Atalho: 70JOCD8
Gostou do artigo? Compartilhe!

Cistoscopia: o que é e como se realiza? Qual é o preparo para o exame? Para que serve? Existem riscos?

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que é cistoscopia1?

Cistoscopia1 (ou ureteroscopia2) é um exame endoscópio das vias urinárias baixas que possibilita uma visibilização ótica dos segmentos uretrais, do interior da bexiga3 e da porção terminal dos ureteres4.

Como é o preparo para fazer uma cistoscopia1?

O preparo para esse exame é muito simples. O paciente deve estar em jejum de quatro horas, suspender cerca de sete dias antes qualquer anticoagulante5 que faça uso e fazer um exame de urina6, pois se houver infecção7 urinária a cistoscopia1 está contraindicada.

Como se realiza a cistoscopia1?

O exame dura cerca de vinte minutos. O aparelho utilizado para sua realização é o cistoscópio. Há dois tipos de cistoscópio, eles consistem em um tubo delgado que pode ser introduzido na uretra8; um deles é semirrígido e o outro é flexível.

Na maioria das vezes o exame é realizado com anestesia9 local, em forma de gel, mas pode necessitar anestesia9 geral, conforme o caso. Normalmente, é feito em ambulatório, não necessitando de internação. Habitualmente, o paciente estará deitado em decúbito ventral10 (cistoscópio semirrígido), com os joelhos semifletidos (numa posição semelhante à posição ginecológica11), ou em decúbito dorsal12 (cistoscópio flexível). O cistoscópio é então introduzido pela uretra8 até a bexiga3. A escolha do tipo de cistoscópio, se rígido ou semiflexível, depende do objetivo do exame. Então, o médico introduz água através do cistoscópio até encher a bexiga3 e permitir uma melhor visualização de suas paredes. O cistoscópio carrega em sua extremidade lâmpadas de xenon e halógenas e uma minicâmera que transmite por fibra ótica imagens para um monitor. O aparelho pode também, em casos de necessidade, retirar fragmentos13 de tecidos para biópsias14. Durante o exame pode haver algum desconforto na introdução do cistoscópio pela uretra8, a qual deverá estar lubrificada e anestesiada. Depois de enchida a bexiga3, o paciente pode sentir intensa vontade de urinar, a qual precisa ser tolerada durante a realização do exame. Se for feita biópsia15, o paciente pode sentir uma sensação de pinçamento no momento da retirada do tecido16. Depois de retirado o cistoscópio é possível que a uretra8 fique dolorida, que se sinta ardor17 ao urinar ou que a urina18 esteja sanguinolenta19, se foi feita biópsia15. O paciente poderá retornar para casa depois do procedimento.

Para que serve o exame?

As principais indicações da cistoscopia1 são: diagnóstico20 e acompanhamento de distúrbios das vias urinárias, diagnóstico20 e acompanhamento dos tumores da bexiga3 ou da uretra8, diagnóstico20 de infecções21 recorrentes da bexiga3, resolução de problemas criados por cálculos na bexiga3 e realização de biópsia15 endoscópica da bexiga3 ou da uretra8, quando necessárias. Outras indicações menos comuns são ainda possíveis, como avaliação do tamanho da próstata22, divertículos da uretra8 ou da bexiga3, fístulas23, corpo estranho dentro da bexiga3, etc.

Quais são os riscos da cistoscopia1?

Geralmente, o exame não implica em riscos significativos, no entanto, podem ocorrer infecção7, sangramento excessivo causado pela biópsia15 e ruptura da parede da bexiga3. É normal que apareça uma pequena quantidade de sangue24 na urina18 após o procedimento, o qual deve desaparecer rapidamente.

ABCMED, 2013. Cistoscopia: o que é e como se realiza? Qual é o preparo para o exame? Para que serve? Existem riscos?. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/exames-e-procedimentos/357809/cistoscopia-o-que-e-e-como-se-realiza-qual-e-o-preparo-para-o-exame-para-que-serve-existem-riscos.htm>. Acesso em: 16 nov. 2018.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Cistoscopia: Visualização da bexiga urinária através de um instrumento óptico (cistoscópio) que é introduzido pela uretra.
2 Ureteroscopia: Exame do trato urinário superior, geralmente realizada por um endoscópio que é passado através da uretra, bexiga urinária e então diretamente no ureter. É um procedimento útil no diagnóstico e tratamento de doenças urológicas, como por exemplo, os cálculos renais.
3 Bexiga: Órgão cavitário, situado na cavidade pélvica, no qual é armazenada a urina, que é produzida pelos rins. É uma víscera oca caracterizada por sua distensibilidade. Tem a forma de pêra quando está vazia e a forma de bola quando está cheia.
4 Ureteres: Estruturas tubulares que transportam a urina dos rins até a bexiga.
5 Anticoagulante: Substância ou medicamento que evita a coagulação, especialmente do sangue.
6 Exame de urina: Também chamado de urinálise, o teste de urina é feito através de uma amostra de urina e pode diagnosticar doenças do sistema urinário e outros sistemas do organismo. Alguns testes são feitos em uma amostra simples e outros pela coleta da urina durante 24 horas. Pode ser feita uma cultura da urina para verificar o crescimento de bactérias na urina.
7 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
8 Uretra: É um órgão túbulo-muscular que serve para eliminação da urina.
9 Anestesia: Diminuição parcial ou total da sensibilidade dolorosa. Pode ser induzida por diferentes medicamentos ou ser parte de uma doença neurológica.
10 Decúbito ventral: Também conhecido como posição PRONA. A pessoa fica deitada de bruços, sobre o abdome, com a cabeça voltada para um dos lados.
11 Posição ginecológica: O paciente permanece em decúbito dorsal, com as pernas flexionadas, afastadas e apoiadas em perneiras acolchoadas, e os braços estendidos e apoiados. Também chamada de posição de litotômia ou litotomia.
12 Decúbito dorsal: Também conhecido como posição SUPINA. A pessoa fica deitada de costas com a cabeça e os ombros ligeiramente elevados, com a barriga voltada para cima.
13 Fragmentos: 1. Pedaço de coisa que se quebrou, cortou, rasgou etc. É parte de um todo; fração. 2. No sentido figurado, é o resto de uma obra literária ou artística cuja maior parte se perdeu ou foi destruída. Ou um trecho extraído de uma obra.
14 Biópsias: 1. Retirada de material celular ou de um fragmento de tecido de um ser vivo para determinação de um diagnóstico. 2. Exame histológico e histoquímico. 3. Por metonímia, é o próprio material retirado para exame.
15 Biópsia: 1. Retirada de material celular ou de um fragmento de tecido de um ser vivo para determinação de um diagnóstico. 2. Exame histológico e histoquímico. 3. Por metonímia, é o próprio material retirado para exame.
16 Tecido: Conjunto de células de características semelhantes, organizadas em estruturas complexas para cumprir uma determinada função. Exemplo de tecido: o tecido ósseo encontra-se formado por osteócitos dispostos em uma matriz mineral para cumprir funções de sustentação.
17 Ardor: 1. Calor forte, intenso. 2. Mesmo que ardência. 3. Qualidade daquilo que fulge, que brilha. 4. Amor intenso, desejo concupiscente, paixão.
18 Urina: Resíduo líquido produzido pela filtração renal no organismo, estocado na bexiga e expelido pelo ato de urinar.
19 Sanguinolenta: 1. Em que há grande derramamento de sangue; sangrenta. 2. Tinto ou misturado com sangue. 3. Que se compraz em ver ou derramar sangue; sanguinária.
20 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
21 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
22 Próstata: Glândula que (nos machos) circunda o colo da BEXIGA e da URETRA. Secreta uma substância que liquefaz o sêmem coagulado. Está situada na cavidade pélvica (atrás da parte inferior da SÍNFISE PÚBICA, acima da camada profunda do ligamento triangular) e está assentada sobre o RETO.
23 Fístulas: Comunicação anormal entre dois órgãos ou duas seções de um mesmo órgão entre si ou com a superfície. Possui um conduto de paredes próprias.
24 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Urologia?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.

Comentários

13/06/2013 - Comentário feito por masaru
Re: Cistoscopia: o que é e como se realiza? Qual é o preparo para o exame? Para que serve? Existem riscos?
Otimo eu fiz cistocopia,muito legal.
Grato.

  • Entrar
  • Assinar