Gostou do artigo? Compartilhe!

Cistectomia - como é o procedimento?

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que é cistectomia?

Cistectomia é a remoção total ou parcial da bexiga urinária1, necessária para tratar o câncer2 invasivo de bexiga3 e outras raras condições mórbidas. Nos homens, a cistectomia radical para tratar o câncer2 requer a retida conjunta da próstata4 e vesículas seminais5 e nas mulheres do útero6, trompas, partes da vagina7 e, eventualmente, dos ovários8.

Saiba mais sobre "Câncer2 da bexiga3".

Por que fazer cistectomia?

Em geral, a cirurgia faz parte do tratamento de alguns tipos de tumores malignos de bexiga3, mas antes de se recorrer a ela como medida extrema existem outros procedimentos menos mutiladores para tratar o câncer2 de bexiga3, como aplicação tópica do BCG9 e ressecção transuretral10 do tumor11, por exemplo.

Cistectomia

O tipo de cistectomia que deve ser feito (total ou parcial) depende do estágio da doença. Se o tumor11 é pequeno e está bem localizado, pode ser removido sem a retirada de toda a bexiga3. Se o tumor11 é grande ou dependendo de sua localização na bexiga3, deve ser realizada a cistectomia radical (remoção total da bexiga3).

Nos homens, em se tratando de tumores invasivos, que acometem a camada muscular da bexiga3, devem também ser removidas a próstata4 e as vesículas seminais5. Nas mulheres, quase sempre são removidos também os ovários8, as trompas de Falópio, o útero6 e parte da vagina7. Algumas vezes, se faz necessário complementar a cistectomia com a radioterapia12 e/ou quimioterapia13.

Mas há também outras situações em que a retirada da bexiga3 é necessária, tais como patologias inflamatórias e neurológicas que causem disfunção severa do órgão. Nesses casos, no entanto, normalmente é feita apenas a retirada da bexiga3, sem envolver outros órgãos.

Veja também sobre "Cistoscopia14", "Cistografia" e "Retenção urinária15".

Em que consiste a cistectomia?

Oito dias antes do procedimento, eventuais medicamentos que o paciente esteja tomando e que interfiram com a coagulação16 sanguínea devem ser suspensos. Medicamentos hipoglicemiantes17 devem ser suspensos 48 horas antes da cirurgia. No dia do procedimento deve ser observado jejum de 8 horas antes do ato cirúrgico. Líquidos claros podem ser ingeridos até 5 horas antes da cirurgia. Realizado o procedimento, o paciente deve evitar esforços físicos durante os 30 dias seguintes e ingerir bastante líquido.

Em geral a cistectomia é realizada através de uma incisão18 no abdômen, sob anestesia19 geral. Em alguns casos, a cirurgia pode ser feita por laparoscopia20, quando uma mini câmera é inserida, através de pequenas incisões21, permitindo visualizar o interior da pelve22. Em caso da remoção total da bexiga3, é preciso construir um novo percurso para a urina23 chegar ao exterior ou a reconstrução de um novo recipiente para o armazenamento e eliminação da urina23.

Existem diversos tipos de reconstrução possíveis, os quais devem ser escolhidos juntamente com o paciente. Por exemplo, a bexiga3 pode ser integralmente removida e substituída por um novo reservatório (neobexiga) feito com tecido24 do intestino ileal. Nesse novo reservatório são implantados os ureteres25 e como ele não tem a contratilidade da musculatura da bexiga3, a urina23 deve ser periodicamente removida por cateter.

Se houver alguma contraindicação para retirada da bexiga3 ou para confeccionar uma nova bexiga3, pode-se fazer uma extensão dos ureteres25 até a pele26, usando retalhos do intestino. Nesse caso, faz-se um desvio da urina23, sem remoção da bexiga3, e o paciente terá de usar uma bolsa coletora externa, adaptada à pele26, para aparar a urina23 que flui de maneira contínua.

Quais são as complicações possíveis da cistectomia?

Na cistectomia parcial, a bexiga3 restante pode não ser capaz de reter a urina23 e motivar uma micção27 muito frequente.

A cirurgia de retirada radical da bexiga3 nos homens remove a glândula28 prostática e as vesículas seminais5, o que significa que ele não mais produzirá sêmen29. O orgasmo ainda pode ocorrer, mas será seco, sem sêmen29. As complicações são as mesmas da prostatectomia (remoção da próstata4) radical, além daquelas relativas ao intestino e ao ureter30 na nova bexiga3. Além disso, pode haver também lesões31 em nervos da região, o que impede a ereção32.

Nas mulheres, como há a remoção de parte da vagina7, o sexo pode tornar-se desconfortável. Nelas, a capacidade de ter um orgasmo também pode ser afetada.

A taxa de mortalidade33 dessa cirurgia é de 1%.

Leia sobre "Cirurgia da próstata4", "Bexiga3 hiperativa", "Bexiga3 neurogênica", "Cistocele34 ou bexiga3 caída" e "Cistite35 intersticial36".

 

ABCMED, 2018. Cistectomia - como é o procedimento?. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/exames-e-procedimentos/1312408/cistectomia-como-e-o-procedimento.htm>. Acesso em: 19 set. 2020.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Bexiga Urinária: Saco musculomembranoso ao longo do TRATO URINÁRIO. A URINA flui dos rins (KIDNEY) para dentro da bexiga via URETERES (URETER) e permanece lá até a MICÇÃO. Sinônimos: Bexiga
2 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
3 Bexiga: Órgão cavitário, situado na cavidade pélvica, no qual é armazenada a urina, que é produzida pelos rins. É uma víscera oca caracterizada por sua distensibilidade. Tem a forma de pêra quando está vazia e a forma de bola quando está cheia.
4 Próstata: Glândula que (nos machos) circunda o colo da BEXIGA e da URETRA. Secreta uma substância que liquefaz o sêmem coagulado. Está situada na cavidade pélvica (atrás da parte inferior da SÍNFISE PÚBICA, acima da camada profunda do ligamento triangular) e está assentada sobre o RETO.
5 Vesículas seminais: Divertículos glandulares em forma de bolsa encontrados em cada ducto deferente em machos vertebrados. Une-se com o ducto ejaculatório e serve como depósito temporário de sêmem.
6 Útero: Orgão muscular oco (de paredes espessas), na pelve feminina. Constituído pelo fundo (corpo), local de IMPLANTAÇÃO DO EMBRIÃO e DESENVOLVIMENTO FETAL. Além do istmo (na extremidade perineal do fundo), encontra-se o COLO DO ÚTERO (pescoço), que se abre para a VAGINA. Além dos istmos (na extremidade abdominal superior do fundo), encontram-se as TUBAS UTERINAS.
7 Vagina: Canal genital, na mulher, que se estende do ÚTERO à VULVA. (Tradução livre do original
8 Ovários: São órgãos pares com aproximadamente 3cm de comprimento, 2cm de largura e 1,5cm de espessura cada um. Eles estão presos ao útero e à cavidade pelvina por meio de ligamentos. Na puberdade, os ovários começam a secretar os hormônios sexuais, estrógeno e progesterona. As células dos folículos maduros secretam estrógeno, enquanto o corpo lúteo produz grandes quantidades de progesterona e pouco estrógeno.
9 BCG: Vacina utilizada para prevenir a tuberculose. Esta é composta por bacilos vivos e atenuados, que não produzem doença em pessoas com imunidade normal.
10 Transuretral: Que se situa ou se realiza através da uretra.
11 Tumor: Termo que literalmente significa massa ou formação de tecido. É utilizado em geral para referir-se a uma formação neoplásica.
12 Radioterapia: Método que utiliza diversos tipos de radiação ionizante para tratamento de doenças oncológicas.
13 Quimioterapia: Método que utiliza compostos químicos, chamados quimioterápicos, no tratamento de doenças causadas por agentes biológicos. Quando aplicada ao câncer, a quimioterapia é chamada de quimioterapia antineoplásica ou quimioterapia antiblástica.
14 Cistoscopia: Visualização da bexiga urinária através de um instrumento óptico (cistoscópio) que é introduzido pela uretra.
15 Retenção urinária: É um problema de esvaziamento da bexiga causado por diferentes condições. Normalmente, o ato miccional pode ser iniciado voluntariamente e a bexiga se esvazia por completo. Retenção urinária é a retenção anormal de urina na bexiga.
16 Coagulação: Ato ou efeito de coagular(-se), passando do estado líquido ao sólido.
17 Hipoglicemiantes: Medicamentos que contribuem para manter a glicose sangüínea dentro dos limites normais, sendo capazes de diminuir níveis de glicose previamente elevados.
18 Incisão: 1. Corte ou golpe com instrumento cortante; talho. 2. Em cirurgia, intervenção cirúrgica em um tecido efetuada com instrumento cortante (bisturi ou bisturi elétrico); incisura.
19 Anestesia: Diminuição parcial ou total da sensibilidade dolorosa. Pode ser induzida por diferentes medicamentos ou ser parte de uma doença neurológica.
20 Laparoscopia: Procedimento cirúrgico mediante o qual se introduz através de uma pequena incisão na parede abdominal, torácica ou pélvica, um instrumento de fibra óptica que permite realizar procedimentos diagnósticos e terapêuticos.
21 Incisões: 1. Corte ou golpe com instrumento cortante; talho. 2. Em cirurgia, intervenção cirúrgica em um tecido efetuada com instrumento cortante (bisturi ou bisturi elétrico); incisura.
22 Pelve: 1. Cavidade no extremo inferior do tronco, formada pelos dois ossos do quadril (ossos ilíacos), sacro e cóccix; bacia. 2. Qualquer cavidade em forma de bacia ou taça (por exemplo, a pelve renal).
23 Urina: Resíduo líquido produzido pela filtração renal no organismo, estocado na bexiga e expelido pelo ato de urinar.
24 Tecido: Conjunto de células de características semelhantes, organizadas em estruturas complexas para cumprir uma determinada função. Exemplo de tecido: o tecido ósseo encontra-se formado por osteócitos dispostos em uma matriz mineral para cumprir funções de sustentação.
25 Ureteres: Estruturas tubulares que transportam a urina dos rins até a bexiga.
26 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
27 Micção: Emissão natural de urina por esvaziamento da bexiga.
28 Glândula: Estrutura do organismo especializada na produção de substâncias que podem ser lançadas na corrente sangüínea (glândulas endócrinas) ou em uma superfície mucosa ou cutânea (glândulas exócrinas). A saliva, o suor, o muco, são exemplos de produtos de glândulas exócrinas. Os hormônios da tireóide, a insulina e os estrógenos são de secreção endócrina.
29 Sêmen: Sêmen ou esperma. Líquido denso, gelatinoso, branco acinzentado e opaco, que contém espermatozoides e que serve para conduzi-los até o óvulo. O sêmen é o líquido da ejaculação. Ele é composto de plasma seminal e espermatozoides. Este plasma contém nutrientes que alimentam e protegem os espermatozoides.
30 Ureter: Estrutura tubular que transporta a urina dos rins até a bexiga.
31 Lesões: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
32 Ereção: 1. Ato ou efeito de erigir ou erguer. 2. Inauguração, criação. 3. Levantamento ou endurecimento do pênis.
33 Mortalidade: A taxa de mortalidade ou coeficiente de mortalidade é um dado demográfico do número de óbitos, geralmente para cada mil habitantes em uma dada região, em um determinado período de tempo.
34 Cistocele: Hérnia da bexiga.
35 Cistite: Inflamação ou infecção da bexiga. É uma das infecções mais freqüentes em mulheres, e manifesta-se por ardor ao urinar, urina escura ou com traços de sangue, aumento na freqüência miccional, etc.
36 Intersticial: Relativo a ou situado em interstícios, que são pequenos espaços entre as partes de um todo ou entre duas coisas contíguas (por exemplo, entre moléculas, células, etc.). Na anatomia geral, diz-se de tecido de sustentação localizado nos interstícios de um órgão, especialmente de vasos sanguíneos e tecido conjuntivo.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Urologia?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.