Atalho: 6XIUJY5
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tetraplegia: o que é? Quais as causas e os sintomas? Como é o tratamento?

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que é tetraplegia?

As tetraplegias (ou quadriplegias) ocorrem quando as vias motoras1 e sensitivas que percorrem a medula espinhal2 em direção à periferia (e vice-versa) são interrompidas por um acidente ou outro motivo qualquer, no nível da coluna cervical3, entre a primeira e a sétima vértebras cervicais4 ou em virtude de algumas doenças neurológicas.

Medicamente, é mais usual falar de tetraplegia quando se trata de lesão5 medular e de quadriplegia quando se trata de lesão5 encefálica6 com comprometimento dos quatro membros. Essa interrupção dos estímulos nervosos pode ser completa ou incompleta, levando, assim, a diferentes repercussões e sintomas7 ou podendo, inclusive, causar a morte. As tetraplegias levam à perda de controle motor e sensibilidade dos membros superiores e inferiores e do tronco, podendo afetar de maneira significativa a musculatura respiratória. Após uma lesão5 medular completa, os membros afetados deixam de receber qualquer tipo de estímulo. A pessoa acometida perde também, na maioria dos casos, o controle das suas necessidades fisiológicas8.

Quais são as causas das tetraplegias?

As tetraplegias são sempre sinal9 de uma doença grave do cérebro10 ou da medula espinhal2 cervical. Elas podem ocorrer em razão de hemorragias11 cerebrais, insuficiência12 vertebrobasilar (acidente vascular13 isquêmico14 por insuficiência12 da irrigação sanguínea no território da artéria basilar15), esclerose16 lateral amiotrófica avançada, lesões17 traumáticas da medula espinhal2 cervical ou compressões por causas extrínsecas à medula18.

Duas causas muito comuns de lesões17 na medula espinhal2 são os acidentes automobilísticos e os mergulhos em águas não profundas, levando a batidas com a cabeça19, como por exemplo quando alguém mergulha em uma piscina que não está totalmente cheia de água. Também são significativas as lesões17 à medula18 ocasionadas por armas de fogo e outros acidentes vasculares20 cerebrais.

Quais são os sinais21 e sintomas7 das tetraplegias?

O sinal9 mais notório da tetraplegia é a paralisia22 dos membros superiores e inferiores. Há uma imensa gradação na perda desses movimentos, indo desde a perda de forças, até uma imobilidade completa dos membros, quase sempre levando à incontinência urinária23, fecal e à impotência24, obrigando os pacientes ao uso de dispositivos especiais. A musculatura respiratória também pode ser mais ou menos afetada, ocasionando dificuldades respiratórias. Com isso, os músculos25 do paciente se atrofiam visivelmente. Quase sempre a lucidez, a fala e a inteligência ficam preservadas.

Como é o tratamento das tetraplegias?

As tetraplegias, em geral, são consequência de moléstias neurológicas graves e irreversíveis e muitas vezes mortais. O paciente que sobrevive a elas torna-se uma pessoa sem autossuficiência e passa a ter necessidade de assistência contínua e ininterrupta, durante toda a vida, às vezes até mesmo para respirar (respiração assistida). Nas tetraplegias, o paciente tem pela frente a difícil tarefa de adaptar-se à sua nova modalidade de vida e aprender a usar os recursos (médicos e sociais) disponíveis e o médico deve cuidar das possíveis complicações que advenham dessa nova condição. Uma preocupação especial deve ser mantida com a pele26, nos pontos de apoio do corpo, para que ela não se fira sem que isso seja notado. Uma cadeira de rodas especial representa o único meio possível de locomoção, mas mesmo assim os pacientes dependerão de outra pessoa que lhes coloque ou retire dela. Alguns casos especiais podem exigir cirurgia, a ser realizada por um neurocirurgião.

ABCMED, 2013. Tetraplegia: o que é? Quais as causas e os sintomas? Como é o tratamento?. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/348064/tetraplegia-o-que-e-quais-as-causas-e-os-sintomas-como-e-o-tratamento.htm>. Acesso em: 11 dez. 2019.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Vias Motoras: Estruturas nervosas através das quais os impulsos são conduzidos do centro nervoso para um sítio periférico. Estes impulsos são conduzidos por NEURÔNIOS EFERENTES, como os NEURÔNIOS MOTORES, neurônios autonômicos e hipofisários.
2 Medula Espinhal:
3 Coluna cervical: A coluna cervical localiza-se no pescoço entre a parte inferior do crânio e a superior do tronco no nível dos ombros. Ela é composta por sete vértebras cervicais unidas por ligamentos, músculos e por elementos que preenchem o espaço entre elas, os discos intervertebrais. No interior da coluna cervical está o canal vertebral por onde passa a medula espinhal, que comanda todos os nossos movimentos e sensações. Nesta região, a medula emite oito raízes nervosas que se ramificam para a cabeça, pescoço, membros superiores, ombros e parte anterossuperior do tórax.
4 Vértebras Cervicais:
5 Lesão: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
6 Encefálica: Referente a encéfalo.
7 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
8 Fisiológicas: Relativo à fisiologia. A fisiologia é estudo das funções e do funcionamento normal dos seres vivos, especialmente dos processos físico-químicos que ocorrem nas células, tecidos, órgãos e sistemas dos seres vivos sadios.
9 Sinal: 1. É uma alteração percebida ou medida por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida. 2. Som ou gesto que indica algo, indício. 3. Dinheiro que se dá para garantir um contrato.
10 Cérebro: Derivado do TELENCÉFALO, o cérebro é composto dos hemisférios direito e esquerdo. Cada hemisfério contém um córtex cerebral exterior e gânglios basais subcorticais. O cérebro inclui todas as partes dentro do crânio exceto MEDULA OBLONGA, PONTE e CEREBELO. As funções cerebrais incluem as atividades sensório-motora, emocional e intelectual.
11 Hemorragias: Saída de sangue dos vasos sanguíneos ou do coração para o exterior, para o interstício ou para cavidades pré-formadas do organismo.
12 Insuficiência: Incapacidade de um órgão ou sistema para realizar adequadamente suas funções.Manifesta-se de diferentes formas segundo o órgão comprometido. Exemplos: insuficiência renal, hepática, cardíaca, respiratória.
13 Vascular: Relativo aos vasos sanguíneos do organismo.
14 Isquêmico: Relativo à ou provocado pela isquemia, que é a diminuição ou suspensão da irrigação sanguínea, numa parte do organismo, ocasionada por obstrução arterial ou por vasoconstrição.
15 Artéria Basilar: Artéria formada pela união das artérias vertebrais direita e esquerda. Corre da parte inferior para a parte superior da ponte, onde se bifurca em duas artérias cerebrais posteriores.
16 Esclerose: 1. Em geriatria e reumatologia, é o aumento patológico de tecido conjuntivo em um órgão, que ocorre em várias estruturas como nervos, pulmões etc., devido à inflamação crônica ou por razões desconhecidas. 2. Em anatomia botânica, é o enrijecimento das paredes celulares das plantas, por espessamento e/ou pela deposição de lignina. 3. Em fitopatologia, é o endurecimento anormal de um tecido vegetal, especialemnte da polpa dos frutos.
17 Lesões: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
18 Medula: Tecido mole que preenche as cavidades dos ossos. A medula óssea apresenta-se de dois tipos, amarela e vermelha. A medula amarela é encontrada em cavidades grandes de ossos grandes e consiste em sua grande maioria de células adiposas e umas poucas células sangüíneas primitivas. A medula vermelha é um tecido hematopoiético e é o sítio de produção de eritrócitos e leucócitos granulares. A medula óssea é constituída de um rede, em forma de treliça, de tecido conjuntivo, contendo fibras ramificadas e preenchida por células medulares.
19 Cabeça:
20 Vasculares: Relativo aos vasos sanguíneos do organismo.
21 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
22 Paralisia: Perda total da força muscular que produz incapacidade para realizar movimentos nos setores afetados. Pode ser produzida por doença neurológica, muscular, tóxica, metabólica ou ser uma combinação das mesmas.
23 Incontinência urinária: Perda do controle da bexiga que provoca a passagem involuntária de urina através da uretra. Existem diversas causas e tipos de incontinência e muitas opções terapêuticas. Estas vão desde simples exercícios de fisioterapia até complicadas cirurgias. As mulheres são mais freqüentemente acometidas por este problema.
24 Impotência: Incapacidade para ter ou manter a ereção para atividades sexuais. Também chamada de disfunção erétil.
25 Músculos: Tecidos contráteis que produzem movimentos nos animais.
26 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Neurologia?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.

Comentários

17/10/2013 - Comentário feito por Eliana
Re: Tetraplegia: o que é? Quais as causas e os sintomas? Como é o tratamento?
Estou com um amigo nesta situação. Gostaria que acrescentassem ao artigo a funcionalidade da cirurgia (como e o que faz) e as etapas subsequentes à cirurgia.

18/08/2013 - Comentário feito por sheila
Re: Tetraplegia: o que é? Quais as causas e os sintomas? Como é o tratamento?
entao eu achei muito interessante me ajudou muito ...............obg!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

15/08/2013 - Comentário feito por joao
Re: Tetraplegia: o que é? Quais as causas e os sintomas? Como é o tratamento?
eu esperava mais

  • Entrar
  • Assinar