Atalho: 7070LFN
Gostou do artigo? Compartilhe!

Hipotiroidismo: definição, causas, sintomas, diagnóstico, tratamento e evolução

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que é hipotiroidismo?

Diz-se que há hipotiroidismo (ou hipotireoidismo1) quando a glândula2 tiroide deixa de produzir seus hormônios (tiroxina – T4 e tri-iodotironina – T3) em quantidades suficientes para as necessidades orgânicas. Esses hormônios são importantes, sobretudo na regulação do metabolismo3. A tiroide produz também a calcitonina4, que regula o nível de cálcio no organismo. A enfermidade acomete 1 a 3% da população geral e é mais comum nas mulheres, numa proporção de 4:1, sendo uma das ocorrências mais frequentes nos consultórios de endocrinologia.

Quais são as causas do hipotiroidismo?

O hipotiroidismo pode dever-se a várias causas distintas: inflamação5 da glândula2 tiroide (tireoidite de Hashimoto); radiação na região do pescoço6 para tratar certos tipos de câncer7; retirada cirúrgica ou acidental da glândula2 ou de parte dela; tratamento medicamentoso para o hipertiroidismo; deficiência de iodo na dieta. Também pode ser devido a defeitos congênitos8 da glândula2 que, conforme a natureza deles, pode gerar hipo ou hipertiroidismo.

Hipertireoidismo

Quais são os principais sinais9 e sintomas10 do hipotiroidismo?

Os sinais9 e sintomas10 do hipotiroidismo são múltiplos, às vezes vagos e discretos e podem aparecer muito lentamente, por vezes dificultando o diagnóstico11. Os principais e mais ostensivos, no entanto, são: sonolência excessiva; fadiga12; lentificação muscular; aumento do peso corporal, diminuição da frequência cardíaca; mixedema13 (infiltração edematosa em todo o corpo); fala lenta e rouca, disminésias (alterações da memória); lentidão dos reflexos; pele14 seca; maior sensibilidade ao frio; obesidade15 e ganho de peso; depressão; anemia16; metabolismo3 lentificado; prisão de ventre; falta de fôlego; perda de desejo sexual, dores nas articulações17 e músculos18; palidez; irritabilidade; ciclos menstruais alterados; infertilidade19 ou dificuldade de engravidar; colesterol20 elevado.

Em crianças muito novas pode haver retardo do nascimento dos dentes; falta de crescimento normal (estatura pequena para a idade); atraso da maturação óssea; macroglossia (língua21 anormalmente grande e volumosa) e baixa inteligência.

Como o médico diagnostica o hipotiroidismo?

Como sempre em medicina, é muito importante uma história clínica detalhada. Nos casos em que exista bócio22 ou papo (aumento de volume da tiroide) ele pode ser observado durante o exame clínico ou inferido do relato do paciente de ter um "colarinho apertado". O exame de sangue23 identificará níveis baixos do hormônio24 tiroidiano e níveis elevados do hormônio24 estimulante da tiroide (TSH), bem como a presença de anticorpos25 antitiroidianos próprios da doença de Hashimoto. Em neonatos26 a disfunção pode ser detectada através do "Teste do Pezinho", que deve ser realizado de rotina pelas maternidades.

Como o médico trata o hipotiroidismo?

O tratamento consiste na reposição oral do hormônio24 que está em falta, geralmente em comprimidos. Quase sempre a medicação tem de ser tomada pelo resto da vida.

Como evolui o hipotiroidismo?

Se não for identificado até o terceiro mês de vida do bebê, o hipotiroidismo pode levar a um retardo do desenvolvimento físico e mental.

O hipotiroidismo não tratado pode levar a dificuldades para engravidar e a abortos espontâneos.

Mulheres hipotiroideas que engravidam durante o tratamento normalmente não terão problemas se forem adequadamente tratadas, já que o medicamento repõe com precisão os hormônios que deveriam estar sendo produzidos naturalmente pela glândula2 tiroide.

ABCMED, 2013. Hipotiroidismo: definição, causas, sintomas, diagnóstico, tratamento e evolução. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/tireoide/357254/hipotiroidismo-definicao-causas-sintomas-diagnostico-tratamento-e-evolucao.htm>. Acesso em: 19 jun. 2019.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Hipotireoidismo: Distúrbio caracterizado por uma diminuição da atividade ou concentração dos hormônios tireoidianos. Manifesta-se por engrossamento da voz, aumento de peso, diminuição da atividade, depressão.
2 Glândula: Estrutura do organismo especializada na produção de substâncias que podem ser lançadas na corrente sangüínea (glândulas endócrinas) ou em uma superfície mucosa ou cutânea (glândulas exócrinas). A saliva, o suor, o muco, são exemplos de produtos de glândulas exócrinas. Os hormônios da tireóide, a insulina e os estrógenos são de secreção endócrina.
3 Metabolismo: É o conjunto de transformações que as substâncias químicas sofrem no interior dos organismos vivos. São essas reações que permitem a uma célula ou um sistema transformar os alimentos em energia, que será ultilizada pelas células para que as mesmas se multipliquem, cresçam e movimentem-se. O metabolismo divide-se em duas etapas: catabolismo e anabolismo.
4 Calcitonina: Hormônio secretado pela glândula tireoide que inibe a perda de cálcio dos ossos.
5 Inflamação: Conjunto de processos que se desenvolvem em um tecido em resposta a uma agressão externa. Incluem fenômenos vasculares como vasodilatação, edema, desencadeamento da resposta imunológica, ativação do sistema de coagulação, etc.Quando se produz em um tecido superficial (pele, tecido celular subcutâneo) pode apresentar tumefação, aumento da temperatura local, coloração avermelhada e dor (tétrade de Celso, o cientista que primeiro descreveu as características clínicas da inflamação).
6 Pescoço:
7 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
8 Defeitos congênitos: Problemas ou condições que estão presentes ao nascimento.
9 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
10 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
11 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
12 Fadiga: 1. Sensação de enfraquecimento resultante de esforço físico. 2. Trabalho cansativo. 3. Redução gradual da resistência de um material ou da sensibilidade de um equipamento devido ao uso continuado.
13 Mixedema: Infiltração cutânea causadora de edema firme e elástico nos tecidos, especialmente do rosto e dos membros, acarretada por diminuição da atividade da glândula tireoide (hipotireoidismo).
14 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
15 Obesidade: Condição em que há acúmulo de gorduras no organismo além do normal, mais severo que o sobrepeso. O índice de massa corporal é igual ou maior que 30.
16 Anemia: Condição na qual o número de células vermelhas do sangue está abaixo do considerado normal para a idade, resultando em menor oxigenação para as células do organismo.
17 Articulações:
18 Músculos: Tecidos contráteis que produzem movimentos nos animais.
19 Infertilidade: Capacidade diminuída ou ausente de gerar uma prole. O termo não implica a completa inabilidade para ter filhos e não deve ser confundido com esterilidade. Os clínicos introduziram elementos físicos e temporais na definição. Infertilidade é, portanto, freqüentemente diagnosticada quando, após um ano de relações sexuais não protegidas, não ocorre a concepção.
20 Colesterol: Tipo de gordura produzida pelo fígado e encontrada no sangue, músculos, fígado e outros tecidos. O colesterol é usado pelo corpo para a produção de hormônios esteróides (testosterona, estrógeno, cortisol e progesterona). O excesso de colesterol pode causar depósito de gordura nos vasos sangüíneos. Seus componentes são: HDL-Colesterol: tem efeito protetor para as artérias, é considerado o bom colesterol. LDL-Colesterol: relacionado às doenças cardiovasculares, é o mau colesterol. VLDL-Colesterol: representa os triglicérides (um quinto destes).
21 Língua:
22 Bócio: Aumento do tamanho da glândula tireóide, que produz um abaulamento na região anterior do pescoço. Em geral está associado ao hipotireoidismo. Quando a causa desta doença é a deficiência de ingestão de iodo, é denominado Bócio Regional Endêmico. Também pode estar associado a outras doenças glandulares como tumores, infecções ou inflamações.
23 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
24 Hormônio: Substância química produzida por uma parte do corpo e liberada no sangue para desencadear ou regular funções particulares do organismo. Por exemplo, a insulina é um hormônio produzido pelo pâncreas que diz a outras células quando usar a glicose para energia. Hormônios sintéticos, usados como medicamentos, podem ser semelhantes ou diferentes daqueles produzidos pelo organismo.
25 Anticorpos: Proteínas produzidas pelo organismo para se proteger de substâncias estranhas como bactérias ou vírus. As pessoas que têm diabetes tipo 1 produzem anticorpos que destroem as células beta produtoras de insulina do próprio organismo.
26 Neonatos: Refere-se a bebês nos seus primeiros 28 dias (mês) de vida. O termo “recentemente-nascido“ refere-se especificamente aos primeiros minutos ou horas que se seguem ao nascimento. Esse termo é utilizado para enfocar os conhecimentos e treinamento da ressuscitação imediatamente após o nascimento e durante as primeiras horas de vida.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Endocrinologia e Metabologia?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.

Comentários

15/12/2014 - Comentário feito por sombra
gostei muito dessa explicação, ti...
gostei muito dessa explicação, tirei até minhas dúvidas. nota 10

26/06/2014 - Comentário feito por Thais
Boa Noite. Tenho 26 anos estou apresentando alg...
Boa Noite. Tenho 26 anos estou apresentando alguns sinais e sintomas de hipotireoidismo. Gostaria de saber se com as medicações os sintomas de sonolência, e lentidão acabam, e diminui o aumento de peso.

06/06/2014 - Comentário feito por neuza
tenho hipotiroidismo, e sempre procuro ler sobr...
tenho hipotiroidismo, e sempre procuro ler sobre assunto e confesso que gostei muito dessa materia, tomo remedio p resto da vida, mas preciso me cuidar com exercicios fisicos senão aparece algumas complicações, vou levando.

18/03/2014 - Comentário feito por Leidiane
Re: Hipotiroidismo: definição, causas, sintomas, diagnóstico, tratamento e evolução
ola ,tenho 29 anos e há dois anos..fiz exame q confirmaram a hipo ,porem não tenho feito nenhum tratamento,nunca engravidei e a uns dois anos discobri q tenho ovario policistico.o q mais me atrapalha é a anciedade sou muito agitada e meu nivel de estresse tbm é alto..sinto muitas dores devido a fibromialgia, e o unico medicamento que estou fazendo uso no momento é a ciclobenzaprina...mesmo assim por varios dia tenho insonia..e ainda acordo cheia de dores...não sei mais o q fazer

10/03/2014 - Comentário feito por luciana
Re: Hipotiroidismo: definição, causas, sintomas, diagnóstico, tratamento e evolução
Hipotiroidismo , se tomar o medicamento ,corretamente os sintomas somem ou ainda continua ,com sonolência e os outros mais ?

21/10/2013 - Comentário feito por denilson
Re: Hipotiroidismo: definição, causas, sintomas, diagnóstico, tratamento e evolução
Boa tarde, descobri que tenho hipotiroidismo a mais ou menos 15 anos, tomo puram t4 ou syntroid 150 mg desde então, sempre tranquilo até os 35 anos, agora com 38 anos, tenho me sentido extremamente irritado, muito ansioso, sinto muito calor, tudo me incomoda, engordei uns 10 kg em menos de um ano, quando chego em casa depois do trabalho, só quero sentar, não consigo mais praticar esporte, tá piorando muito, alguém tem alguma dica pra me dar? obrigado, abs.

16/06/2013 - Comentário feito por Leila
Re: Hipotiroidismo: definição, causas, sintomas, diagnóstico, tratamento e evolução
Olá...acho importante essas informações sobre saúde, principalmente quando recebidos em nosso email.
Sou portadora do hipotireoidismo e através desse conteúdo fiquei sabendo porque com exceção de apenas dois sintomas aí sítados ...tenho todos,apesar de me tratar com o Puran T4.
MUITO BOM, CONTINUEM NOS AJUDANDO POR FAVOR!!! OBRIGADA

  • Entrar
  • Assinar