Gostou do artigo? Compartilhe!

Amnésia global transitória

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que é a amnésia1 global transitória?

Amnésia1 global transitória é um episódio súbito, temporário, de perda de memória e de orientação temporal e/ou espacial, que não pode ser atribuído a condições neurológicas comuns, tais como epilepsia2 ou acidente vascular cerebral3. É identificada pelo seu sintoma4 principal, que é a incapacidade de formar novas memórias e recordar o passado recente.

Quais são as causas da amnésia1 global transitória?

A causa ou causas integrais da amnésia1 global transitória permanecem desconhecidas. Parece haver alguma correlação com a enxaqueca5, embora os fatores subjacentes que contribuem para ambas as condições ainda não sejam totalmente compreendidos. Alguns eventos que podem causar amnésia1 global transitória incluem: súbita imersão em água fria ou quente, atividade física extenuante, relação sexual, procedimentos médicos, tais como a angiografia6 ou endoscopia7, traumatismo8 craniano leve e angústia emocional aguda. Os fatores de risco mais claros são a idade acima de 50 anos e história prévia de enxaqueca5.

Quais são as características clínicas da amnésia1 global transitória?

A amnésia1 global transitória se caracteriza pelos seguintes sinais9 e sintomas10: início súbito, manutenção da identidade pessoal, apesar da perda de memória (a pessoa continua sabendo quem é), cognição11 normal, tais como a capacidade de reconhecer e nomear objetos familiares e seguir instruções simples, ausência de sinais9 indicando danos a uma área específica do cérebro12, como paralisia13 dos membros, movimentos involuntários ou fala prejudicada, por exemplo.

Os sintomas10 adicionais e a história são de duração menor do que 24 horas, com retorno gradual da memória, ausência de convulsões e/ou de epilepsia2 ativa. Durante um episódio de amnésia1 global transitória a recordação de eventos recentes simplesmente desaparece e o paciente não se lembra de onde está ou como chegou lá. Repete as mesmas perguntas porque não se lembra das respostas que acabaram de ser dadas. O paciente não consegue reconhecer as pessoas que conhece bem. Felizmente, a amnésia1 global transitória é rara, aparentemente inofensiva e é improvável que se repita novamente.

Como o médico diagnostica a amnésia1 global transitória?

O diagnóstico14 de amnésia1 global transitória implica em excluir condições mais graves que podem causar o mesmo tipo de perda de memória. Esse processo deve começar com um exame neurológico. O médico também pode fazer perguntas para testar o pensamento, julgamento e memória do paciente.

Os exames de imagens podem demonstrar alterações estruturais no cérebro12, incluindo vasos sanguíneos15, e compreendem a ressonância magnética16, o eletroencefalograma17 e a tomografia computadorizada18. No momento em que o problema está ocorrendo não há tratamento específico e deve-se apenas resguardar e tranquilizar o paciente para que não faça nada “errado”. Após a análise dos exames complementares, a terapia é direcionada conforme a possível causa, se esta foi de alguma forma identificada.

Como o médico trata a amnésia1 global transitória?

Nenhum tratamento é necessário ou mesmo viável para a amnésia1 global transitória. Ela se resolve por conta própria, sem efeitos posteriores. Se alguma doença subjacente for identificada, ela deve ser tratada.

Como prevenir a amnésia1 global transitória?

Se o episódio de amnésia1 global transitória seguiu-se a uma atividade particular como, por exemplo, um exercício extenuante ou um mergulho em um lago frio, essas atividades devem ser evitadas.

Quais são as complicações possíveis da amnésia1 global transitória?

A amnésia1 global transitória não tem complicações diretas importantes, mas pode causar sofrimento emocional ao paciente. Mas um sintoma4 tão dramático como a perda de memória pode indicar uma doença grave subjacente, o que gera grande preocupação. Em geral, ela gera o medo de um tumor19 ou de um acidente vascular cerebral3.

 

ABCMED, 2016. Amnésia global transitória. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/sinais.-sintomas-e-doencas/824279/amnesia+global+transitoria.htm>. Acesso em: 5 dez. 2019.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Amnésia: Perda parcial ou total da memória.
2 Epilepsia: Alteração temporária e reversível do funcionamento cerebral, que não tenha sido causada por febre, drogas ou distúrbios metabólicos. Durante alguns segundos ou minutos, uma parte do cérebro emite sinais incorretos, que podem ficar restritos a esse local ou espalhar-se. Quando restritos, a crise será chamada crise epiléptica parcial; quando envolverem os dois hemisférios cerebrais, será uma crise epiléptica generalizada. O paciente pode ter distorções de percepção, movimentos descontrolados de uma parte do corpo, medo repentino, desconforto no estômago, ver ou ouvir de maneira diferente e até perder a consciência - neste caso é chamada de crise complexa. Depois do episódio, enquanto se recupera, a pessoa pode sentir-se confusa e ter déficits de memória. Existem outros tipos de crises epilépticas.
3 Acidente vascular cerebral: Conhecido popularmente como derrame cerebral, o acidente vascular cerebral (AVC) ou encefálico é uma doença que consiste na interrupção súbita do suprimento de sangue com oxigênio e nutrientes para o cérebro, lesando células nervosas, o que pode resultar em graves conseqüências, como inabilidade para falar ou mover partes do corpo. Há dois tipos de derrame, o isquêmico e o hemorrágico.
4 Sintoma: Qualquer alteração da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. O sintoma é a queixa relatada pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
5 Enxaqueca: Sinônimo de migrânea. É a cefaléia cuja prevalência varia de 10 a 20% da população. Ocorre principalmente em mulheres com uma proporção homem:mulher de 1:2-3. As razões para esta preponderância feminina ainda não estão bem entendidas, mas suspeita-se de alguma relação com o hormônio feminino. Resulta da pressão exercida por vasos sangüíneos dilatados no tecido nervoso cerebral subjacente. O tratamento da enxaqueca envolve normalmente drogas vaso-constritoras para aliviar esta pressão. No entanto, esta medicamentação pode causar efeitos secundários no sistema circulatório e é desaconselhada a pessoas com problemas cardiológicos.
6 Angiografia: Método diagnóstico que, através do uso de uma substância de contraste, permite observar a morfologia dos vasos sangüíneos. O contraste é injetado dentro do vaso sangüíneo e o trajeto deste é acompanhado através de radiografias seriadas da área a ser estudada.
7 Endoscopia: Método no qual se visualiza o interior de órgãos e cavidades corporais por meio de um instrumento óptico iluminado.
8 Traumatismo: Lesão produzida pela ação de um agente vulnerante físico, químico ou biológico e etc. sobre uma ou várias partes do organismo.
9 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
10 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
11 Cognição: É o conjunto dos processos mentais usados no pensamento, percepção, classificação, reconhecimento e compreensão para o julgamento através do raciocínio para o aprendizado de determinados sistemas e soluções de problemas.
12 Cérebro: Derivado do TELENCÉFALO, o cérebro é composto dos hemisférios direito e esquerdo. Cada hemisfério contém um córtex cerebral exterior e gânglios basais subcorticais. O cérebro inclui todas as partes dentro do crânio exceto MEDULA OBLONGA, PONTE e CEREBELO. As funções cerebrais incluem as atividades sensório-motora, emocional e intelectual.
13 Paralisia: Perda total da força muscular que produz incapacidade para realizar movimentos nos setores afetados. Pode ser produzida por doença neurológica, muscular, tóxica, metabólica ou ser uma combinação das mesmas.
14 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
15 Vasos Sanguíneos: Qualquer vaso tubular que transporta o sangue (artérias, arteríolas, capilares, vênulas e veias).
16 Ressonância magnética: Exame que fornece imagens em alta definição dos órgãos internos do corpo através da utilização de um campo magnético.
17 Eletroencefalograma: Registro da atividade elétrica cerebral mediante a utilização de eletrodos cutâneos que recebem e amplificam os potenciais gerados em cada região encefálica.
18 Tomografia computadorizada: Exame capaz de obter imagens em tons de cinza de “fatias” de partes do corpo ou de órgãos selecionados, as quais são geradas pelo processamento por um computador de uma sucessão de imagens de raios X de alta resolução em diversos segmentos sucessivos de partes do corpo ou de órgãos.
19 Tumor: Termo que literalmente significa massa ou formação de tecido. É utilizado em geral para referir-se a uma formação neoplásica.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Neurologia?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.