Atalho: 6M9AHW1
Gostou do artigo? Compartilhe!

Bócio: o que é isso?

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que é bócio1?

Bócio1, vulgarmente conhecido como "papo", é um aumento da glândula2 tireoide3, o qual pode envolver toda a glândula2 (bócio1 difuso) ou apenas parte dela (bócio1 nodular). Ele pode ser facilmente perceptível como uma protrusão no pescoço4.

Os bócios podem ser de pequeno tamanho, gerando apenas ligeiras saliências no pescoço4, ou serem volumosos, constituindo grandes massas disformes. O bócio1 nodular pode ser uninodular (apenas um nódulo5) ou multinodular (dois ou mais nódulos).

A glândula2 tireoide3 pode estar hiperfuncionante, ocasionando um hipertiroidismo clínico, ou hipofuncionante, ocasionando um hipotireoidismo6 clínico e seus respectivos sintomas7.

Bócio

Quais são as causas do bócio1?

As causas do bócio1 variam, mas sempre estão relacionadas a problemas relativos à secreção de hormônios tireoideanos. Podem estar ligadas a fatores genéticos ou adquiridos.

As principais causas são:

  • Falta de iodo (bócio1 endêmico).
  • Uso de determinados medicamentos (bócio1 esporádico).
  • Presença de tumores benignos ou malignos na glândula2.
  • Doenças autoimunes8.
  • Infecções9.

Quais são os sinais10 e sintomas7 do bócio1?

Os sintomas7 ocasionados pelo bócio1 tanto são locais, devido ao crescimento da glândula2 (efeito estético, inchaço11 no pescoço4, dificuldade de deglutir12, dificuldade de respirar, tosse irritativa, rouquidão, dilatação das veias13 do pescoço4, voz bitonal); quanto são gerais, como o estado de hipo ou hiperfunção tiroideanas e as doenças de base.

Como o médico diagnostica o bócio1?

O diagnóstico14 do bócio1 é feito pela história de vida do paciente, palpação15 ou visualização do aumento da glândula2 tireoide3 no pescoço4, além de exames de sangue16 (dosagem de T3, T4 livre, TSH e anticorpos17 antitireoideanos), ultrassonografia18 e cintilografia19. A biópsia20 por punção pode ajudar na verificação de malignidade ou não do bócio1.

Como o médico trata o bócio1?

O tratamento do bócio1 visa corrigir a dilatação da glândula2, as possíveis compressões de estruturas circunvizinhas e o estado funcional alterado da tireoide3. Os bócios de tamanho pequeno são tratados com medicações ou iodo radioativo21. Os de maiores dimensões ou os que estejam comprimindo estruturas vizinhas, geralmente demandam cirurgia.

Como prevenir o bócio1?

  • A prevenção do bócio1 consiste na ingestão adequada de iodo.
  • Hoje em dia é comum adicionar-se iodo ao sal de cozinha, como uma maneira de prevenir o bócio1.
  • Os frutos do mar também constituem fontes de iodo.
  • Proteger a tireoide3 contra radiações.

Como evolui o bócio1?

Normalmente, o bócio1 aumenta de tamanho insidiosamente, podendo chegar a grandes dimensões se não tratado. Alguns bócios crescem para dentro do tórax22 (bócio1 mergulhante) e podem comprimir estruturas vizinhas (traqueia23, esôfago24, veias13 ou artérias25), gerando os sintomas7 correspondentes.

Os bócios que aparecem durante a gravidez26 e a puberdade não necessitam de tratamento, desde que se faça o acompanhamento da função da tireoide3.

A maioria dos nódulos da tireoide27 é benigna, mas o rápido aumento de um nódulo5 deve levantar a suspeita de transformações malignas, devendo-se procurar o médico o mais rápido possível.

Referências:

As informações veiculadas neste texto foram extraídas em parte dos sites da Mayo Clinic, do National Health Service do Reino Unido e da American Thyroid Association.

ABCMED, 2012. Bócio: o que é isso?. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/tireoide/316990/bocio+o+que+e+isso.htm>. Acesso em: 16 out. 2019.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Bócio: Aumento do tamanho da glândula tireóide, que produz um abaulamento na região anterior do pescoço. Em geral está associado ao hipotireoidismo. Quando a causa desta doença é a deficiência de ingestão de iodo, é denominado Bócio Regional Endêmico. Também pode estar associado a outras doenças glandulares como tumores, infecções ou inflamações.
2 Glândula: Estrutura do organismo especializada na produção de substâncias que podem ser lançadas na corrente sangüínea (glândulas endócrinas) ou em uma superfície mucosa ou cutânea (glândulas exócrinas). A saliva, o suor, o muco, são exemplos de produtos de glândulas exócrinas. Os hormônios da tireóide, a insulina e os estrógenos são de secreção endócrina.
3 Tireoide: Glândula endócrina altamente vascularizada, constituída por dois lobos (um em cada lado da TRAQUÉIA) unidos por um feixe de tecido delgado. Secreta os HORMÔNIOS TIREOIDIANOS (produzidos pelas células foliculares) e CALCITONINA (produzida pelas células para-foliculares), que regulam o metabolismo e o nível de CÁLCIO no sangue, respectivamente.
4 Pescoço:
5 Nódulo: Lesão de consistência sólida, maior do que 0,5cm de diâmetro, saliente na hipoderme. Em geral não produz alteração na epiderme que a recobre.
6 Hipotireoidismo: Distúrbio caracterizado por uma diminuição da atividade ou concentração dos hormônios tireoidianos. Manifesta-se por engrossamento da voz, aumento de peso, diminuição da atividade, depressão.
7 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
8 Autoimunes: 1. Relativo à autoimunidade (estado patológico de um organismo atingido por suas próprias defesas imunitárias). 2. Produzido por autoimunidade. 3. Autoalergia.
9 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
10 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
11 Inchaço: Inchação, edema.
12 Deglutir: Passar (o bolo alimentar) da boca para o esôfago e, a seguir, para o estômago.
13 Veias: Vasos sangüíneos que levam o sangue ao coração.
14 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
15 Palpação: Ato ou efeito de palpar. Toque, sensação ou percepção pelo tato. Em medicina, é o exame feito com os dedos ou com a mão inteira para explorar clinicamente os órgãos e determinar certas características, como temperatura, resistência, tamanho etc.
16 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
17 Anticorpos: Proteínas produzidas pelo organismo para se proteger de substâncias estranhas como bactérias ou vírus. As pessoas que têm diabetes tipo 1 produzem anticorpos que destroem as células beta produtoras de insulina do próprio organismo.
18 Ultrassonografia: Ultrassonografia ou ecografia é um exame complementar que usa o eco produzido pelo som para observar em tempo real as reflexões produzidas pelas estruturas internas do organismo (órgãos internos). Os aparelhos de ultrassonografia utilizam uma frequência variada, indo de 2 até 14 MHz, emitindo através de uma fonte de cristal que fica em contato com a pele e recebendo os ecos gerados, os quais são interpretados através de computação gráfica.
19 Cintilografia: Procedimento que permite assinalar num tecido ou órgão interno a presença de um radiofármaco e acompanhar seu percurso graças à emissão de radiações gama que fazem aparecer na tela uma série de pontos brilhantes (cintilação); também chamada de cintigrafia ou gamagrafia.
20 Biópsia: 1. Retirada de material celular ou de um fragmento de tecido de um ser vivo para determinação de um diagnóstico. 2. Exame histológico e histoquímico. 3. Por metonímia, é o próprio material retirado para exame.
21 Radioativo: Que irradia ou emite radiação, que contém radioatividade.
22 Tórax: Parte superior do tronco entre o PESCOÇO e o ABDOME; contém os principais órgãos dos sistemas circulatório e respiratório. (Tradução livre do original Sinônimos: Peito; Caixa Torácica
23 Traqueia: Conduto músculo-membranoso com cerca de 22 centímetros no homem e de 18 centímetros na mulher. Da traqueia distingue-se uma parte que faz continuação direta à laringe (porção cervical) e uma parte que está situada no tórax (porção torácica). Possui anéis cartilaginosos em número variável de 12 a 16, unidos entre si por tecido fibroso. Destina-se à passagem do ar. A traqueia é revestida com epitélio ciliar que auxilia a filtração do ar inalado.
24 Esôfago: Segmento muscular membranoso (entre a FARINGE e o ESTÔMAGO), no TRATO GASTRINTESTINAL SUPERIOR.
25 Artérias: Os vasos que transportam sangue para fora do coração.
26 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
27 Nódulos da tireoide: Nódulos da tireoide resultam em crescimentos anormais de células da tireoide, que formam protuberâncias dentro da glândula, normalmente visíveis sob a pele do pescoço.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Endocrinologia e Metabologia?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.

Comentários

29/07/2014 - Comentário feito por Beatriz
Olá boa tarde, o meu pai é portador de um bócio...
Olá boa tarde, o meu pai é portador de um bócio mergulhante está muito grande e já não é operável na idade dele . Gostaria de saber se existe alguns chás de ervas que ele possa tomar. O bócio está tão grande que já está a cobrir os pulmões, ele já não tem dormido por causa das faltas de ar.
Agradeço naquilo que me poderem ajudar.

Atc.

03/05/2014 - Comentário feito por Ana
ROSANGELA, vc chegou a operar?? Minha vó...
ROSANGELA, vc chegou a operar?? Minha vó vai operar estou super preucupada....

22/11/2013 - Comentário feito por Solange
Re: Bócio: o que é isso?
Muito esclarecedor. O site é ótimo.

06/09/2012 - Comentário feito por ROSANGELA
Re: Bócio: o que é isso?
Boa tarde!
Sou portadora de um bócio mergulhante. Já existe a compressão em minha traquéia e meu pescoço é muito volumoso. Me submeto a uma cirurgia para retirada do mesmo no próximo mes (outubro). Acho esse site sensacional. É muito importante voce saber a fundo, sobre seu problema de saúde.

  • Entrar
  • Assinar