Gostou do artigo? Compartilhe!

Aspiração de corpo estranho: como ela é? O que deve ser feito?

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que é a aspiração de corpo estranho?

A aspiração de objetos estranhos ou a chamada aspiração de corpo estranho é a introdução, quase sempre involuntária1, para a árvore respiratória de um objeto ou partes dele. A grande maioria das vítimas são crianças.

Quais são as causas da aspiração de corpo estranho?

A maioria dos casos de aspiração de objetos estranhos para as vias respiratórias acontece em crianças pequenas que têm o hábito de levar à boca2 ou introduzir pelo nariz3 brinquedos e outros objetos. Segundo a Sociedade Brasileira de Pediatria, mais de 94% dos casos ocorre antes dos sete anos de idade. Frequentemente isto ocorre quando a criança está brincando com um objeto na boca2, habitualmente peças pequenas de brinquedos. Os grãos também são comumente aspirados. Isso pode ocorrer enquanto a criança esteja comendo grãos, porque a criança pequena ainda não tritura bem os alimentos e não tem um bom controle da sinergia inspiração4/deglutição5. Pode acontecer também em indivíduos adultos, de forma acidental.

Quais são os principais sinais6 e sintomas7 da aspiração de corpo estranho?

Seguindo à aspiração de um objeto estranho, ocorre acesso de tosse, quadro súbito de chiado no peito8, tosse persistente, falta de ar súbita, rouquidão e lábios e unhas9 arroxeados. Em crianças pequenas, a maior suspeita de que o acidente ocorreu é a situação de engasgo. Se a obstrução for completa e durar mais de três minutos, leva ao coma10 e à morte. Se não chegar a obstruir totalmente as vias respiratórias, mas dificultar a entrada de ar nos pulmões11, a aspiração causará grande ansiedade, agitação e ânsia respiratória. À ausculta12 pulmonar será possível ouvir alguns sons estranhos. Se a obstrução for total, não haverá qualquer som e as extremidades e os lábios estarão arroxeados.

Como tratar a aspiração de corpo estranho?

A retirada de um corpo estranho da árvore respiratória pode se constituir numa emergência13 médica. Muitas vezes as primeiras providências têm de ser tomadas por um leigo. Nessas situações, o mais importante é manter a calma. Nas situações que exigem uma intervenção imediata, deve-se adotar comportamentos diferentes, quer se trate de um bebê ou de um adulto.

Se o paciente for um bebê:

  • Deite-o sobre seus braços cruzados à frente do corpo ou assente-se e ponha a vítima sobre seus joelhos, de barriga para baixo e com a cabeça14 mais baixa que o corpo e dê alguns tapinhas sobre as costas15 dele, de modo a não machucá-lo mas de maneira vigorosa o bastante para produzir efeito.
  • Em seguida, deite-o sobre os braços cruzados na mesma posição ou sobre seus joelhos, de barriga para cima, com a cabeça14 mais baixa que o corpo e faça compressões torácicas forçando a expiração16.
  • Só procure retirar o objeto aspirado se você estiver vendo-o e ele for de fácil remoção. Do contrário, você pode estar empurrando ele mais para baixo e piorando a situação.
  • Não coloque a vítima de cabeça14 para baixo porque isso pode provocar vômito17 e piorar a situação.

Se o paciente for um adulto:

  • Se possível, espere a vítima tossir, porque a própria pressão do ar liberado com a tosse pode fazê-la expelir o objeto aspirado.
  • Coloque a pessoa de costas15 para você e enlace-a passando seus braços, na altura do abdome18 dela e alterne uma firme pressão com um relaxamento. A saída brusca de ar assim produzida pode remover o objeto.
  • Se o objeto obstrutivo estiver preso no nariz3, peça a vítima para inspirar pela boca2 e expirar fortemente pelo nariz3.
  • Se nada disso resolver, provoque vômitos19, colocando a mão20 na garganta21 da vítima.
  • Se o objeto for pontiagudo não faça nada e procure socorro médico.
  • Se a obstrução for parcial, o melhor procedimento é a não intervenção no ambiente doméstico. Em muitos casos o objeto poderá ser retirado por endoscopia22, mas alguns casos demandam cirurgia.

Como evolui a aspiração de corpo estranho?

A asfixia23 causada pela aspiração de objetos estranhos com privação significativa de oxigênio cerebral pode levar a sequelas24 neurológicas importantes e graves e, em casos extremos, à morte.

Como evitar a aspiração de corpo estranho?

A aspiração de corpo estranho pode ser evitada não deixando as crianças levarem objetos pequenos à boca2. Deve-se também estar atento aos brinquedos pequenos ou que possuam peças pequenas, destacáveis, e também às moedas. É preciso mantê-los fora do alcance de crianças pequenas, principalmente até os três anos de idade.

Se a criança estiver com um objeto na boca2 que você queira tirar, evite assustá-la ou fazê-la rir ou chorar, porque essas situações implicam numa inspiração4 mais vigorosa que pode facilitar a aspiração do objeto. Distraia esta criança com outro brinquedo e depois tire o objeto da boca2 dela, com cuidado.

ABCMED, 2014. Aspiração de corpo estranho: como ela é? O que deve ser feito?. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/saude-da-crianca/565097/aspiracao-de-corpo-estranho-como-ela-e-o-que-deve-ser-feito.htm>. Acesso em: 9 dez. 2019.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Involuntária: 1.    Que se realiza sem intervenção da vontade ou que foge ao controle desta, automática, inconsciente, espontânea. 2.    Que se encontra em uma dada situação sem o desejar, forçada, obrigada.
2 Boca: Cavidade oral ovalada (localizada no ápice do trato digestivo) composta de duas partes
3 Nariz: Estrutura especializada que funciona como um órgão do sentido do olfato e que também pertence ao sistema respiratório; o termo inclui tanto o nariz externo como a cavidade nasal.
4 Inspiração: 1. Ato ou efeito de inspirar(-se). 2. Entrada de ar nos pulmões através das vias respiratórias. 3. Conselho, sugestão, influência. 4. No sentido figurado, significa criatividade, entusiasmo. Pessoa ou coisa que inspira, estimula a capacidade criativa. 5. Ideia súbita e espontânea, geralmente brilhante e/ou oportuna.
5 Deglutição: Passagem dos alimentos desde a boca até o esôfago; ação ou efeito de deglutir; engolir. É um mecanismo em parte voluntário e em parte automático (reflexo) que envolve a musculatura faríngea e o esfíncter esofágico superior.
6 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
7 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
8 Peito: Parte superior do tronco entre o PESCOÇO e o ABDOME; contém os principais órgãos dos sistemas circulatório e respiratório. (Tradução livre do original
9 Unhas: São anexos cutâneos formados por células corneificadas (queratina) que formam lâminas de consistência endurecida. Esta consistência dura, confere proteção à extremidade dos dedos das mãos e dos pés. As unhas têm também função estética. Apresentam crescimento contínuo e recebem estímulos hormonais e nutricionais diversos.
10 Coma: 1. Alteração do estado normal de consciência caracterizado pela falta de abertura ocular e diminuição ou ausência de resposta a estímulos externos. Pode ser reversível ou evoluir para a morte. 2. Presente do subjuntivo ou imperativo do verbo “comer.“
11 Pulmões: Órgãos do sistema respiratório situados na cavidade torácica e responsáveis pelas trocas gasosas entre o ambiente e o sangue. São em número de dois, possuem forma piramidal, têm consistência esponjosa e medem cerca de 25 cm de comprimento. Os pulmões humanos são divididos em segmentos denominados lobos. O pulmão esquerdo possui dois lobos e o direito possui três. Os pulmões são compostos de brônquios que se dividem em bronquíolos e alvéolos pulmonares. Nos alvéolos se dão as trocas gasosas ou hematose pulmonar entre o meio ambiente e o corpo, com a entrada de oxigênio na hemoglobina do sangue (formando a oxiemoglobina) e saída do gás carbônico ou dióxido de carbono (que vem da célula como carboemoglobina) dos capilares para o alvéolo.
12 Ausculta: Ato de escutar os ruídos internos do organismo, para controlar o funcionamento de um órgão ou perceber uma anomalia; auscultação.
13 Emergência: 1. Ato ou efeito de emergir. 2. Situação grave, perigosa, momento crítico ou fortuito. 3. Setor de uma instituição hospitalar onde são atendidos pacientes que requerem tratamento imediato; pronto-socorro. 4. Eclosão. 5. Qualquer excrescência especializada ou parcial em um ramo ou outro órgão, formada por tecido epidérmico (ou da camada cortical) e um ou mais estratos de tecido subepidérmico, e que pode originar nectários, acúleos, etc. ou não se desenvolver em um órgão definido.
14 Cabeça:
15 Costas:
16 Expiração: 1. Ato ou efeito de expirar. 2. Expulsão, pelas vias respiratórias, do ar dos pulmões. 3. Fim ou termo de prazo estipulado ou convencionado.
17 Vômito: É a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Pode ser classificado como: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
18 Abdome: Região do corpo que se localiza entre o TÓRAX e a PELVE.
19 Vômitos: São a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Podem ser classificados em: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
20 Mão: Articulação entre os ossos do metacarpo e as falanges.
21 Garganta: Tubo fibromuscular em forma de funil, que leva os alimentos ao ESÔFAGO e o ar à LARINGE e PULMÕES. Situa-se posteriormente à CAVIDADE NASAL, à CAVIDADE ORAL e à LARINGE, extendendo-se da BASE DO CRÂNIO à borda inferior da CARTILAGEM CRICÓIDE (anteriormente) e à borda inferior da vértebra C6 (posteriormente). É dividida em NASOFARINGE, OROFARINGE e HIPOFARINGE (laringofaringe).
22 Endoscopia: Método no qual se visualiza o interior de órgãos e cavidades corporais por meio de um instrumento óptico iluminado.
23 Asfixia: 1. Dificuldade ou impossibilidade de respirar, que pode levar à anóxia. Ela pode ser causada por estrangulamento, afogamento, inalação de gases tóxicos, obstruções mecânicas ou infecciosas das vias aéreas superiores, etc. 2. No sentido figurado, significa sujeição à tirania; opressão e/ou cobrança de posições morais ou sociais que dão origem à privação de certas liberdades.
24 Sequelas: 1. Na medicina, é a anomalia consequente a uma moléstia, da qual deriva direta ou indiretamente. 2. Ato ou efeito de seguir. 3. Grupo de pessoas que seguem o interesse de alguém; bando. 4. Efeito de uma causa; consequência, resultado. 5. Ato ou efeito de dar seguimento a algo que foi iniciado; sequência, continuação. 6. Sequência ou cadeia de fatos, coisas, objetos; série, sucessão. 7. Possibilidade de acompanhar a coisa onerada nas mãos de qualquer detentor e exercer sobre ela as prerrogativas de seu direito.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Pediatria?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.