Gostou do artigo? Compartilhe!

Fertilização in vitro: como é o procedimento?

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que é fertilização1 in vitro?

Fertilização1 in vitro é aquela promovida num laboratório, sendo o óvulo2 resultante posteriormente implantado no útero3 de uma mulher, para que se desenvolva a gestação. Denomina-se bebê de proveta ao bebê resultante desse método de fecundação4. É exatamente o fato de que a fertilização1 seja realizada em laboratório que confere ao produto dela a denominação de bebê de proveta. O primeiro bebê de proveta do mundo nasceu em 1978 e o primeiro do Brasil em 1984.

Quando se deve tentar a fertilização1 in vitro?

Deve-se tentar uma fertilização1 in vitro quando não há possibilidade de uma fertilização1 e nidação5 (estabelecimento do embrião no útero3) naturais, como ocorre no bloqueio das trompas de Falópio, por exemplo, em que há dificuldade da chegada dos espermatozoides6 até o óvulo2. Também pode-se tentar o método se o homem tem um número reduzido de espermatozoides6 ou se a mobilidade deles é deficiente ou nula, impossibilitando-os de penetrar no óvulo2 e fecundá-lo. Outra situação em que o tratamento é indicado é em casos de casais homossexuais masculinos.

Como se realiza o método de fertilização1 in vitro?

O primeiro passo é fazer a coleta dos gametas7 feminino e masculino. Inicialmente, a mulher deve fazer uma estimulação da ovulação8 por meio de fármacos indutores da produção e liberação de óvulos. Estes óvulos são recolhidos por aspiração, com a ajuda de uma ultrassonografia9 transvaginal. Esse procedimento deve ser feito num centro cirúrgico, com a paciente sedada e dura em torno de vinte minutos. Depois eles são levados ao laboratório, onde serão artificialmente fecundados por espermatozoides6 previamente selecionados. Os espermatozoides6 devem ser coletados de certa porção de sêmen10 obtido por meio de masturbação11. Se, por algum motivo, não houver espermatozoides6 no sêmen10 será preciso retirá-los diretamente dos testículos12, por meio de uma punção. Se o homem ou a mulher tiverem uma impossibilidade de produzir gametas7, pode ser indicado o uso de gametas7 doados. Os óvulos e espermatozoides6 são colocados em meio de cultura apropriado, numa proporção de 100 a 200 mil gametas7 masculinos para cada gameta feminino. A cultura deve ser mantida em condições ideais de temperatura, em ambiente que simula as trompas. Se o processo de fertilização1 for bem sucedido, os ovos assim gerados são transferidos para o útero3 da mulher, dando início à gravidez13. Além da técnica convencional em que um ou mais espermatozoides6 penetram no óvulo2, existe a técnica em que o espermatozoide14 é artificialmente injetado dentro do óvulo2. O ovo fertilizado15 é então transferido para o útero3 da mulher, depois de cinco dias de desenvolvimento laboratorial, por meio de um cateter inserido em sua vagina16 e corretamente posicionado no interior do útero3 por meio da ultrassonografia9. Esse procedimento também deve ser realizado no centro cirúrgico, mas nem sempre requer anestesia17. Após doze ou quatorze dias, é feito o exame para detectar se houve ou não sucesso do método.

Como evolui a fertilização1 in vitro?

O processo da fertilização1 in vitro é idêntico ao ocorrido no corpo da mulher, com a diferença que ocorre em laboratório. Portanto, não há riscos de malformação18 maiores do que numa fecundação4 natural. A fecundação4 pode não ocorrer, mas isso é algo muito raro.

A mulher que engravida por fertilização1 in vitro precisa dos mesmos cuidados com a saúde19 que aquela que engravida normalmente. Também deve procurar verificar se há alguma doença que possa prejudicar a gravidez13.

As chances de sucesso desse método dependem da idade da mulher e decresce com o passar do tempo.

Quais são as complicações possíveis da fertilização1 in vitro?

Com esse método de fertilização1 in vitro há 25% de chance de gravidez13 gemelar. Isso não chega a ser uma complicação, mas é um resultado inesperado e naturalmente envolve riscos maiores que os de uma gravidez13 simples.

Dos mais de três milhões de bebês20 de proveta nascidos no mundo desde 1978, a maioria é saudável, no entanto, o grupo parece comportar maior risco de nascer com peso corporal menor, sofrer de obesidade21, hipertensão arterial22 e diabetes mellitus23 tipo 2 no decorrer da vida.

ABCMED, 2014. Fertilização in vitro: como é o procedimento?. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/gravidez/575657/fertilizacao+in+vitro+como+e+o+procedimento.htm>. Acesso em: 10 dez. 2018.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Fertilização: Contato entre espermatozóide e ovo, determinando sua união.
2 Óvulo: Célula germinativa feminina (haplóide e madura) expelida pelo OVÁRIO durante a OVULAÇÃO.
3 Útero: Orgão muscular oco (de paredes espessas), na pelve feminina. Constituído pelo fundo (corpo), local de IMPLANTAÇÃO DO EMBRIÃO e DESENVOLVIMENTO FETAL. Além do istmo (na extremidade perineal do fundo), encontra-se o COLO DO ÚTERO (pescoço), que se abre para a VAGINA. Além dos istmos (na extremidade abdominal superior do fundo), encontram-se as TUBAS UTERINAS.
4 Fecundação: 1. Junção de gametas que resulta na formação de um zigoto; anfigamia, fertilização. 2. Ato ou efeito de fecundar (-se).
5 Nidação: Implantação.
6 Espermatozóides: Células reprodutivas masculinas.
7 Gametas: Células reprodutoras encontradas em organismos multicelulares.
8 Ovulação: Ovocitação, oocitação ou ovulação nos seres humanos, bem como na maioria dos mamíferos, é o processo que libera o ovócito II em metáfase II do ovário. (Em outras espécies em vez desta célula é liberado o óvulo.) Nos dias anteriores à ovocitação, o folículo secundário cresce rapidamente, sob a influência do FSH e do LH. Ao mesmo tempo que há o desenvolvimento final do folículo, há um aumento abrupto de LH, fazendo com que o ovócito I no seu interior complete a meiose I, e o folículo passe ao estágio de pré-ovocitação. A meiose II também é iniciada, mas é interrompida em metáfase II aproximadamente 3 horas antes da ovocitação, caracterizando a formação do ovócito II. A elevada concentração de LH provoca a digestão das fibras colágenas em torno do folículo, e os níveis mais altos de prostaglandinas causam contrações na parede ovariana, que provocam a extrusão do ovócito II.
9 Ultrassonografia: Ultrassonografia ou ecografia é um exame complementar que usa o eco produzido pelo som para observar em tempo real as reflexões produzidas pelas estruturas internas do organismo (órgãos internos). Os aparelhos de ultrassonografia utilizam uma frequência variada, indo de 2 até 14 MHz, emitindo através de uma fonte de cristal que fica em contato com a pele e recebendo os ecos gerados, os quais são interpretados através de computação gráfica.
10 Sêmen: Sêmen ou esperma. Líquido denso, gelatinoso, branco acinzentado e opaco, que contém espermatozoides e que serve para conduzi-los até o óvulo. O sêmen é o líquido da ejaculação. Ele é composto de plasma seminal e espermatozoides. Este plasma contém nutrientes que alimentam e protegem os espermatozoides.
11 Masturbação: 1. Estimulação manual dos órgãos genitais que geralmente leva ao orgasmo. 2. No sentido figurado, inutilidade de tratar os mesmos temas (considerados infecundos), numa discussão ou pesquisa intelectual ou artística, de modo repetitivo, complacente e inconcludente.
12 Testículos: Os testículos são as gônadas sexuais masculinas que produzem as células de fecundação ou espermatozóides. Nos mamíferos ocorrem aos pares e são protegidos fora do corpo por uma bolsa chamada escroto. Têm função de glândula produzindo hormônios masculinos.
13 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
14 Espermatozóide: Célula reprodutiva masculina.
15 Ovo Fertilizado: ÓVULO fecundado, resultante da fusão entre um gameta feminino e um masculino.
16 Vagina: Canal genital, na mulher, que se estende do ÚTERO à VULVA. (Tradução livre do original
17 Anestesia: Diminuição parcial ou total da sensibilidade dolorosa. Pode ser induzida por diferentes medicamentos ou ser parte de uma doença neurológica.
18 Malformação: 1. Defeito na forma ou na formação; anomalia, aberração, deformação. 2. Em patologia, é vício de conformação de uma parte do corpo, de origem congênita ou hereditária, geralmente curável por cirurgia. Ela é diferente da deformação (que é adquirida) e da monstruosidade (que é incurável).
19 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
20 Bebês: Lactentes. Inclui o período neonatal e se estende até 1 ano de idade (12 meses).
21 Obesidade: Condição em que há acúmulo de gorduras no organismo além do normal, mais severo que o sobrepeso. O índice de massa corporal é igual ou maior que 30.
22 Hipertensão arterial: Aumento dos valores de pressão arterial acima dos valores considerados normais, que no adulto são de 140 milímetros de mercúrio de pressão sistólica e 85 milímetros de pressão diastólica.
23 Diabetes mellitus: Distúrbio metabólico originado da incapacidade das células de incorporar glicose. De forma secundária, podem estar afetados o metabolismo de gorduras e proteínas.Este distúrbio é produzido por um déficit absoluto ou relativo de insulina. Suas principais características são aumento da glicose sangüínea (glicemia), poliúria, polidipsia (aumento da ingestão de líquidos) e polifagia (aumento da fome).
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Ginecologia E Obstetrícia?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.

Comentários

10/10/2014 - Comentário feito por Dr.
Muitos casais apresentam dificuldade para engra...
Muitos casais apresentam dificuldade para engravidar, chamamos de infertilidade quando o casal não engravida após um ano de tentativa com duas relações espalhadas pela semana.Mulheres acima de 35 anos necessitam uma atença especial, se não engravidar após 6 meses de tentativa procure um médico especialista em infertilidade para orientá-la melhor.

  • Entrar
  • Assinar
O AbcMed® é parte integrante da Plataforma HiDoctor® e é oferecido a você gratuitamente.