Gostou do artigo? Compartilhe!

Terçol ou hordéolo: o que é isso?

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que é terçol?

O terçol (ou hordéolo) é um processo inflamatório-infeccioso de uma glândula1 sebácea ou folículo piloso2 da pálpebra superior ou inferior, causado por bactérias. Em geral, ocorre quando o ducto secretor da glândula1 se obstrui, impedindo sua eliminação. Pode ser interno ou externo, atingindo a margem palpebral externa ou a parte da pálpebra que se conecta aos cílios3. Existe outra patologia4 que afeta as pálpebras5 e é muito parecida com o terçol, mas que não é provocada por uma infecção6: o calázio. Normalmente o terçol ocorre mais comumente em crianças ou adolescentes. O terçol não é uma doença contagiosa7, não havendo, pois, perigos de contágio8 no contato com pessoas que apresentem o problema.

Quais são as causas do terçol?

Normalmente a infecção6 do terçol é causada pela bactéria9 Staphylococcus aureus, mas pode também ser ocasionada por estreptococos. Provoca o aparecimento de um pontinho inchado, vermelho e muito dolorido, com pus10 em seu interior. Na gravidez11, período da vida em que o terçol é mais comum, ele parece estar ligado às alterações hormonais próprias dessa fase. Também em adolescentes, o terçol parece ser devido às alterações hormonais da idade.

Quais são os principais sinais12 e sintomas13 do terçol?

O terçol pode ocorrer de forma aleatória, sem fator predisponente aparente. Começa pelo aparecimento de um pequeno caroço com um ponto central branco que se torna um pequeno abscesso14. Apresenta também vermelhidão, dor e calor na pálpebra afetada, após o que se instala um quadro mais típico de um processo infeccioso extremamente incômodo e dolorido, com sensação de corpo estranho nos olhos15 e dificuldade de abrir os olhos15. Esse processo inflamatório pode acontecer de maneira isolada ou múltipla, mas não representa gravidade, nem ameaça a visão16. Na maior parte das vezes, a resolução é espontânea.

Como o médico diagnostica o terçol?

O diagnóstico17 do terçol deve ser realizado por um oftalmologista18. Raramente, o médico precisará indicar uma biópsia19 para análise da lesão20. No caso de terçol de repetição, causados por uma blefarite21, por exemplo, é indicada a coleta de material das pálpebras5 para a análise microbiológica22.

Como o médico trata o terçol?

O tratamento do terçol deve ser feito com o uso de pomadas de antibióticos, colírios e aplicação local de compressas quentes. Em idosos debilitados ou em imunodeprimidos pode haver necessidade de uma antibioticoterapia sistêmica.

Como evolui o terçol?

O terçol é uma inflamação23 não contagiosa7, não sendo necessário, portanto, evitar o contato com pessoas que apresentem seus sintomas13.

Muito raramente o terçol pode evoluir para casos mais graves, resultando numa infecção6 em toda a região orbitária.

Como prevenir o terçol?

Evite coçar os olhos15 e mantenha as mãos24 limpas, para evitar a transmissão de bactérias.

ABCMED, 2014. Terçol ou hordéolo: o que é isso?. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/saude-dos-olhos/529894/tercol+ou+hordeolo+o+que+e+isso.htm>. Acesso em: 16 jul. 2019.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Glândula: Estrutura do organismo especializada na produção de substâncias que podem ser lançadas na corrente sangüínea (glândulas endócrinas) ou em uma superfície mucosa ou cutânea (glândulas exócrinas). A saliva, o suor, o muco, são exemplos de produtos de glândulas exócrinas. Os hormônios da tireóide, a insulina e os estrógenos são de secreção endócrina.
2 Folículo Piloso: Invaginação (forma de tubo) da EPIDERME, a partir da qual se desenvolve o folículo piloso e se abrem as GLÂNDULAS SEBÁCEAS. O folículo é revestido por uma bainha (radicular interna e externa) de células de origem epidérmica e revestido por uma bainha fibrosa originada da derme. (Tradução livre do original
3 Cílios: Populações de processos móveis e delgados que são encontrados revestindo a superfície dos ciliados (CILIÓFOROS) ou a superfície livre das células e que constroem o EPITÉLIO ciliado. Cada cílio nasce de um grânulo básico na camada superficial do CITOPLASMA. O movimento dos cílios propele os ciliados através do líquido no qual vivem. O movimento dos cílios em um epitélio ciliado serve para propelir uma camada superficial de muco ou fluido.
4 Patologia: 1. Especialidade médica que estuda as doenças e as alterações que estas provocam no organismo. 2. Qualquer desvio anatômico e/ou fisiológico, em relação à normalidade, que constitua uma doença ou caracterize determinada doença. 3. Por extensão de sentido, é o desvio em relação ao que é próprio ou adequado ou em relação ao que é considerado como o estado normal de uma coisa inanimada ou imaterial.
5 Pálpebras:
6 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
7 Contagiosa: 1. Que é transmitida por contato ou contágio. 2. Que constitui veículo para o contágio. 3. Que se transmite pela intensidade, pela influência, etc.; contagiante.
8 Contágio: 1. Em infectologia, é a transmissão de doença de uma pessoa a outra, por contato direto ou indireto. 2. Na história da medicina, aplica-se a qualquer doença contagiosa. 3. No sentido figurado, é a transmissão de características negativas, de vícios, etc. ou então a reprodução involuntária de reação alheia.
9 Bactéria: Organismo unicelular, capaz de auto-reproduzir-se. Existem diferentes tipos de bactérias, classificadas segundo suas características de crescimento (aeróbicas ou anaeróbicas, etc.), sua capacidade de absorver corantes especiais (Gram positivas, Gram negativas), segundo sua forma (bacilos, cocos, espiroquetas, etc.). Algumas produzem infecções no ser humano, que podem ser bastante graves.
10 Pus: Secreção amarelada, freqüentemente mal cheirosa, produzida como conseqüência de uma infecção bacteriana e formada por leucócitos em processo de degeneração, plasma, bactérias, proteínas, etc.
11 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
12 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
13 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
14 Abscesso: Acumulação de pus em uma cavidade formada acidentalmente nos tecidos orgânicos, ou mesmo em órgão cavitário, em consequência de inflamação seguida de infecção.
15 Olhos:
16 Visão: 1. Ato ou efeito de ver. 2. Percepção do mundo exterior pelos órgãos da vista; sentido da vista. 3. Algo visto, percebido. 4. Imagem ou representação que aparece aos olhos ou ao espírito, causada por delírio, ilusão, sonho; fantasma, visagem. 5. No sentido figurado, concepção ou representação, em espírito, de situações, questões etc.; interpretação, ponto de vista. 6. Percepção de fatos futuros ou distantes, como profecia ou advertência divina.
17 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
18 Oftalmologista: Médico especializado em diagnosticar e tratar as doenças que acometem os olhos. Podem prescrever óculos de grau e lentes de contato.
19 Biópsia: 1. Retirada de material celular ou de um fragmento de tecido de um ser vivo para determinação de um diagnóstico. 2. Exame histológico e histoquímico. 3. Por metonímia, é o próprio material retirado para exame.
20 Lesão: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
21 Blefarite: Inflamação do bordo externo das pálpebras ou pestanas. Também conhecida como palpebrite, sapiranga, sapiroca ou tarsite.
22 Microbiológica: Referente à microbiologia, ou seja, à especialidade biomédica que estuda os microrganismos patogênicos, responsáveis pelas doenças infecciosas, englobando a bacteriologia (bactérias), virologia (vírus) e micologia (fungos).
23 Inflamação: Conjunto de processos que se desenvolvem em um tecido em resposta a uma agressão externa. Incluem fenômenos vasculares como vasodilatação, edema, desencadeamento da resposta imunológica, ativação do sistema de coagulação, etc.Quando se produz em um tecido superficial (pele, tecido celular subcutâneo) pode apresentar tumefação, aumento da temperatura local, coloração avermelhada e dor (tétrade de Celso, o cientista que primeiro descreveu as características clínicas da inflamação).
24 Mãos: Articulação entre os ossos do metacarpo e as falanges.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Oftalmologia?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.