Atalho: 6XB0CQ4
Gostou do artigo? Compartilhe!

Arteriografia ou angiografia: como é o exame? Como se preparar? Quando deve ser realizado? Quais os riscos?

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que é arteriografia?

A arteriografia (ou angiografia1) é um método de diagnóstico2 radiológico minimamente invasivo que procura visualizar a parede das artérias3 focalizadas, para estudar as doenças arteriais ou doenças com importante participação arterial. Este exame exige que seja injetado um contraste rádio4-opaco no interior das artérias3, para permitir a visualização do vaso sanguíneo em causa. Se houver uma obstrução (entupimento) completa de uma artéria5, o contraste não passa além dela e, assim, não permite observar a extensão da lesão6, nem avaliar a parede da parte da artéria5 que se segue à obstrução.

Quais são as indicações para se fazer uma arteriografia?

A arteriografia pode ser um procedimento eletivo7 ou de urgência8/emergência9. De maneira eletiva10, a arteriografia pode ser usada para ajudar no diagnóstico2 e avaliação de malformações11 arteriais, aneurismas ou aterosclerose12 em diversos territórios orgânicos, como a aorta13 e artérias3 periféricas (mesentéricas14, renais e dos membros inferiores). Como exame de urgência8/emergência9 a arteriografia é indicada para diagnosticar doenças agudas que podem acometer as artérias3, como dissecção aguda, alguns acidentes vasculares15 cerebrais ou embolias (coágulos provenientes de locais distantes, que entopem as artérias3) ou tromboses16 (formação de um coágulo17 ou placas18 de gordura19 nas paredes da artéria5).

Como se preparar para a arteriografia?

  • No dia do exame, é necessário que um familiar o acompanhe durante o procedimento.
  • Deve ser observado um jejum de 6 a 8 horas.
  • Apenas os anticoagulantes20 orais (pelo risco de sangramento) e a metformina21 (que tem interação negativa com o contraste) devem ser suspensos alguns dias antes, conforme orientação do médico. Os demais medicamentos não precisam ser suspensos, mas o médico deve ser informado de seu uso.
  • Pacientes alérgicos precisam fazer um tratamento prévio, por causa do contraste.
  • Pacientes com disfunção renal22 merecem cuidados a serem definidos pelo médico, em vista da utilização do contraste.
  • Pacientes renais crônicos devem fazer diálise23 no dia que antecede o exame.

Como o exame é realizado?

Para a realização do exame deve-se conseguir acesso ao espaço intravascular24 de uma artéria5, obtido através de uma punção. Um fino tubo esterilizado, flexível e de pequeno calibre (cateter) é introduzido, geralmente numa artéria5 da virilha, onde ela se localiza superficialmente e pode ser comprimida com mais facilidade, quando da retirada do cateter. Artérias3 de outras áreas do corpo também podem ser utilizadas para introduzir o cateter, tais como o braço, por exemplo. Esse cateter é direcionado ao local desejado com a ajuda de um aparelho especial que permite a visualização dele num écran e quando estiver posicionado no local desejado um contraste rádio4-opaco é injetado, para obter imagens do sistema arterial25 regional. Normalmente o paciente estará deitado numa maca e receberá um medicamento sedativo, para ajudá-lo a se relaxar. O médico aplicará um anestésico local na área por onde introduzirá o cateter. O aparelho que permitirá a visualização do cateter e seu posicionamento chama-se fluoroscópio (aparelho especial de Raios-X). Imediatamente após o contraste ser injetado serão feitos vários filmes, para estudar os vasos envolvidos. O paciente deve permanecer imóvel enquanto as imagens estiverem sendo tomadas. Terminado o procedimento, o cateter será removido. Se a angiografia1 foi realizada em uma Day Clinic (hospital dia) o paciente deverá permanecer em observação por algumas horas e depois de liberado necessitará de alguém que o acompanhe na volta para casa, de carro. Em muitos casos o paciente estará internado e o exame se realizará no hospital.

Quais são os riscos do exame?

Os riscos mais comuns da arteriografia são reações alérgicas ao contraste e sangramento no local da punção. Com menor frequência podem ocorrer queda da pressão arterial26 e alterações renais devidas ao contraste.

ABCMED, 2013. Arteriografia ou angiografia: como é o exame? Como se preparar? Quando deve ser realizado? Quais os riscos?. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/exames-e-procedimentos/347139/arteriografia-ou-angiografia-como-e-o-exame-como-se-preparar-quando-deve-ser-realizado-quais-os-riscos.htm>. Acesso em: 19 nov. 2019.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Angiografia: Método diagnóstico que, através do uso de uma substância de contraste, permite observar a morfologia dos vasos sangüíneos. O contraste é injetado dentro do vaso sangüíneo e o trajeto deste é acompanhado através de radiografias seriadas da área a ser estudada.
2 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
3 Artérias: Os vasos que transportam sangue para fora do coração.
4 Rádio:
5 Artéria: Vaso sangüíneo de grande calibre que leva sangue oxigenado do coração a todas as partes do corpo.
6 Lesão: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
7 Eletivo: 1. Relativo à eleição, escolha, preferência. 2. Em medicina, sujeito à opção por parte do médico ou do paciente. Por exemplo, uma cirurgia eletiva é indicada ao paciente, mas não é urgente. 3. Cujo preenchimento depende de eleição (diz-se de cargo). 4. Em bioquímica ou farmácia, aquilo que tende a se combinar com ou agir sobre determinada substância mais do que com ou sobre outra.
8 Urgência: 1. Necessidade que requer solução imediata; pressa. 2. Situação crítica ou muito grave que tem prioridade sobre outras; emergência.
9 Emergência: 1. Ato ou efeito de emergir. 2. Situação grave, perigosa, momento crítico ou fortuito. 3. Setor de uma instituição hospitalar onde são atendidos pacientes que requerem tratamento imediato; pronto-socorro. 4. Eclosão. 5. Qualquer excrescência especializada ou parcial em um ramo ou outro órgão, formada por tecido epidérmico (ou da camada cortical) e um ou mais estratos de tecido subepidérmico, e que pode originar nectários, acúleos, etc. ou não se desenvolver em um órgão definido.
10 Eletiva: 1. Relativo à eleição, escolha, preferência. 2. Em medicina, sujeito à opção por parte do médico ou do paciente. Por exemplo, uma cirurgia eletiva é indicada ao paciente, mas não é urgente. 3. Cujo preenchimento depende de eleição (diz-se de cargo). 4. Em bioquímica ou farmácia, aquilo que tende a se combinar com ou agir sobre determinada substância mais do que com ou sobre outra.
11 Malformações: 1. Defeito na forma ou na formação; anomalia, aberração, deformação. 2. Em patologia, é vício de conformação de uma parte do corpo, de origem congênita ou hereditária, geralmente curável por cirurgia. Ela é diferente da deformação (que é adquirida) e da monstruosidade (que é incurável).
12 Aterosclerose: Tipo de arteriosclerose caracterizado pela formação de placas de ateroma sobre a parede das artérias.
13 Aorta: Principal artéria do organismo. Surge diretamente do ventrículo esquerdo e através de suas ramificações conduz o sangue a todos os órgãos do corpo.
14 Mesentéricas: Relativo ao mesentério, ou seja, na anatomia geral o mesentério é uma dobra do peritônio que une o intestino delgado à parede posterior do abdome.
15 Vasculares: Relativo aos vasos sanguíneos do organismo.
16 Tromboses: Formações de trombos no interior de um vaso sanguíneo. Podem ser venosas ou arteriais e produzem diferentes sintomas segundo os territórios afetados. A trombose de uma artéria coronariana pode produzir um infarto do miocárdio.
17 Coágulo: 1. Em fisiologia, é uma massa semissólida de sangue ou de linfa. 2. Substância ou produto que promove a coagulação do leite.
18 Placas: 1. Lesões achatadas, semelhantes à pápula, mas com diâmetro superior a um centímetro. 2. Folha de material resistente (metal, vidro, plástico etc.), mais ou menos espessa. 3. Objeto com formato de tabuleta, geralmente de bronze, mármore ou granito, com inscrição comemorativa ou indicativa. 4. Chapa que serve de suporte a um aparelho de iluminação que se fixa em uma superfície vertical ou sobre uma peça de mobiliário, etc. 5. Placa de metal que, colocada na dianteira e na traseira de um veículo automotor, registra o número de licenciamento do veículo. 6. Chapa que, emitida pela administração pública, representa sinal oficial de concessão de certas licenças e autorizações. 7. Lâmina metálica, polida, usualmente como forma em processos de gravura. 8. Área ou zona que difere do resto de uma superfície, ordinariamente pela cor. 9. Mancha mais ou menos espessa na pele, como resultado de doença, escoriação, etc. 10. Em anatomia geral, estrutura ou órgão chato e em forma de placa, como uma escama ou lamela. 11. Em informática, suporte plano, retangular, de fibra de vidro, em que se gravam chips e outros componentes eletrônicos do computador. 12. Em odontologia, camada aderente de bactérias que se forma nos dentes.
19 Gordura: Um dos três principais nutrientes dos alimentos. Os alimentos que fornecem gordura são: manteiga, margarina, óleos, nozes, carnes vermelhas, peixes, frango e alguns derivados do leite. O excesso de calorias é estocado no organismo na forma de gordura, fornecendo uma reserva de energia ao organismo.
20 Anticoagulantes: Substâncias ou medicamentos que evitam a coagulação, especialmente do sangue.
21 Metformina: Medicamento para uso oral no tratamento do diabetes tipo 2. Reduz a glicemia por reduzir a quantidade de glicose produzida pelo fígado e ajudando o corpo a responder melhor à insulina produzida pelo pâncreas. Pertence à classe das biguanidas.
22 Renal: Relacionado aos rins. Uma doença renal é uma doença dos rins. Insuficiência renal significa que os rins pararam de funcionar.
23 Diálise: Quando os rins estão muito doentes, eles deixam de realizar suas funções, o que pode levar a risco de vida. Nesta situação, é preciso substituir as funções dos rins de alguma maneira, o que pode ser feito realizando-se um transplante renal, ou através da diálise. A diálise é um tipo de tratamento que visa repor as funções dos rins, retirando as substâncias tóxicas e o excesso de água e sais minerais do organismo, estabelecendo assim uma nova situação de equilíbrio. Existem dois tipos de diálise: a hemodiálise e a diálise peritoneal.
24 Intravascular: Relativo ao interior dos vasos sanguíneos e linfáticos, ou que ali se situa ou ocorre.
25 Sistema arterial: O sistema arterial possui basicamente a propriedade de condução e distribuição do volume sanguíneo aos tecidos, e de variação da resistência ao fluxo de sangue, para a manutenção da pressão intravascular e da adequada oferta de fluxo.
26 Pressão arterial: A relação que define a pressão arterial é o produto do fluxo sanguíneo pela resistência. Considerando-se a circulação como um todo, o fluxo total é denominado débito cardíaco, enquanto a resistência é denominada de resistência vascular periférica total.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Angiologia?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.

Comentários

16/07/2016 - Comentário feito por Sergio
Curioso
Curioso

21/05/2014 - Comentário feito por Patricia
Gostaria de saber mais sobre o contraste utiliz...
Gostaria de saber mais sobre o contraste utilizado no procedimento, como age no corpo, por quanto tempo permanece no corpo, o que ajuda na eliminação do contraste e implicações em casos de pacientes com deficiência renal.

25/01/2014 - Comentário feito por Wadson
Re: Arteriografia ou angiografia: como é o exame? Como se preparar? Quando deve ser realizado? Quais os riscos?
Onde fazer esse exame no Rio de Janeiro - Urgente!!!!

25/01/2014 - Comentário feito por Wadson
Re: Arteriografia ou angiografia: como é o exame? Como se preparar? Quando deve ser realizado? Quais os riscos?
Meu sogro precisa fazer esse exame solicitado pelo Medico Cirurgião Vascular porem não sabemos onde pode ser feito. Já liguei para vários laboratórios etc.. e nada... nem os mais renomados fazem esse exame. preciso de ajuda por favor....
O dedo dele já esta em estado de necrose! Problema vascular membros inferiores estado gravíssimo...precisamos de ajuda urgente!!!!

06/12/2013 - Comentário feito por Luciane
Re: Arteriografia ou angiografia: como é o exame? Como se preparar? Quando deve ser realizado? Quais os riscos?
Minha mãe fará este exame na próxima semana, ela estava com fortes dores de cabeça a 3meses e cada médico que ela ia dava um remédio diferente, então minhas irmãs conseguiram do hospital geral de itapecerica um encaminhamento para o Hospital das clínicas . Agora ela está internada até fazer o exame. Estamos muito ansiosos para que ela melhore logo, pois sempre foi muita ativa e agora começou a esquecer coisas do cotidiano, só fica dormindo, com vômitos, dores de cabeça insuportáveis. Esta noite fiquei no hospital com ela e o Dr. que esta atendendo-a não parava um minuto, sem dormir cansado e com vários pacientes graves para atendimento, Dr. em momento algum foi ríspido com ninguém. Nem precisaria estar ali pois seu turno já havia acabado, mas graças a deus somos humanos e e ele certamente é um anjo. Agradeço a ele por ele ser médico e poder ajudar as pessoas que tanto precisavam dele ali. Obrigada mesmo de coração.

  • Entrar
  • Assinar