Gostou do artigo? Compartilhe!

Sobre o uso de contrastes em exames de imagem

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que é o uso de contrastes em exames de imagem?

O contraste é uma substância química opaca aos raios-X (que não se deixam atravessar por eles) usada para realçar as imagens obtidas por vários exames radiográficos e ajudar a mostrar o que está acontecendo dentro do corpo. Estas substâncias são usadas para melhorar a visualização das estruturas a serem pesquisadas.

Nas radiografias, os agentes de contraste aumentam a radiodensidade em um tecido1 ou estrutura alvo. Quando atingem órgãos ocos, eles permitem uma melhor avaliação da silhueta desses órgãos. Esses agentes de contraste são também comumente usados para melhorar a visibilidade dos vasos sanguíneos2 e do trato gastrointestinal.

Em tomografias e ressonâncias, o produto pode evidenciar problemas em regiões vascularizadas, além de alterações no crânio3, coluna, abdome4 e articulações5. Os contrastes usados em tomografias são à base de iodo.

Tipos de contrastes

Existem vários tipos de substâncias-contrastes em uso que podem ser classificadas com base nas modalidades de imagem em que são usadas. Para a radiografia, baseada em raios-X, iodo e bário são os tipos mais comuns de agente de contraste. Existem vários tipos de agentes de contraste iodados que variam quanto à osmolaridade6, viscosidade7 e conteúdo absoluto de iodo. Os dímeros não iônicos são favorecidos por sua baixa osmolaridade6 e toxicidade8, mas têm um preço correspondentemente mais alto associado ao seu uso.

O gadolínio é usado como um agente de contraste para ressonância magnética9, melhorando a qualidade das imagens deste exame.

Microbolhas podem ser usadas como agentes de contraste em exames de ultrassonografia10. Essas microbolhas são compostas de solução salina agitada, a maioria grande demais para passar pelos capilares11 pulmonares. Portanto, as únicas que atingem o lado esquerdo do coração12 passaram por uma conexão anormal entre os dois lados do coração12. No entanto, as microbolhas compostas por pequenas quantidades de nitrogênio ou perfluorocarbonetos são pequenas o suficiente para passar pelos capilares11 e são usadas para aumentar o contraste no ventrículo esquerdo, melhorando a visualização de suas paredes.

Como usar os contrastes?

Existem várias maneiras diferentes pelas quais o contraste pode ser usado em um procedimento.

O contraste intravenoso é um líquido claro à base de iodo usado para aprimorar a visão13 de órgãos sólidos e delinear vasos sanguíneos2 que normalmente não seriam bem vistos em uma tomografia computadorizada14. Esse contraste, dado por uma injeção15 ou infusão intravenosa, viaja através dos seus vasos sanguíneos2 e, em seguida, são realizados os escaneamentos. À medida que o contraste passa pelo corpo, ele pode produzir uma sensação de calor e rubor, um gosto metálico na boca16 ou uma sensação de que você precisa urinar. Esses sentimentos são rápidos e passageiros e habitualmente duram menos de um minuto.

O contraste oral, constituído por um sal de bário, é utilizado em determinadas tomografias para delinear o trato gastrointestinal. O paciente receberá aproximadamente 750 ml a 1000 ml de uma solução para beber, num período de uma a duas horas antes de iniciar o exame. O contraste pode ser diluído com água ou suco, mas em geral é incolor e sem sabor. A água também pode ser usada como contraste oral negativo que aparecerá escuro na tomografia computadorizada14. É especialmente útil quando se observa o pâncreas17 (em busca de cálculos) e a vesícula biliar18 ou seus ductos associados.

O contraste retal será usado para ver-se o intestino mais claramente. Se for usado, o radiologista insere um pequeno tubo no reto19 pelo qual administra o contraste. Provavelmente o paciente sentirá leves cólicas20 ou desconforto à medida que o intestino se distende. A digitalização é feita rapidamente após a administração do contraste e o contraste é drenado de volta para a bolsa após o procedimento.

Reações ao contraste

Além dos efeitos secundários descritos acima, reações adversas aos contrastes são muito raras e a maioria delas é leve. Mesmo se o paciente teve uma reação alérgica21 leve no passado ao contraste, é improvável que experimente uma reação semelhante ou mais grave novamente. Na maioria dos casos, é desnecessário evitar novas injeções. Se o paciente tem alergias graves ou asma22, há um risco aumentado de reação ao contraste. Se for alérgico a mariscos, não terá um risco aumentado de reação. Se teve uma reação ao antigo contraste, é possível que receba com segurança um dos agentes não iônicos e de baixa osmolaridade6 usados atualmente.

Leia mais sobre "Tomografia computadorizada14", "Ressonância magnética9" e "Radiografias".

 

Referências:

As informações veiculadas neste texto foram extraídas dos sites do Kingston General Hospital, do American College of Radiology Imaging Network e do U.S. National Institute of Health.

ABCMED, 2019. Sobre o uso de contrastes em exames de imagem. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/exames-e-procedimentos/1346768/sobre-o-uso-de-contrastes-em-exames-de-imagem.htm>. Acesso em: 14 nov. 2019.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Tecido: Conjunto de células de características semelhantes, organizadas em estruturas complexas para cumprir uma determinada função. Exemplo de tecido: o tecido ósseo encontra-se formado por osteócitos dispostos em uma matriz mineral para cumprir funções de sustentação.
2 Vasos Sanguíneos: Qualquer vaso tubular que transporta o sangue (artérias, arteríolas, capilares, vênulas e veias).
3 Crânio: O ESQUELETO da CABEÇA; compreende também os OSSOS FACIAIS e os que recobrem o CÉREBRO. Sinônimos: Calvaria; Calota Craniana
4 Abdome: Região do corpo que se localiza entre o TÓRAX e a PELVE.
5 Articulações:
6 Osmolaridade: Molaridade de uma solução que exerce a mesma pressão osmótica que uma solução ideal de uma substância não dissociada. É uma medida indireta da concentração somada de todos os solutos de uma determinada solução.
7 Viscosidade: 1. Atributo ou condição do que é viscoso; viscidez. 2. Resistência que um fluido oferece ao escoamento e que se deve ao movimento relativo entre suas partes; atrito interno de um fluido.
8 Toxicidade: Capacidade de uma substância produzir efeitos prejudiciais ao organismo vivo.
9 Ressonância magnética: Exame que fornece imagens em alta definição dos órgãos internos do corpo através da utilização de um campo magnético.
10 Ultrassonografia: Ultrassonografia ou ecografia é um exame complementar que usa o eco produzido pelo som para observar em tempo real as reflexões produzidas pelas estruturas internas do organismo (órgãos internos). Os aparelhos de ultrassonografia utilizam uma frequência variada, indo de 2 até 14 MHz, emitindo através de uma fonte de cristal que fica em contato com a pele e recebendo os ecos gerados, os quais são interpretados através de computação gráfica.
11 Capilares: Minúsculos vasos que conectam as arteríolas e vênulas.
12 Coração: Órgão muscular, oco, que mantém a circulação sangüínea.
13 Visão: 1. Ato ou efeito de ver. 2. Percepção do mundo exterior pelos órgãos da vista; sentido da vista. 3. Algo visto, percebido. 4. Imagem ou representação que aparece aos olhos ou ao espírito, causada por delírio, ilusão, sonho; fantasma, visagem. 5. No sentido figurado, concepção ou representação, em espírito, de situações, questões etc.; interpretação, ponto de vista. 6. Percepção de fatos futuros ou distantes, como profecia ou advertência divina.
14 Tomografia computadorizada: Exame capaz de obter imagens em tons de cinza de “fatias” de partes do corpo ou de órgãos selecionados, as quais são geradas pelo processamento por um computador de uma sucessão de imagens de raios X de alta resolução em diversos segmentos sucessivos de partes do corpo ou de órgãos.
15 Injeção: Infiltração de medicação ou nutrientes líquidos no corpo através de uma agulha e seringa.
16 Boca: Cavidade oral ovalada (localizada no ápice do trato digestivo) composta de duas partes
17 Pâncreas: Órgão nodular (no ABDOME) que abriga GLÂNDULAS ENDÓCRINAS e GLÂNDULAS EXÓCRINAS. A pequena porção endócrina é composta pelas ILHOTAS DE LANGERHANS, que secretam vários hormônios na corrente sangüínea. A grande porção exócrina (PÂNCREAS EXÓCRINO) é uma glândula acinar composta, que secreta várias enzimas digestivas no sistema de ductos pancreáticos (que desemboca no DUODENO).
18 Vesícula Biliar: Reservatório para armazenar secreção da BILE. Através do DUCTO CÍSTICO, a vesícula libera para o DUODENO ácidos biliares em alta concentração (e de maneira controlada), que degradam os lipídeos da dieta.
19 Reto: Segmento distal do INTESTINO GROSSO, entre o COLO SIGMÓIDE e o CANAL ANAL.
20 Cólicas: Dor aguda, produzida pela dilatação ou contração de uma víscera oca (intestino, vesícula biliar, ureter, etc.). Pode ser de início súbito, com exacerbações e períodos de melhora parcial ou total, nos quais o paciente pode estar sentindo-se bem ou apresentar dor leve.
21 Reação alérgica: Sensibilidade a uma substância específica, chamada de alérgeno, com a qual se entra em contato por meio da pele, pulmões, deglutição ou injeções.
22 Asma: Doença das vias aéreas inferiores (brônquios), caracterizada por uma diminuição aguda do calibre bronquial em resposta a um estímulo ambiental. Isto produz obstrução e dificuldade respiratória que pode ser revertida de forma espontânea ou com tratamento médico.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Radiologia e Diagnóstico Por Imagem?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.