Atalho: 6RRJ03J
Gostou do artigo? Compartilhe!

Saiba mais sobre o cateterismo cardíaco, cinecoronariografia ou angiografia coronária

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que é o cateterismo1 cardíaco?

O cateterismo1 cardíaco (cinecoronariografia ou angiografia2 coronária ou estudo hemodinâmico) é uma angiografia2 especial, sendo, atualmente, o melhor recurso de que dispomos para diagnosticar, analisar e, eventualmente, tratar obstruções das artérias coronárias3. É um método de diagnóstico4 e/ou tratamento cardíaco feito através de um longo tubo, fino e flexível (catéter), introduzido num vaso sanguíneo periférico (veia ou artéria5) do braço, coxa ou pescoço6, que chega até às artérias7 do coração8 ou ao interior do próprio órgão. Através desse tubo, pode ser injetado um contraste radiopaco que permite detectar eventuais placas9 de gordura10, colesterol11 ou cálcio que estejam estreitando ou bloqueando artérias coronárias3 e outras anomalias cardíacas. Por meio dele é também possível colher amostras de sangue12 e do músculo e válvulas cardíacas, assim como realizar pequenas cirurgias no coração8. Eventuais bloqueios nas artérias7 podem ainda ser visualizados por meio da ultrassonografia13 durante o cateterismo1 cardíaco.

Como se realiza o cateterismo1 cardíaco?

Como preparação para o exame, deve-se fazer um jejum de quatro horas. Em geral, não é necessário suspender os medicamentos em uso, embora devam ser suspensos os anticoagulantes14 (quatro dias antes do procedimento) e certos antidiabéticos (2 dias antes). Pacientes alérgicos ao contraste ou com disfunção renal15 devem fazer um preparo especial, orientado pelo médico.

O cateterismo1 normalmente é realizado no serviço de hemodinâmica16 de um hospital, com a pessoa acordada e deitada numa cama ou maca, sob um aparelho de radiografia. Geralmente o paciente não experimenta dor durante o exame ou só sente uma dor mínima e um pequeno desconforto. É comum que o médico aplique um sedativo ao paciente, o que não o fará dormir, já que sua colaboração durante o exame é importante: será solicitado a ficar imóvel, tossir, respirar profundamente, prender a respiração por alguns instantes etc. Aplica-se apenas anestesia17 local no ponto de introdução do tubo.

O cateter é introduzido num vaso periférico, a partir da virilha ou face18 anterior do braço até atingir o tronco da artéria5 coronariana direita ou esquerda ou o ventrículo cardíaco19 esquerdo e pode ser acompanhado em seu trajeto pelas radiografias. Podem ser feitas fotografias e filmes para análises e observações posteriores e para serem entregues ao paciente. Em geral o exame dura de 30 a 60 minutos e raramente causa complicações sérias, embora possa causá-las, em raras ocasiões.

Quando se indica o cateterismo1 cardíaco?

O cateterismo1 cardíaco é mormente indicado naquelas situações em que se ache necessário avaliar o estado circulatório das artérias7 coronarianas. Isso de dá, sobretudo, em pacientes que sofreram ou sofrem infarto do miocárdio20, angina21 do peito22, isquemia23 coronariana, pacientes que tenham sido submetidos à angioplastia24 ou cirurgia de ponte de safena, pacientes com doenças das válvulas do coração8, cardiopatias congênitas25, insuficiência cardíaca26 etc. O cateterismo1 é capaz de diagnosticar com precisão a existência, extensão e localização de placas9 que estejam prejudicando a circulação27, assim como pode desobstruir artérias7 e válvulas porventura danificadas. Também pode ser usado na necessidade de se avaliar ou confirmar anomalias cardíacas, doenças das válvulas e do músculo cardíaco28, dos vasos pulmonares ou da artéria5 aorta29 e para determinar a necessidade de tratamento cirúrgico. Por meio do cateterismo1 cardíaco são possíveis certos procedimentos terapêuticos:

  • Angioplastia24: desobstrução de uma artéria5 coronariana ou ponte de safena usando-se um balão inflável que restitui a circulação27 no vaso.
  • Stent coronário: colocação de uma tela de aço inoxidável na parede interna do vaso desobstruído durante angioplastia24.
  • Valvuloplastia: desobstrução das válvulas cardíacas (pulmonar e mitral).

Quais são os riscos do cateterismo1 cardíaco?

O cateterismo1 cardíaco é um exame feito com frequência e habitualmente sem complicações. No entanto, em raros casos pode implicar em complicações sérias e inclusive fatais. As complicações mais frequentes são:

  • Dor, sangramento ou infecção30 no local onde o cateter é introduzido
  • Danificação dos vasos sanguíneos31 utilizados
  • Reação alérgica32 aos contrastes utilizados
  • Arritmia33 cardíaca (batimentos irregulares do coração8)
  • Desprendimento de coágulos sanguíneos
  • Diminuição da pressão sanguínea
  • Acúmulo de sangue12 ou fluido na bolsa membranosa que envolve o coração8

As complicações mais comuns do cateterismo1 cardíaco diminuíram a partir da utilização da artéria5 radial, em vez da artéria5 femoral.

ABCMED, 2012. Saiba mais sobre o cateterismo cardíaco, cinecoronariografia ou angiografia coronária. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/exames-e-procedimentos/331295/saiba-mais-sobre-o-cateterismo-cardiaco-cinecoronariografia-ou-angiografia-coronaria.htm>. Acesso em: 19 jul. 2019.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Cateterismo: Exame invasivo de artérias ou estruturas tubulares (uretra, ureteres, etc.), utilizando um dispositivo interno, capaz de injetar substâncias de contraste ou realizar procedimentos corretivos.
2 Angiografia: Método diagnóstico que, através do uso de uma substância de contraste, permite observar a morfologia dos vasos sangüíneos. O contraste é injetado dentro do vaso sangüíneo e o trajeto deste é acompanhado através de radiografias seriadas da área a ser estudada.
3 Artérias coronárias: Veias e artérias do CORAÇÃO.
4 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
5 Artéria: Vaso sangüíneo de grande calibre que leva sangue oxigenado do coração a todas as partes do corpo.
6 Pescoço:
7 Artérias: Os vasos que transportam sangue para fora do coração.
8 Coração: Órgão muscular, oco, que mantém a circulação sangüínea.
9 Placas: 1. Lesões achatadas, semelhantes à pápula, mas com diâmetro superior a um centímetro. 2. Folha de material resistente (metal, vidro, plástico etc.), mais ou menos espessa. 3. Objeto com formato de tabuleta, geralmente de bronze, mármore ou granito, com inscrição comemorativa ou indicativa. 4. Chapa que serve de suporte a um aparelho de iluminação que se fixa em uma superfície vertical ou sobre uma peça de mobiliário, etc. 5. Placa de metal que, colocada na dianteira e na traseira de um veículo automotor, registra o número de licenciamento do veículo. 6. Chapa que, emitida pela administração pública, representa sinal oficial de concessão de certas licenças e autorizações. 7. Lâmina metálica, polida, usualmente como forma em processos de gravura. 8. Área ou zona que difere do resto de uma superfície, ordinariamente pela cor. 9. Mancha mais ou menos espessa na pele, como resultado de doença, escoriação, etc. 10. Em anatomia geral, estrutura ou órgão chato e em forma de placa, como uma escama ou lamela. 11. Em informática, suporte plano, retangular, de fibra de vidro, em que se gravam chips e outros componentes eletrônicos do computador. 12. Em odontologia, camada aderente de bactérias que se forma nos dentes.
10 Gordura: Um dos três principais nutrientes dos alimentos. Os alimentos que fornecem gordura são: manteiga, margarina, óleos, nozes, carnes vermelhas, peixes, frango e alguns derivados do leite. O excesso de calorias é estocado no organismo na forma de gordura, fornecendo uma reserva de energia ao organismo.
11 Colesterol: Tipo de gordura produzida pelo fígado e encontrada no sangue, músculos, fígado e outros tecidos. O colesterol é usado pelo corpo para a produção de hormônios esteróides (testosterona, estrógeno, cortisol e progesterona). O excesso de colesterol pode causar depósito de gordura nos vasos sangüíneos. Seus componentes são: HDL-Colesterol: tem efeito protetor para as artérias, é considerado o bom colesterol. LDL-Colesterol: relacionado às doenças cardiovasculares, é o mau colesterol. VLDL-Colesterol: representa os triglicérides (um quinto destes).
12 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
13 Ultrassonografia: Ultrassonografia ou ecografia é um exame complementar que usa o eco produzido pelo som para observar em tempo real as reflexões produzidas pelas estruturas internas do organismo (órgãos internos). Os aparelhos de ultrassonografia utilizam uma frequência variada, indo de 2 até 14 MHz, emitindo através de uma fonte de cristal que fica em contato com a pele e recebendo os ecos gerados, os quais são interpretados através de computação gráfica.
14 Anticoagulantes: Substâncias ou medicamentos que evitam a coagulação, especialmente do sangue.
15 Renal: Relacionado aos rins. Uma doença renal é uma doença dos rins. Insuficiência renal significa que os rins pararam de funcionar.
16 Hemodinâmica: Ramo da fisiologia que estuda as leis reguladoras da circulação do sangue nos vasos sanguíneos tais como velocidade, pressão etc.
17 Anestesia: Diminuição parcial ou total da sensibilidade dolorosa. Pode ser induzida por diferentes medicamentos ou ser parte de uma doença neurológica.
18 Face: Parte anterior da cabeça que inclui a pele, os músculos e as estruturas da fronte, olhos, nariz, boca, bochechas e mandíbula.
19 Ventrículo Cardíaco: Câmeras inferiores direita e esquerda do coração. O ventrículo direito bombeia SANGUE venoso para os PULMÕES e o esquerdo bombeia sangue oxigenado para a circulação arterial sistêmica.
20 Infarto do miocárdio: Interrupção do suprimento sangüíneo para o coração por estreitamento dos vasos ou bloqueio do fluxo. Também conhecido por ataque cardíaco.
21 Angina: Inflamação dos elementos linfáticos da garganta (amígdalas, úvula). Também é um termo utilizado para se referir à sensação opressiva que decorre da isquemia (falta de oxigênio) do músculo cardíaco (angina do peito).
22 Peito: Parte superior do tronco entre o PESCOÇO e o ABDOME; contém os principais órgãos dos sistemas circulatório e respiratório. (Tradução livre do original
23 Isquemia: Insuficiência absoluta ou relativa de aporte sanguíneo a um ou vários tecidos. Suas manifestações dependem do tecido comprometido, sendo a mais frequente a isquemia cardíaca, capaz de produzir infartos, isquemia cerebral, produtora de acidentes vasculares cerebrais, etc.
24 Angioplastia: Método invasivo mediante o qual se produz a dilatação dos vasos sangüíneos arteriais afetados por um processo aterosclerótico ou trombótico.
25 Congênitas: 1. Em biologia, o que é característico do indivíduo desde o nascimento ou antes do nascimento; conato. 2. Que se manifesta espontaneamente; inato, natural, infuso. 3. Que combina bem com; apropriado, adequado. 4. Em termos jurídicos, é o que foi adquirido durante a vida fetal ou embrionária; nascido com o indivíduo. Por exemplo, um defeito congênito.
26 Insuficiência Cardíaca: É uma condição na qual a quantidade de sangue bombeada pelo coração a cada minuto (débito cardíaco) é insuficiente para suprir as demandas normais de oxigênio e de nutrientes do organismo. Refere-se à diminuição da capacidade do coração suportar a carga de trabalho.
27 Circulação: 1. Ato ou efeito de circular. 2. Facilidade de se mover usando as vias de comunicação; giro, curso, trânsito. 3. Movimento do sangue, fluxo de sangue através dos vasos sanguíneos do corpo e do coração.
28 Músculo Cardíaco: Tecido muscular do CORAÇÃO. Composto de células musculares estriadas e involuntárias (MIÓCITOS CARDÍACOS) conectadas, que formam a bomba contrátil geradora do fluxo sangüíneo.
29 Aorta: Principal artéria do organismo. Surge diretamente do ventrículo esquerdo e através de suas ramificações conduz o sangue a todos os órgãos do corpo.
30 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
31 Vasos Sanguíneos: Qualquer vaso tubular que transporta o sangue (artérias, arteríolas, capilares, vênulas e veias).
32 Reação alérgica: Sensibilidade a uma substância específica, chamada de alérgeno, com a qual se entra em contato por meio da pele, pulmões, deglutição ou injeções.
33 Arritmia: Arritmia cardíaca é o nome dado a diversas perturbações que alteram a frequência ou o ritmo dos batimentos cardíacos.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Cardiologia?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.

Comentários

04/03/2013 - Comentário feito por vilma
Re: Saiba mais sobre o cateterismo cardíaco
Muito boa as informações,bem mais esclarecedoras do que as que recebi dos médicos que realizaram esse procedimento em duas pessoas da minha familia.
Temos que agradecer as pessoas que postam informções ao público tão carente de informações.
Valeu.

27/12/2012 - Comentário feito por Eliane
Re: Saiba mais sobre o cateterismo cardíaco
adorei este asunto muito importante ter conhecimento.

  • Entrar
  • Assinar