM em 58%, segundo dados do estudo conduzido pelo Finish Diabetes4 Prevention Study Group. Este estilo deve ser baseado em:

  • dieta balanceada e rica em fibras
  • peso corporal realisticamente adequado
  • prática de atividades físicas por pelo menos 150 minutos semanais

Pelo mesmo estudo, o uso de metformina28 foi pior que as mudanças no estilo de vida para a prevenção do diabetes4. Com redução no risco de DM de 31% e 58%, respectivamente.

A redução da gordura13 visceral (obesidade29 central) ajuda a reduzir a resistência insulínica e a melhorar o perfil metabólico.

O ideal é manter um consumo diário de carboidratos em 50-60% da energia total ingerida, associado ao consumo de 15g de fibras para cada 1000kcal/dia, com redução das gorduras para menos de 30%, sendo menos de 10% de gordura saturada30.

A perda de 5 a 10% do peso corporal total foi a intervenção mais efetiva na redução do risco de desenvolver diabetes4 no Finnish Diabetes4 Prevention Study (DPS). Os indivíduos que aderiram tanto às mudanças do plano alimentar, quanto à atividade física obtiveram esta perda de peso, que além de possibilitar o alcance das metas glicêmicas, retarda a progressão da doença, reduz as necessidades insulínicas e permite a retirada do tratamento farmacológico.

A atividade física tem o potencial de prevenir ou adiar a progressão para o diabetes tipo 231. Além de reduzir a gordura13 visceral, com conseqüente melhora na composição corporal e no índice de massa corporal32 (IMC33).

O hábito de fumar é danoso, pois é um fator de risco10 importante para doenças cardiovasculares15. Então, pacientes diabéticos devem evitar o fumo como prevenção da principal causa de morte entre diabéticos.

 

Mesmo com a glicemia16 controlada, existem exames que devem ser feitos periodicamente pelos diabéticos?

Caso o diabetes4 esteja sendo bem controlado, existem exames que podem ser feitos para monitorar as complicações do diabetes18 e evitar sua progressão. São eles: 

  • Dosagem de hemoglobina glicada34 (HbA1c35): deve ser mantida sempre menor do que 7%
  • Exame de fundo de olho36: faz a análise da retina37 do diabético
  • Dosagem da microalbuminúria27: verifica a presença de pequenas quantidades de proteínas38 na urina39 que podem causar nefropatia22
  • Aferição da pressão arterial40
  • Lipidograma ou dosagem de colesterol41
  • Exame dos pés: para evitar as lesões42 do pé diabético e amputações de membros inferiores

 

Perguntas que você pode fazer ao seu médico:

 
- Como uma atividade física influencia no meu controle glicêmico?

- Quais os cuidados que devo ter para prevenir as complicações da minha condição?

- O que acontece se eu não conseguir fazer um bom controle do meu diabetes4?

 

Fontes:

Atualização Brasileira sobre Diabetes4 – 2006

Consenso Brasileiro sobre Diabetes4 – 2002

ABCMED, 2008. Prevenindo o Diabetes Mellitus e suas Complicações. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/diabetes-mellitus/23000/prevenindo-o-diabetes-mellitus-e-suas-complicacoes.htm>. Acesso em: 10 dez. 2018.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
2 Diabetes mellitus: Distúrbio metabólico originado da incapacidade das células de incorporar glicose. De forma secundária, podem estar afetados o metabolismo de gorduras e proteínas.Este distúrbio é produzido por um déficit absoluto ou relativo de insulina. Suas principais características são aumento da glicose sangüínea (glicemia), poliúria, polidipsia (aumento da ingestão de líquidos) e polifagia (aumento da fome).
3 Hiperglicemia: Excesso de glicose no sangue. Hiperglicemia de jejum é o nível de glicose acima dos níveis considerados normais após jejum de 8 horas. Hiperglicemia pós-prandial acima de níveis considerados normais após 1 ou 2 horas após alimentação.
4 Diabetes: Nome que designa um grupo de doenças caracterizadas por diurese excessiva. A mais frequente é o Diabetes mellitus, ainda que existam outras variantes (Diabetes insipidus) de doença nas quais o transtorno primário é a incapacidade dos rins de concentrar a urina.
5 HDL colesterol: Do inglês high-density-lipoprotein cholesterol, ou colesterol de alta densidade. Também chamado de bom colesterol.
6 Triglicérides: A principal maneira de armazenar os lipídeos no tecido adiposo é sob a forma de triglicérides. São também os tipos de lipídeos mais abundantes na alimentação. Podem ser definidos como compostos formados pela união de três ácidos graxos com glicerol. Os triglicérides sólidos em temperatura ambiente são conhecidos como gorduras, enquanto os líquidos são os óleos. As gorduras geralmente possuem uma alta proporção de ácidos graxos saturados de cadeia longa, já os óleos normalmente contêm mais ácidos graxos insaturados de cadeia curta.
7 Hipertensão arterial: Aumento dos valores de pressão arterial acima dos valores considerados normais, que no adulto são de 140 milímetros de mercúrio de pressão sistólica e 85 milímetros de pressão diastólica.
8 Diabetes gestacional: Tipo de diabetes melito que se desenvolve durante a gravidez e habitualmente desaparece após o parto, mas aumenta o risco da mãe desenvolver diabetes no futuro. O diabetes gestacional é controlado com planejamento das refeições, atividade física e, em alguns casos, com o uso de insulina.
9 Macrossomia: Refere-se de forma imprecisa aos bebês com peso igual ou superior a 4 quilos. Mães diabéticas podem ter filhos macrossômicos.
10 Fator de risco: Qualquer coisa que aumente a chance de uma pessoa desenvolver uma doença.
11 Sedentarismo: Qualidade de quem ou do que é sedentário, ou de quem tem vida e/ou hábitos sedentários. Sedentário é aquele que se exercita pouco, que não se movimenta muito.
12 Sobrepeso: Peso acima do normal, índice de massa corporal entre 25 e 29,9.
13 Gordura: Um dos três principais nutrientes dos alimentos. Os alimentos que fornecem gordura são: manteiga, margarina, óleos, nozes, carnes vermelhas, peixes, frango e alguns derivados do leite. O excesso de calorias é estocado no organismo na forma de gordura, fornecendo uma reserva de energia ao organismo.
14 Metabolismo: É o conjunto de transformações que as substâncias químicas sofrem no interior dos organismos vivos. São essas reações que permitem a uma célula ou um sistema transformar os alimentos em energia, que será ultilizada pelas células para que as mesmas se multipliquem, cresçam e movimentem-se. O metabolismo divide-se em duas etapas: catabolismo e anabolismo.
15 Doenças cardiovasculares: Doença do coração e vasos sangüíneos (artérias, veias e capilares).
16 Glicemia: Valor de concentração da glicose do sangue. Seus valores normais oscilam entre 70 e 110 miligramas por decilitro de sangue (mg/dl).
17 Hipertensão: Condição presente quando o sangue flui através dos vasos com força maior que a normal. Também chamada de pressão alta. Hipertensão pode causar esforço cardíaco, dano aos vasos sangüíneos e aumento do risco de um ataque cardíaco, derrame ou acidente vascular cerebral, além de problemas renais e morte.
18 Complicações do diabetes: São os efeitos prejudiciais do diabetes no organismo, tais como: danos aos olhos, coração, vasos sangüíneos, sistema nervoso, dentes e gengivas, pés, pele e rins. Os estudos mostram que aqueles que mantêm os níveis de glicose do sangue, a pressão arterial e o colesterol próximos aos níveis normais podem ajudar a impedir ou postergar estes problemas.
19 Mortalidade: A taxa de mortalidade ou coeficiente de mortalidade é um dado demográfico do número de óbitos, geralmente para cada mil habitantes em uma dada região, em um determinado período de tempo.
20 Vasculares: Relativo aos vasos sanguíneos do organismo.
21 Neuropatia: Doença do sistema nervoso. As três principais formas de neuropatia em pessoas diabéticas são a neuropatia periférica, neuropatia autonômica e mononeuropatia. A forma mais comum é a neuropatia periférica, que afeta principalmente pernas e pés.
22 Nefropatia: Lesão ou doença do rim.
23 Patogênese: Modo de origem ou de evolução de qualquer processo mórbido; nosogenia, patogênese, patogenesia.
24 Aterosclerose: Tipo de arteriosclerose caracterizado pela formação de placas de ateroma sobre a parede das artérias.
25 Níveis pressóricos: Em cardiologia, níveis pressóricos são os níveis de pressão arterial.
26 Perfil lipídico: Exame laboratorial que mede colesterol total, triglicérides, HDL. O LDL é calculado por estes resultados. O perfil lipídico é uma das medidas de risco para as doenças cardiovasculares.
27 Microalbuminúria: Pequena quantidade da proteína chamada albumina presente na urina, detectável por exame laboratorial. É um sinal precoce de dano aos rins (nefropatia), uma complicação comum e séria do diabetes. A ADA (American Diabetes Association) recomenda que as pessoas com diabetes tipo 2 testem a microalbuminúria no momento do diagnóstico e uma vez por ano após o diagnóstico. Pessoas com diabetes tipo 1 devem ser testadas após 5 anos do diagnóstico e a cada ano após o diagnóstico. A microalbuminúria é evitada com o controle da glicemia, redução na pressão sangüínea e modificação na dieta.
28 Metformina: Medicamento para uso oral no tratamento do diabetes tipo 2. Reduz a glicemia por reduzir a quantidade de glicose produzida pelo fígado e ajudando o corpo a responder melhor à insulina produzida pelo pâncreas. Pertence à classe das biguanidas.
29 Obesidade: Condição em que há acúmulo de gorduras no organismo além do normal, mais severo que o sobrepeso. O índice de massa corporal é igual ou maior que 30.
30 Gordura saturada: Ela é encontrada principalmente em produtos de origem animal. Em temperatura ambiente, apresenta-se em estado sólido. Está nas carnes vermelhas e brancas (principalmente gordura da carne e pele das aves e peixes), leite e seus derivados integrais (manteiga, creme de leite, iogurte, nata) e azeite de dendê.
31 Diabetes tipo 2: Condição caracterizada por altos níveis de glicose causada tanto por graus variáveis de resistência à insulina quanto por deficiência relativa na secreção de insulina. O tipo 2 se desenvolve predominantemente em pessoas na fase adulta, mas pode aparecer em jovens.
32 Índice de massa corporal: Medida usada para avaliar se uma pessoa está abaixo do peso, com peso normal, com sobrepeso ou obesa. É a medida mais usada na prática para saber se você é considerado obeso ou não. Também conhecido como IMC. É calculado dividindo-se o peso corporal em quilogramas pelo quadrado da altura em metros. Existe uma tabela da Organização Mundial de Saúde que classifica as medidas de acordo com o resultado encontrado.
33 IMC: Medida usada para avaliar se uma pessoa está abaixo do peso, com peso normal, com sobrepeso ou obesa. É a medida mais usada na prática para saber se você é considerado obeso ou não. Também conhecido como IMC. É calculado dividindo-se o peso corporal em quilogramas pelo quadrado da altura em metros. Existe uma tabela da Organização Mundial de Saúde que classifica as medidas de acordo com o resultado encontrado.
34 Hemoglobina glicada: Hemoglobina glicada, hemoglobina glicosilada, glico-hemoglobina ou HbA1C e, mais recentemente, apenas como A1C é uma ferramenta de diagnóstico na avaliação do controle glicêmico em pacientes diabéticos. Atualmente, a manutenção do nível de A1C abaixo de 7% é considerada um dos principais objetivos do controle glicêmico de pacientes diabéticos. Algumas sociedades médicas adotam metas terapêuticas mais rígidas de 6,5% para os valores de A1C.
35 HbA1C: Hemoglobina glicada, hemoglobina glicosilada, glico-hemoglobina ou HbA1C e, mais recentemente, apenas como A1C é uma ferramenta de diagnóstico na avaliação do controle glicêmico em pacientes diabéticos. Atualmente, a manutenção do nível de A1C abaixo de 7% é considerada um dos principais objetivos do controle glicêmico de pacientes diabéticos. Algumas sociedades médicas adotam metas terapêuticas mais rígidas de 6,5% para os valores de A1C.
36 Fundo de olho: Fundoscopia, oftalmoscopia ou exame de fundo de olho é o exame em que se visualizam as estruturas do segmento posterior do olho (cabeça do nervo óptico, retina, vasos retinianos e coroide), dando atenção especialmente a região central da retina, denominada mácula. O principal aparelho utilizado pelo clínico para realização do exame de fundo de olho é o oftalmoscópio direto. O oftalmologista usa o oftalmoscópio indireto e a lâmpada de fenda.
37 Retina: Parte do olho responsável pela formação de imagens. É como uma tela onde se projetam as imagens: retém as imagens e as traduz para o cérebro através de impulsos elétricos enviados pelo nervo óptico. Possui duas partes: a retina periférica e a mácula.
38 Proteínas: Um dos três principais nutrientes dos alimentos. Alimentos que fornecem proteína incluem carne vermelha, frango, peixe, queijos, leite, derivados do leite, ovos.
39 Urina: Resíduo líquido produzido pela filtração renal no organismo, estocado na bexiga e expelido pelo ato de urinar.
40 Pressão arterial: A relação que define a pressão arterial é o produto do fluxo sanguíneo pela resistência. Considerando-se a circulação como um todo, o fluxo total é denominado débito cardíaco, enquanto a resistência é denominada de resistência vascular periférica total.
41 Colesterol: Tipo de gordura produzida pelo fígado e encontrada no sangue, músculos, fígado e outros tecidos. O colesterol é usado pelo corpo para a produção de hormônios esteróides (testosterona, estrógeno, cortisol e progesterona). O excesso de colesterol pode causar depósito de gordura nos vasos sangüíneos. Seus componentes são: HDL-Colesterol: tem efeito protetor para as artérias, é considerado o bom colesterol. LDL-Colesterol: relacionado às doenças cardiovasculares, é o mau colesterol. VLDL-Colesterol: representa os triglicérides (um quinto destes).
42 Lesões: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Clínica Médica?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.

Comentários

26/03/2013 - Comentário feito por Raimunda
Re: Prevenindo o Diabetes Mellitus e suas Complicações
sofro com sensação de muito frio nos pés mesmo estando fasendo muito calor o que faço

08/09/2012 - Comentário feito por Sonia
Re: Prevenindo o Diabetes Mellitus e suas Complicações
tenho 55 anos e não tinha nenhum caso desta doença na famili,há poucos meses descobri que tenho só que tenho certeza que meu caso é emocional.Estou tomando remédio e sinto muita fome...

08/07/2012 - Comentário feito por Joseilton
Re: Prevenindo o Diabetes Mellitus e suas Complicações
Gostei muito do conteúdo dessa matéria, é de grande relevância que as pessoas tome conhecimento sobre as complicações da Diabetes, e de como se previnir ou fazer com que suas complicações sejam evitadas.

12/05/2012 - Comentário feito por Francisco
Re: Prevenindo o Diabetes Mellitus e suas Complicações
A retirada das anfepramonas, mais baratas que a sibutramina e outros, estão alavancando a obesidade no brasil, ainda não temos dados concretos pois tem pouco tempo da retirada, acho um absurdo a retirada principalmente do femproporex, tanto que o CFM entrou com ação contra a retirada, e cada vez mais estamos notando a dificuldade das pesoas comprarem outros medicamentos, as receitas são mais caras, e sem margem de dúvida as industrias farmaceuticas estão faturando horrores, e será que a anvisa não está por trás disso?? Os benefícios superam os riscos,basta apenas controle, coisa que a anvisa não se predispos em ao menos começar a fazer...absurdo...O que existe por trás disso??

18/08/2011 - Comentário feito por Maria
Re: Prevenindo o Diabetes Mellitus e suas Complicações
O diabetes por ser uma doença silenciosa faz com que a grande maioria das pessoas não acredite ou não tenha consciência dos danos que ela provoca no organismo. É de vital importância que haja uma maior conscientização não somente para as pessoas portadoras da doença mas para toda a população, principalmente para os pais, para que desenvovam nas crianças habitos alimentares saudáveis. Tudo é uma questão de educação que começa no ventre materno.

25/03/2010 - Comentário feito por Sheila
Re: Prevenindo o Diabetes Mellitus e suas Complicações
Não é verdade que o Serviço Público de saúde "finge" que trata o paciente, pelo menos aqui na minha cidade, Belford Roxo,Rio de Janeiro, há programas voltados para o paciente diabético, minha mãe descobriu há 2 dias ser portadora da doença, levada ao hospital de emergência foi diagnosticada, medicada e orientada a procurar um clínico para fazer o controle da doença, na 1a. consulta já saimos do posto com os medicamentos que irá usar para que possa ter sua doença controlada.
Há muitos casos de pessoas que tem a doença e não sabem por desinformação dos sintomas principais, é muito importante estarmos sempre atentos a qualquer mudança em nosso organismo.

04/03/2010 - Comentário feito por vantuil
Re: Prevenindo o Diabetes Mellitus e suas Complicações
Gostei muito do texo muito enriquecedor, aprendi e irei passar em minha assistencia farmaceutica esclarecer meus clientes como se deve ter atenção com esse tipo de patologia. muito obrigado! vantuil (estudante de farmacia)

04/03/2010 - Comentário feito por Carla
Re: Prevenindo o Diabetes Mellitus e suas Complicações
Marley, é bom lembrar que o serviço público de saúde brasileiro fornece nas unidades básicas de saúde drogas para o tratamento do DM gratuitamente. Inclusive, drogas de qualidade com a Merformina. Embora não se possa falar pelo todo, existe por parte desses serviços uma preocupação e acompanhamento com os pacientes portadores de diabetes e hipertensão, tanto, que foi criado o chamado de "Hiperdia" que é um programa semanal cujas consultas naquele dia são dirigidas aos pacientes diabéticos e hipertensos, para serem tanto acompanhados e realizarem a entrega das medicações. É importante também, que se você não é área da saúde, saber que o o tratamento e acompanhamento do Diabetes Mellitus deve ser primariamente pode ser muito bem executado por médicos clínicos gerais, a indicação para acompanhamento com o especialista endócrino são bem específicas. O importante é clínico geral está em parceria com o oftalmologista para acompanhar as retinopatias e com o nefrologista. E aí sim, em casos de complicação ou evolução ruim do paciente, deve ser repassado ao especialista em endocrinologia. Isso a nível de SUS claro, quem pode pagar seu plano de saúde ou sua consulta particular, pode se dar ao luxo de se dirigir diretamente ao endócrino, até porque não se dispõe tanto de médicos generalistas a nível de serviço privado.
É fato que as coisas tem muito a melhorar, mas não sejamos injustos com o que já vem sendo feito.
E quantos de nós procura o médico sem ter queixa alguma apenas para pedir orientações de como obter melhor qualidade de vida e saúde?

23/01/2010 - Comentário feito por marley
Re: Prevenindo o Diabetes Mellitus e suas Complicações
na minha opinião,eu acho que deveria ter um controle de diabetes maior,o maior problema de um diabetico,é não ter um tratamento de verdade nos hospitais publicos,não existe tratamento,e sim fingem que tratam,e vai se passando o tempo e vai só se agravando o problema.infelizmente no brasil esperam pras pessoas adoecerem e depois ter despesas com internação,se tivessemos tratamentos com especialistas endocrinos,não teriamos tantos problemas de diabetes.

21/01/2010 - Comentário feito por Valdery
Re: Prevenindo o Diabetes Mellitus e suas Complicações
Gostei muito da matéria pelo seu aspecto esclarecedor do comntrole da diabetes. Obrigado.

  • Entrar
  • Assinar
O AbcMed® é parte integrante da Plataforma HiDoctor® e é oferecido a você gratuitamente.