Atalho: 5G61RI4
Gostou do artigo? Compartilhe!

Corrimento vaginal. O que é e como evitá-lo?

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

Como evitar o corrimento vaginal?

  • Use roupas que não comprimam a região genital. As calças devem ser mais largas, de tecidos leves e não sintéticos.
  • Dê preferência para o uso de calcinhas de algodão. Evite tecidos sintéticos como lycra ou nylon. Uma boa opção é aproveitar o período noturno para deixar a pele1 da região genital respirar, para isso a mulher pode dormir sem calcinha.
  • Roupas íntimas devem ser lavadas com sabão de côco ou sabão neutro. O uso de amaciantes e água sanitária é contra-indicado, já que esses produtos aderem à fibra do tecido2 e podem levar ao desenvolvimento de vaginites químicas.
  • Procure imediatamente um ginecologista no início dos sintomas3 e jamais use medicamentos por conta própria.
  • Para a higiene íntima use sabonete neutro ou produtos apropriados para a higiene da região genital. Evite os sabonetes comuns e os que contém cremes hidratantes ou corantes.
  • Evite desodorantes íntimos e produtos como talcos ou perfumes.
  • Duchas vaginais podem retirar a proteção natural da vagina4, favorecendo o crescimento de fungos ou bactérias.
  • Evite o uso excessivo de tecidos sintéticos e jeans.
  • Seque a roupa íntima em locais secos e arejados, de preferência expostas ao sol. E passe com ferro as calcinhas antes do uso.
  • Evite ficar muito tempo com biquinis molhados.
  • Para depilação da região genital deve sempre ser usada cêra descartável e observar as condições de higiene do local que oferece o serviço.
  • Durante a menstruação5, troque o absorvente quantas vezes forem necessárias, dependendo do fluxo e com um mínimo de três vezes ao dia.
  • O uso de absorventes diários não é recomendado. Eles impedem a transpiração6 da região genital, favorecendo o crescimento de fungos e bactérias.
  • Absorventes internos podem ser usados desde que trocados com regularidade.
  • Evite papel higiênico colorido ou perfumado. Eles podem agredir a mucosa7 genital.
  • Um lubrificante íntimo pode ser uma boa alternativa para manter a lubrificação da mulher durante a relação sexual.
  • Procure um ginecologista regularmente para realizar exames ginecológicos preventivos. Não use medicamentos por conta própria. A auto-medicação é uma das principais causas de corrimentos crônicos.

 

O que é corrimento vaginal?

Caracteriza-se por uma irritação na vagina4 ou na vulva8 ou por saída de secreção vaginal anormal (corrimento) que pode ou não apresentar cheiro desagradável.

Pode ser acompanhado de coceira, ardência ou aumento da freqüência urinária.

Corrimento vaginal

Como é feito o diagnóstico9?

O diagnóstico9 é feito pelo ginecologista através da história clínica da paciente, exame ginecológico e eventualmente exames complementares.

As características do corrimento ajudam muito na identificação do agente causal, por isso uma visita ao ginecologista é muito importante para solucionar o problema.

 

Quais são as causas de corrimento vaginal?

As causas mais comuns são:

  • Infecções10 vaginais
  • Infecções10 do colo do útero11
  • Doenças sexualmente transmissíveis (DSTs)

Na infância, são comuns as vulvovaginites inespecíficas causadas por higiene inadequada e pela maneira incorreta de realizar a higiene após a evacuação - que sempre deve ser feita de frente para trás, evitando o contato de fezes com a vagina4.

ABCMED, 2009. Corrimento vaginal. O que é e como evitá-lo?. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/saude-da-mulher/37918/corrimento-vaginal-o-que-e-e-como-evita-lo.htm>. Acesso em: 25 ago. 2019.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
2 Tecido: Conjunto de células de características semelhantes, organizadas em estruturas complexas para cumprir uma determinada função. Exemplo de tecido: o tecido ósseo encontra-se formado por osteócitos dispostos em uma matriz mineral para cumprir funções de sustentação.
3 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
4 Vagina: Canal genital, na mulher, que se estende do ÚTERO à VULVA. (Tradução livre do original
5 Menstruação: Sangramento cíclico através da vagina, que é produzido após um ciclo ovulatório normal e que corresponde à perda da camada mais superficial do endométrio uterino.
6 Transpiração: 1. Ato ou efeito de transpirar. 2. Em fisiologia, é a eliminação do suor pelas glândulas sudoríparas da pele; sudação. Ou o fluido segregado pelas glândulas sudoríparas; suor. 3. Em botânica, é a perda de água por evaporação que ocorre na superfície de uma planta, principalmente através dos estômatos, mas também pelas lenticelas e, diretamente, pelas células epidérmicas.
7 Mucosa: Tipo de membrana, umidificada por secreções glandulares, que recobre cavidades orgânicas em contato direto ou indireto com o meio exterior.
8 Vulva: Genitália externa da mulher, compreendendo o CLITÓRIS, os lábios, o vestíbulo e suas glândulas.
9 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
10 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
11 Colo do útero: Porção compreendendo o pescoço do ÚTERO (entre o ístmo inferior e a VAGINA), que forma o canal cervical.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Ginecologia e Obstetrícia?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.

Comentários

29/01/2013 - Comentário feito por daiane
Re: Corrimento vaginal. O que é e como evitá-lo?
adorei as dicas, aprendi muitas coisas q não sabia...
obrigado!!!

19/01/2013 - Comentário feito por maricele
Re: Corrimento vaginal. O que é e como evitá-lo?
Gostei muito dessas informaçoês,pois eu não seguia essas regras basicas na lavagem das péças intimas,más será um abito apartir de agora em munha casa.obrigado

26/06/2012 - Comentário feito por lucilene
Re: Corrimento vaginal. O que é e como evitá-lo?
adorei esta materia onde me esclareceu varias duvidas e um texto bem claro e objetivo.

21/10/2011 - Comentário feito por ninha
Re: Corrimento vaginal. O que é e como evitá-lo?
essas informações são muito importante e muito explicativa. adorei mim ajudou muito tirou todas as minhas dúvidas.

09/07/2011 - Comentário feito por vivane
Re: Corrimento vaginal. O que é e como evitá-lo?
alem de ser muito explicativo e muito importante parabens

17/03/2011 - Comentário feito por lillian
Re: Corrimento vaginal. O que é e como evitá-lo?
e muito bom ter a informaçao e ainda sobre esses assuntos tao importantes para nossa saude voces estao de parabens!

19/02/2011 - Comentário feito por cida
Re: Corrimento vaginal. O que é e como evitá-lo?
achei muito interessante parabens pela resposta

12/01/2011 - Comentário feito por Adriana
Re: Corrimento vaginal. O que é e como evitá-lo?
Parabéns! Achei ótima a matéria e este site é maravilhoso, nos ensina a conhecer as doenças e a se prevenir e se tratar delas. Assim informados tudo se torna menos pavoroso. Obrigada!

03/01/2011 - Comentário feito por Genice
Re: Corrimento vaginal. O que é e como evitá-lo?
Parabéns! Achei este artigo muito interessante e de fácil entendimento.

16/09/2010 - Comentário feito por Patricia
Re: Corrimento vaginal. O que é e como evitá-lo?
as informaçoes estao realmente claras......

  • Entrar
  • Assinar