Gostou do artigo? Compartilhe!

Intussuscepção intestinal ou invaginação intestinal: o que é isso?

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que é intussuscepção intestinal?

Intussuscepção ou intuscepção intestinal (também chamada de invaginação intestinal) é a entrada de um segmento do intestino em outra parte do mesmo órgão. Embora a intussuscepção intestinal seja rara e possa ser transitória e de reversão espontânea, frequentemente causa uma obstrução intestinal e um quadro de abdome agudo1. A compressão causada pela parte invaginada leva a variados graus de oclusão venosa, edema2 parietal e comprometimento arterial simultâneo, levando a alterações da mucosa intestinal3, com extravasamento de sangue4 e muco. Se não resolver-se espontaneamente ou não for solucionada a tempo, a intussuscepção intestinal pode levar à necrose5 intestinal, uma complicação grave. É uma patologia6 mais presente em crianças que em adultos, sendo a causa mais comum de obstrução intestinal entre os três meses e os seis anos de idade. Na idade adulta, a invaginação intestinal corresponde somente a 1% dos casos de obstrução intestinal. Esse fenômeno pode ocorrer também em outros órgãos tubulares de mobilidade ampla e no intestino é mais comum no íleo7 e no cólon8.

Intussuscepção Intestinal

Quais são as causas da intussuscepção intestinal?

A principal causa de intussuscepção intestinal é a presença de massas ou tumores nas paredes do intestino, os quais são “puxados" para o interior deste órgão pelos movimentos peristálticos9 (movimentos normais de contração do órgão que dirigem seu conteúdo na direção da expulsão). Em crianças, cerca de 90% dos casos de intussuscepção intestinal tem etiologia10 idiopática11. Em idosos, geralmente está relacionada com alterações patológicas das paredes intestinais, inclusive tumores malignos.

Quais são os principais sinais12 e sintomas13 da intussuscepção intestinal?

A intussuscepção intestinal resulta na impossibilidade da passagem do bolo fecal pelo intestino. Os sinais12 e sintomas13 dependem de qual parte do intestino está envolvida na obstrução, se é o intestino delgado14 ou o grosso, porque os sintomas13 são diferentes. Em geral eles aparecem como náuseas15, vômitos16, flexão das pernas e cólicas17 abdominais moderadas ou severas, sangramento retal, fezes com muco, letargia18 e febre19, se houver necrose5. Uma massa abdominal pode ser palpável, bem como uma luta peristáltica pode ser observada, se houver obstrução, sobretudo nos pacientes magros.

Como o médico diagnostica a intussuscepção intestinal?

Além dos sinais12 e sintomas13, a intussuscepção intestinal pode ser diagnosticada por meio de exames de imagem, especialmente a ultrassonografia20 abdominal. Também uma colonoscopia21 ou um exame de trânsito intestinal podem ajudar no diagnóstico22.

Como o médico trata a intussuscepção intestinal?

O tratamento clínico, por meio uma sonda nasogástrica23 inserida no estômago24 ou no intestino para aliviar a distensão abdominal, reverte grande parte dos casos. Caso não seja possível essa reversão clínica, deve-se partir para o tratamento cirúrgico, removendo-se a parte afetada do intestino.

Como evolui a intussuscepção intestinal?

O tratamento clínico tem taxa de sucesso de 80%, mas em 5 a 10% dos casos há recidiva25 nas primeiras 24 horas.

ABCMED, 2013. Intussuscepção intestinal ou invaginação intestinal: o que é isso?. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/sinais.-sintomas-e-doencas/380089/intussuscepcao-intestinal-ou-invaginacao-intestinal-o-que-e-isso.htm>. Acesso em: 18 fev. 2019.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Abdome agudo: Dor abdominal, em geral de início súbito, progressiva que costuma associar-se a doenças de resolução cirúrgica. Necessita de avaliação médica urgente. Algumas causas de abdome agudo são apendicite, colecistite, pancreatite, etc.
2 Edema: 1. Inchaço causado pelo excesso de fluidos no organismo. 2. Acúmulo anormal de líquido nos tecidos do organismo, especialmente no tecido conjuntivo.
3 Mucosa Intestinal: Revestimento dos INTESTINOS, consistindo em um EPITÉLIO interior, uma LÂMINA PRÓPRIA média, e uma MUSCULARIS MUCOSAE exterior. No INTESTINO DELGADO, a mucosa é caracterizada por várias dobras e muitas células absortivas (ENTERÓCITOS) com MICROVILOSIDADES.
4 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
5 Necrose: Conjunto de processos irreversíveis através dos quais se produz a degeneração celular seguida de morte da célula.
6 Patologia: 1. Especialidade médica que estuda as doenças e as alterações que estas provocam no organismo. 2. Qualquer desvio anatômico e/ou fisiológico, em relação à normalidade, que constitua uma doença ou caracterize determinada doença. 3. Por extensão de sentido, é o desvio em relação ao que é próprio ou adequado ou em relação ao que é considerado como o estado normal de uma coisa inanimada ou imaterial.
7 Íleo: A porção distal and mais estreita do INTESTINO DELGADO, entre o JEJUNO e a VALVA ILEOCECAL do INTESTINO GROSSO. Sinônimos: Ileum
8 Cólon:
9 Movimentos peristálticos: Conjunto das contrações musculares dos órgãos ocos, provocando o avanço de seu conteúdo; peristalse, peristaltismo.
10 Etiologia: 1. Ramo do conhecimento cujo objeto é a pesquisa e a determinação das causas e origens de um determinado fenômeno. 2. Estudo das causas das doenças.
11 Idiopática: 1. Relativo a idiopatia; que se forma ou se manifesta espontaneamente ou a partir de causas obscuras ou desconhecidas; não associado a outra doença. 2. Peculiar a um indivíduo.
12 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
13 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
14 Intestino delgado: O intestino delgado é constituído por três partes: duodeno, jejuno e íleo. A partir do intestino delgado, o bolo alimentar é transformado em um líquido pastoso chamado quimo. Com os movimentos desta porção do intestino e com a ação dos sucos pancreático e intestinal, o quimo é transformado em quilo, que é o produto final da digestão. Depois do alimento estar transformado em quilo, os produtos úteis para o nosso organismo são absorvidos pelas vilosidades intestinais, passando para os vasos sanguíneos.
15 Náuseas: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc .
16 Vômitos: São a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Podem ser classificados em: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
17 Cólicas: Dor aguda, produzida pela dilatação ou contração de uma víscera oca (intestino, vesícula biliar, ureter, etc.). Pode ser de início súbito, com exacerbações e períodos de melhora parcial ou total, nos quais o paciente pode estar sentindo-se bem ou apresentar dor leve.
18 Letargia: Em psicopatologia, é o estado de profunda e prolongada inconsciência, semelhante ao sono profundo, do qual a pessoa pode ser despertada, mas ao qual retorna logo a seguir. Por extensão de sentido, é a incapacidade de reagir e de expressar emoções; apatia, inércia e/ou desinteresse.
19 Febre: É a elevação da temperatura do corpo acima dos valores normais para o indivíduo. São aceitos como valores de referência indicativos de febre: temperatura axilar ou oral acima de 37,5°C e temperatura retal acima de 38°C. A febre é uma reação do corpo contra patógenos.
20 Ultrassonografia: Ultrassonografia ou ecografia é um exame complementar que usa o eco produzido pelo som para observar em tempo real as reflexões produzidas pelas estruturas internas do organismo (órgãos internos). Os aparelhos de ultrassonografia utilizam uma frequência variada, indo de 2 até 14 MHz, emitindo através de uma fonte de cristal que fica em contato com a pele e recebendo os ecos gerados, os quais são interpretados através de computação gráfica.
21 Colonoscopia: Estudo endoscópico do intestino grosso, no qual o colonoscópio é introduzido pelo ânus. A colonoscopia permite o estudo de todo o intestino grosso e porção distal do intestino delgado. É um exame realizado na investigação de sangramentos retais, pesquisa de diarreias, alterações do hábito intestinal, dores abdominais e na detecção e remoção de neoplasias.
22 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
23 Sonda nasogástrica: Equipamento de uso médico que pode servir tanto para alimentar pacientes que não conseguem realizar a deglutição, como para drenar líquidos do estômago (em casos de intoxicação ou cirurgias, por exemplo). A sonda é um equipamento que consiste basicamente em um tubo com duas aberturas para comunicação entre o interior e o exterior do corpo do paciente.
24 Estômago: Órgão da digestão, localizado no quadrante superior esquerdo do abdome, entre o final do ESÔFAGO e o início do DUODENO.
25 Recidiva: 1. Em medicina, é o reaparecimento de uma doença ou de um sintoma, após período de cura mais ou menos longo; recorrência. 2. Em direito penal, significa recaída na mesma falta, no mesmo crime; reincidência.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Cirurgia Geral?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.

Comentários

01/05/2015 - Comentário feito por Lívia
Minha filha de 2 anos estava com grandes dores ...
Minha filha de 2 anos estava com grandes dores na barriga e vomitando muito, fui em vários médicos e todos diziam que era virose, no segundo dia depois de pagar 4 consultas médicas, exigi da médica um pedido de ultrasson, e foi constatado a invaginação intestinal, fomos direto para o hospital e ela foi submetida a uma cirurgia de emergência. Portanto se seus filhos tiverem esses sintomas, exijam do médico um exame de ultrasson, pois é o mais indicado para detectar esse problema, não deixem para depois, pois pode ser fatal.

17/06/2014 - Comentário feito por Márcia
Muitas vezes o médico não faz a a...
Muitas vezes o médico não faz a analise devida.Pois meu filho tinha 6 meses quando teve a primeira invaginação,e simplesmente o pediatra não pediu nem um exame,eu que exigi uma ultrasson e ainda ouvi é plano né...
Graças a Deus não foi caso de cirurgia em nem uma das duas vezes,mas alerto as mães se seu filho tiver com algum desses sintomas e o médico descartar qualquer possibilidade exija uma ultrassonografia.

  • Entrar
  • Assinar
O AbcMed® é parte integrante da Plataforma HiDoctor® e é oferecido a você gratuitamente.