Gostou do artigo? Compartilhe!

Acidentes domésticos: como evitá-los?

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que são acidentes domésticos?

Acidentes domésticos são aqueles que acontecem nas residências e geralmente são infringidos pelo próprio indivíduo ou, involuntariamente, por membros da família. Embora possam afetar quaisquer pessoas, as vítimas são principalmente as crianças curiosas, os idosos com movimentos limitados e os adultos desatentos, em vista da sua pouca noção de perigo, de sua pequena capacidade de defesa, de suas fragilidades orgânicas e de suas maneiras imprevidentes de agir. Em todos os casos, o mais importante é prevenir esses acidentes, mas eles podem acontecer apesar de todos os cuidados e às vezes são tão graves que podem levar à morte. Em países industrializados os acidentes acontecidos no lar são a principal causa de morte infantil.

Acidentes domésticos inusitados

A variedade possível de acidentes domésticos inusitados é infinita e inabarcável, embora alguns sejam mais comuns e típicos. A solução destes acidentes exige calma e engenhosidade e se em algumas vezes podem ser solucionados pelos próprios familiares, em outras necessitam do auxílio de profissionais especializados. Somente a título de exemplos, podem ser citados:

  1. Uma criança pequena fica certo tempo brincando de apanhar pimentas numa pimenteira e depois leva as mãos1 aos genitais, passando a gritar de dores.
  2. Uma criança pequena entra no interior de uma grande arca e a tampa se fecha sobre ela, que não consegue abri-la.
  3. Sem que ninguém veja, uma criança pequena toma os restos de bebidas alcoólicas deixadas pelos adultos após uma festa e entra em coma2.
  4. Brincando, uma criança enfia a cabeça3 entre duas colunas de metal e depois não consegue retirá-la.

E assim, ocorrem várias surpresas desagradáveis...

Como evitar os acidentes domésticos mais típicos e comuns?

  • Choques elétricos: nunca deixe fios desencapados ou tomadas elétricas desprotegidas. As crianças podem enfiar objetos metálicos ou o próprio dedo em seus orifícios. Os adultos, ao lidarem com eletricidade devem usar calçados com solado de borracha, luvas de borracha e ferramentas com cabos isolados. Por outro lado, nunca devem lidar com grandes voltagens, deixando a tarefa para profissionais do ramo. As tomadas dos eletrodomésticos que não estejam em uso devem ser mantidas desconectadas da energia.
  • Queimaduras: não permita que crianças pequenas brinquem com fogo, materiais explosivos ou fósforos; mantenha-as longe de objetos ou líquidos quentes; cuidado com o ferro de passar roupas e o fogão (use de preferência as bocas da parte de trás do fogão). Não deixe as alças das panelas ao alcance das crianças.
  • Quedas: tome cuidado com pisos molhados e escorregadios, com degraus ou depressões no chão ou com objetos deixados no chão, como tapetes, sapatos, fios, brinquedos, etc., que podem embaraçar os pés e causar quedas, principalmente dos idosos. Cuidado também com objetos que escorregam, como as cascas de banana ou os papeis, por exemplo, bem como mantenha as escadas, sacadas e janelas protegidas por telas. Os móveis devem ser mantidos longe das janelas e sacadas.
  • Remédios e substâncias tóxicas: não deixe remédios ou substâncias tóxicas ao alcance das crianças. Mantenha-as sempre em recipientes rotulados de maneira bem visível e de preferência sempre nos mesmos lugares, para que as pessoas se habituem a elas. Tenha especial cuidado com aqueles produtos que são muito semelhantes a outros inofensivos, como comprimidos que se parecem com balas ou pós que são semelhantes a açúcares ou farinhas. Nunca coloque líquidos tóxicos em garrafas de refrigerantes. Os registros de gás não devem estar ao alcance das crianças. Deve-se ter especial cuidado para não se deixar as substâncias nocivas que se descartam no lixo ao alcance das crianças.
  • Ferimentos: nunca permita a uma criança pequena que brinque com objetos cortantes ou pontiagudos, como facas, tesouras, agulhas, chaves de fenda, etc., ou com outras ferramentas perigosas. Seus utensílios nunca devem ser de vidro ou louça, mas de plástico ou madeira. Os móveis devem ter quinas arredondadas ou protegidas. Os adultos devem ter especial cuidado ao lidar com essas ferramentas e cuidar para que a parte cortante ou perfurante delas não esteja pressionada contra o próprio corpo.
  • Afogamentos: tenha cuidado com os acessos de crianças que ainda não sabem nadar à piscina. Nunca deixe uma criança sozinha na piscina, mesmo que ela saiba nadar, porque vários acidentes e imprevistos podem levá-la a se afogar. Baldes, bacias e outros recipientes semelhantes devem ser guardados sem água e de cabeça3 para baixo, porque as crianças podem afogar-se dentro deles.
  • Asfixias: não deixe crianças pequenas brincarem com cordões compridos ou com sacos plásticos, porque elas podem se asfixiar com eles, enrolando-os no pescoço4 ou enfiando-os e torcendo-os na cabeça3, respectivamente. Pequenas peças de brinquedos ou aparelhos eletrônicos ou pequenos objetos como moedas ou botões podem ser engolidos ou introduzidos nas narinas, provocando asfixia5. Cuidado com as almofadas e travesseiros deixados próximos aos bebês6.

Saiba ainda mais sobre acidentes domésticos e como prestar primeiros socorros. Veja o Manual Prático de Primeiros Socorros.

ABCMED, 2015. Acidentes domésticos: como evitá-los?. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/vida-saudavel/740662/acidentes+domesticos+como+evita+los.htm>. Acesso em: 22 nov. 2019.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Mãos: Articulação entre os ossos do metacarpo e as falanges.
2 Coma: 1. Alteração do estado normal de consciência caracterizado pela falta de abertura ocular e diminuição ou ausência de resposta a estímulos externos. Pode ser reversível ou evoluir para a morte. 2. Presente do subjuntivo ou imperativo do verbo “comer.“
3 Cabeça:
4 Pescoço:
5 Asfixia: 1. Dificuldade ou impossibilidade de respirar, que pode levar à anóxia. Ela pode ser causada por estrangulamento, afogamento, inalação de gases tóxicos, obstruções mecânicas ou infecciosas das vias aéreas superiores, etc. 2. No sentido figurado, significa sujeição à tirania; opressão e/ou cobrança de posições morais ou sociais que dão origem à privação de certas liberdades.
6 Bebês: Lactentes. Inclui o período neonatal e se estende até 1 ano de idade (12 meses).
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Clínica Médica?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.