Atalho: 61ZL5G9
Gostou do artigo? Compartilhe!

Sangramentos na segunda metade da gravidez. Quais são as causas e os sinais e sintomas?

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

Um sangramento tardio, ou seja, na segunda metade da gravidez1, pode representar uma ameaça para a saúde2 da mulher ou do feto3. Contate o seu médico se tiver algum tipo de sangramento no segundo ou terceiro trimestres da gravidez1.

Quais são as causas de sangramento na segunda metade da gestação?

- Descolamento prematuro da placenta:

O sangramento vaginal pode ser causado pelo descolamento da placenta da parede uterina, que ocorre depois da vigésima semana gestacional e antes do nascimento do concepto. Apenas 0,5 a 3,0% das mulheres grávidas têm este problema. Geralmente ele ocorre durante as últimas 12 semanas de gravidez1.

Sinais4 de descolamento da placenta:

  • Hemorragia vaginal5 de início súbito com sangramento vermelho escuro.
  • Dor repentina, intensa e constante.
  • Hipertonia6 uterina.

Mulheres que estão em maior risco para esta condição incluem:

  • Aquelas que já tiveram filhos.
  • As que têm 35 anos de idade ou mais.
  • As com história de descolamento prévio de placenta.
  • Anemia falciforme7.
  • Hipertensão arterial8 (pressão alta).
  • Trauma ou lesão9 no estômago10.
  • Uso de cocaína.
  • Tabagismo.
  • Gestação múltipla ou polidrâmnio11.

Esta condição requer hospitalização imediata. O obstetra deve ser prontamente comunicado do sangramento.

 

- Placenta prévia:

Placenta prévia ocorre quando a implantação da placenta está baixa no útero12. Ou seja, ela ocorreu no segmento inferior do útero12 cobrindo parcial ou completamente o colo do útero13. É uma condição grave e que requer cuidados imediatos.

Esta condição ocorre em 0,5% a 1,5% das gestações.

Sinais4 de placenta prévia:

  • Sangramento vaginal vermelho vivo, indolor, de início e cessar súbitos.
  • Sangramento intermitente14 e progressivo.

Mulheres que estão em maior risco para esta condição incluem:

  • Idade materna avançada.
  • Aquelas que já tiveram filhos.
  • Cesárea anterior.
  • Outra cirurgia anterior no útero12, como curetagens15 uterinas.
  • As que estão grávidas de gêmeos ou trigêmeos.
  • Tabagismo.
  • Patologias que deformam a cavidade uterina (malformações16, miomas).

 

- Trabalho de parto prematuro:

O sangramento vaginal nesta fase da gravidez1 pode ser um sinal17 de trabalho de parto prematuro.

Sinais4 de parto prematuro incluem os sintomas18 abaixo quando ocorrem antes da 37ª semana de gravidez1:

  • Aumento do corrimento vaginal (aquoso, mucoso ou sanguinolento19).
  • Sangramento vaginal.
  • Aumento da pressão na região pélvica20.
  • Saída do tampão mucoso, o qual bloqueia o colo do útero13, pela vagina21. Lembra uma geléia rosada e ocorre devido ao início da dilatação do colo uterino22.
  • Dor persistente na região lombar23.
  • Contrações uterinas regulares.

Outras condições de sangramento na segunda metade da gravidez1 que são mais raras do que as apresentadas: rotura de vasa prévia, rotura uterina, rotura de seio24 marginal, placenta circunvalada.

 

ABCMED, 2011. Sangramentos na segunda metade da gravidez. Quais são as causas e os sinais e sintomas?. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/gravidez/228330/sangramentos-na-segunda-metade-da-gravidez-quais-sao-as-causas-e-os-sinais-e-sintomas.htm>. Acesso em: 16 jun. 2019.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
2 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
3 Feto: Filhote por nascer de um mamífero vivíparo no período pós-embrionário, depois que as principais estruturas foram delineadas. Em humanos, do filhote por nascer vai do final da oitava semana após a CONCEPÇÃO até o NASCIMENTO, diferente do EMBRIÃO DE MAMÍFERO prematuro.
4 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
5 Hemorragia vaginal: Hemorragia vaginal anormal é a perda de sangue por via vaginal fora do período menstrual ou que surge em grandes quantidades (durante mais de sete dias). É preciso considerar a situação menstrual da mulher: se ela tem menstruações normais, irregulares, com falhas, se é muito jovem, se está perto da menopausa ou se já está na menopausa.
6 Hipertonia: 1. Em biologia, é a característica de uma solução que apresenta maior concentração de solutos do que outra. 2. Em medicina, é a tensão excessiva em músculos, artérias ou outros tecidos orgânicos.
7 Anemia falciforme: Doença hereditária que causa a má formação das hemácias, que assumem forma semelhante a foices (de onde vem o nome da doença), com maior ou menor severidade de acordo com o caso, o que causa deficiência do transporte de gases nos indivíduos que possuem a doença. É comum na África, na Europa Mediterrânea, no Oriente Médio e em certas regiões da Índia.
8 Hipertensão arterial: Aumento dos valores de pressão arterial acima dos valores considerados normais, que no adulto são de 140 milímetros de mercúrio de pressão sistólica e 85 milímetros de pressão diastólica.
9 Lesão: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
10 Estômago: Órgão da digestão, localizado no quadrante superior esquerdo do abdome, entre o final do ESÔFAGO e o início do DUODENO.
11 Polidrâmnio: Também conhecido como hidrâmnios é o nome técnico para o excesso de líquido amniótico no útero durante a gestação.
12 Útero: Orgão muscular oco (de paredes espessas), na pelve feminina. Constituído pelo fundo (corpo), local de IMPLANTAÇÃO DO EMBRIÃO e DESENVOLVIMENTO FETAL. Além do istmo (na extremidade perineal do fundo), encontra-se o COLO DO ÚTERO (pescoço), que se abre para a VAGINA. Além dos istmos (na extremidade abdominal superior do fundo), encontram-se as TUBAS UTERINAS.
13 Colo do útero: Porção compreendendo o pescoço do ÚTERO (entre o ístmo inferior e a VAGINA), que forma o canal cervical.
14 Intermitente: Nos quais ou em que ocorrem interrupções; que cessa e recomeça por intervalos; intervalado, descontínuo. Em medicina, diz-se de episódios de febre alta que se alternam com intervalos de temperatura normal ou cujas pulsações têm intervalos desiguais entre si.
15 Curetagens: Operações ou cirurgias que consistem em esvaziar o interior de uma cavidade natural ou patológica com o auxílio de uma cureta; raspagens.
16 Malformações: 1. Defeito na forma ou na formação; anomalia, aberração, deformação. 2. Em patologia, é vício de conformação de uma parte do corpo, de origem congênita ou hereditária, geralmente curável por cirurgia. Ela é diferente da deformação (que é adquirida) e da monstruosidade (que é incurável).
17 Sinal: 1. É uma alteração percebida ou medida por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida. 2. Som ou gesto que indica algo, indício. 3. Dinheiro que se dá para garantir um contrato.
18 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
19 Sanguinolento: 1. Em que há grande derramamento de sangue; sangrento. 2. Tinto ou misturado com sangue. 3. Que se compraz em ver ou derramar sangue; sanguinário.
20 Pélvica: Relativo a ou próprio de pelve. A pelve é a cavidade no extremo inferior do tronco, formada pelos dois ossos do quadril (ilíacos), sacro e cóccix; bacia. Ou também é qualquer cavidade em forma de bacia ou taça (por exemplo, a pelve renal).
21 Vagina: Canal genital, na mulher, que se estende do ÚTERO à VULVA. (Tradução livre do original
22 Colo Uterino: Porção compreendendo o pescoço do ÚTERO (entre o ístmo inferior e a VAGINA), que forma o canal cervical.
23 Região Lombar:
24 Seio: Em humanos, uma das regiões pareadas na porção anterior do TÓRAX. As mamas consistem das GLÂNDULAS MAMÁRIAS, PELE, MÚSCULOS, TECIDO ADIPOSO e os TECIDOS CONJUNTIVOS.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Ginecologia e Obstetrícia?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.