Gostou do artigo? Compartilhe!

Saiba mais sobre a rosácea: conceito, causas, sinais e sintomas, diagnóstico, tratamento, evolução, prevenção, possíveis complicações

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que é rosácea?

A rosácea é uma doença inflamatória crônica da pele1 que se manifesta na região central da face2 (bochechas, nariz3, queixo e testa), constituída por manchas avermelhadas e inflamações4 do tecido5 vascular6 do rosto, causando dilatação dos vasos sanguíneos7 (telangiectasias8) da face2 em peles mais oleosas. Mais raramente a rosácea pode afetar também o pescoço9, tórax10, orelhas11 e couro cabeludo.

Quais são as causas da rosácea?

Não há uma teoria aceita de maneira geral sobre as causas da rosácea. Alguns propõem que seja causada por certo tipo de ácaros, enquanto outros aventam fatores genéticos, congênitos12 e hormonais. Seja qual for a causa, os seguintes fatores são desencadeadores da rosácea, entre outros: ansiedade, variações climáticas significativas (calor ou frio intenso, vento, umidade), estresse, ingestão de álcool, cafeína, comida apimentada, certos medicamentos, uso de cremes esteroides, exercício pesado, banhos quentes e menopausa13.

Quais são os principais sinais14 e sintomas15 da rosácea?

A primeira manifestação da doença é chamada de pré-rosácea e se caracteriza pela tendência à ruborização fácil e passageira. À medida que a rosácea progride desenvolvem-se pequenas bolhas e pústulas16, telangiectasias8 (emaranhado de pequenos vasos sanguíneos7 aparentes na pele1) no rosto, olhos17 avermelhados, sensação de ardor18 e queimação e, em alguns casos avançados, lóbulos avermelhados no nariz3. Em metade dos casos, pode surgir uma lesão19 nos olhos17 denominada rosácea ocular, com sintomas15 semelhantes aos da conjuntivite20 e danos à córnea21. Nas formas mais graves, a pele1 fica espessada e surgem nódulos inflamatórios que aumentam o tamanho do nariz3, deixando-o com aspecto disforme e bulboso. A rosácea é mais comum em mulheres acima dos 30 ou 40 anos e com pele1 clara, mas embora as mulheres sejam mais suscetíveis, os homens desenvolvem formas mais graves da enfermidade. Do ponto de vista da saúde22 geral, a rosácea é uma condição inofensiva, mas pode criar grandes problemas emocionais para as pessoas.

Como o médico diagnostica a rosácea?

O diagnóstico23 da rosácea é essencialmente clínico, baseado na observação direta das lesões24. Em alguns casos, uma biópsia25 pode ser necessária para estabelecer um diagnóstico23 diferencial.

Como o médico trata a rosácea?

Ainda não se conhece a cura definitiva da rosácea. O tratamento paliativo26 é indicado de acordo com o grau de evolução do caso e resume-se em evitar, se possível, os fatores desencadeantes e tratar as complicações por ventura existentes, com o objetivo de deter ou, quando possível, reverter o quadro sintomático27. O tratamento pode ser tópico28 ou sistêmico29 (com antibióticos por via oral), ou utilizar raios laser, eletrocirurgia ou dermoabrasão. O fundamental é evitar os fatores de risco que favorecem a manifestação da rosácea.

Como evolui a rosácea?

Há uma fase inicial da rosácea em que as primeiras manifestações da doença, chamada de pré-rosácea, se caracteriza pela tendência à ruborização fácil e passageira, desencadeada por fatores físicos ou emocionais. A seguir, a rosácea evolui para seu quadro clássico.

Como prevenir a rosácea?

Não há como prevenir o surgimento da rosácea, mas é possível reduzir as manifestações dos surtos através do controle dos fatores desencadeantes.

  • Não se exponha ao sol e procure evitar mudanças bruscas de temperatura ou os ventos fortes.
  • Procure verificar os alimentos, medicamentos ou outros produtos que possam ter relação com os episódios de rosácea e passe a evitá-los.
  • Evite atividades físicas excessivas.
  • Não tome banho muito quente, nem lave o rosto com água muito quente.
  • Procure reduzir o estresse.

Quais são as complicações possíveis da rosácea?

Alguns pacientes com rosácea podem ter alterações permanentes na aparência, com perda da auto-estima. Alguns deles precisam do apoio profissional de um psicólogo ou psicoterapeuta. 

ABCMED, 2014. Saiba mais sobre a rosácea: conceito, causas, sinais e sintomas, diagnóstico, tratamento, evolução, prevenção, possíveis complicações. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/pele-saudavel/531414/saiba-mais-sobre-a-rosacea-conceito-causas-sinais-e-sintomas-diagnostico-tratamento-evolucao-prevencao-possiveis-complicacoes.htm>. Acesso em: 20 out. 2020.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
2 Face: Parte anterior da cabeça que inclui a pele, os músculos e as estruturas da fronte, olhos, nariz, boca, bochechas e mandíbula.
3 Nariz: Estrutura especializada que funciona como um órgão do sentido do olfato e que também pertence ao sistema respiratório; o termo inclui tanto o nariz externo como a cavidade nasal.
4 Inflamações: Conjunto de processos que se desenvolvem em um tecido em resposta a uma agressão externa. Incluem fenômenos vasculares como vasodilatação, edema, desencadeamento da resposta imunológica, ativação do sistema de coagulação, etc. Quando se produz em um tecido superficial (pele, tecido celular subcutâneo) pode apresentar tumefação, aumento da temperatura local, coloração avermelhada e dor (tétrade de Celso, o cientista que primeiro descreveu as características clínicas da inflamação).
5 Tecido: Conjunto de células de características semelhantes, organizadas em estruturas complexas para cumprir uma determinada função. Exemplo de tecido: o tecido ósseo encontra-se formado por osteócitos dispostos em uma matriz mineral para cumprir funções de sustentação.
6 Vascular: Relativo aos vasos sanguíneos do organismo.
7 Vasos Sanguíneos: Qualquer vaso tubular que transporta o sangue (artérias, arteríolas, capilares, vênulas e veias).
8 Telangiectasias: Dilatações permanentes da parede de um pequeno vaso sanguíneo localizado na derme.
9 Pescoço:
10 Tórax: Parte superior do tronco entre o PESCOÇO e o ABDOME; contém os principais órgãos dos sistemas circulatório e respiratório. (Tradução livre do original Sinônimos: Peito; Caixa Torácica
11 Orelhas: Sistema auditivo e de equilíbrio do corpo. Consiste em três partes
12 Congênitos: 1. Em biologia, o que é característico do indivíduo desde o nascimento ou antes do nascimento; conato. 2. Que se manifesta espontaneamente; inato, natural, infuso. 3. Que combina bem com; apropriado, adequado. 4. Em termos jurídicos, é o que foi adquirido durante a vida fetal ou embrionária; nascido com o indivíduo. Por exemplo, um defeito congênito.
13 Menopausa: Estado fisiológico caracterizado pela interrupção dos ciclos menstruais normais, acompanhada de alterações hormonais em mulheres após os 45 anos.
14 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
15 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
16 Pústulas: Elevações da pele contendo pus, de até um centímetro de diâmetro.
17 Olhos:
18 Ardor: 1. Calor forte, intenso. 2. Mesmo que ardência. 3. Qualidade daquilo que fulge, que brilha. 4. Amor intenso, desejo concupiscente, paixão.
19 Lesão: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
20 Conjuntivite: Inflamação da conjuntiva ocular. Pode ser produzida por alergias, infecções virais, bacterianas, etc. Produz vermelhidão ocular, aumento da secreção e ardor.
21 Córnea: Membrana fibrosa e transparente presa à esclera, constituindo a parte anterior do olho.
22 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
23 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
24 Lesões: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
25 Biópsia: 1. Retirada de material celular ou de um fragmento de tecido de um ser vivo para determinação de um diagnóstico. 2. Exame histológico e histoquímico. 3. Por metonímia, é o próprio material retirado para exame.
26 Paliativo: 1. Que ou o que tem a qualidade de acalmar, de abrandar temporariamente um mal (diz-se de medicamento ou tratamento); anódino. 2. Que serve para atenuar um mal ou protelar uma crise (diz-se de meio, iniciativa etc.).
27 Sintomático: 1. Relativo a ou que constitui sintoma. 2. Que é efeito de alguma doença. 3. Por extensão de sentido, é o que indica um particular estado de coisas, de espírito; revelador, significativo.
28 Tópico: Referente a uma área delimitada. De ação limitada à mesma. Diz-se dos medicamentos de uso local, como pomadas, loções, pós, soluções, etc.
29 Sistêmico: 1. Relativo a sistema ou a sistemática. 2. Relativo à visão conspectiva, estrutural de um sistema; que se refere ou segue um sistema em seu conjunto. 3. Disposto de modo ordenado, metódico, coerente. 4. Em medicina, é o que envolve o organismo como um todo ou em grande parte.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Dermatologia?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.