Gostou do artigo? Compartilhe!

Verrugas plantares: conceito, causas, sintomas, diagnóstico, tratamento, prevenção, evolução, complicações possíveis

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que são verrugas plantares?

As verrugas plantares, chamadas popularmente de “olho de peixe”, são crescimentos rígidos e salientes, de cor amarelada e com um ou mais pontos negros em sua superfície, que aparecem na sola dos pés, crescendo para dentro, abaixo de uma espessa camada de pele1 semelhante a um calo2. Elas se diferenciam dos calos comuns por apresentarem uma rica rede de capilares3 que se superficializam próximos ao centro da lesão4 e que, quando trombosados, apresentam-se escurecidos, dando à lesão4 um aspecto rendilhado. Muitas verrugas plantares não chegam a constituir problema e não requerem tratamento, mas se causam grande desconforto ou dor podem exigir uma intervenção médica para removê-la.

Quais são as causas das verrugas plantares?

As verrugas plantares são causadas por uma infecção5 pelo HPV (papilomavírus humano), quando esse vírus6 penetra em pequenas fissuras7 na sola dos pés. Embora haja mais de uma centena de tipos de HPV somente uns poucos causam verrugas nos pés. Outros tipos de HPV causam verrugas em outras áreas do corpo. Nem todas as pessoas que entram em contato com o HPV desenvolvem verrugas porque o vírus6 pode ser combatido pelo sistema imunológico8 das pessoas. O HPV que causa verrugas plantares não é contagioso, embora devido a sua natureza infecciosa as lesões9 podem permitir a disseminação para outras pessoas ou para outros locais no corpo da mesma pessoa. Sua localização plantar é aproximadamente 15 vezes maior do que em outras regiões do corpo.

Qual é a fisiopatologia10 das verrugas plantares?

Os vírus6 se inserem no interior das células11 e as obrigam a uma reprodução12 exagerada e acelerada. A supressão desta regulação é temporária, o que explica a permanência autolimitada das verrugas e seu desaparecimento após certo tempo. No entanto, os vírus6 ficam “guardados” na pele1 e voltam novamente a produzir as vesículas13 se o sistema imunológico8 se enfraquecer por qualquer motivo. O HPV pode também causar tumores malignos no colo do útero14.

Quais são os principais sinais15 e sintomas16 das verrugas plantares?

Os principais sinais15 e sintomas16 das verrugas plantares são protuberâncias rígidas na sola do pé, cobertas por um espessamento da pele1 semelhante a uma calosidade e um característico pontilhado preto geralmente chamado sementes da verruga, mas que na verdade são pequenos vasos contendo sangue17 coagulado. Essas verrugas podem ser únicas, mas frequentemente são múltiplas, dispostas em mosaico, e por vezes causam dor ao caminhar.

Como o médico diagnostica as verrugas plantares?

O diagnóstico18 é basicamente clínico e as verrugas plantares podem ser reconhecidas pela visão19 direta dela ou, nos casos duvidosos, por uma biópsia20.

Como o médico trata as verrugas plantares?

Muitas verrugas plantares podem permanecer sem tratamento. Se estiverem crescendo ou gerando dor elas podem ser tratadas seguindo orientações médicas. Os tratamentos médicos envolvem o uso de ácido salicílico, de vacinas, de crioterapia21 (congelamento) e tratamento a laser. Se esses tratamentos não funcionarem, o médico pode recorrer a procedimentos cirúrgicos para retirar as verrugas, mas isso raramente é necessário.

Como prevenir as verrugas plantares?

Para reduzir o risco de adquirir ou espalhar as verrugas que já tenha, o paciente deve evitar contato com as verrugas. Deve manter seus pés secos e limpos, não cutucar as verrugas para não espalhar o vírus6, não usar cortadores de unhas22 para mexer nas verrugas e lavar bem suas mãos23 depois de tocar em uma verruga. É recomendável que na vigência de verrugas o paciente não frequente ambientes que facilitem a inoculação24 viral em outras pessoas tais como piscinas, clubes, banheiros públicos, etc. O melhor é tratá-las assim que aparecerem.

Como evoluem as verrugas plantares?

Por quaisquer meio que sejam tratadas, as verrugas plantares tendem a retornar.

Quais são as complicações possíveis das verrugas plantares?

A pessoa com verrugas plantares que doem pode alterar sem perceber seu modo de ficar de pé, caminhar ou correr e isso pode causar desconforto articular ou muscular.

ABCMED, 2015. Verrugas plantares: conceito, causas, sintomas, diagnóstico, tratamento, prevenção, evolução, complicações possíveis. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/pele-saudavel/744397/verrugas-plantares-conceito-causas-sintomas-diagnostico-tratamento-prevencao-evolucao-complicacoes-possiveis.htm>. Acesso em: 26 mai. 2019.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
2 Calo: Pequena região da pele, geralmente localizada nos pés, que se torna grossa e dura em decorrência de pressão ou fricções nesta área.
3 Capilares: Minúsculos vasos que conectam as arteríolas e vênulas.
4 Lesão: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
5 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
6 Vírus: Pequeno microorganismo capaz de infectar uma célula de um organismo superior e replicar-se utilizando os elementos celulares do hospedeiro. São capazes de causar múltiplas doenças, desde um resfriado comum até a AIDS.
7 Fissuras: 1. Pequena abertura longitudinal em; fenda, rachadura, sulco. 2. Em geologia, é qualquer fratura ou fenda pouco alargada em terreno, rocha ou mesmo mineral. 3. Na medicina, é qualquer ulceração alongada e superficial. Também pode significar uma fenda profunda, sulco ou abertura nos ossos; cesura, cissura. 4. Rachadura na pele calosa das mãos ou dos pés, geralmente de pessoas que executam trabalhos rudes. 5. Na odontologia, é uma falha no esmalte de um dente. 6. No uso informal, significa apego extremo; forte inclinação; loucura, paixão, fissuração.
8 Sistema imunológico: Sistema de defesa do organismo contra infecções e outros ataques de micro-organismos que enfraquecem o nosso corpo.
9 Lesões: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
10 Fisiopatologia: Estudo do conjunto de alterações fisiológicas que acontecem no organismo e estão associadas a uma doença.
11 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
12 Reprodução: 1. Função pela qual se perpetua a espécie dos seres vivos. 2. Ato ou efeito de reproduzir (-se). 3. Imitação de quadro, fotografia, gravura, etc.
13 Vesículas: Lesões papulares preenchidas com líquido claro.
14 Colo do útero: Porção compreendendo o pescoço do ÚTERO (entre o ístmo inferior e a VAGINA), que forma o canal cervical.
15 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
16 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
17 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
18 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
19 Visão: 1. Ato ou efeito de ver. 2. Percepção do mundo exterior pelos órgãos da vista; sentido da vista. 3. Algo visto, percebido. 4. Imagem ou representação que aparece aos olhos ou ao espírito, causada por delírio, ilusão, sonho; fantasma, visagem. 5. No sentido figurado, concepção ou representação, em espírito, de situações, questões etc.; interpretação, ponto de vista. 6. Percepção de fatos futuros ou distantes, como profecia ou advertência divina.
20 Biópsia: 1. Retirada de material celular ou de um fragmento de tecido de um ser vivo para determinação de um diagnóstico. 2. Exame histológico e histoquímico. 3. Por metonímia, é o próprio material retirado para exame.
21 Crioterapia: Processo terapêutico baseado em aplicações de gelo, neve carbônica e outros veículos de frio intenso.
22 Unhas: São anexos cutâneos formados por células corneificadas (queratina) que formam lâminas de consistência endurecida. Esta consistência dura, confere proteção à extremidade dos dedos das mãos e dos pés. As unhas têm também função estética. Apresentam crescimento contínuo e recebem estímulos hormonais e nutricionais diversos.
23 Mãos: Articulação entre os ossos do metacarpo e as falanges.
24 Inoculação: Ato ou efeito de inocular (-se); deixar entrar. Em medicina, significa introduzir (o agente de uma doença) em (organismo), com finalidade preventiva, curativa ou experimental.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Dermatologia?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.