Atalho: 6S3YGL2
Gostou do artigo? Compartilhe!

Torção do testículo: como acontece?

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que é torção1 de testículo2?

O testículo2 fica suspenso dentro do saco escrotal pelo canal deferente3, artérias4 e veias5, e normalmente tem certa mobilidade. Geralmente ele é aderente à base do escroto6, mas se se libertar e movimentar-se além do normal pode torcer seu pedículo7, de modo a diminuir ou cortar o fornecimento de sangue8 ao órgão. É então que se fala de torção1 do testículo2. Ela geralmente ocorre, então, se o testículo2 roda em torno do seu eixo e estrangula seu pedículo7, o que diminui ou corta o fluxo sanguíneo para ele.

Quais são as causas da torção1 de testículo2?

A torção1 do testículo2 pode ocorrer em qualquer idade (inclusive no recém-nascido), porém é mais comum em crianças e adolescentes (10 aos 25 anos). Deve-se a malformações9 congênitas10, exercícios violentos, traumas, banhos em água muito fria ou a uma combinação de todas essas coisas.

Quais são os sinais11 e sintomas12 da torção1 de testículo2?

Os principais sinais11 e sintomas12 da torção1 do testículo2 são: dor súbita e intensa no saco escrotal (principalmente do lado comprometido) que pode se propagar para a virilha e o abdome13; vermelhidão e edema14 escrotal; aumento da temperatura local; náuseas15 e vômitos16. Em alguns casos pode haver hidrocele17 (acúmulo de líquido na bolsa escrotal). Em geral, o testículo2 esquerdo é mais afetado que o direito. Em algumas pessoas o quadro começa com atividade física ou sexual excessiva; em outros tudo pode começar durante o sono, talvez devido à posição das pernas.

Como o médico diagnostica a torção1 de testículo2?

Uma história clínica de dor aguda e súbita em um dos testículos18 sempre fará pensar em torção1 testicular. O exame clínico do paciente mostrará dor na metade comprometida do escroto6, bem como vermelhidão e inchaço19. Deve ser feito diagnóstico20 diferencial com epididimite, edema14 escrotal agudo21, orquite22, hérnia23 encarcerada, tumor24 de testículo2 e processos inflamatórios ou infecciosos. Os exames de laboratório incluem: análises de urina25 e sangue8 (para excluir infecções26), ecografia27 do escroto6 e cintilografia28 dos testículos18.

Como o médico trata a torção1 de testículo2?

Em princípio o médico tentará distorcer manualmente o testículo2, mas se isso não for possível, será necessária uma cirurgia para fazer a distorção e fixação de um ou de ambos testículos18.

Como evolui a torção1 do testículo2?

A torção1 do testículo2 é uma emergência29 médica que precisa ser tratada rapidamente, sob pena de o testículo2 sofrer lesões30 irreversíveis e ter de ser extirpado.

Se for necessário remover um dos testículos18, o outro será suficiente para manter a fertilidade e produção dos hormônios em níveis normais.

ABCMED, 2012. Torção do testículo: como acontece?. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/saude-do-homem/331755/torcao+do+testiculo+como+acontece.htm>. Acesso em: 27 set. 2021.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Torção: 1. Ato ou efeito de torcer. 2. Na geometria diferencial, é a medida da derivada do vetor binormal em relação ao comprimento de arco. 3. Em física, é a deformação de um sólido em que os planos vizinhos, transversais a um eixo comum, sofrem, cada um deles, um deslocamento angular relativo aos outros planos. 4. Em medicina, é o mesmo que entorse. 5. Na patologia, é o movimento de rotação de um órgão sobre si mesmo. 6. Em veterinária, é a cólica de alguns animais, especialmente a do cavalo.
2 Testículo: A gônada masculina contendo duas partes funcionais Sinônimos: Testículos
3 Canal deferente: Canal deferente ou ducto deferente é um canal muscular que conduz os espermatozóides a partir do epidídimo até a próstata.
4 Artérias: Os vasos que transportam sangue para fora do coração.
5 Veias: Vasos sangüíneos que levam o sangue ao coração.
6 Escroto:
7 Pedículo: 1. Na anatomia geral, é uma estrutura alongada e fina que liga vísceras e vértebras ao resto do corpo. 2. Na anatomia zoológica, é o mesmo que pedúnculo ou haste de fixação. Nos arácnidos, é uma porção estreita que une o cefalotórax e o abdome. 3. Na morfologia botânica, é qualquer haste pequena que sustenta um órgão vegetal, que não seja um pecíolo, pedicelo ou pedúnculo. 4. Em patologia, é a porção estreita através da qual se implanta um tumor ou uma verruga.
8 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
9 Malformações: 1. Defeito na forma ou na formação; anomalia, aberração, deformação. 2. Em patologia, é vício de conformação de uma parte do corpo, de origem congênita ou hereditária, geralmente curável por cirurgia. Ela é diferente da deformação (que é adquirida) e da monstruosidade (que é incurável).
10 Congênitas: 1. Em biologia, o que é característico do indivíduo desde o nascimento ou antes do nascimento; conato. 2. Que se manifesta espontaneamente; inato, natural, infuso. 3. Que combina bem com; apropriado, adequado. 4. Em termos jurídicos, é o que foi adquirido durante a vida fetal ou embrionária; nascido com o indivíduo. Por exemplo, um defeito congênito.
11 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
12 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
13 Abdome: Região do corpo que se localiza entre o TÓRAX e a PELVE.
14 Edema: 1. Inchaço causado pelo excesso de fluidos no organismo. 2. Acúmulo anormal de líquido nos tecidos do organismo, especialmente no tecido conjuntivo.
15 Náuseas: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc .
16 Vômitos: São a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Podem ser classificados em: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
17 Hidrocele: Coleção de líquido em uma cavidade em forma de saco ou bolsa do corpo, especialmente no testículo. Muitas crianças nascem com hidrocele testicular, que é reabsorvida ao longo do tempo, raramente necessitando de algum tratamento.
18 Testículos: Os testículos são as gônadas sexuais masculinas que produzem as células de fecundação ou espermatozóides. Nos mamíferos ocorrem aos pares e são protegidos fora do corpo por uma bolsa chamada escroto. Têm função de glândula produzindo hormônios masculinos.
19 Inchaço: Inchação, edema.
20 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
21 Agudo: Descreve algo que acontece repentinamente e por curto período de tempo. O oposto de crônico.
22 Orquite: Inflamação de um ou ambos os testículos. Freqüentemente se produz como complicação de uma infecção do trato urinário ou sexual. A infecção pelo vírus da caxumba pode produzir orquite. As pessoas podem sentir dor, inchaço e coloração avermelhada do escroto.
23 Hérnia: É uma massa circunscrita formada por um órgão (ou parte de um órgão) que sai por um orifício, natural ou acidental, da cavidade que o contém. Por extensão de sentido, excrescência, saliência.
24 Tumor: Termo que literalmente significa massa ou formação de tecido. É utilizado em geral para referir-se a uma formação neoplásica.
25 Urina: Resíduo líquido produzido pela filtração renal no organismo, estocado na bexiga e expelido pelo ato de urinar.
26 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
27 Ecografia: Ecografia ou ultrassonografia é um exame complementar que usa o eco produzido pelo som para observar em tempo real as reflexões produzidas pelas estruturas internas do organismo (órgãos internos). Os aparelhos de ultrassonografia utilizam uma frequência variada, indo de 2 até 14 MHz, emitindo através de uma fonte de cristal que fica em contato com a pele e recebendo os ecos gerados, os quais são interpretados através de computação gráfica.
28 Cintilografia: Procedimento que permite assinalar num tecido ou órgão interno a presença de um radiofármaco e acompanhar seu percurso graças à emissão de radiações gama que fazem aparecer na tela uma série de pontos brilhantes (cintilação); também chamada de cintigrafia ou gamagrafia.
29 Emergência: 1. Ato ou efeito de emergir. 2. Situação grave, perigosa, momento crítico ou fortuito. 3. Setor de uma instituição hospitalar onde são atendidos pacientes que requerem tratamento imediato; pronto-socorro. 4. Eclosão. 5. Qualquer excrescência especializada ou parcial em um ramo ou outro órgão, formada por tecido epidérmico (ou da camada cortical) e um ou mais estratos de tecido subepidérmico, e que pode originar nectários, acúleos, etc. ou não se desenvolver em um órgão definido.
30 Lesões: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Urologia?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.

Comentários

14/02/2014 - Comentário feito por Gilane
Re: Torção do testículo
Olá,,,
Sou mãe de um adolescente q teve essa torção.Devido a negligencia médica meu filho terá q extirpar um dos testiculos,pois aqui em Rio Branco-Acre os médicos q atenderam meu filho ficaram adiando essa situação por 6 dias,e ainda falaram q ele teria q voltar p casa,esperar desinflamar e voltar depois de 15 dias p avaliação médica.Então meu filho teve q viajar com urgencia p goiania p fazer essa cirurgia.Estamos aguardando a cirurgia para amanha
dia 14/02 ,,e espero poder salvar ainda o outro testiculo pois o mesmo tb esta comprometido.

  • Entrar
  • Receber conteúdos