Gostou do artigo? Compartilhe!

Hemangiomas: definição, tipos, sinais e sintomas, diagnóstico, tratamento, evolução, prevenção e complicações possíveis

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que é hemangioma?

Um hemangioma (do grego haema = sangue1; angeio = vaso; oma = tumor2) é um acúmulo anormal e benigno de vasos sanguíneos3 na pele4 ou em órgãos internos, o que significa um acúmulo de sangue1.

Existem diferentes tipos de hemangiomas, sendo os principais:

  • Hemangioma cavernoso: malformação5 dos capilares6 e dos vasos sanguíneos3.
  • Hemangioma fragiforme e tuberoso: que se desenvolvem nas primeiras semanas de vida e são proliferativos.
  • Hemangioma plano: é congênito7.
  • Hemangioma tumoral: apresenta volume saliente.
  • Hemangioma capilar8: situado na camada superior da pele4.
  • Hemangioma vertebral: localiza-se na coluna vertebral9.
  • Hemangioma hepático: é aquele que surge no fígado10.

Quais são as causas dos hemangiomas?

Cerca de um terço dos hemangiomas são hereditários ou congênitos11 e estão presentes desde o nascimento; o restante aparece nos primeiros meses de vida. Alguns aparecem nas primeiras seis semanas de vida e crescem rapidamente. Também são comuns em adolescentes e adultos jovens.

Quais são os principais sinais12 e sintomas13 do hemangioma?

Eles podem situar-se nas camadas superiores da pele4 (hemangioma capilar8), localizar-se mais profundamente na pele4 (hemangioma cavernoso) ou ser uma mistura de ambos. A maioria dos hemangiomas se situa na face14 e no pescoço15, aparece como uma lesão16 vermelha ou arroxeada saliente na pele4 ou como um tumor2 saliente de vasos sanguíneos3, mas pode aparecer em órgãos como o fígado10, baço17, pâncreas18, boca19 e bolsas sinoviais20. Os hemangiomas podem estar presentes desde o nascimento ou surgir nos primeiros meses de vida.

Como o médico diagnostica o hemangioma?

Muitos hemangiomas superficiais podem ser diagnosticados clinicamente através de um exame físico direto, pela simples inspeção21 local. Nos mais profundos ou combinados, pode-se fazer o diagnóstico22 por meio de uma tomografia computadorizada23 ou de uma ressonância magnética24, às vezes, realizadas por outros motivos, já que em muitas ocasiões eles são assintomáticos. Frequentemente os hemangiomas estão associados com outras condições patológicas, geralmente raras, também genéticas ou congênitas25. Nesses casos, outros exames podem ser necessários para diagnosticar essas patologias.

Como o médico trata o hemangioma?

Os hemangiomas superficiais muitas vezes não têm repercussão clínica e incomodam mais como problema estético. Muitas vezes desaparecem por si próprios, deixando a pele4 normal ou com pequenas manchas. Em algumas situações podem ser usados os raios laser para removê-los. O tratamento dos hemangiomas também pode ser feito com corticoides, escleroterapia26 (injeção27 de determinados medicamentos dentro de um capilar8 ou veia para destruí-la), cirurgia para remover pequenos tumores ou tratar o crescimento anormal do hemangioma. Atualmente estão sendo tentados outros tratamentos físicos e medicamentosos. Quando ele ocorre em órgãos internos de bebês28, pode provocar complicações que demandam cirurgia.

Como evolui o hemangioma?

Quando o hemangioma incide no bebê ele geralmente tende a crescer durante o primeiro ano de vida, tornando-se elevado e esponjoso e depois passa a regredir, até desaparecer.

Inicialmente um hemangioma começa sendo rosado, evoluindo com o tempo para vermelho e vermelho escuro.

Alguns hemangiomas pequenos e superficiais normalmente desaparecem sozinhos.

A perda excessiva de sangue1 de um hemangioma pode ser fatal, se ele for volumoso.

Como prevenir o hemangioma?

Não há como prevenir a ocorrência de um hemangioma.

Quais são as complicações possíveis do hemangioma?

A complicação mais temível dos hemangiomas é o sangramento diante de traumas mínimos.

Alguns hemangiomas, dependendo de sua localização e volume, podem interferir com a visão29, respiração, alimentação e outras funções vitais.

ABCMED, 2014. Hemangiomas: definição, tipos, sinais e sintomas, diagnóstico, tratamento, evolução, prevenção e complicações possíveis. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/pele-saudavel/549007/hemangiomas-definicao-tipos-sinais-e-sintomas-diagnostico-tratamento-evolucao-prevencao-e-complicacoes-possiveis.htm>. Acesso em: 26 mai. 2019.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
2 Tumor: Termo que literalmente significa massa ou formação de tecido. É utilizado em geral para referir-se a uma formação neoplásica.
3 Vasos Sanguíneos: Qualquer vaso tubular que transporta o sangue (artérias, arteríolas, capilares, vênulas e veias).
4 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
5 Malformação: 1. Defeito na forma ou na formação; anomalia, aberração, deformação. 2. Em patologia, é vício de conformação de uma parte do corpo, de origem congênita ou hereditária, geralmente curável por cirurgia. Ela é diferente da deformação (que é adquirida) e da monstruosidade (que é incurável).
6 Capilares: Minúsculos vasos que conectam as arteríolas e vênulas.
7 Congênito: 1. Em biologia, o que é característico do indivíduo desde o nascimento ou antes do nascimento; conato. 2. Que se manifesta espontaneamente; inato, natural, infuso. 3. Que combina bem com; apropriado, adequado. 4. Em termos jurídicos, é o que foi adquirido durante a vida fetal ou embrionária; nascido com o indivíduo. Por exemplo, um defeito congênito.
8 Capilar: 1. Na medicina, diz-se de ou tubo endotelial muito fino que liga a circulação arterial à venosa. Qualquer vaso. 2. Na física, diz-se de ou tubo, em geral de vidro, cujo diâmetro interno é diminuto. 3. Relativo a cabelo, fino como fio de cabelo.
9 Coluna vertebral:
10 Fígado: Órgão que transforma alimento em energia, remove álcool e toxinas do sangue e fabrica bile. A bile, produzida pelo fígado, é importante na digestão, especialmente das gorduras. Após secretada pelas células hepáticas ela é recolhida por canalículos progressivamente maiores que a levam para dois canais que se juntam na saída do fígado e a conduzem intermitentemente até o duodeno, que é a primeira porção do intestino delgado. Com esse canal biliar comum, chamado ducto hepático, comunica-se a vesícula biliar através de um canal sinuoso, chamado ducto cístico. Quando recebe esse canal de drenagem da vesícula biliar, o canal hepático comum muda de nome para colédoco. Este, ao entrar na parede do duodeno, tem um músculo circular, designado esfíncter de Oddi, que controla o seu esvaziamento para o intestino.
11 Congênitos: 1. Em biologia, o que é característico do indivíduo desde o nascimento ou antes do nascimento; conato. 2. Que se manifesta espontaneamente; inato, natural, infuso. 3. Que combina bem com; apropriado, adequado. 4. Em termos jurídicos, é o que foi adquirido durante a vida fetal ou embrionária; nascido com o indivíduo. Por exemplo, um defeito congênito.
12 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
13 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
14 Face: Parte anterior da cabeça que inclui a pele, os músculos e as estruturas da fronte, olhos, nariz, boca, bochechas e mandíbula.
15 Pescoço:
16 Lesão: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
17 Baço:
18 Pâncreas: Órgão nodular (no ABDOME) que abriga GLÂNDULAS ENDÓCRINAS e GLÂNDULAS EXÓCRINAS. A pequena porção endócrina é composta pelas ILHOTAS DE LANGERHANS, que secretam vários hormônios na corrente sangüínea. A grande porção exócrina (PÂNCREAS EXÓCRINO) é uma glândula acinar composta, que secreta várias enzimas digestivas no sistema de ductos pancreáticos (que desemboca no DUODENO).
19 Boca: Cavidade oral ovalada (localizada no ápice do trato digestivo) composta de duas partes
20 Bolsas sinoviais: Bolsas sinoviais ou bursas são fendas no tecido conjuntivo entre os músculos, tendões, ligamentos e ossos. Elas são formadas por sacos fechados de revestimento sinovial e têm a função de facilitar o deslizamento de músculos ou de tendões sobre as proeminências dos ossos ou dos ligamentos.
21 Inspeção: 1. Ato ou efeito de inspecionar; exame, vistoria, inspecionamento. 2. Ato ou efeito de fiscalizar; fiscalização, supervisão, observação. 3. Exame feito por inspetor (es).
22 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
23 Tomografia computadorizada: Exame capaz de obter imagens em tons de cinza de “fatias” de partes do corpo ou de órgãos selecionados, as quais são geradas pelo processamento por um computador de uma sucessão de imagens de raios X de alta resolução em diversos segmentos sucessivos de partes do corpo ou de órgãos.
24 Ressonância magnética: Exame que fornece imagens em alta definição dos órgãos internos do corpo através da utilização de um campo magnético.
25 Congênitas: 1. Em biologia, o que é característico do indivíduo desde o nascimento ou antes do nascimento; conato. 2. Que se manifesta espontaneamente; inato, natural, infuso. 3. Que combina bem com; apropriado, adequado. 4. Em termos jurídicos, é o que foi adquirido durante a vida fetal ou embrionária; nascido com o indivíduo. Por exemplo, um defeito congênito.
26 Escleroterapia: É um procedimento que consiste na injeção de determinados medicamentos “esclerosantes“ dentro de um capilar, vênula ou veia de modo a destruí-la. É usada principalmente para o tratamento de varizes e hemorroidas.
27 Injeção: Infiltração de medicação ou nutrientes líquidos no corpo através de uma agulha e seringa.
28 Bebês: Lactentes. Inclui o período neonatal e se estende até 1 ano de idade (12 meses).
29 Visão: 1. Ato ou efeito de ver. 2. Percepção do mundo exterior pelos órgãos da vista; sentido da vista. 3. Algo visto, percebido. 4. Imagem ou representação que aparece aos olhos ou ao espírito, causada por delírio, ilusão, sonho; fantasma, visagem. 5. No sentido figurado, concepção ou representação, em espírito, de situações, questões etc.; interpretação, ponto de vista. 6. Percepção de fatos futuros ou distantes, como profecia ou advertência divina.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Dermatologia?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.