Gostou do artigo? Compartilhe!

Doença de Blount - como é? Quais os sintomas? O que fazer?

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que é a doença de Blount?

A doença de Blount é um distúrbio do desenvolvimento no qual há alterações do crescimento da parte interna da extremidade superior da tíbia1, as quais levam a deformidades ósseas, causando curvatura para o exterior, com angulação ligeiramente abaixo do joelho. A deformidade consiste em uma tíbia1 vara e rotação interna da tíbia1, bem como deformidade do fémur distal2. Walter Blount, em 1937, foi o primeiro a identificar as características clínicas, radiológicas e patológicas desses casos.

Quais são as causas da doença de Blount?

As causas da doença de Blount são controversas: ela parece ser uma doença multifatorial, mas a contribuição dos fatores genéticos ainda é desconhecida. Sabe-se, contudo, que a obesidade3 infantil e a marcha precoce são fatores predisponentes para o seu desenvolvimento. Em geral, a doença de Blount é mais comum entre crianças do sexo feminino e de origem africana ou naquelas que tenham um membro da família com o problema.

Leia também "Meu filho está fora do peso ideal, o que fazer?".

Qual é o mecanismo fisiopatológico da doença de Blount?

A tíbia1 (osso da canela) está localizada no mesmo lado que o dedo grande do pé4. Quando ficamos em pé, é a tíbia1 que suporta a maior parte do peso do corpo. A fíbula5 é o osso mais fino da perna, localizado no mesmo lado que o dedo mínimo do pé. Há uma placa6 de crescimento na parte superior da tíbia1, feita de cartilagem7, chamada de fise.

A função da fise é permitir o crescimento e o alongamento do osso. Às vezes, porém, a fise é levada a suportar mais pressão do que pode suportar e isto pode iniciar uma série de eventos patológicos na parte superior da tíbia1. A parte interior, logo abaixo do joelho, fica anormalmente comprimida e sofre arqueamento e pode até parar de crescer em sua parte interna, embora a parte externa continue a crescer normalmente. É este crescimento irregular que faz com que a tíbia1 se curve para fora em vez de crescer em linha reta.

Quais são as principais características clínicas da doença de Blount?

Em cerca de 60% dos casos, a doença de Blount provoca problemas nas pernas e dificuldade de marcha na criança. Os pacientes com doença de Blount apresentam abaulamento8 e diferença no comprimento das pernas. A doença só pode ser reconhecida em crianças maiores de dois anos de idade, mas a deformidade grave, não tratada precocemente, pode levar à artrite9 degenerativa10 do joelho. Ela, pode levar a alterações patológicas irreversíveis, especialmente na porção medial da epífise tibial proximal11.

Reconhece-se duas formas da doença de Blount: (1) doença de Blount infantil, reconhecida entre 1 e 3 anos de idade, não associada à obesidade3 e muitas vezes bilateral e (2) doença de Blount tardia, subcategorizada em (2.a) juvenil, que ocorre na idade de 4 a 10 anos e (2.b) do adolescente, ocorrendo a partir dos 10 anos. A doença de Blount tardia é mais comumente associada à obesidade3 e, mais frequentemente, unilateral.

O sinal12 mais evidente da doença Blount é uma curvatura da perna, logo abaixo do joelho. Em crianças, isso geralmente não é doloroso, mas em adolescentes pode ser. Ao longo do tempo, a doença de Blount também pode levar à artrite9 da articulação do joelho13 e, em casos muito graves, dificuldade para caminhar. Em casos raros, uma perna também pode ser ligeiramente mais curta do que a outra.

Saiba mais sobre "Artrite9" e "Obesidade3".

Como o médico diagnostica a doença de Blount?

Inicialmente, o diagnóstico14 da doença de Blount é clínico. Se as pernas começam se curvando e a pessoa tem dor no joelho, que não se justifica por uma lesão15, o médico deve considerar a possibilidade da doença de Blount. O ortopedista deve fazer um exame físico completo e solicitar uma radiografia das pernas. Os raios X ajudarão o médico a olhar os padrões de crescimento anormal do osso que são indicativos da doença de Blount.

A doença de Blount deve ser diferenciada das pernas tortas comuns em bebês16. Neles, a curvatura quase sempre se endireita quando a criança começa a andar, entre as idades de 1 e 2 anos. Na doença Blount, por outro lado, essa curvatura não se corrige nesse tempo e só piora, se não tratada.

Como o médico trata a doença de Blount?

O tratamento da doença de Blount deve ser adaptado a cada caso individual e um programa ortopédico deve ser inicialmente estabelecido, porém casos mais graves associados à dor podem necessitar de intervenção cirúrgica.

Quais são as complicações possíveis da doença de Blount?

O desalinhamento da tíbia1 pode causar problemas como mudança na forma da perna e rotação da tíbia1 para dentro, levando os pés a apontarem para dentro, ao invés de apontarem para fora.

 

ABCMED, 2016. Doença de Blount - como é? Quais os sintomas? O que fazer?. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/ortopedia-e-saude/1280583/doenca-de-blount-como-e-quais-os-sintomas-o-que-fazer.htm>. Acesso em: 18 mai. 2021.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Tíbia: Osso localizado no lado ântero-medial da perna. Ela apresenta duas epífises e uma diáfise e articula-se proximalmente com o fêmur e a fíbula e distalmente com o tálus e a fíbula.
2 Distal: 1. Que se localiza longe do centro, do ponto de origem ou do ponto de união. 2. Espacialmente distante; remoto. 3. Em anatomia geral, é o mais afastado do tronco (diz-se de membro) ou do ponto de origem (diz-se de vasos ou nervos). Ou também o que é voltado para a direção oposta à cabeça. 4. Em odontologia, é o mais distante do ponto médio do arco dental.
3 Obesidade: Condição em que há acúmulo de gorduras no organismo além do normal, mais severo que o sobrepeso. O índice de massa corporal é igual ou maior que 30.
4 Dedo Grande do Pé: Dedo Grande do Pé, vulgo dedão do pé.
5 Fíbula: Osso da perna, lateral à tíbia (e menor que esta). Proporcionalmente a seu comprimento, é o mais delgado dos ossos longos. Sinônimos: Perônio
6 Placa: 1. Lesão achatada, semelhante à pápula, mas com diâmetro superior a um centímetro. 2. Folha de material resistente (metal, vidro, plástico etc.), mais ou menos espessa. 3. Objeto com formato de tabuleta, geralmente de bronze, mármore ou granito, com inscrição comemorativa ou indicativa. 4. Chapa que serve de suporte a um aparelho de iluminação que se fixa em uma superfície vertical ou sobre uma peça de mobiliário, etc. 5. Placa de metal que, colocada na dianteira e na traseira de um veículo automotor, registra o número de licenciamento do veículo. 6. Chapa que, emitida pela administração pública, representa sinal oficial de concessão de certas licenças e autorizações. 7. Lâmina metálica, polida, usualmente como forma em processos de gravura. 8. Área ou zona que difere do resto de uma superfície, ordinariamente pela cor. 9. Mancha mais ou menos espessa na pele, como resultado de doença, escoriação, etc. 10. Em anatomia geral, estrutura ou órgão chato e em forma de placa, como uma escama ou lamela. 11. Em informática, suporte plano, retangular, de fibra de vidro, em que se gravam chips e outros componentes eletrônicos do computador. 12. Em odontologia, camada aderente de bactérias que se forma nos dentes.
7 Cartilagem: Tecido resistente e flexível, de cor branca ou cinzenta, formado de grandes células inclusas em substância que apresenta tendência à calcificação e à ossificação.
8 Abaulamento: 1. Ato, processo ou efeito de abaular. 2. Convexidade que se dá a diversas superfícies (ruas, estradas, coberturas etc.) para facilitar o escoamento de águas pluviais. 3. Em forma de curva, arqueada ou convexa.
9 Artrite: Inflamação de uma articulação, caracterizada por dor, aumento da temperatura, dificuldade de movimentação, inchaço e vermelhidão da área afetada.
10 Degenerativa: Relativa a ou que provoca degeneração.
11 Proximal: 1. Que se localiza próximo do centro, do ponto de origem ou do ponto de união. 2. Em anatomia geral, significa o mais próximo do tronco (no caso dos membros) ou do ponto de origem (no caso de vasos e nervos). Ou também o que fica voltado para a cabeça (diz-se de qualquer formação). 3. Em botânica, o que fica próximo ao ponto de origem ou à base. 4. Em odontologia, é o mais próximo do ponto médio do arco dental.
12 Sinal: 1. É uma alteração percebida ou medida por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida. 2. Som ou gesto que indica algo, indício. 3. Dinheiro que se dá para garantir um contrato.
13 Articulação do joelho:
14 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
15 Lesão: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
16 Bebês: Lactentes. Inclui o período neonatal e se estende até 1 ano de idade (12 meses).
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Ortopedia e Traumatologia?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.