Gostou do artigo? Compartilhe!

Cistografia: o que é? Quem deve e quem não deve fazer? Em que consiste? Quais são as complicações possíveis?

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que é cistografia?

A cistografia é um procedimento diagnóstico1 que utiliza imagens de raios X contrastados para examinar a dinâmica urinária da bexiga2. Para isso, uma substância radiopaca é injetada na bexiga2, através de um cateter introduzido pela uretra3, o que faz com que o órgão possa ser visto mais claramente. Em seguida são tomadas radiografias da bexiga2.

Quem deve fazer uma cistografia?

Pode haver várias razões para o médico recomendar a cistografia. Ela pode ser realizada para pesquisar a causa de hematúria4, de infecções5 recorrentes do trato urinário6 ou para avaliar o estado do sistema urinário7. A cistografia também pode ser usada para avaliar as causas de problemas como o esvaziamento da bexiga2, a incontinência urinária8, obstruções e estreitamentos dos ureteres9 ou da uretra3, bem como o crescimento da próstata10. Ela pode ainda ser realizada antes e depois de certas operações da coluna vertebral11 para avaliar possíveis problemas com os nervos da bexiga2 a partir da espinha ou após um trauma e para avaliar um eventual dano à parede da bexiga2. A cistografia pode indicar a qualidade do esvaziamento da bexiga2 durante a micção12 e se há refluxo da vesícula13 para os ureteres9 e para os rins14.

Quem não deve fazer uma cistografia?

Mulheres que estejam ou suspeitem estar grávidas não devem se submeter à cistografia, porque a exposição à radiação durante a gravidez15 pode levar a defeitos congênitos16 do feto17. Pacientes alérgicos ou sensíveis a medicamentos, anestésicos locais, iodo ou látex ou com insuficiência renal18 devem informar essas condições a seu médico. Outras limitações à cistografia são: cirurgia recente da bexiga2, obstrução, dano ou ruptura da uretra3, infecção19 aguda do trato urinário6.

Em que consiste a cistografia?

Antes do exame o médico dará instruções específicas sobre a dieta que deve ser observada. O paciente deve informar ao médico se é sensível ou alérgico a algum medicamento e notificá-lo de toda medicação que esteja tomando. Um laxativo20 deve ser tomado na noite anterior ao procedimento, para limpar os intestinos21 de qualquer resíduo que possa interferir com o exame e uma profilaxia com antibióticos pode ser feita no dia que antecede o exame. A cistografia pode ser realizada em ambulatório ou em um hospital, se o paciente estiver internado. O exame não provoca dor, podendo apenas haver algum incômodo quando da passagem do cateter. Geralmente, o paciente será solicitado a esvaziar a bexiga2 antes do procedimento. Em seguida, será colocado deitado de costas22 na mesa de raios-X e um cateter será introduzido na sua bexiga2, via uretra3, para injeção23 do meio de contraste. Com pacientes do sexo masculino, um escudo de chumbo será colocado de modo a proteger os testículos24 da radiação dos raios-X. Após a injeção23 do contraste serão tomadas várias radiografias do sistema urinário7, em diferentes posições. Então o cateter será removido e o paciente será solicitado a urinar, após o que será tomada uma última radiografia, pós-miccional. Após o procedimento o paciente pode retomar suas atividades normais, sem nenhum cuidado especial, devendo apenas beber mais líquidos que habitualmente, para ajudar a eliminar o contraste e prevenir infecções5 da bexiga2.

Quais são as complicações possíveis da cistografia?

Normalmente, não há complicações associadas à cistografia. Pode ocorre infecção19 urinária, como resultado da passagem de um cateter na uretra3 durante o procedimento. Isso pode também deixar uma irritação transitória ao urinar e causar algum grau de hemorragia25 ou hematúria4. Os riscos associados com a exposição à radiação estão relacionados com o número cumulativo de exames de raios X e/ou tratamentos durante um longo período de tempo.

ABCMED, 2014. Cistografia: o que é? Quem deve e quem não deve fazer? Em que consiste? Quais são as complicações possíveis?. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/exames-e-procedimentos/736287/cistografia-o-que-e-quem-deve-e-quem-nao-deve-fazer-em-que-consiste-quais-sao-as-complicacoes-possiveis.htm>. Acesso em: 22 nov. 2019.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
2 Bexiga: Órgão cavitário, situado na cavidade pélvica, no qual é armazenada a urina, que é produzida pelos rins. É uma víscera oca caracterizada por sua distensibilidade. Tem a forma de pêra quando está vazia e a forma de bola quando está cheia.
3 Uretra: É um órgão túbulo-muscular que serve para eliminação da urina.
4 Hematúria: Eliminação de sangue juntamente com a urina. Sempre é anormal e relaciona-se com infecção do trato urinário, litíase renal, tumores ou doença inflamatória dos rins.
5 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
6 Trato Urinário:
7 Sistema urinário: O sistema urinário é constituído pelos rins, pelos ureteres e pela bexiga. Ele remove os resíduos do sangue, mantêm o equilíbrio de água e eletrólitos, armazena e transporta a urina.
8 Incontinência urinária: Perda do controle da bexiga que provoca a passagem involuntária de urina através da uretra. Existem diversas causas e tipos de incontinência e muitas opções terapêuticas. Estas vão desde simples exercícios de fisioterapia até complicadas cirurgias. As mulheres são mais freqüentemente acometidas por este problema.
9 Ureteres: Estruturas tubulares que transportam a urina dos rins até a bexiga.
10 Próstata: Glândula que (nos machos) circunda o colo da BEXIGA e da URETRA. Secreta uma substância que liquefaz o sêmem coagulado. Está situada na cavidade pélvica (atrás da parte inferior da SÍNFISE PÚBICA, acima da camada profunda do ligamento triangular) e está assentada sobre o RETO.
11 Coluna vertebral:
12 Micção: Emissão natural de urina por esvaziamento da bexiga.
13 Vesícula: Lesão papular preenchida com líquido claro.
14 Rins: Órgãos em forma de feijão que filtram o sangue e formam a urina. Os rins são localizados na região posterior do abdômen, um de cada lado da coluna vertebral.
15 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
16 Defeitos congênitos: Problemas ou condições que estão presentes ao nascimento.
17 Feto: Filhote por nascer de um mamífero vivíparo no período pós-embrionário, depois que as principais estruturas foram delineadas. Em humanos, do filhote por nascer vai do final da oitava semana após a CONCEPÇÃO até o NASCIMENTO, diferente do EMBRIÃO DE MAMÍFERO prematuro.
18 Insuficiência renal: Condição crônica na qual o corpo retém líquido e excretas pois os rins não são mais capazes de trabalhar apropriadamente. Uma pessoa com insuficiência renal necessita de diálise ou transplante renal.
19 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
20 Laxativo: Mesmo que laxante. Que laxa, afrouxa, dilata. Medicamento que trata da constipação intestinal; purgante, purgativo, solutivo.
21 Intestinos: Seção do canal alimentar que vai do ESTÔMAGO até o CANAL ANAL. Inclui o INTESTINO GROSSO e o INTESTINO DELGADO.
22 Costas:
23 Injeção: Infiltração de medicação ou nutrientes líquidos no corpo através de uma agulha e seringa.
24 Testículos: Os testículos são as gônadas sexuais masculinas que produzem as células de fecundação ou espermatozóides. Nos mamíferos ocorrem aos pares e são protegidos fora do corpo por uma bolsa chamada escroto. Têm função de glândula produzindo hormônios masculinos.
25 Hemorragia: Saída de sangue dos vasos sanguíneos ou do coração para o exterior, para o interstício ou para cavidades pré-formadas do organismo.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Urologia?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.