Gostou do artigo? Compartilhe!

Sinéquia dos pequenos lábios ou “vagina fechada”: você sabe o que é isso?

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que são sinéquias dos pequenos lábios vaginais?

Sinéquia é a aderência de tecidos uns aos outros. A sinéquia dos pequenos lábios é resultado da fusão dos bordos internos dos pequenos lábios entre si, situação que pode ocorrer em crianças do sexo feminino antes da puberdade (sobretudo entre os três meses e os seis anos).

Quais são as causas da sinéquia dos pequenos lábios vaginais?

As causas da sinéquia dos pequenos lábios vaginais ainda não são totalmente conhecidas, mas parecem estar ligadas aos baixos níveis de estrogênios, próprios da idade infantil, a inflamações1 locais ou a contatos com substâncias irritantes.

Qual é a fisiopatologia2 da sinéquia dos pequenos lábios vaginais?

A extensão da sinéquia dos pequenos lábios vaginais pode variar muito, desde uma fusão quase integral deles até outras, em que apenas se verifica fusão de 30 a 50%. Em todo caso, permanece sempre um pequeno orifício que permite a passagem da urina3. A inflamação4 ou a má higiene local contribui para uma perda do epitélio5 superficial da mucosa6 e, durante o processo de nova epitelização7, ocorre a formação de aderências fibrosas na linha média que “colam” os pequenos lábios.

Sinéquia dos pequenos lábios

Quais são os principais sinais8 e sintomas9 da sinéquia dos pequenos lábios vaginais?

A situação geralmente é assintomática e quase sempre só é detectada por uma observação de rotina durante uma consulta com o médico ou durante a higiene da criança, pelos próprios pais. Raramente podem ocorrer infecções10 urinárias, irritação local ou perda de urina3, mas não tem qualquer implicação na vida futura das meninas, não afetando o desenvolvimento sexual ou a fertilidade. A sinéquia dos pequenos lábios vaginais facilita a ocorrência de vulvovaginites.

Como o médico diagnostica a sinéquia dos pequenos lábios vaginais?

O diagnóstico11 da sinéquia dos pequenos lábios vaginais depende do relato dos pais da criança e do exame físico. Ao exame físico direto a sinéquia dos pequenos lábios vaginais apresenta-se como uma membrana fina e semitransparente ou espessa e fibrosa entre os pequenos lábios, obstruindo a entrada da vagina12. Na maioria das vezes esta membrana estende-se desde a comissura13 posterior da vulva14 até junto do clitóris, deixando livre apenas um pequeno orifício para a passagem da urina3. Num número menor de casos ela é parcial, obstruindo apenas em parte o introito vaginal.

Como o médico trata a sinéquia dos pequenos lábios vaginais?

Não há um consenso quanto à unanimidade na abordagem terapêutica15. Alguns autores chegam mesmo a desaconselhar qualquer tratamento ou a manter apenas um tratamento conservador, com a aplicação de cremes locais, uma vez que o problema habitualmente se resolve espontaneamente durante a puberdade. Se houver inflamação4 local da mucosa6 e/ou da pele16 da vulva14, tem sido proposta a aplicação tópica de corticoides. Após a abertura da sinéquia pode ser usada vaselina líquida no local, durante alguns dias, para evitar uma nova aderência dos pequenos lábios.

Como prevenir a sinéquia dos pequenos lábios vaginais?

Para consolidar o tratamento e evitar as recorrências17 deve-se manter uma boa higiene genital, com remoção de substâncias irritantes, evitar uso de roupas apertadas e utilizar roupas íntimas de algodão.

Como evolui a sinéquia dos pequenos lábios vaginais?

A separação mecânica dos pequenos lábios vaginais pode ser dolorosa e reaparecer várias vezes até a idade da primeira menstruação18. Mesmo após tratamentos adequados podem ocorrer reincidências.

Quais são as complicações possíveis da sinéquia dos pequenos lábios vaginais?

Raramente a sinéquia dos pequenos lábios vaginais provoca complicações. Alguns poucos casos foram referidos de obstrução à saída de urina3 e secreções vaginais com consequentes infecções10.

ABCMED, 2014. Sinéquia dos pequenos lábios ou “vagina fechada”: você sabe o que é isso?. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/saude-da-mulher/736597/sinequia-dos-pequenos-labios-ou-vagina-fechada-voce-sabe-o-que-e-isso.htm>. Acesso em: 15 dez. 2019.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Inflamações: Conjunto de processos que se desenvolvem em um tecido em resposta a uma agressão externa. Incluem fenômenos vasculares como vasodilatação, edema, desencadeamento da resposta imunológica, ativação do sistema de coagulação, etc. Quando se produz em um tecido superficial (pele, tecido celular subcutâneo) pode apresentar tumefação, aumento da temperatura local, coloração avermelhada e dor (tétrade de Celso, o cientista que primeiro descreveu as características clínicas da inflamação).
2 Fisiopatologia: Estudo do conjunto de alterações fisiológicas que acontecem no organismo e estão associadas a uma doença.
3 Urina: Resíduo líquido produzido pela filtração renal no organismo, estocado na bexiga e expelido pelo ato de urinar.
4 Inflamação: Conjunto de processos que se desenvolvem em um tecido em resposta a uma agressão externa. Incluem fenômenos vasculares como vasodilatação, edema, desencadeamento da resposta imunológica, ativação do sistema de coagulação, etc.Quando se produz em um tecido superficial (pele, tecido celular subcutâneo) pode apresentar tumefação, aumento da temperatura local, coloração avermelhada e dor (tétrade de Celso, o cientista que primeiro descreveu as características clínicas da inflamação).
5 Epitélio: Epitélio ou tecido epitelial é um tecido constituído por células justapostas, ou seja, intimamente unidas entre si. Sua principal função é revestir a superfície externa do corpo, os órgãos e as cavidades corporais internas. Os epitélios são eficientes barreiras contra a entrada de agentes invasores e a perda de líquidos corporais. Eles têm também funções secretoras, sensoriais e de absorção. O tecido epitelial é um dos quatro tipos de tecidos básicos do nosso organismo, juntamente com os tecidos conjuntivo, muscular e nervoso.
6 Mucosa: Tipo de membrana, umidificada por secreções glandulares, que recobre cavidades orgânicas em contato direto ou indireto com o meio exterior.
7 Epitelização: É uma das fases da cicatrização de feridas, quando a ferida está coberta por células epiteliais. Os macrófagos liberam o fator de crescimento epidérmico (FCE), que estimula a proliferação e a migração das células epiteliais. Os queratinócitos, às margens da ferida e em volta dos folículos pilosos remanescentes, sintetizam a fibronectina, a qual forma uma matriz temporária ao longo da qual as células migram.
8 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
9 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
10 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
11 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
12 Vagina: Canal genital, na mulher, que se estende do ÚTERO à VULVA. (Tradução livre do original
13 Comissura: 1. Ponto, superfície ou linha de união de duas partes correspondentes. 2. Na anatomia geral, denominação genérica das junções dos bordos de aberturas em forma de fenda, no corpo, tais como as pálpebras, lábios etc. 3. Na anatomia zoológica, é a margem cortante do bico das aves. 4. Na morfologia botânica, é a superfície ou linha de contato entre dois órgãos ou entre duas ou mais porções orgânicas, separáveis ou não.
14 Vulva: Genitália externa da mulher, compreendendo o CLITÓRIS, os lábios, o vestíbulo e suas glândulas.
15 Terapêutica: Terapia, tratamento de doentes.
16 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
17 Recorrências: 1. Retornos, repetições. 2. Em medicina, é o reaparecimento dos sintomas característicos de uma doença, após a sua completa remissão. 3. Em informática, é a repetição continuada da mesma operação ou grupo de operações. 4. Em psicologia, é a volta à memória.
18 Menstruação: Sangramento cíclico através da vagina, que é produzido após um ciclo ovulatório normal e que corresponde à perda da camada mais superficial do endométrio uterino.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Pediatria?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.